Desejo: Boas Festas...

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Curiosidades Budeguísticas: espelho

Um das invenções mais importantes da humanidade é um artefato que, aparentemente, é inofensivo. Porém, sua relevância dá-se por sua representação simbólica maior. Antes de sua criação, só era possível o ser humano ver-se de uma forma mais natural, em rios ou rochas extremamente polidas. Porém, com a criação do espelho, o Homem pôde literalmente se ver.
Segundo o site A Origem das Coisas, "os primeiros espelhos artificiais, portanto criados pelo homem, eram pedaços polidos de obsidiana, uma rocha de origem vulcânica. Esses espelhos foram encontrados na Anatólia, (agora Turquia), apesar de também na América terem sido encontrados instrumentos similares. Posteriormente, os espelhos começaram a ser feitos a partir de cobre polido na Mesopotâmia e no Egito, enquanto que na China eram produzidos em bronze por volta do ano 2.000 a.C."
Já, segundo a Wikipedia, "no final da Idade Média, a técnica da fabricação de espelho foi sendo desenvolvida. O mercúrio era aplicado em papel fino montado em papel alumínio polido e coberto com outra folha de papel liso." Ou seja, o mesmo foi se tornando cada mais mais sofisticado em sua produção.
Os espelhos já foram usados como produtos de troca em nossa colonização. Justamente por atiçar nosso desejo de nos ver, foi um dos artefatos mais importantes usados pelos portugueses, como nos mostram os livros de História e links como este. Hoje, a simbologia dos espelhos parece mais forte do que nunca. Afinal, as redes sociais e o anseio de se mostrar é uma nova forma de "espelho" que o ser humano sempre teve, o do ver a si próprio.

domingo, 30 de agosto de 2015

Para alegrar o dia 126

Retirado deste link.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

A Googlelização de Tudo

Quando escrevemos a resenha de A Googlelização de Tudo de Siva Vaidhyanathan tempos atrás, talvez os leitores não tenham percebido a tamanha importância da publicação. A obra tece, de uma maneira bem clara, a influência avassaladora do Google em nosso cotidiano.
Nossa vida na internet gira, e muito, em torno da empresa principal - o próprio Google - e suas "paralelas" (Youtube, Blogger, etc). Percebemos que, até mesmo em nosso mundo real usamos termos que fazem alusão ao maior site/portal do mundo. Para entender como funciona e sua relevância, uma leitura deste livro é fundamental. A resenha completa segue no link acima.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Curiosidades budeguísticas: pandas

Depois de algumas pesquisas, e também de vermos um programa sobre animais, decidimos fazer um "curiosidades" especial sobre os pandas. Estes animais sofreram por algum tempo, diferentes tipos de classificação no reino animal. Algum tempo atrás, foram considerados "tremarctos", que tem um tipo de ossada diferente os ursos "tradicionais". Por conta disso, havia quem questionasse se eles eram ou não realmente ursos.
Além disso, outro motivo complicado de incluí-los como membros "efetivos" de "Ursidae" é porque esta família, está na ordem dos carnívoros, e o panda é um bicho herbívoro. E ainda, ele não faz outra ação relativamente comum aos demais ursos: pandas não hibernam. Com tudo isso, a biologia de algum tempo atrás não os classificava como "ursos". Eles seriam parentes distantes dos coalas.
Os pandas foram definitivamente considerados "ursos" devido à genética. Os cientistas verificaram que, mesmo sendo relativamente diferentes de seus irmãos de família, como os ursos pardos (grizzlies) e polares, ele pode efetivamente ser considerado um urso. Segundo o Wikupedia, o nome científico do panda é Ailuropoda melanoleuca, do grego: ailuros, gato + poda, pés; e melano, preto + leukos, branco).
Segundo o InfoEscola, é "originário das montanhas do Sudeste Asiático, há cerca de 100.000 anos (...) Apesar de ser um animal antigo, só se tornou conhecido no mundo ocidental no século XIX, quando Armand David, padre jesuíta francês descreveu suas características." É uma das espécies mais raras da atualidade, correndo risco de extinto.
São animais muito dóceis e só se tornam violentos em ocasiões muito específicas, como quando as mães que protegem seus filhotes. Fora isso, são animais gentis, consumidores vorazes de bambus. Há um link divertido que brinca com a relação dos pandas e das demais espécies demais ursos. Apesar de cômico, são comentários verdadeiros.

ANIMA INFO 1702

PlayArte faz com exclusividade o Festival Tokusatsu

Por meio de um release de imprensa, a Playarte deixou claro que os festivais Cavaleiros do Zodíaco e Naruto foram um sucesso. Por isso, em parceria com a Focus Filmes, a distribuidora resolveu homenagear dessa vez outros importantes personagens queridos pelo público. Os fãs de Tokusatsu - os live action japoneses - poderão conferir nas telonas grandes clássicos e produções mais recentes durante o período de 12 de setembro e 08 de novembro. Esta é a primeira vez que este gênero será exibido nos cinemas nacionais.
O Festival acontecerá em sete dos cinemas da rede PlayArte (São Paulo, Grande São Paulo e Manaus) e será dividido em sete fases. Celebrando a nostalgia dos anos 80, as primeiras seis fases trarão episódios dublados do O Fantástico Jaspion, o Esquadrão Relâmpago Changeman, O Incrível Ninja Jiraiya, Comando Estelar Flashman e o Policial de Aço Jiban. Os longas estrelados pelos Irmãos Ultra (Ultraman, Ultra Seven, Ultraman Jack, Ultraman Mebius e os demais Guerreiros da Nebulsa M-78) também serão exibidos pela primeira vez nos cinemas brasileiros: Ultraman Mebius e os 6 Irmãos Ultra: Yapool Ataca!, Ultraman Mebius e os 8 Irmãos Ultra: A Grande Batalha Decisiva e Ultraman - O Filme: Mega Batalha na Galáxia Ultra. A trilogia Samurai X - Rurouni Kenshin, produções em live-action mais recentes do Japão que conta a saga do lendário “Battousai, o Retalhador”, também ganhará espaço e encerrará com chave-de-ouro o festival. Samurai X - O Filme, Samurai X - O Inferno de Kyoto e Samurai X - O Fim de uma Lenda serão exibidos nos dois formatos: dublado e legendado.
Para os fãs mais alucinados, na bomboniere do cinema estará à venda combos exclusivos com copos personalizados dos personagens principais do festival. Os ingressos terão um preço especial e diferenciado para esta ação: inteira – R$ 15,00 e meia – R$ 7,50. Veja informações dos dias e cinemas clicando neste link.

domingo, 23 de agosto de 2015

Para alegrar o dia 125

Dormindo "de boas", lá no zoológico de New York...

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Kyoukai no Rinne (境界 の RINNE)

Kyoukai no Rinne (境界 の RINNE) é uma animação recente baseada no mangá original de Rumiko TAKAHASHI 高橋 留美子. Quando estreou, entrou na base de animações do Crunchyroll, com a produção da TV estatal NHK, NHK Enterprises (NEP) e também da Shogakukan-Shueisha Productions. Nestes 20 episódios iniciais, mostrou ter uma boa equipe de produção. Como muitas animações recentes, há muitos animadores. Mas, as figuras principais conseguiram, até o momento dar uma continuidade visual ao anime.
Quem faz toda a composição da animação (um tipo de montagem/edição, vide este link) é Michiko YOKOTE 横手 美智子, responsável pelo roteiro integral ou parcial de diversos animes como xxxHOLiC, Genshiken, Ranma 1/2, Shirokuma Cafe, Suki-tte Ii na yo. 好きっていいなよ。, Cavaleiros do Zodíaco - Prólogo do Céu e da fase Santuário de Hades entre tantos outros. Já o desenho de personagens está por conta de Kazuhiko TAMURA 田村 一彦, que atuou como produtor e animador de animes como Tiger & Bunny e Cavaleiros do Zodíaco - Lost Canvas. Ou seja, uma equipe boa cuidando bem do visual de RINNE, até o momento.
Na história, quando criança, Sakura Mamiya desapareceu misteriosamente na floresta atrás da casa de sua avó. Ela volta sã e salva, mas desde então ela passa enxergar espíritos. Já adolescente, só quer que os espíritos a deixem em paz. Na escola, o lugar ao lado do de Sakura está vazio desde o início do ano letivo. Até que, certo dia, o dono desse lugar finalmente aparece na escola, mas Rinne Rokudo é bem mais do que aparenta ser. Ele é um shinigami. Ou, como é mesmo diz: "tipo um shinigami..."
O anime é bom. Tanto pela sua produção geral como por sua história original. Apesar de repetir alguns elementos de estrutura, o que é normal para qualquer autor, Rumiko Takahashi mostra que ainda tem "mão" para escrever uma história divertida e com um tom de romance. Não chega a ser brilhante como foram suas histórias anteriores. Mas, mesmo assim, ainda consegue cativar o espectador. Continuaremos a ver como será o desfecho desta obra, que talvez seja das poucas com bom tratamento de produção atuais.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Filme: Tropa de Elite

Tropa de Elite é um dos filmes nacionais mais importantes feitos nos últimos anos. Isso é um fato que a História do cinema nacional nos mostrou. Mesmo dada toda sua relevância, o "Papo de Budega" ainda não havíamos visto o título. Não por preconceito, mas sim receio da violência. Ver cenas isoladas pode causar desconforto em quem não deseja ver realidade ao extremo.
E, talvez justamente por isso o filme incomode um pouco. Não é uma violência "plastica" como os filmes de "Quentin Tarantino". É real, muito próxima de nossos olhos. Próxima de quem vive na favelas, próxima de quem vê os telejornais policiais. Nós sabemos que, sim, traficantes e policiais têm suas doses de agressões suaves ou extremamente intensas.
Só vimos agora em 2015, um filme que foi um estouro em 2007. Naquele momento, tornara-se conhecido pela forma de divulgação totalmente inusitada, a pirataria antes da exibição nas telonas. Depois, foi para os cinemas, fez sucesso. Depois DVDs oficiais... fez sucesso. Televisão aberta, idem. Mesmo com tudo isso, só vimos nas várias reprises que a televisão paga nos proporciona.
O que é um problema para muitos, a nós foi positivo. Talvez só assim, pela insistência, que tivemos a curiosidade real de assistir ao mundo de Capitão Nascimento. E entender como funcionam algumas coisas no universo policial e do crime. No final, o quão importante é ver este filme nacional, sem preconceitos. E porque o herói, mesmo truculento, é tão próximo do brasileiro e do que esperamos. Finalmente, um herói nacional "real".

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

ANIMA INFO 1701

Personagem de terror, Elvira, ganhará desenho animado

Uma das personagens mais queridas no universo do "horror trash" ganhará uma série de desenhos animados para televisão. Elvira - a rainha das trevas está em produção. A informação foi revelada no Boston Comic Con por Cassandra Peterson, a atriz que interpreta a personagem. Ela também está trabalhando em uma autobiografia. A personagem "Elvira" ficou conhecida graças ao filme dos anos 80 de mesmo título, que mistura horror e comédia.

Fonte: IHorror.com

terça-feira, 18 de agosto de 2015

ANIMA INFO 1700

Ator de Thor será o secretário no novo Os Caça-Fantasmas

De acordo com o site MovieWeb, o ator Chris Hemsworth (o mesmo que fez o Thor) será o secretário no novo filme de Os Caça-Fantasmas. Nesta nova versão, o quarteto será formado por mulheres. Talvez, exatamente por isso, elas terão um secretário. Na versão original, quem fazia esta função era Annie Potts no papel de Janine. Ainda não se sabe se ele será somente um secretário ou se terá outra função diferente na história.

Otaku: os filhos do virtual

Otaku é sempre um tema muito polêmico. Nas, diversas ocasiões que mencionamos sobre o assunto, ocorre uma grande comoção. Isso porque entendemos a palavra como algo realmente pejorativo. Os japoneses veem otakus de uma forma não muito positiva. Nós, idem. E um dos motivos foram descritos anteriormente neste link.
Além de análises do "oktau brasileiro", artigos e outas informações, o estudo Otaku: os filhos do virtual de Etienne Barral mostra bem quem são e os problemas de sociabilidade que os otakus têm. Apesar da grande resistência que os mesmos têm para com o termo, vale uma leitura atenta para esta publicação. Algumas das considerações acerca da obra podem ser vistas no link acima.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Curiosidades budeguísticas: Agosto, mês de azar

Há uma crença popular que aponta o mês de agosto como um mês de azar. Há alguns fatores nem sempre muito claros para o fato, que é uma das mais conhecidas superstições nacionais. Mas, de onde veio tanto "medo" com um único mês do ano? Para nós brasileiros, um dos fatores tem a ver com a colonização. Eram nos Agostos que ocorriam muitas vindas de embarcações de Portugal para o Brasil. Peplos passageiros não retornarem a metrópole (ficavam por aqui), associou-se ao mês a falta de sorte de muitas noivas e não ter seus futuros maridos de volta.
O oitavo mês do calendário gregoriano recebeu o nome de Agosto, do latim augustus, em honra ao imperador César Augusto. É também conhecido como o "mês do cachorro louco". De acordo com o site Vírgula, "no mês de agosto a concentração de cadelas no cio aumenta bastante devido às condições climáticas. E quando as cadelas estão no período fértil, os cachorros ficam loucos (mesmo!) e brigam para conquistar a fêmea. Essa luta feroz entre os machos em busca da fêmea faz com que a raiva, doença transmitida pela saliva bicho, se espalhasse mais no período.
Os animais infectados pela raiva babam muito e ficam com aparência de “loucos”, daí a expressão 'Cachorro Louco'." Além deste fato, há diversos acontecimentos ruins que, pelo mês já ter uma "fama" negativa, acabaram ganhando uma força ainda maior. É possível ver uma lista maior no site do Universia. Apesar de não haver nenhum comentário sobre o fato, aqui fica nossa consideração: no Brasil, também teria alguma relação com o clima, já que o mês de Agosto é o mais frio do ano? E por isso as pessoas o considerariam um mês "triste"?

domingo, 16 de agosto de 2015

Para alegrar o dia 124

Linda ave lá na Estátua da Liberdade... Só fiquei em dúvida se eu queria admirá-la ou se seria melhor no prato! Mó grandona a criatura!!! O_o

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

ANIMA INFO 1699

Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza arrecada bem em bilheteria dos EUA

Segundo os sites internacionais como Animation Magazine e o Anime News Network, Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza (ドラゴンボールZ 復活の「F」 / Dragon Ball Z: Resurrection 'F'), o novo longa-metragem da franquia foi muito bem em bilheteria esta semana nos Estados Unidos. O que chamou a atenção é que o filme tem uma distribuição limitada nos cinemas, mas mesmo assim conseguiu passar outros "medalhões" dos animes, como Vidas ao Vento e O Castelo Animado.
Das mais 10 bilheterias de animação japonesa nos EUA, este é o único cujo distribuidor é somente uma empresa de animes, a FUNIMATION FILMS. Até o momento, já arrecadou quase 8 milhões de dólares, segundo o Box Office Mojo. É provável que passe os 8 milhões já nos próximos dias.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Filme: A Dama Dourada

O filme A Dama Dourada (Woman in Gold) - com lançamento nacional hoje - é baseado nos fatos da vida da austríaca Maria Altmann e do jovem advogado americano Randy Schoenberg, neto do célebre compositor de música clássica Arnold Schoenberg. Também é inspirado no premiado livro A Dama Dourada: a história da obra-prima de Gustav Klimt, Retrato de Adele Bloch-Bauer” (José Olympio Editora), escrito pela jornalista Anne-Marie O’Connor.
A história reconstrói a saga da família judia Bloch-Bauer, uma das mais respeitadas na Viena da virada do século XIX para o século XX, grande incentivadora das artes modernas. Sessenta anos depois de fugir de avião de Viena para os Estados Unidos, durante a 2ª Guerra Mundial, uma senhora judia, Maria Altmann (Helen Mirren), começa a sua jornada para recuperar os bens de sua família apreendidos pelos nazistas, entre eles a obra-prima do pintor Gustav Klimt, o “Retrato de Adele Bloch-Bauer”, considerado o quinto quadro mais caro do mundo.
Na companhia de seu inexperiente, mas valente jovem advogado Randy Schoenberg (Ryan Reynolds), Maria embarca numa grande batalha que os leva diretamente ao coração do governo austríaco e também à Suprema Corte americana, o que obriga a destemida velha dama a confrontar difíceis revelações, memórias devastadoras e inesperadas verdades ao longo do percurso.
Em meio às lembranças da Maria e a atualidade do momento (no filme) dos processos contra o museu austríaco, o filme mostra parte dos horrores e que os nazistas cometeram com os judeus. Normalmente, lembramos das imagens dos campos de concentração, mas a "coisa" começou antes, nas cidades. Humilhando-os nas ruas, cortando suas barbas e cabelos a força, fazendo-os escreverem em paredes que eram judeus, fechando seus estabelecimentos.
E sim, roubando seus bens. Um dos pontos mais interessantes de notar - muitas pessoas esquecem -, é que alguns judeus eram ricos porque trabalharam muito para terem seus bens. O regime nazista os culpavam por serem ricos pelo trabalho. Também vemos a conivência dos cidadãos comuns para com o regime. Mas também, que haviam aqueles que eram contra, como na cena da senhora do varal.
O filme nos faz pensar o que é justo, o que é de direito. Que, é preciso ser a favor do que é realmente correto. Como a decisão dos membros da "mesa redonda" na Áustria. E também, que é preciso ter coragem, como o advogado teve em seguir em frente. Um longa-metragem que, apesar de um tema tão pesado, ainda tem uns momentos cômicos. Poucos, mas têm. Afinal, na "Áustria há muitos cangurus". É necessário ver A Dama Dourada (Woman in Gold) para entender.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

O Povo Brasileiro de Darcy Ribeiro

Em 2012, tecemos algumas palavras acerca de O Povo Brasileiro: aprendendo a nos conhecer.... Obra de sociólogo e historiador Darcy Ribeiro, este título  mostra-nos - basicamente - quem somos. Há uma importância ímpar porque apresenta a História de uma forma clara e, talvez, mais próxima do que realmente a nossa História foi. Sem falsos moralismos, vemos um Brasil que não aprendemos nos materiais de escola. Uma leitura importante acerca de nossa existência enquanto povo. Acima, segue o link que escrevemos em 2012. Sempre atual.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Feminismo X HQs, filmes e afins... #FreeTheBacon


Tenho visto alguns comentários recentes de mulheres ligadas ao universo nerd, especialmente de HQs, acerca do machismo no entretenimento nerd. Creio que o texto mais recente é este aqui. Não vou mencionar a questão do trabalho porque, sim... É um verdadeiro "clube do Bolinha". São raros os casos de mulheres que entram e se mantém em editoras.
Mas, o que tem me impressionado são os comentários de mulheres desenhistas e afins acerca das roupas e participação das personagens femininas nas histórias de heróis. Sei o que o que vou dizer pode ser muito cruel para as mulheres... Mas, na boa: há quanto tempo as mulheres leem HQs americanas? Para valer... faz pouco tempo. Queixam-se que as roupas são sexy. Queixam-se que do nu feminino.
Mas gente... mulherada... Só agora o público feminino tem-se mostrado grande em eventos de entretenimento e, em grande parte dos casos, as mulheres estão lá pelos filmes, seriados e mangás. Mas, HQs americanas ainda são poucas... Nós vivemos em um mundo capitalista. Se ainda são poucas as mulheres que compram histórias em quadrinhos, é evidente que os editores vão fazer maquilo que o público principal quer, ou seja, os homens.
É uma questão de sobrevivência de mercado. Se as heroínas são sensuais, é porque quem está comprando, no final das contas, são os homens. E sério: homem não quer ver uma personagem feminina coberta ou com roupa "recatada". Também concordo que seria necessário mudar o pensamento dos homens para que haja alterações neste quadro. Mas, nos próximos 10 anos, acho difícil. Uma alternativa: justamente as histórias alternativas. Se histórias comuns não agradam, por que não solicitar às editoras histórias escritas por mulheres que sejam para mulheres?
Daí, ao invés de só se queixar, veríamos o real impacto do público feminino neste mercado. Igual acontece no Japão. Lá, há histórias femininas de tudo que é gênero. E de tudo que é gênero mesmo... Só que, parece, ou estas mesmas profissionais que trabalham com HQs americanas não olham para o lado e pegam estes tipos de exemplos, ou são tão preconceituosas quando seus seus pares homens... A velha rixa entre comics e mangás...
E há outra coisa que também me incomoda: fala-se tanto em machismo e tudo mais. Mas, a exigência de heróis também nus, também em traços mais sensuais para as mulheres não deveriam estar na pauta? Para mim, sim com certeza. Um dos motivos que eu curtia a animação do Rambo é que ele ficava sem camisa. O He-Man - apesar das zoeiras atuais - tinha uma roupa (ou falta dela) legal...
Daí, muitas destas mesmas profissionais feministas queixosas falariam: "mas isso não é nossa pauta, nossa visão de igualdade é outra..." Desculpem aí caras pálidas.. Eu sou mulher, para mim isso é pauta sim.... O vídeo acima em que o ator Kevin Bacon fala da liberdade de gênero, em que os homens deveriam aparecer mais nus é totalmente correta e pertinente. Quem foi que disse que mulher não quer ver herói nu?
Eu sempre vejo este papos feministas em que este assunto é totalmente ignorado. E quando uma mulher vem a público falar disso, as mesmas feministas ignoram mulheres como eu.. Ou seja, parece que só são válidos os temas que a elas parecem importantes. Só que a reivindicação do Kevin Bacon é importante. Eu vejo como um ato feminista. Mas, vendo os comentários sobre o #FreeTheBacon no Twitter, poucas foram as mulheres a tratar do assunto. Que a manifestação dele valha para cinema, TV e quadrinhos também!!!
Então, que as profissionais do universo nerd sejam mais parecidas com as mulheres que lidam com mangás lá no Japão. Lá, não tem esta de "oh, eu sofro preconceito..." Lá, mulheres com a autora Rumiko Takahashi, Naoko Takeuchi são muito respeitadas. Rumiko, inclusive, escreve como ninguém um estilo híbrido único. Meio para mulher, meio para homem... Enfim... Não reclamem pura e simplesmente. Há em quem se mirar. Basta muitas feministas que têm mencionado o assunto "machismo" no mundo nerd também vencerem seus preconceitos, que pelo visto, também são muitos...
Ah, uma observação... Não me venham falar que eu estou inserida no contexto machista ou que sou machista.... Porque o que tenho solicitado não é nada machista. Só sou uma mulher que acha bonito o corpo masculino. E que, assim como eles querem ver corpos bonitos, eu também quero e acho que tenho este direito. Algum problema nisso?

Curiosidades budeguísticas: dia dos pais

Imagem ilustrativa: Goku e Gohan de Dragon Ball Z

O dia dos pais tem uma origem muito mais confusa do que o dia das mães. Em uma existência de um século nos Estados Unidos, a orgiem se deu porque Sonora Louise Smart Dodd queria homenagear seu  pai. Isso no início do século XX. Porém, de acordo com o Mega Curioso, a data foi consolidada "para presentear os papais por uma associação de comerciantes de roupas masculinas de Nova York, que fez uma parceria com a indústria de cartões comemorativos. Tudo isso aconteceu durante a Grande Depressão (anos 20 e 30), quando os lucros estavam bem abaixo do esperado, e o objetivo era impulsionar as vendas de gravatas e cartõezinhos de felicitação."
Lá nos Estados Unidos e em alguns outros países do Hemisfério Norte, o dia dos pais é celebrado no mês de junho. Contudo, devido a influência da Igreja Católica, na Itália, Espanha e Portugal, a data ocorre no dia 19 de março. Esta data é o "Dia de São José", pai de Jesus Cristo. Já no Brasil, a comemoração só iniciou nos anos 50 com uma campanha de veículos de comunicação, em que foram eleitos o pai mais jovem, o mais velho e o com o maior número de filhos. Aqui, a data ficou instituída para o segundo domingo de agosto. O principal motivo foi comercial, já que agosto é um mês em que não havia datas significativas.

domingo, 9 de agosto de 2015

Para alegrar o dia 123

Não tem como não ficar contente ao encontrar Grizzlies (os ursos tipicamente pardos dos EUA) no ZOO no Central Park.
Dorminhocos :)

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

ANIMA INFO 1698

Peabody e Sherman ganham série no Netflix

O site streaming Netflix exibirá uma série de animação baseada em As Aventuras de Peabody e Sherman, lançado no ano passado, que por sua vez era baseado em animações dos anos 60. Segundo o site Animation Magazine, o título desta nova animação é  The New Mr. Peabody and Sherman Show. A história narra as aventuras do garoto e seu amigo cachorro em aventuras do tempo.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

ANIMA INFO 1697

Netflix produz primeira série nacional

O website streaming Netflix anunciou hoje sua primeira série original brasileira “3%”, que começa a ser gravada no início de 2016 e estreia com exclusividade na Netflix no final do próximo ano. Escrita por Pedro Aguilera e produzida pela Boutique Filmes, 3% será filmada em Ultra HD 4K.
A primeira temporada será dirigida pelo indicado ao Oscar, Cesar Charlone (Cidade de Deus, Ensaio sobre a Cegueira, O Banheiro do Papa), e protagonizada por João Miguel (Estômago, Xingu, Felizes Para Sempre?) e Bianca Comparato (Avenida Brasil, Sete Vidas, Irmã Dulce). Ver fotos neste post.
3%” é um thriller que retrata um mundo dividido entre progresso e devastação. A única chance de passar para “o lado melhor” é por meio de um processo cruel – e nem sempre justo - onde somente três por cento dos candidatos são aprovados. “Em última instância, a série traz à tona questões sobre a dinâmica da sociedade que impõe constantes processos de seleção pelos quais todos nós temos que passar, gostemos ou não”, comenta Cesar Charlone.

domingo, 2 de agosto de 2015

Para alegrar o dia 122

Não tem como não ficar contente ao encontrar um esquilinho no Central Park.
Criaturinha mais fofinha... :)


←  Anterior Proxima  → Inicio