Desejo: Boas Festas...

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Papo de Budega no #CCXP2015, saiba mais... #VaiSerÉpico

Caros navegantes,
Este ano, dando tudo certinho... Teremos uma cobertura especial do Comic Con Experience #CCXP2015, #VaiSerÉpico. Especial porque estaremos mais firmes e fortes tanto no Twiitter como Facebook. Inclusive, com veiculação ao vivo do evento. O fato dar-se-á via Twiitter, Periscope (acesse).
Assim sendo, por gentileza, baixem o aplicativo!!! Até porque há muitos artistas hoje que fazem exibições por este meio... Em nosso Facebook também tentaremos manter nossas atualizações... Para acessar Twiitter e Facebook do Papo de Budega é só clicar nos links acima.

Curiosidades budeguísticas: quaresmeira

A quaresmeira é uma planta nativa da flora brasileira. Com nome científico de Tibouchina granulosa, ela tem sua principal origem na vegetação densa da Mata Atlântica. É relativamente comum de encontrá-la em regiões da Bahia e também do Sudeste brasileiro. Outra característica é por ser bem alta. Seu nome existe por conta de sua floração.
Apesar de ser muito comum acreditar que todas as vegetações floram na primavera, isso não ocorre com a quaresmeira. O período da floração desta planta dá-se principalmente em meados de de fevereiro a abril, período do ano quem que há a quaresma. Além deste época, também é normal que haja floração em meados de junho a agosto.
Outra característica das quaresmeiras é que elas vegetam mesmo em solos pobres. Tanto que é muito possíveis vê-las em regiões da cidade de São Paulo. Possui uma copa densa com um verde escuro forte. Curiosamente, a quaresmeira é muito confundida com outra planta: o ipê. Ambas tem como características suas cores, mas há diferenças como por exemplo, no tempo da florada e a altura, além de questões mais específicas.

domingo, 29 de novembro de 2015

Para alegrar o dia 139

Retirado desta matéria.
"Dá licença que é meu lugar..."


sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Uma das maiores bobagens já produzidas, Diabolik Lovers ディアボリックラヴァーズ

Tempos atrás, fizemos uma resenha de um dos trabalhos animados mais medíocres já produzidos. Diabolik Lovers ディアボリックラヴァーズ entra para o rol de ser uma das piores animações que esta jornalista viu. Não apenas anime, mas animação. Vale a pena pretensos escritores, produtores e animadores verem para NUNCA fazer nada parecido com este título. Caso não tenha lido o texto sobre este anime, é só clicar no link logo acima e entender os motivos que nos levaram a tecer tais comentários. E perceber que Diabolik Lovers ディアボリックラヴァーズ é um insulto ao estilo "vampiro".

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Os Dez Mandamentos - avaliação do que foi e o que poderia vir...

Que a novela Os Dez Mandamentos já fez história em nossa televisão, isso é fato. A questão do sucesso não é simplesmente por ter passado em muitas semanas a audiência da rede Globo. É isso também, especialmente no ano do aniversário da emissora carioca. Com uma história já conhecida, a autora Vivian de Oliveira, a produção da Record e claro, do empenho de todos os atores. Óbvio que as pessoas gostam de trabalhar no que faz sucesso.
Mesmo sendo algo já conhecido, houve histórias paralelas, estas que seguraram e muito a obra. Raro ter tantos grandes vilões em uma única produção ao longo do período. Começando com o faraó Setti (o ator já está na Globo novamente), indo para Yunet, pulando para Ramsés e chegando finalmente a figura de Corá. Tantos e bons vilões grandes e também os menores.
Mas, o que fez uma novela bíblica ter tanto êxito? Além dos fatores já citados acima e também neste outro artigo, lembramos que quem viu a novela não era - necessariamente - evangélico. O êxito provou que o público está "para além dos cristãos". Havia um público carente em histórias mais espetaculares. Se a rede Globo atrelar o sucesso da novela a isso, corre sérios riscos ao em futuro breve. Porém, a Record também não pode cair na armadilha de acreditar que quem assiste às tramas bíblicas é somente o público conservador. Há pessoas que sim, gostam de boas histórias e só. São pessoas em cujo cotidiano têm pensamentos mais liberais.
As pessoas que viram a novela, agora estão no aguardo pela segunda fase, que será séria e sangrenta, já que pega a parte mais complicada do livro do Êxodo. A Record terá que ter o cuidado com a transição para não cansar o público com enrolações ou cenas mal feitas, já que terceirizará sua equipe de produção. No final, quem diria, a emissora está fazendo aquilo que sabe fazer - histórias de época - e consegue assim descolar da imagem de "Recópia" da Globo. Pode não ser o mais usual "quebrar" uma novela, mas esta é, finalmente, a cara da emissora. Se dará certo, só o tempo dirá.
Fica também o registro de que a TV Record pode investir também em um tipo de história muita citada no cinema, mas nunca vista antes em nossa dramaturgia (como foi bem pensado pelo jornalista David Leão): a Segunda Guerra Mundial. Uma obra com tal temática vai de encontro com o que a própria autora de Os Dez Mandamentos mencionou no vídeo de "making off". Trataria de injustiça, liberdade, esperança e fé. E isso, uma novela sobre a História da Segunda Guerra seria riquíssima, com amores, amizades, separações, fé e finalmente a esperança, como por exemplo, pessoa vindo para o Brasil ao final. Sugestões de época não faltariam. Basta agora, a emissora querer.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Maria Rita - Encontros E Despedidas


Maria Rita é uma grande cantora, que ficou por algum tempo meio que a sombra da mãe dela: Elis Regina. Impossível não fazer comparações, já que as vozes das suas são parecidas. Foi necessário algum tempo até a artista ganhar "vida própria". Sua primeira música "hit" foi Encontros E Despedidas. O motivo é simples: foi tema de abertura da novela Senhora do Destino. Grande canção com a grande voz dela, e grande letra. Toca muito todas as pessoas que tiveram que sair de seus locais e partirem.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

O herói de mil faces

O herói de mil faces é, certamente, um dos livros mais importantes que todo interessado em mitologia ou fã de quadrinhos, games, animação e afins deveria ler. O autor Joseph Campbell dá-nos um panorama curioso das diversas interpretações de mitos heroicos de vários lugares e épocas da humanidade.
Tempos atrás, escrevemos uma resenha acerca desta publicação, que pode ser vista inteira neste link. Reiteramos a relevância, para uma melhor compreensão da composição das facetas dos diversos heróis existentes.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Curiosidades budeguísticas: cores da bandeira brasileira

A bandeira brasileira tem quatro cores. O termo "Ordem e Progresso" também é verde, igual a principal. Normalmente, as pessoas associam as cores a elementos diversos. O verde seriam as florestas, ainda abundantes no território nacional. O amarelo seriam as riquezas - ouro das minas de Minas Gerais, Pará entre outras localidades. Já o azul seriam o céu e rios. Por fim, o branco simboliza a paz.
As duas últimas cores são, de certa forma, isso mesmo. Porém, o que a maioria não sabe é que tanto verde como amarelo são - em verdade - as cores das originais da época do império. De acordo com o Wikipedia, o campo verde e o losango dourado da bandeira imperial anterior foram preservados - o verde representava a Casa de Bragança de Pedro I, o primeiro imperador do Brasil, enquanto o ouro representava a Casa de Habsburgo de sua esposa, a imperatriz Maria Leopoldina.

domingo, 22 de novembro de 2015

Para alegrar o dia 138

Retirado de Plante uma Neyde

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Guerra dos mundos - filme

Apesar de ser considerado um filme de ficção científica, Guerra dos Mundos (War of the Worlds) é quase um longa-metragem de terror/horror dirigido por Steven Spielberg. A história original é baseada em um livro e também em outro filme. Porém, Spirlberg dirigiu de forma extremamente assustadora mais um filme sobre aliens. O primeiro fora Contatos Imediatos do Segundo Grau e depois E.T., ambos com extraterrestres bonzinhos.
Em "Guerra", Ray Ferrier - personagem de Tom Cruise - é divorciado e tem que cuidar dos filhos em um final de semana. Ele não se dá muito bons com os dois e tem problemas de relacionamento. É em um destes dias que tudo começa. Uma série de fatos sinistros começam acontecem em todo o mundo, até que as pessoas percebem que está ocorrendo uma invasão alienígena. Daí, decorre uma sucessão de fugas e aparições assustadoras.
O roteiro de Josh Friedman e David Koepp é bom, que é muito bem trabalhado pelo dretor e atores, em especial Cruise e Tim Robbins. A música também é extraordinariamente assustadora, do compositor John Williams. Quem pouco conhece o argumetno do filme e o assiste sem praticamente referência alguma, não tem ideia como pode ficar com muito medo ao vê-lo. No final, é Spielberg mostrando porque é um dos maiores diretores do cinema.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

The Chemical Brothers - The Salmon Dance


The Chemical Brothers é uma conhecida banda por tocar, normalmente, músicas 'putz-putz". Mas, algumas delas são mais suaves, ainda batidinhas. Uma delas é a dancinha do salmão, com um clipe quase que totalmente divertido, se não fosse uma cena curtinha em que ficamos com um pouquinho de pena de um dos bichinhos. Nada que perturbe ninguém. The Chemical Brothers - The Salmon Dance.

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Dez mitos sobre judeus

Escrito por Maria Luiza Tucci Carneiro, Dez mitos sobre judeus foi lançado em 2014 pela Ateliê Editorial. É um estudo sobre os diversos mitos acerca do povo judeu e sua cultura, que mostram como o antissemitismo foi fomentado há milênios por meio de palavras, imagens e fofocas. Como bem nos lembra a sinopse oficial,
Fantasma de impressionante resiliência, o antissemitismo atravessa séculos e desafia os esforços contra uma das mais longevas versões de racismo. Assim como em outras formas de preconceitos atrasados e medievais, dirigidos a variados grupos étnicos, religiosos ou de outra natureza, o sentimento antijudaico se assenta sobre mitos e sua perpetuação, fenômeno abordado de forma densa e clara neste livro.
Ao ler a obra, percebemos que por toda nossa vida em uma sociedade brasileira cristã em que existiu a inquisição, mesmo nas mais simples falas há traços fortíssimos de antissemitismo. As pessoas propagam ideias, sem ao menos entender aquilo que estão dizendo, ajudando na existência de racismo e preconceito. Como bem nos lembra a autora: "as narrativas dos mitos sobre os judeus têm em comum o tom acusador, persistindo sempre a ideia de que os judeus são culpados e/ou responsabilizados por um delito, com ou sem violência."
O ápice do antissemitismo ocorreu na Segunda Guerra Mundial. A perseguição - inicialmente ideológica -  contribuiu para que os nazistas executassem seu plano de extermínio. Contudo, vale lembrar que antes deles, diversos textos, imagens e relações esdrúxulas ideológicas contribuíram, e muito, para as ações nazistas. No final, Dez mitos sobre judeus mostra-nos uma face que também nos pertence, que nem imaginamos de onde vêm.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Curiosidades budeguísticas: brigadeiro, o doce

O doce de brigadeiro tem uma existência indefinível. Buscamos a informação de quando teria sido efetivamente criado - e por quem -, porém, não há dados concretos. Sabem-se que o doce que mistura leite condensado e chocolate existe pelo menos desde os anos 40.
Este dado é possível saber devido a origem da palavra. Originalmente, "brigadeiro" é o nome dado a mais alta batente da aeronáutica. Contudo, em 1945, "o Brasil estava em época de campanha para eleição de um novo presidente. O candidato Eduardo Gomes, cuja patente militar era Brigadeiro, tinha enorme sucesso entre as mulheres, o que aliás era comprovado pelo seu slogan da campanha que era Vote no brigadeiro que é bonito e solteiro” (A Origem das Coisas).
Por algum motivo, o doce acabou se confundindo a este oficial. De acordo com o A Revista da Língua, vários podem ter sido nos motivos, "o que nos ocorre é que seja uma espécie de redução de "doce da campanha do brigadeiro". Outros já acham que os doces se associaram ao brigadeiro porque eram seus prediletos."
Apesar de ser um dos mais importantes doces da cultura nacional, apreciado em festinhas de crianças e também por adultos, da forma como ele se apresenta em todo o país, em formato de bolinha com floquinhos de chocolate, o brigadeiro só existe no Brasil, sendo desconhecido em outros locais do mundo.

domingo, 15 de novembro de 2015

Para alegrar o dia 137

Retirado de Disney Irônica

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

A família do futuro

A família do futuro foi a 46ª animação para o cinema dos estúdios Disney. O título é pouco lembrado por um grande motivo: foi um verdadeiro desperdício de animação do estúdio. Baseado no livro Um Dia com Wilbur Robinson, o argumento é bom. O título narra a história de Lewis, um jovem que vive em um orfanato. Ele faz experiências científicas no local e acaba atrapalhando seu companheiro de quarto. Um dia, Lewis tem a oportunidade de ir a uma feira de ciências da escola, e conhece Wilbur, que diz vir do futuro. Daí inicia toda a jornada de ambos.
Como dissemos acima, o argumento é interessante. Porém, o roteiro é chato, o visual extravagante demais, causando uma certa estranheza do público. Ficamos com a impressão que "a família do futuro" é surreal ao extremo. Não causa empatia. O robô e o símbolo da família, um "R", faz-nos lembra do personagem Riquinho Rico e seu robô. Inclusive, o próprio Lewis é loirinho, igual "Riquinho". Se este personagem não foi referência, ficou parecendo que sim. Ao buscar informações, vemos que o o título sofreu muito em sua produção, com interferências diversas até o resultado final. Uma pena. Tinha tudo para ter dado certo, já que histórias temporais costumam atrair ao público. Para a pena ver e descobrir que até mesmo a Disney errou uma vez.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Como Sobreviver a Um Ataque Zumbi

Como Sobreviver a Um Ataque Zumbi estreia hoje nos cinemas brasileiros. Neste longa-metragem, três amigos unem forças com uma garçonete valentona para tentar salvar a cidade onde vivem a devastação de uma invasão de zumbis. Só que eles têm uma peculiaridade: são escoteiros e também nerds. Tanto que ter a garçonete ao seu lado é um tanto tentador.
O filme pode ser considerado um destes longa-metragens teens americanos em que há citação de muita sexo. Porém, as cenas que fazem com que o título tenha classificação de 16 anos são as sequências de sangue. Não se poupa explosões das mais diversas possíveis em Como Sobreviver a Um Ataque Zumbi. Por ter esta temática, não é nada que seja "ofensivo", pois fica tudo no âmbito do surreal.
O filme é estrelado por Tye Sheridan ("X-Men: Apocalipse"), Logan Miller e Joey Morgan, que interpretam, respectivamente Ben, Carter e Augie. Sarah Dumont ("Don Jon") vive a corajosa garçonete Denise. A produção, no total, é muito boa, sendo um filme bem divertido para desanuviar sem grandes neuras. Mas, lembramos, quem não curte sangue, é bom pensar duas vezes.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Daft Punk - Technologic


Daft Punk é uma grande banda, cujo estilo musical é o eletrônico. Muitas de suas músicas fizeram um sucesso relativo. Technologic é um destes casos. Não estourou, mas há que conheça pelas poucas vezes tocadas em grandes rádios. O clipe é meio sinistro, mas o objetivo é realmente este. Não se espante pela imagem inicial, dá para assistir uma boa.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Mutações da cultura midiática

A publicação Mutações da Cultura Midiática foi escrita e organizada por três estudiosos da área da comunicação brasileira atual: o prof. Roberto Elísio dos Santos, prof. Herom Vargas e prof. João Batista F. Cardoso. Os textos vêm em formato de artigos acadêmicos e, conforme a sinopse oficial do site da editora Paulinas,
A obra Mutações da Cultura Midiática trata das inovações no âmbito comunicacional em curso, no final do século XX e início do XXI, relacionadas à tecnologia e ao processo comunicativo, e os efeitos dessas mudanças na sociedade, economia e cultura. Reúne as reflexões de diversos pesquisadores acerca das consequências das transformações no conteúdo de produtos midiáticos, ou em sua linguagem, ou ainda em sua relação com o receptor. Também discute a questão da "ressignificação", ou seja, a maneira como uma nova mídia modifica e dá novo significado às precedentes, abordando temas como televisão, cinema, música, histórias em quadrinhos e games.
Cada um dos temas acima abordados trazem considerações bem atuais acerca das transformações da mídia as quais vivemos. Obviamente, por ser uma obra "analógica" e que necessite de tempo de preparo, o livro não aborda a mais nova tendência midiática atual, as redes sociais, que explodiram em uso nos últimos dois anos. Mesmo assim, como bem nos lembra os três autores,
"A segmentação da comunicação obedece a um imperativo contemporâneo, impulsionado tanto pelo acentuado processo de urbanização como pelo surgimento das tecnologias digitais postas a serviço do cidadão comum."
Por estas palavras, já seriam possíveis fazer algumas confabulações atuais. Pois, talvez o processo de urbanização já não tenha tanta relevância, dado que nas mais remotas localidades é possível haver um forte uso das tecnologias digitais. Ou seja, a publicação consegue fazer o que se propõe, fazer como que o leitor possa elaborar suas próprias divagações acerca do tema da cultura midiática.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Curiosidades budeguísticas: teclado QWERTY

O teclado QWERTY é este que nós usados para escrever em computadores e celulares. Sua origem - na verdade - vem das já obsoletas máquinas de escrever. O layout das teclas é exatamente o mesmo - salvo pequenas alterações de modelo para cada país. Por exemplo, o "ç" existe para a língua portuguesa, mas não para outras línguas. Assim como outras versões também têm pequenas alterações, como a letra "beta" para o teclado alemão, ou o ñ para o teclado espanhol.
Grosso modo, o teclado QWERTY é padrão em todo o mundo. Porém, qual a lógica para as teclas, já que não segue a ordem alfabética ocidental? Há as mais variadas explicações na internet. Porém, a mais plausível realmente está no Wikipedia, em que "o formato adotado tinha dois objetivos: organizar as teclas aproximando os pares de letras mais usados na língua inglesa e diminuir a quantidade de possíveis travamentos das teclas da máquina de escrever."
Também há a versão do site Gizmodo Brasil, "os primeiros testes de máquinas de escrever foram feitos, de acordo com os pesquisadores Koichi Yasuoka e Motoko Yasuoka da Universidade de Kyoto, por operadores de telégrafos que receberam as teclas em disposição alfabética padrão. Quando esse formato se provou insustentável, foram feitas diversas revisões e provavelmente o QWERTY nasceu das excentricidades formadas. Em outras palavras, os datilógrafos formaram o teclado, e não o contrário."
Quem patenteou o teclado QWERTY (as primeiras teclas seguidas da segunda linha do teclado) foi Christopher Sholes em 1868, vendendo a ideia para a empresa à Remington em 1873. O mais curioso é que existem outros sistemas posteriores, como o teclado Dvorak, que nunca conseguiram desbancar o modelo atual de computadores e smartphones.

domingo, 8 de novembro de 2015

Para alegrar o dia 136

Retirado do Baby Animals
São cachorros que confortam as vítimas ante seus agressores nos tribunais

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Supergirl - 2015

Ontem estreou no Brasil em versão legendada e dublada o seriado Supergirl. O título estreou uma semana antes nos Estados Unidos com bons índices de audiência. Supergirl é uma produção da CBS, exibido no Brasil pelo canal Warner. Quem interpreta Kara Denvers é Melissa Benoist, que atuou em outra série de sucesso: Glee.
Houve um certo burburinho no universo dos quadrinhos em relação a adaptação dos quadrinhos. O que podemos dizer neste primeiro momento é que a produção é bem feita. Por ser o primeiro episódio, é difícil mensurar outros pontos, como o tom das interpretações e do roteiro. Houve alguns furos em edição, tudo acontece muito rápido. Normal para um primeiro episódio.
Claramente, Supergirl é uma série feita para mulheres. Não é para agradar ao público masculino e nem ao público que lê as histórias em quadrinhos. Possivelmente, vai na mesma "vibe" que tornou Once Upon a Time um sucesso. Continuaremos a assistir e acompanhar o desenvolvimento desta divertida história.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Brad Fiedel - O Exterminador do Futuro


O Exterminador do Futuro foi um filme que fez história. Seu argumento era interessantíssimo, em uma década de 80 que via os anos 2000 como algo muito distante. Pois bem, já passamos das portas da "revolução da máquinas". Brincadeiras a parte, a trilha sonora do longa-metragem é fantástica. Muita gente escreveu errado o seu compositor. O autor das músicas do primeiro filme foi Brad Fiedel. Com vocês, o tema do filme.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

A Guerra dos Gibis

Diversos livros e estudos acadêmicos já fizeram menção da História das histórias em quadrinhos no Brasil. Um deles é A Guerra dos Gibis de Gonçalo Júnior. O autor fez uma grande pesquisa para narrar a trajetória das HQs no Brasil. De acordo com a sinopse do site da Livraria Cultura,
Este livro narra a chegada dos quadrinhos ao Brasil, vindos dos Estados Unidos em meados da década de 1930, pelas mãos do jornalista Adolfo Aizen. O autor tenta mostrar que a novidade logo se tornou mania de crianças e adolescentes - e uma mina de ouro para editores de jornais e revistas, que se engalfinhavam na disputa pelo mercado. Logo os quadrinhos passaram a ser atacados por políticos, jornalistas, artistas, educadores e religiosos. Fruto de uma pesquisa de mais de dez anos, o livro conta ainda com um caderno com imagens de capas do primeiro número de diversos gibi e um anexo com a legislação de censura do período.
O que chama a atenção é o tom realmente jornalístico da obra. Em alguns momentos, com características de "fofocas", talvez para dar ânimo a assuntos tão sérios. Por vezes até desanimadores, por vermos que as HQs estiveram envolvidas em politicagens das mais sujas. Isso porque o livro mostra-nos um lado obscuro da Histórias das HQs, inclusive a origem da palavra "Gibi". Também há muitas imagens ilustrativas. Obra interessante a ser lida pelos fãs de quadrinhos nacionais e internacionais.

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Curiosidades budeguísticas: dia de finados

O Dia de Finados ocorre em 02 de novembro em grande parte dos países ocidentais e é um feriado de origem cristã católica. O principal objetivo deste dia é lembrar daqueles que já morreram, mas que normalmente são esquecidos, tendo um dia específico para serem recordados.
A "obrigatoriedade" da lembrança do dia dos mortos teve início no século XI, ainda sem uma data exata. Foi a partir do século XIII que 02 de novembro foi instituído pela Igreja Católica. Grande parte da fundamentação da lembrança dos mortos está descrita em passagens bíblicas no Velho Testamento e também no Novo.
O "Dia de Finados (ou também Dia dos Mortos)" é a recordação dos mortos que partiram. Em algumas igrejas protestantes europeias, acontece em outras datas. No caso judaico, os mortos são lembramos no período Yom Kippur (variável conforme o calendário judaico). Esta data não é exatamente para os mortos, mas há uma lembrança forte para aqueles que partiram.

domingo, 1 de novembro de 2015

Para alegrar o dia 135

Retirado do Facebook...

←  Anterior Proxima  → Inicio