Desejo: Boas Festas...

segunda-feira, 31 de março de 2014

ANIMA INFO 1641 Especial

BELÉM: ZONA DE CONFLITO

O tempo, a falta de notícias ou excesso delas faz-nos esquecer de alguns conflitos já comuns no mundo. Um deles é o impasse entre israelenses e palestinos (árabes) no Oriente Médio. Um momento interessante para lembrar e refletir sobre a situação daquela região é assistir a filmes sobre a localidade. No próximo dia 03 (quinta-feira) estreia em São Paulo e Brasília BELÉM: ZONA DE CONFLITO.
A história traz o vínculo improvável entre Razi, um oficial do serviço secreto israelense, e Sanfur, seu informante palestino. Sanfur é o irmão mais novo de um militante palestino. Razi o recrutou quando ele tinha apenas 15 anos e desenvolveu uma relação muito próxima, quase paternal com ele. Agora aos 17, Sanfur tenta navegar entre as demandas de Razi e a lealdade ao seu irmão, vivendo uma vida dupla e mentindo para os dois. Quando o serviço secreto israelense descobre o quanto Sanfur está envolvido nas atividades de seu irmão, Razi se depara com um grande dilema.
Co-escrito, e dirigido, por Yuval Adler e Ali Waked, um jornalista árabe que passou anos na Cisjordânia, com base em anos de pesquisa, BELÉM dá uma retrato da realidade complexa por trás da atualidade. Uma realidade incômoda a nós brasileiros. Algumas situações de guerrilhas são bem semelhantes as que existem em nossas favelas. Saímos do cinema com a impressão que a guerra não é tão longe assim.
O grande ponto da questão é a relação de amor e ódio entre os dois povos desde os tempos bíblicos. Além disso, há um pouco curioso: BELÉM foi financiado pelo governo de Israel, mas não levanta bandeiras em prol próprio. Em certos momentos, vê-se certa crítica quanto a forma de atuação do governo israelense ante os palestinos.
BELÉM: ZONA DE CONFLITO é um bom filme para lembramos que certas situações não se resolvem tão facilmente quanto gostaríamos. O tempo cria feridas ou as aprofunda. E que certas escolhas são inevitáveis, especialmente quando as vidas de quem se ama estão em jogo.

quarta-feira, 26 de março de 2014

ANIMA INFO 1640

Evento Henshin+ traz lançamento de Sailor Moon

O Henshin+ é um evento criado pela JBC, realizado desde 2012. A edição de 2014 ocorrerá neste sábado, dia 29/03. Nesse ano haverá o lançamento do mangá Sailor Moon - o último blockbuster japonês a chegar no Brasil - e um bate papo com a equipe JBC. A ação ainda contará com uma mesa redonda sobre quadrinhos, o anúncio dos vencedores do Brasil Manga Awards, e a palestra final será sobre a JBC, que promete novidades.
O evento será realizado no auditório da Saraiva MegaStore do Shopping Center Norte e, como o número de vagas é limitado, a entrada será regulada com a distribuição de senhas. Elas serão distribuídas por ordem de chegada, onde cada senha corresponderá à apenas uma palestra. O mangá de Sailor Moon estará disponível para venda.
No dia, a Spirit Art School marcará presença com um estande de caricaturas gratuitas, das 13h às 20h. O evento ainda terá um mini-concurso para todos que comparecerem com cosplays de Sailor Moon e mais um show da Dani Mancz, vocalista do Gaijin Sentai, que interpretará as músicas do animê das guerreiras da lua. Confira o cronograma do evento:

1º palestra – 14h às 16h
Tema: Sailor Moon
Distribuição de 130 senhas das 12h30 às 13h30
2º palestra – 16h30 à 18h30
Tema: Mesa redonda de quadrinhos
Distribuição de 130 senhas das 15h às 16h
3º palestra – 19h às 20h
Tema: Novidades Editora JBC
Distribuição de 130 senhas das 17h30 às 18h30

sexta-feira, 21 de março de 2014

Do passado ao presente... Snoopy & Charlie Brown: A Peanuts Movie


Queridos navegantes,
Esta semana, a Fox Family Entertainment UK divulgou o primeiro trailer de Snoopy and Charlie Brown: A Peanuts Movie. Não posso negar que quando eu soube do filme, fiquei um tanto receosa. Mas, quão contente fiquei ao ver estre trailer. Simplesmente, maravilhoso. Tecnicamente, não tem o que dizer.
Basta saber se vão manter o estilo da série original da TV. Peanuts é originalmente histórias em quadrinhos, mas sua versão da TV - dos anos 60 - é muito conhecida e é com base nela, especialmente, que muita gente terá como referência. Aguardemos, então, o 2015..."Que puxa..."

quinta-feira, 20 de março de 2014

ANIMA INFO 1639

Livro Battle Royale, que inspirou mangá e filme, chega ao mercado nacional

Depois de inspirar filmes e mangás, o controvertido clássico japonês e best-seller mundial Battle Royale ganha edição brasileira em livro pela Globo Livros. Em 1997, o jornalista e escritor japonês Koushun Takami sofreu uma grande decepção. O manuscrito de seu romance de estreia havia chegado à final do Japan Grand Prix Horror Novel, concurso literário voltado para a ficção de terror, mas acabou preterido.
Embora habituado a tramas assustadoras, o júri se alarmou com a história do jogo macabro entre adolescentes de uma mesma turma escolar que, confinados numa ilha, têm de matar uns aos outros até que reste apenas um sobrevivente. Detalhe: o organizador da sangrenta disputa é o próprio Estado japonês, imaginado pelo autor como uma totalitária República da Grande Ásia Oriental.
Battle Royale só seria lançado em 1999, espalhando um rastro de polêmica - vendeu mais de 1 milhão de exemplares e foi comentado no Japão inteiro. A repercussão foi tão intensa que apenas um ano depois já eram lançadas as adaptações da história para o cinema e para os mangás - mais tarde, viriam sequências tanto na tela grande como nos quadrinhos. O filme, que tem no elenco o ator e cineasta cult Takeshi Kitano, chegou ao Brasil apenas em DVD, enquanto a série em mangá completa foi publicada aqui entre 2006 e 2011.
Para alento de quem assistiu ao filme, acompanhou os mangás ou não fez nada disso - mas adora ficção juvenil  - a Globo Livros finalmente preenche a última lacuna: com tradução direta do japonês, assinada por Jefferson José Teixeira, o livro Battle Royale aporta nas livrarias brasileiras na condição de um dos lançamentos mais aguardados de 2014.
A tarefa de traduzir a esperada saga coube a Jefferson José Teixeira, carioca que morou no Japão durante 11 anos. Especialista em caligrafia chinesa, atua como tradutor desde a década de 1980, e exibe em seu currículo de documentários a clássicos da literatura, como A Chave (Kagi), de Junichiro Tanizaki, Miso Soup, de Ryu Murakam, Chuva Negra, de Masuji Ibuse e Norwegian Woods, de Haruki Murakami.
O autor Koushun Takami é formado em literatura pela Universidade de Osaka. Na década de 1990 trabalhou como jornalista no Shikoku Shimbun, cobrindo as áreas de política, segurança e economia. Deixou o jornalismo para se dedicar à literatura, mas não lançou mais nenhuma obra desde Battle Royale.

terça-feira, 18 de março de 2014

Na reta quase final, aprendendo a pegar a joia de um dragão...

Ele é considerado inimigo de tudo e de todos. Assim que podemos descrever a situação de Soluço em Como pegar a joia do dragão. Agora, o garoto já não é mais tão garoto, nem tão franzinho e baixinho. Como o resumo oficial nos diz:
A Rebelião dos Dragões começou. Alvin, o Traiçoeiro, declarou-se Rei do Oeste Mais Selvagem por possuir oito das Dez Coisas Perdidas do Rei. Malvado Melequento virou o novo Chefe da Tribo dos Hooligans Cabeludos enquanto Stoico foi banido e carrega na pele a marca dos escravos.
Em tempos tão sinistros, a esperança de todos reside na Joia do Dragão, a última das relíquias do Rei e o artefato mais poderoso que existe. Só que Alvin também está atrás da Joia, e ele pretende usá-la para banir os dragões da face da Terra. Soluço precisará não só de um plano brilhante para contrariar os artifícios do vilão, mas também de um bocado de sorte.
Fora tudo isso, nosso herói terá um outra grande missão: encontrar seu amigo Perna-de-peixe. Quanto a Camicazi, ela continuará a ser amiga do Soluço, mesmo depois de descobrir que ele tem a marca dos escravos? E, uma outra figura, de forma ainda mais impressionante, retorna praticamente decidindo o futuro de todos.
Com certo pesar, vemos que a história está chegando ao final. Cada vez mais ficamos a pensar o que exatamente acontecerá ao mundo. Afinal, lembremos que estas são as lembranças de Soluço, da época que existiam dragões. O que se sucederá com os dragões só no próximo volume: Como trair o herói do dragão.
Este último livro ainda demorará um pouco a ser lançado no Brasil, já que é recente inclusive em seu país de origem, a Inglaterra. E, neste volume ficamos também a pensar se não teria sido melhor fazer a animação com o conteúdo mais próximo dos livros.

sexta-feira, 14 de março de 2014

ANIMA INFO 1638

Mr. Bean deve chegar em breve à TV brasileira

Segundo o site TV Kids, a Endemol licenciou a segunda temporada da série animada de Mr. Bean para o Turner Broadcasting System International, grupo que tem as TVs Cartoon Network e Boomerang. O desenho animado é conhecido por ser baseado na série de televisão homônima inglesa, em que o personagem principal se mete nas mais inusitadas situações. A segunda temporada da animação deve chegar em breve ao Brasil, já que a licença vale para Europa e América Latina também.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Walt nos Bastidores de Mary Poppins é um bom filme com um péssimo título...

Navegantes... certas coisas são muito difíceis de entender...
Talvez fosse o caso de fazer uma busca... Mas, não entendi porque Walt nos Bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks) não teve a repercussão que merecia. E, porque a Academia ignorou este grande trabalho da Emma Thompson. Ela, para mim, é tão genial atriz quanto Meryl Streep. Basicamente,
Inspirado em eventos reais, o filme retrata a extraordinária história não contada de como o clássico Mary Poppins da Disney chegou à telona - e o complicado relacionamento que o lendário Walt Disney teve com a autora P.L. Travers, que quase estraga tudo.
Em sua busca para obter os direitos, Walt enfrenta uma escritora difícil que não tem a menor intenção de permitir que a máquina de Hollywood maltrate sua adorada babá mágica. Mas, conforme as vendas do livro param e o dinheiro acaba, Travers concorda com relutância em ir até Los Angeles para ouvir os planos de Disney para a adaptação.
Obviamente, sabemos que muitas coisas não aconteceram. Mas, alguns pontos certamente estão registrados porque foram gravados. P.L. Travers, no final das contas, mostra-nos o quão difícil é fazer uma adaptação, especialmente com o autor vivo. E como é difícil para um autor libertar-se de suas próprias amarras... Deve realmente ter sido curiosíssimo os bastidores do filme na fase da produção do roteiro/ adaptação.
Emma Thompson - que deixo claro, sou fã - samba na cara da sociedade com uma interpretação espetacular. Impossível não esboçar um choramingo vendo-a. Sério que não entendo porque não houve uma indicação a atriz ao Oscar... Mistérios que só Hollywood nos proporciona...
Agora, um ponto terrível: a tradução do título original. O longa-metragem não é sobre o Walt Disney, é sobre a autora P.L. Travers. Walt nos Bastidores de Mary Poppins poderia ter ficado somente como Nos Bastidores de Mary Poppins. Uma tremenda bola fora do distribuidor. Mas, enfim, indico aos meus caros leitores que vejam. E, que vejam logo pois, infelizmente, tende a ficar pouco tempo em cartaz...
←  Anterior Proxima  → Inicio