Desejo: Boas Festas...

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Chaves - Vamos Todos a Acapulco

Esta indicação não é filme, mas vale lembrar quem Chaves - Vamos Todos a Acapulco (Vacaciones en Acapulco) é um especial de férias. É assistir - provavelmente de novo - e se divertir.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Summer School - Férias de Verão

Continuando estes dias dedicados às férias ou recesso de alunos ou profissionais, esta semana falaremos de produções legais sobre férias. Uma delas exibida direto na "Sessão da Tarde" era Férias de Verão. O título original em inglês é Summer School. Decidimos colocar "Férias de Verão" porque foi com esta forma que fora exibido na Rede Globo. Porém, na internet encontra-se o título com outras traduções.
Basicamente, Summer School traz um grupo de alunos que não passaram de ano e ficam de recuperação. Inicialmente, o professor não é lá muito dedicado, sendo que todos são meio despreocupados. Mas, quando os jovens veem que ele vai  sair justamente pela falta de dedicação, os alunos começam a mudar de atitude. O título é pura diversão. Daquelas comédias dos anos 80 que serve única e exclusivamente para entreter. Vale assisti-lo em uma tarde de verão brasileiro.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Férias frustradas - 1983

Férias Frustradas (National Lampoon's Vacation) de 1983 é um clássico da comédia. O título é do roteirista John Hughes, o mesmo de outras comédias clássicas como "Curtindo a Vida Adoidado" e "Esqueceram de Mim". A direção foi de Harold Ramis, que também foi roteirista de Os Caça-Fantasmas. O título ganhou um remake lançado em ano.
A história é de uma família que sai em férias de carro, cruzando os Estados Unidos em uma louca jornada. Há muitas situações divertidas, mas que em nada são politicamente corretas. Há, por exemplo, situações de traições. Férias Frustradas jamais poderia ser exibida em um "Sessão da Tarde" nos dias atuais. Mas, diverte e vale assisit a esta versão dos anos 80.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Esqueceram de Mim

Esqueceram de Mim foi um grande sucesso de exatos 25 anos atrás. Apesar de ser natalino, e obviamente o Natal já passou, vale assistir-lo, quem eventualmente não viu ainda. Basicamente, traz a história do garoto Kevin, que é esquecido em casa pela família nas férias no final do ano. De início isso não é problema para o garoto.
Ele curte muito o fato de estar sozinho em casa, já que tem muitos irmãos e todos enchem a paciência dele. Mas, Kevin acaba enfrentado bandidos e neste meio tempo, vê que não é tão legal assim ficar sozinho. O título ainda ganhou continuação - que se passa em Nova York - e uma terceira que não foi mais com "Kevin" (Macaulay Culkin). É talvez a a comédia mais familiar que exista, mas sem a presença da família, como bem diz o slogan do filme.

domingo, 27 de dezembro de 2015

Para alegrar o dia 143

Retirado do Facebook

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Episódio de natal de Shirokuma Cafe

Os japoneses têm uma percepção diferente do Natal. Para eles, é uma data para se ficar com os amigos. É possível perceber bem isso vendo animes. Em um dos episódios de Shirokuma Cafe (しろくまカフェ), notamos este fato. Já tecemos comentários acerca desta divertida animação, e este episódio não é diferente. Para ver, é só clicar no link e ver em Crunchyroll.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Harry Potter - da pedra às relíquias

Toda a saga de Harry Potter é, certamente, uma das mais grandiosas do cinema. Apesar de ignorado pelo Oscar em todos os sentidos, a vida do bruxo já marcou a História do cinema. "Harry Potter" nasceu, originalmente, nos livros de J. K. Rowling. As publicações fizeram muito sucesso, dando origem a toda a saga cinematográfica.
Um dos pontos mais interessantes é perceber que foram dez anos com os mesmos artistas - salvo o primeiro ator de Alvo Percival Wulfrico Brian Dumbledore que faleceu e foi substituído - a dar vida a seus personagens. Nunca o cinema havia visto algo do gênero. Por conta disso, uma geração inteira cresceu - literalmente - junto dos seus personagens preferidos.
De uma leva recente, a saga de "Harry Potter" foi a primeira de livros juvenis a ter continuações dando força a outras como "Crepúsculo" ou "Jogos Vorazes". Foram oito filmes sobre o jovem bruxo que sobreviveu ao ataque daquele "cujo nome não pode ser pronunciado". Harry e seus amigos passam por muito percalços até chegar à grande batalha final.
Enquanto há uma certa autonomia dos filmes das sagas descritas esta semana no "Papo de Budega", o caso de Harry Potter é diferente. Para entender fatos que ocorrem nos dois últimos filmes, é realmente fundamental assistir aos longas-metragens anteriores. Também decidimos posta esta indicação na véspera do Natal, porque muitas sequências dos filmes ocorrem nesta época do ano. Clássico, cujo impacto já pode ser visto e se tornará ainda mais força daqui alguns anos.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

De Volta Para o Futuro

Este foi um ano especial para esta série cinematográfica, porque foi em 21 de outubro de 2015 que Marty" McFly e o doutor Brown vão para o futuro no segundo filme. O que era futuro, hoje já se tornou passado, mesmo assim, De Volta Para o Futuro merece cada um dos seus três filmes de nossa atenção. Não era exatamente uma ficção científica convencional.
Não ocorria no espaço, não haviam heróis de exércitos ou alienígenas. Mas, era uma ficção científica cômico-romântica porque seu pano de fundo era pura ciência. As questões de viagem temporal abarcam uma ala curiosa da Física, em que uma minoria acredita ser possível e uma maioria, não. Contudo, a crença da minoria e o desejo do ser humano em pode consertar o que deu de errado em sua vida costuma ocasionar em boas histórias.
De Volta Para o Futuro é um destas, em que o "mocinho" tem que fazer uma série de viagens temporais para consertar erros que criaram realidades alternativas. Com argumentos e roteiros excelentes, também nos brinda com as são inesquecíveis presenças de Michael J. Fox e Christopher Lloyd como os viajantes. Boa maratona a ser fazer, para quem não assistiu ainda.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Indiana Jones - a quadrilogia

Se Darth Vader (Star Wars) pode ser considerado o vilão do cinema, o mesmo pode ser dito para Indiana Jones na figura do herói. Harrison Ford conseguiu o inacreditável feito de ser dois personagens carismáticos e inesquecíveis, este e o Han Solo de Star Wars. Por ser ele o ator, o personagem tinha expressão forte, mas não truculento como de "machões" ao estilo Chick Norris.
Indiana Jones era um arqueólogo - com chapéu e chicote na mão - e também professor que fazia buscas de antigos materiais para levá-los a museus. Ele era requisitado para isso, mas também fazia por gosto. Tinha um pequeno problema pessoal: odiava cobras. Conquistador, ele tinha relacionamentos com as mulheres mas não era muito afeito a relacionamentos sérios.
Dos quatro filmes, dois tinham a ver com o nazismo, em que estes queriam a "arca da aliança" e o "santo graau", respectivamente nos primeiro e terceiro filmes. O segundo falava da cultura hindu e o quarto, que ocorreu na América do Sul, os soviéticos é que eram os vilões. Certamente, Os Caçadores da Arca Perdida, o primeiro, é um clássico absoluto da aventura.
O diretor Steven Spielberg se baseou em quadrinhos e contos de aventuras como Tintim de Hergé e em algumas histórias do Tio Patinhas, especialmente as obras de Carl Barks. Spielberg fez um grande trabalho e ajudou ao herói se tornar inesquecível com uma narrativa praticamente única. Uma maratona muito interessante a ser feita, com muita pipoca. Mas, a pipoca menos no segundo filme, caso você tenha nojo de certos alimentos.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Star Wars - Guerra nas Estrelas

Iniciamos esta semana, as resenhas acerca de títulos que podem ser vistos nas férias ou recesso de estudantes e/ou profissionais. Na última semana, estreou no Brasil Star Wars: O Despertar da Força . O sétimos filme da franquia. Muitas pessoas ainda não o viram - como esta resenhista - por isso ainda não teceremos considerações acerca desta produção.
Contudo, apesar de toda a "vibe", muitos espectadores curiosamente ainda não viram os seis primeiros. Star Wars, que lá nos idos anos 70, 80 e 90 também era conhecido como Guerra das Estrelas, traz a história da forças rebeldes do bem, contra a tirania do Império, o grande mal que domina o universo. As principais figuras são os jedis, guerreiros com poderes especiais, cuja honra, sobriedade e sensatez imperam.
Os seis filmes foram produzidos de forma curiosa. O primeiro a ser lançado em 1977 foi o episódio 4: Uma Nova Esperança. Depois os episódios 5 e 6. Décadas depois, os episódios 1, 2, 3. Recordamos que, em uma entrevista antiga, o criador George Lucas havia dito que a intenção era continua a história. E de fato, continuou.
Para quem ainda não conhece, nossa indicação é começar a história pela ordem original de lançamento e não cronológica. Ou seja, assistir aos episódios 4, 5 e 6 e depois 1, 2 e 3. Tudo por uma questão mais estética. É possível que as pessoas estranhem o quão os episódios 1, 2 e 3 são superiores tecnicamente. O fato é que com a estreia do episódio 7, assistir aos seis anteriores torna-se importante. Vale uma maratona.

domingo, 20 de dezembro de 2015

Para alegrar o dia 142

Retirado do Facebook

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

TED

Alguns filmes se tornam conhecidos não necessariamente por eles próprios. TED é um destes casos, cujo título tornou-se muito conhecido devido a um fator externo. Um deputador quis censurá-lo por causa do conteúdo adulto. A questão é que desde seu lançamento a classificação indicativa do filme era de 16 anos, e o tal deputado levara seu filho de 12 anos para assistir ao longa-metragem do "ursinho".
Mas, TED não é um urso "fofinho". Ele vive com seu dono desde a infância até a vida adulta. Ou seja, o bicho de pelúcia cresce com o dono, adquirindo todas as boas e más manias de adultos. TED fala palavrão, consome drogas e "fica" com a mulherada. E é de tudo isso que temos o conteúdo adulto. Nada que alguém com mais de 16 anos não possa ver.
O título é um bom longa-metragem que é impossível de ser exibido em uma "Sessão da Tarde". Ficou superestimado por conta dos problemas externos. Não chega a ser uma obra-prima do humor. Mas diverte. Tem uma citação inicial natalina, já que o milagre do urso agir como humano acontece no Natal. Vale assistir para entender que não, não há nada demais no "ursinho maconheiro", e que no final, o filme fala de amizades sinceras.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Idina Menzel - River


Em um mês com feriados judaico e cristão, decidimos colocar na última seção musical do ano a canção "River", na versão de Idina Menzel. A música é para o período natalino, mas Idina é uma cantora judia que entende que esta é uma época de confraternização. Canção linda, para fechar o ano.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Especial Férias no Papo de Budega

Caros navegantes...
As atualizações "normais" do Papo de Budega passarão por férias! Mas, como eu disse, as normais... Por conta do período sonolento das férias, e como a situação econômica fará muita gente ficar onde está, ou seja, em casa... Na próxima semana faremos atualizações de filmes legais para serem vistos nas férias. Nada assustador, nada que se precise pensar muito. Serão indicações de tudo muito "light", tranquilo e divertido. Afinal, sabemos que muitos de nossos leitores - mesmo que tenham grana - curtem ficar em casa vendo "bobagens". Certo? Ah sim, na primeira semana de 2016, faremos uma retrospectiva deste ano. Diferente de outros lugares, sim... a gente espera o ano acabar porque parafraseando Vicente Matheus: "o ano só acaba quando termina"...

Contos - Machado de Assis

O autor brasileiro Machado de Assis é conhecido pelo seus dois romances mais conhecidos, costumeiramente títulos de lista de vestibulares: Dom Casmurro e Memórias Póstumas de Brás Cubas. Obviamente, ele escreveu outros títulos importantes e foi também o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras, dada sua importância na literatura.
Entretanto, Assis também escreveu contos, histórias curtas que no caso dele tinham teor realista, o movimento literário da segunda metade do século XIX. Em Contos, o autor revela um lado muitas vezes ainda atuais, mesmo descrevendo sua vivência naquele tempo. Na versão que lemos, o livro tem os seguintes contos: "Missa do galo", "O espelho", "A cartomante", "Um homem célebre", "O caso da vara" e "Pai contra mãe".
Na atual versão que está no site da L&PM Pocket há ainda o conto "Capítulo dos chapéus". Nos anteriores, podemos presenciar diversos elementos morais e de alma humana. Inclusive, a relação de Assis com a questão da escravidão. O autor era mulato, viveu em um tempo ainda de escravidão, mas parecia escrever o assunto sem grandes neuroses ou antipatia contra o tema. Bem diferente de Aluísio Azevedo e seu "O Cortiço", em que este fazia uma série de denúncias, inclusive de exploração.
Para esta resenhista, de todos os contos, os mais difíceis de aceitar a realidade foram "O caso da vara" e "Pai contra mãe", em que somos apresentados a situações complexas, em que o ser humano costuma decidir em prol de si mesmo. Um egoísmo que incomoda nossa alma. Incomoda, mas faz-nos pensar justamente em questões morais. Para quem eventualmente ache complicado começar a ler o autor clássico por romances longos, Contos é certamente um bom início para compreender a escrita de Assis.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Curiosidades budeguísticas: feriados pelo mundo

Neste último curiosidades budeguísticas, verificamos um fato curioso. Muitas pessoas no Brasil costumam dizer que aqui temos muitos feriados. Inclusive, abarcamos quando pessoas de fora do país chegam e nos falam isso. Há muitos feriados nacionais, de fato. Porém, não é somente aqui. No site Time an Ddate há os feriados nacionais de todos (ou quase) países.
Por ele, podemos perceber que temos a mesma quantidade de dias de descanso que em outros países, especialmente europeus e Estados Unidos, também. No Japão, por exemplo, para-se praticamente duas semanas inteiras durante o ano. Assim, é possível desmistificar esta ideia de que temos muitos feriados. O que ocorre é que, muitas vezes, o próprio brasileiro não sabe o significado de seu feriado. Mas, numericamente, estamos  em "conformidade" com muitos países.

domingo, 13 de dezembro de 2015

Para alegrar o dia 141

Erros do futebol...

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Calango!


Este desenho animado nacional, Calango!, foi feita por alunos de um curso de animação. É simples exatamente por este motivo, mas mostra que quando se tem um roteiro bem trabalhado, o título sai super bem feito. Os nomes dos alunos estão no Youtube. Vale muito a pena ver e se divertir.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

ANIMA INFO 1706

Segunda edição da Comic Con Experience reúne 142 mil

A segunda edição da CCXP – Comic Con Experience é o maior evento do gênero já realizado na América Latina. Ao todo, foram 142 mil pessoas – número que ultrapassou a expectativa inicial de 120 mil – que conferiram os 150 estandes e atrações entre os dias 3 e 6 de dezembro no São Paulo Expo. Presente no calendário oficial da cidade, a CCXP volta a acontecer em 2016 na primeira semana de dezembro, entre os dias 1 e 4 no São Paulo Expo.
As maiores empresas e estúdios, como Warner, Netflix, Disney, Sony e Universal, marcaram presença com programações especiais e estandes. Com quatro auditórios que, juntos, exibiram 135 horas nos painéis, a CCXP contou com mais de 600 horas de conteúdos simultâneos, incluindo as programações dentro dos estandes de cada expositor.
O Auditório Cinemark – com 2,5 mil lugares – exibiu três pré-estreias exclusivas – O Bom Dinossauro (Disney Pixar), Creed: Nascido para Lutar (Warner Bros.) e The Ridiculous 6 (Netflix) –, além das apresentações com alguns dos artistas e produtores mais importantes da indústria do entretenimento, como Adam Sandler, Frank Miller, Misha Collins, Evangeline Lilly, John Rhys-Davies, David Tennant e Anthony Russo, entre muitos outros – que também passaram pelo Red Carpet da CCXP, espaço em que saudaram o público antes dos painéis.

As Branquelas

As Branquelas (White Chicks) é uma comédia com uma história para lá de boba. Basicamente, são dois policiais a beira de serem expulsos da corporação que se disfarçam de mulheres. As "moças" em questão são duas "patricinhas" loiras e brancas, bem estilo americano de "tenho tudo o que quero". Obviamente, o que mais há é muita confusão.
Poderia ter sido um filme "Sessão da Tarde", mas algumas piadinhas não coadunam mais com o "politicamente correto". A trilha sonora é excelente e a participação de Terry Crews, impagável. Uma comédia com pouco tempo de duração, daquelas que a gente assiste realmente para esquecer os problemas. Bom título a ser ver na TV a cabo.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Luiz Gonzaga - Toque de Rancho


Que Luiz Gonzaga é um dos maiores músicos brasileiros é desnecessário dizer. Ele tem diversas músicas sobre a questão da seca e esperança do povo nordestino. Mas, também tem umas divertidas, como Toque d e Rancho. A letra trata da questão do serviço militar. E mostra que, para ir ao exército brasileiro, tem que ser "cabra macho". Inclusive, comer "gororoba".

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

A megera domada

A megera domada é uma das histórias cômicas mais conhecidas de William Shakespeare. O título como outros do poeta, dramaturgo e ator inglês é um dos mais populares. Tornou-se mais conhecido no Brasil por ser a referência da novela "O cravo e a rosa", da rede Globo. Basicamente, traz a história de Catarina e Petrúquio. A jovem é do tipo que "causa", espantando vários pretendentes a casamento. Resiste a quase todos, mas "sucumbe" ao grosseirão Petrúquio.
Ao ler um texto de Shakespeare em língua portuguesa, deve-se ter o cuidado quanto a tradução. A versão que lemos foi da editora L&M editores, de Millôr Fernandes. Temos certeza de uma boa tradução, já que Fernandes além de poeta e dramaturgo, também é um exímio tradutor de diversas outras obras. Cabe lembrar também por ser um texto originalmente para teatro, a narrativa é diferente de uma prosa comum, forçando ao leitor imaginar as cenas em formato de teatro. Um texto interessante a ser lido, simples mas bem formal quanto a normal culta da língua portuguesa.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

#foiépico: CCXP - Comic Con Experience #‎CCXP2015‬

Pelo segundo ano segundo, o CCXP - Comic Con Experience mostrou porque #foiépico. Pessoas se divertindo, empresas lucrando com os produtos oficiais, artistas também ganhando grana no "Artist Alley", diversas atrações nacionais e internacionais.
Algumas pessoas chegaram a reclamar das filas e lotação. No caso das filas, o evento deixa claro como é o funcionamento em seu próprio site. Neste ponto, é interessante que o público saiba o que realmente querem ver antes mesmo de chegar lá. Mas, na verdade, com tantas atrações, fica difícil querer uma coisa só.
Dois painéis que participamos foram bem interessantes: um de Star Wars e outro de Cavaleiros do Zodíaco. No primeiro, autores falaram da importância da obra de George Lucas no entretenimento. Esta jornalista que vos escreve conseguiu fazer uma pergunta/comentário, que foi alvo de muitas risadas. O motivo foi a empolgação da mesma em perguntar sem perceber o teor da fala: "a gente queria ter visto a Léa pegar no sabre!" Obviamente, todo o auditório caiu na gargalhada.
Já no painel da Toei Animation, os fãs puderam saber da produção e fazer perguntas ao produtor Satoshi Teramoto. Houve duas perguntas nada a ver, em que pediram para a empresa terminar Lost Canvas, sendo que o produtora é a TMS. E uma lembrando Shingo Araki, que já faleceu. Mas, também houve bons momentos, quando o produtor disse que estão produzindo mais CDZ e também que ele tentará trazer Masami Kurumada ao Brasil. Deste painel, ainda teve o momento emocionante de um fã que conseguiu entregar seus desenhos ao Satoshi, com muita gente da plateia apoiando o rapaz.

https://twitter.com/papodebudega/status/672776359408717824
https://twitter.com/papodebudega/status/672777043210301440
https://twitter.com/papodebudega/status/672790407563055104
Vídeo - https://twitter.com/papodebudega/status/672792530904342530
Vídeo - https://twitter.com/papodebudega/status/672861892096995330
Star Wars - https://twitter.com/papodebudega/status/672887347659296769
Star Wars - https://twitter.com/papodebudega/status/672888232133173248
Cavaleiros do Zodíaco - https://twitter.com/papodebudega/status/672913921121087489
Cavaleiros do Zodíaco - https://twitter.com/papodebudega/status/672916288184913921

Enfim, o evento mostrou-se ser a melhor opção de convenções no Brasil. Tanto pelos produtos originais, quanto atrações, localização. praça de alimentação entre outros itens. O mais curioso é que mesmo em um local tão grande, parece que o São Paulo Expo - antigo Centro de Convenções Imigrantes - ficou pequeno. Os links acima mostram vídeos e fotos do CCXP - Comic Con Experience que veiculamos direto do Twitter e também nosso Facebook do segundo dia. Também vale lembrar que depois do evento, um fato lamentável com uma cosplayer fez a organização banir o programa Pânico no próximo ano. Ano que vem, esperamos estar por lá e divulgar as informações e percepções do evento.

Curiosidades budeguísticas: Chanucá - festa das luzes

Um dos maiores equívocos que ocorre nesta época do ano é dizer que o Chanucá (Hanukkah) é o "Natal" dos judeus. Conhecida como Festa das Luzes, esta celebração nada tem a ver com o feriado cristão. Os motivos que levam os judeus a iluminarem suas casas é outro, em referência a fatos históricos poucos séculos antes da Era Comum. Curiosamente, os acontecimentos relatados em Macabeus não fazem parte da Bíblia Hebraica (Tanakh), ou Velho Testamento. O motivo é que os acontecimentos foram escritos em grego e não em hebraico.
E no Tanakh só entraram os livros que foram escritos na língua original do povo hebreu. Outro fato curioso é que é possível saber dos acontecimentos na Bíblia Católica, no livro de Macabeus. Não existe este livro nas bíblias evangélicas, que originalmente adotaram a versão hebraica. Mas, mesmo sem estar na Bíblia original, os acontecimentos de Macabeus foram e são importantes aos judeus, que colocam os fatos em textos à parte. De acordo com o Ministério do Turismo de Israel,
Chanucá marca o evento histórico que aconteceu no período Selêucida, no século 2 AC. Alguns reis Selêucidas (a dinastia que sucedeu a Alexandre, o Grande, e que tinha sua base na Síria) tentaram forçar os Judeus na Terra de Israel a adotarem certos costumes, que eram contra as leis do Judaísmo. O pior decreto foi quando o rei Antiochus IV ordenou a instalação de uma estátua no Templo Sagrado em Jerusalém.
Em 167 AC, os Judeus revoltaram-se contra o regime greco-selêucida. Alguns líderes da revolta, os Hasmoneus ou Macabeus, eram filhos de Matityahu, o Sumo Sacerdote. Em 164 AC, sob a liderança de Yehudá o macabeu, a revolta alcançou o seu clímax com a liberação de Jerusalém das regras estrangeiras, incluindo o Templo Sagrado. Os eventos estão documentados em algumas fontes históricas escritas no final do século 2 EC, algumas décadas depois da revolta. De acordo com a tradição Judaica, a festa de Chanucá foi instituída por Yehudá, o Macabeu.
As festividades têm a duração de oito dias, comemorando as celebrações de purificação e dedicação ao Templo Sagrado, e ao milagre recordado nessas tradições. Quando os Macabeus procuraram por óleo santo para acender o candelabro no Templo, eles encontraram apenas um pequeno frasco cujo lacre não havia sido quebrado e, portanto, ainda estava puro. O óleo do frasco era suficiente para um dia apenas, mas um milagre aconteceu e o óleo queimou por oito dias. Além do elemento de heroísmo marcado pela festa, Chanucá também possui o tema das luzes contra a escuridão, por isso Chanucá também é chamada de Festa das Luzes.
Assim, vemos conforme a maioria dos feriados judaicos, este tem relação com a questão da liberdade. No Brasil, praticamente não há referências nas ruas da festividade. Porém, dado o número de judeus nos Estados Unidos, há muitas referências com muitos Chanukiá, um candelabro com oito braços enfileirados para a celebração. Em Israel, por conta do período, também há muitas luzes em referência a esta festividade e também ao Natal. Como todo feriado judaico, o Chanucá é variável nos dias conforme o ano. Isso porque o calendário é diferente (lunar). Este ano, iniciou ontem à noite e vai até o dia 14 de dezembro.

domingo, 6 de dezembro de 2015

Para alegrar o dia 140

Retirado de Disney Irônica

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

CCXP - Comic Con Experience, primeiro dia #‎CCXP2015‬: ‪#‎VaiSerÉpico‬

Estande do Cunrchyroll

Que o ‪CCXP - Comic Con Experience se tornou o maior evento de entretenimento do Brasil, isso é fato. Muitos quadrinhos, filmes, empresas e público. Tornou-se uma grande celebração da cultura nerd. Na coletiva de imprensa, os organizadores usaram o termo geek, que originalmente era usado para os apreciadores de tecnologia. Mas, percebemos que esta palavra está passando por uma metamorfose.
Hoje, foi possível perceber que o público de quinta-feira de 2015 foi muito maior do que de 2014. As filas existem. No caso do grande auditório, foram mais organizadas no dia de hoje. Inclusive, o auditório é um espetáculo a parte. Do Cinemark, consegue recebe uma grande quantidade de público. Chega a ser espantoso. Mesmo assim, lota. Há muitos produtos oficiais e a praça de alimentação parece maior, com uma parte de "food trucks".

O carro do novo filme de Os Caça=Fantasmas

Estande do estúdio Universal

Prêmio para o vencedor do concurso de cosplay. Sim, um carro

O ator Cauã Reymond falando de seu novo filme "Reza a lenda"

Cosplay de Malévola

Porém, nem tudo são flores. Soubemos que houve contratempos com alguns convidados vips. Pelos relatos, é complicado saber de onde partiu o erro de comunicação. De início, houve um ligeiro estresse da imprensa em encontrar uma de suas duas salas. Mas, o evento teve o cuidado de colocar o suporte necessário para que pudéssemos enviar informações. Tanto que nossos leitores puderam ver vídeos e outras informações em nossas redes sociais. Vejam os links:

https://twitter.com/papodebudega/status/672530509684211712
https://twitter.com/papodebudega/status/672525160939970560
https://twitter.com/papodebudega/status/672439405051781120

O Papo de Budega deve continuar firme nesta sexta-feira trazendo informações direto de nossos canais do Facebook e também do Twiiter. Aqui, colocamos algumas imagens que não postamos nos nossos demais locais da rede.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Distrito 9

Planeta Terra. Em um determinado momento da História, uma nave alienígena chega ao nossa planeta e paira em Joanesburgo, capital da África do Sul. Os Extraterrestres são obrigados a descer devido a uma pane. Em chão, eles são colocados em um local chamado Distrito 9. Lá, as condições de vida são as mais desprezíveis possíveis. Os aliens vivem de forma degradante.
Por conta da fortíssima rejeição dos seres humanos, o governo - por meio de uma empresa - inicia um processo de deslocamento para uma outra área, distante da população humana. Neste processo, o gerente da evacuação Wikus Van De Merwe acaba contaminado por um fluído alienígena. O homem tem que escapar da própria empresa, que deseja usá-lo como "arma" em suas atividades.
Grosso modo, este é a sinopse de Distrito 9, produção de 2009 que concorreu a vários Oscars. Nele é nítida a alusão ao "apartheid" da África do Sul. Também é uma referência aos vários campos de refugiados pelo mundo, que normalmente são degradantes. Há também fatores históricos e culturais locais da região  que também ocorrem nesta produção.
Por exemplo: há humanos que comem partes dos ETs acreditando que trazem benefícios físicos. Esta é uma referência a muitos grupos (tribos) africanos em que pessoas têm partes do corpo decepadas por tais motivos, como os albinos. Além disso, as ações de remoção são típicas de exércitos locais para com os "indesejáveis".
O roteiro é bem interessante, uma produção que assusta um pouco. Afinal, sempre vimos alienígenas como figuras assustadoras. Em Distrito 9, eles são as vítimas. No final, este longa-metragem incomoda porque vemos nele nossas ações como seres humanos, tudo o que poderíamos fazer em nome do dinheiro. E, assim, fica-nos a indagação: o que é "ser" humano?

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Victoria Hanna - Aleph-bet Hosha'ana


Há muitas músicas legais em diversas línguas. Uma delas é da cantora Victoria Hanna - Aleph-bet Hosha'ana. São os sons do alfabeto hebraico. A música é divertida, o clipe é divertido e as expressões de Victoria Hanna são divertidas. Um "rap" oriental com cara bem local.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

O Conde de Monte Cristo

Algumas histórias atravessam gerações e se tornam muito conhecidas por suas adaptações. Uma delas é O Conde de Monte Cristo, do escritor francês Alexandre Dumas. Ele foi o mesmo que escreveu outro grande sucesso, Os Três Mosqueteiros. Devido ao grande número de materiais paralelos, como filmes, seriados e animações japonesas, nada melhor que do ler o título original.
O marinheiro Edmond Dantés é envolvido em uma trama em que três homens o colocam na prisão. Lá, ele conhece um prisioneiro que tem como plano a fuga quase impossível. O colega de prisão não consegue fugir, mas deixa uma herança para Dantés, que consegue ficar milionário. Ele se esconde no nome de "Conde de Monte Cristo".
Dantés alimentou por anos seu desejo de vingança e retornar para implementar seu plano. O objetivo é atingir a todos, inclusive a mulher com que ele ia se casar, que para a infelicidade dele, ela casou-se com um de seus algozes. Assim, a intrigante história s e segue.
O que chama a atenção é que Dumas envolve o leitor de uma tal forma, que a leitura vicia. As cenas, os sentimentos que circundam os personagens. Tudo é muito intenso. A narrativa envolvente se dá porque originalmente, o texto era escrito para o jornal, o que obrigatoriamente tinha que ser atraente quase que ao extremo para manter o público cativo. E assim, Dumas conseguiu. Há muitas obras baseadas em Monte Cristo, mas nada substitui a versão literária.
←  Anterior Proxima  → Inicio