Desejo: Boas Festas...

terça-feira, 31 de março de 2015

Redução da maioridade penal de 18 para 16 anos, por que apoiar?

Queridos navegantes... Já fazia um tempo que eu não escrevia um texto sobre um assunto polêmico. Mas, eu gostaria de elucidar que hoje, com minha mentalidade, sou a favor da redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. Eu concordo que "sim, a solução primordial no Brasil é educação". Educação familiar, escolar e social. A tal educação que há anos só tem piorado...
Só que, infelizmente, temos visto verdadeiros shows de horrores protagonizados por jovens. Crimes que não têm necessariamente a ver com a condição social. Quais? Os mais comuns são estupros e torturas. Um cara que estupra ou mata não o fez por falta de condições sociais. O fez por maldade mesmo.
Inclusive, acho que o segundo passo é rever o código penal, totalmente obsoleto. E rever o tempo para crimes hediondos, sem a possibilidade que o criminoso saia da prisão por qualquer coisa. Puxa, tem um monte de casos que os caras recebem indultos e cometem crimes pesados. Todos os lados deveriam ser mais racionais, é difícil, mas deveriam.
A sociedade brasileira está muito confusa. Só que uma coisa é certa: aquela porcaria chamada de "direitos humanos", sempre fica do lado somente de quem comete o crime. Eu não lembro de ver estes caras ao lado da vítima ou do policial morte em serviço... Daí, acaba-se havendo um clamor por mais justiça. Talvez no futuro eu mude de ideia. Mas hoje, por enquanto, para não nos sentirmos tão desamparados, esta redução talvez seja bem-vinda.

A onda das “sagas literárias” que morrem na praia

As “sagas literárias” viraram modinha na virada do século XX para o XXI, e ainda estão aí. Parte da culpa, digamos assim, é de Meg Cabot e J.K. Rowling, autoras de Diário da Princesa e Harry Potter, respectivamente. Por um lado, isso foi bom, pois despertou centenas de milhares de jovens para o mundo da Literatura. Por outro, abriu portas para outros escritores não tão talentosos assim em diversas esferas literárias, e àqueles que surgiram como promessa e não passaram disso. São os casos de E. L. James e Stephenie Meyer.
Veja comentário completo neste link.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Curiosidades budeguísticas: Páscoa judaica e Páscoa cristã

Hoje, teceremos algumas diferenças acerca das duas páscoas: a judaica e a cristã. Primeiramente, existe uma preferência em chamar a páscoa judaica de Pessach. O possível motivo é que esta palavra é hebraica e diferencia do termo "Páscoa", que se tornou ocidentalizada e denota mais ser a festa cristã.
Basicamente... a diferença é que o Pessach é uma festa em lembrança ao fim da escravidão do povo hebreu no Egito. Sua história está em um livro inteiro da Bíblia, em Êxodo (ou Shemót em hebraico). Há mais duas festas judaicas relacionadas com escravidão e libertação, porém, o Pessach é certamente a mais importante e conhecida.
Já a Páscoa cristã faz referência a ressurreição de Jesus Cristo. O termo Pessach/ Páscoa significa "passagem". A passagem de um estágio para outro. Nas duas culturas, apesar das diferenças de motivos, é possível dizer que houve passagens. Outro ponto curioso é que as datas nem sempre coincidem, já que ambas comemorações dependem de seus calendários para se realizaram. O calendário judaico é lunar, enquanto o gregoriano é solar.
Independente de suas razoões, para ambas culturas, suas respectivas páscoas são comemorações importantes. São festas familiares e de comunidade. Por vezes solenes, também são consideradas festas alegres, pois em ambas a "passagem" é para algo melhor.

domingo, 29 de março de 2015

Para alegrar o dia 104

Ressaca brava, hein?

quinta-feira, 26 de março de 2015

Aconteceu em Saint-Tropez

Aconteceu em Saint-Tropez (Des gens qui s'embrassent) é um filme francês/ belga lançado em 2013. É uma comédia romântica em que tudo começa no enterro da esposa de Zef (Eric Elmosnino), que aconteceu no mesmo dia do casamento da filha de Ronie (Kad Merad). Não por acaso, Zef e Ronie são irmãos, cuja relação não é exatamente das melhores.
Os dois têm seus conflitos familiares e religiosos. Um é um judeu para lá de liberal, enquanto o outro mostrasse mais conservador. Eles tem um pai com Alzheimer (Ivry Gitlis). Suas filhas se tratam como irmãs, mas um incidente pode colocar toda a relação familiar em conflito.
Este longa-metragem flui bem, sem muitas pausas longas e cansativas dos filmes europeus. Pelo contrário. Chega a ser relativamente rápido. Um dos pontos principais é o conhecimentos que adquirimos acerca da cultura judaica. Que, nem sempre uma cultura é exatamente aquilo que pensamos.
A música é boa, as locações são belas e os atores bons. Dois dos momentos mais divertidos ocorrem no início do filme, na cena do enterro; e também quando o pai idoso vai parar no hospital. No final, um filme francês divertido e bem amarrado. Sem longos (e chatos) momentos de pausa ou reflexões.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Shiver de Lucy Rose

Certas músicas são tão lindas... Porém não fazem nem ideia quem as canta. Pois bem... Uma delas é Shiver de Lucy Rose. Ela é uma cantora inglesa, que aparentemente está em início de carreira. Eu não saberia dizer se todas as músicas dela são boas. O que posso dizer é que Shiver é uma linda canção. Para os desavisados, é o tema de abertura do anime Mushishi. Vale a pena conhecer.

terça-feira, 24 de março de 2015

Sobre “Senhora”, de José de Alencar

José de Alencar era um polemizador, e não raro suas críticas batiam de frente com os interesses da elite da época. Seus romances, os urbanos principalmente, eram o canal onde o autor cutucava certas feridas – como em “Lucíola” – sem contar os inúmeros artigos de jornal, sob pseudônimos (e tanto ele fez que conseguiu exasperar até o imperador Dom Pedro II, tido como um homem bem tranquilo). Em Senhora, o tema era o casamento arranjado, prática comum na sociedade brasileira daquele tempo (se bem que vemos isso até hoje, basta observar...), onde tudo era realizado como num negócio qualquer. Dificilmente você via um tema tão espinhoso nos romances românticos brasileiros.
Veja resenha completa de Senhora neste link.

segunda-feira, 23 de março de 2015

ANIMA INFO 1677

Cidade de Barueri ganha Gibiteca

A cidade de Barueri - na região da grande São Paulo - ganhará uma Gibiteca ainda em março. A mesma estará na Biblioteca Max Zendron e seu nome oficial será GIBITEKA. O local fica próximo ao Teatro Municipal de Barueri, saída 26b da Rodovia Castelo Branco.
Na abertura oficial, o espaço inicia suas atividades com 7 mil exemplares. Porém, ainda aceita doações. A consultoria é do Prof. Dr. Waldomiro Vergueiro do Observatório de Quadrinhos da USP. A inauguração acontece no próximo dia 31 às 15h, na Rua Rio Grande do Sul, 234. Mais informações no telefone: (11) 4198-0229.

Curiosidades budeguísticas: Pataca

Pataca é um termo relativamente conhecido que, basicamente, quer dizer que algo tem pouco valor. "Não vale uma pataca..." Antigamente, "Pataca" era uma moeda nacional no Brasil, que vigorou entre 1695 a 1834. Segundo o Wikipédia; "a série era composta por moedas de 20, 40, 80, 160, 320 e 640 réis. O valor de 320 réis – pataca – deu nome à série."
Além do Brasil, ainda houve a Pataca de "Timor" e do "México" e, por incrível que pareça, ainda existe uma moeda recorrente em Macau. Nas histórias em quadrinhos Disney, nas traduções da editora Abril, "Pataca" ainda existe e é moeda de Patópolis.

domingo, 22 de março de 2015

Para alegrar o dia 103

Olha a cara de felicidade...

sexta-feira, 20 de março de 2015

Kill La Kill キルラキル começa engraçado e termina...

Kill La Kill キルラキル foi um anime muito comentado quando foi lançado e durante toda sua exibição em 2013. Começa como uma grande tiração de sarro do estilo "porrada" e "fanservice". Zoam com tudo, com o conceito de samurai, a História do Japão, com Akira, com a relação do esporte americano...
O título (veja no link Kill la Kill) sofre com um grande mal da produção atual. Não existe uma unidade na produção. Ao ver a equipe no Anime News Network, percebemos que uma das posições mais importantes, de "animador principal", é justamente um dos que mais mudam ao longo de todo o anime.
Tanta alteração em figuras chaves na produção prejudica assustadoramente no resultado final. Ficamos com a impressão que até filminhos de internet têm animações melhores que os últimos episódios de Kill la Kill. Toshihiko Seki 関 俊彦, que faz o Senketsu, é o mesmo dublador de Miro em Cavaleiros do Zodíaco - Saga de Hades e o Mousse de Ranma 1/2. Ele salva grande parte das interpretações dos dubladores.
O título teve um grande bafafá desnecessário. Foi só mais uma grande bobagem produzida, com sequências inclusive incômodas para os conceitos culturais e sociais ocidentais. Pode parecer bobagem para alguns por ser tratar somente de um desenho animado, mas a verdade é que incesto é sim algo que irrita. E, no caso de Kill la Kill, pareceu-nos desnecessário. Um anime que, ao final, foi bem decepcionante.

quinta-feira, 19 de março de 2015

A Usurpadora, a novela mais reprisada da TV brasileira

A relação de amor e ódio dos brasileiros ante as novelas mexicanas sempre foi algo muito intenso. Nossos "hermanos" consomem tanto ou até mais novelas quanto nós. Aos nossos olhos, a qualidade técnica deles sempre pareceu duvidosa porque o "padrão Globo de qualidade" realmente é grandioso. Estamos acostumados com tal padrão.
Mas, como bons latinos, nós gostamos das nossas novelas e das mexicanas também. E um grande exemplo disso é a mais nova reprise da novela A Usurpadora agora em março. Louco pensar que já houve quatro reprise anteriores. Com esta agora serão cinco mais a exibição original. Ao que me conste, foi a novela com maior números de reprises de nossa televisão...
E, desta história toda, o que realmente me deixa mais triste é que nunca consegui assistir à história das gêmeas Paola e Paulina. Fico curiosa porque os fãs desta novela são meio "otakus"... O título pode passar 500 vezes, que o povo assistirá a todas dando uma baita audiência ao SBT. Lamentavelmente, não terei novamente oportunidade de assisti-la. E você? É fã de A Usurpadora?

quarta-feira, 18 de março de 2015

ANIMA INFO 1676

Quack - Patadas Voadoras é o 1º mangá nacional da Editora Draco

A editora Draco anunciou o lançamento de Quack - Patadas Voadoras, do desenhista e roteirista Kaji Pato, um dos ganhadores do primeiro concurso Brasil Manga Awards, promovido pela Editora JBC. A publicação faz parte do selo Contraversão, que publica apenas histórias em quadrinhos curtas, com preço acessível para feiras e eventos - e pode ser adquirido com exclusividade na Livraria Cultura. Segundo o release oficial, o título seria em estilo mangá. Além desta HQ única, também será lançada uma série periódica online. Em breve, o site estará no ar com outros quadrinhos de diversos autores ainda não revelados.
Na história fechada, conhecemos Baltazar Drumont, um garoto tímido, que se tornou alvo fácil do bullying de seus colegas de escola. Descendente de uma antiga família de aviadores, recebe de seu avô um ovo misterioso e está disposto a tudo para defendê-lo, até mesmo enfrentar a sua covardice. Quando o ovo choca e nasce um estranho pato que já começa a criticá-lo mais que qualquer outra pessoa, Baltazar não sabe o que fazer. Mas o que o garoto não esperava é que do início dessa amizade virá a união para vencer o maior desafio de Baltazar: sua confiança em si mesmo.
Quack - Patadas Voadoras tem 24 páginas, capa cartonada, formato 17 x 24 cm e será vendida por R$ 7,90. O lançamento será em uma tarde de autógrafos no próximo 25 de abril na loja Geek.etc.br (Conjunto Nacional. Alameda Santos, 2.152 - Loja 122, São Paulo, SP. Próximo à estação Consolação do metrô).

John Towner Williams - Superman Theme


Superman certamente foi um filme que revolucionou o conceito de herói. Tinha um ator perfeito, uma atriz perfeita, uma história perfeita. Mas, como todo bom longa-metragem (e curtas também), este filme depende muito de sua música. E, certamente, só mesmo John Towner Williams, ou simplesmente e somente John Williams, poderia tornar este filme também inesquecível pela sua trilha sonora. Para mim, certamente é o maior músico que Hollywood já teve.

terça-feira, 17 de março de 2015

Sobre o livro “Contos de Amor, de Loucura e de Morte”, de Horacio Quiroga

Enquanto que em Poe (Edgar Allan), a Morte é quase um delírio de uma mente excitada (como no conto "Ligeia"), em Quiroga, ela é realidade, é consciente e se utiliza de meios reais, quase sempre físicas, sendo por vezes cruel, como no conto "O Solitário", centrado no joalheiro Kassim e sua esposa obcecada por joias. “Uma Estação de Amor” pode enganar o leitor com o idílio de Octávio e Lídia, mas a ação verdadeira vem da presença fúnebre da mãe da moça, causada por uma overdose de morfina.
A habilidade do autor de revelar o sombrio mesmo em situações corriqueiras prende a atenção, e a cada conto o suspense é assustador. É como um filme, onde o clímax é construído desde as primeiras linhas, o leitor sabe que algo acontecerá, mas não como. E é esse “como” o grande ás de do autor – um exemplo disso é o conto “O Travesseiro de Plumas”. Horror puro.
Veja resenha completa de Contos de Amor, de Loucura e de Morte de Horacio Quiroga acessando esta ligação.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Curiosidades budeguísticas: Urso Polar

Os ursos polares (Ursus maritimus, nome científico) - ou urso branco como também é conhecido - é um dos vários tipos de ursos existentes no mundo. Sua classificação científica (aquelas que aprendemos na escola) é: Reino - Animalia, Filo - Chordata, Classe - Mammalia, Ordem - Carnivora, Família - Ursidae, Gênero - Ursus e Espécie - U. maritimus. Ele vive nas regiões do círculo polar ártico em locais como Canadá, Alasca, Rússia. Fisicamente, é o maior mamífero terrestre, com mais de 2 metros de altura.
Ele é um exímio nadador para caçar sua alimentação preferida, que são (ou eram) as focas. Porém, o aquecimento global tem o feito mudar tais hábitos e hoje, o urso polar tem comido ganso-das-neves. Porém, mesmo que o urso branco tenha encontrado este paliativo, o fato é que este animal necessita de uma grande quantidade de gordura e proteínas para sobreviver, sendo as focas ideais para sua sobrevivência.
O fato é que o aquecimento global tem reduzido drasticamente a quantidade de ursos polares no mundo. Tanto que, apesar de toda sua força e tamanho, este bicho não consegue bater as ações do animal Homem. Há diversos vídeos acerca dos hábitos peculiares do animal em TVs educativas e na internet. Além disso, há uma associação internacional de preservação da espécie, Polar Bears International. É possível ajudar esta associação comprado os produtos - ligados sempre à espécie - ou fazendo doações.

domingo, 15 de março de 2015

Para alegrar o dia 102

quinta-feira, 12 de março de 2015

Império: como de costume, Aguinaldo Silva viaja na maionese

Império realmente tinha tudo para ser uma novela muito legal até o final. Tanto ela como a penúltima de Aguinaldo Silva. Mas, alguns pontos foram um tanto quão incoerentes. Não que novela deva ser coerente, mas pergunto-me se vai se tornar um padrão vilões não serem punidos, como a Cora, que matou e morreu sem punição.
Ok, o comendador é o "herói" da história. Mas, ele fez tanta coisa errada na vida, que pergunto-me também porque raios ele não foi mais punido como deveria. Houve um relacionamento insosso de Cristina e cozinheiro lá, o Vicente. Fora que todo mundo passa a viver muito bem. Eurico mudar pelo pai até concordo, mas tão radicalmente? Ficou forçado. As coisas não funcionam assim e fica realmente tudo muito fake.
O grande ponto deste folhetim televisivo foi, certamente, a atuação de Lilian Cabral - sempre muito boa em suas interpretações -, mas principalmente por Marjorie Estiano, que já havia mostrado ser uma grande atriz em papéis anteriores, mas desta vez realmente se superou. Ótimo trabalho. Só não foi mais valorizado porque a personagem desandou...
Todo mundo sabe que gosto de novelas. Mas, creio que João Emanuel Carneiro deixou todo mundo meio que exigente demais depois de Avenida Brasil. Bem que Aguinaldo Silva poderia viajar menos na maionese. Agora, resta-nos o último episódio...Será que teremos "aqui para você, oh", como foi em Fila Estampa?

Aquela tal corrupção... A tão desejada honestidade... com um toque a mais (ou seria a menos?)

Furar fila, não dar o lugar para idosos ou gestantes, , pagar propinas, subornar servidor público.. São tantas as pequenas corrupções em nosso país. Daí, eu me pergunto: tanta gente falando disso, exigindo isenção dos políticos. Mas, e as pessoas? E você brasileiro... será que se estivesse lá não faria o mesmo?
É bom lembrar que a corrupção não é só deles. A corrupção é algo quase que intrínseco da cultura brasileira. Acho que as pessoas têm que se manifestar, sim. Afinal, isso aqui ainda é uma democracia, espero. Mas, acho também que está mais do que na hora de todos nós sermos mais coerentes. Porque estas pequenas corrupções geram as grandes corrupções. Isso é fato.
Amanhã acontece uma primeira manifestação de centrais sindicais e de movimentos sem-terra exigindo o que muitos deles tiraram. O petróleo realmente é nosso, não é de um partido. Outras demandas também estão em pauta. Todas elas muito obscuras. Daí pergunto se o povo que vai se manifestar amanhã sabe pelo o quê estará lá...  E, é curioso uma manifestação ser feita na sexta-feira. Estas pessoas não trabalham? Fazem o que para ter tempo de parar em plena sexta-feira? Enfim...E domingo?
É o dia de quem trabalha durante a semana e tem mais condições de se manifestar... Há uma demanda principal, mas creio que as pessoas devem pensar um pouco mais nos itens da imagem acima. Como brasileira, óbvio que sou contra toda esta situação catastrófica generalizada que estamos vivendo. Que as pessoas passem e exigir mais, porém, fazer também. Porque são duas vias, uma de direitos e deveres.

ANIMA INFO 1675

Oficial: Disney anuncia Frozen 2

Ontem, após uma reunião de acionistas, a Disney anunciou oficialmente que está trabalhando em Frozen 2, sequência do sucesso de 2013. Em verdade, o fato não é uma grande surpresa, devido ao grande sucesso, era quase certo a produção de uma continuação. Além disso, Idina Menzel, a voz original da Elsa, já havia dito em novembro desta sequência. Ela teve que desmentir naquela ocasião, mas era meio óbvia a veracidade, dado que a empresa que não poderia fazer as cenas sem o toma de voz dela (lembramos que as vozes são feitas antes da produção da animação). Ainda não há uma previsão de lançamento. nesta sexta-feira, Frozen Fever estreia junto com Cinderela nos cinemas americanos, e no Brasil seria dia 26.

Filme: Para Sempre Alice

Para Sempre Alice

Adaptado do romance de Lisa Genova, o longa-metragem homônimo Para Sempre Alice conta a história da renomada linguista Alice Howland, bem casada e mãe de três filhos, que aos 50 anos começa a esquecer as palavras. Ela descobre sofrer de Alzheimer de Instalação Precoce. Julianne Moore (Sem Escalas), que interpreta o papel-título, recebeu o Oscar deste ano como melhor atriz por este filme.
Além dela, há outras boas interpretações como Alec Baldwin e Kristen Stewart. Esta última até causou-nos um certo espanto como a filha rebelde. Mostrou um certo talento de interpretação, depois de outros trabalhos um tanto duvidosos como a série Crepúsculo e Branca de Neve e o Caçador.
A trilha sonora de Danny Elfman é muito adequada. Sem exageros melódicos ouvidos muitas vezes em filmes dramáticos. Este longa-metragem é muito bom. Com um orçamento bem pífio, de cinco milhões de dólares, pagou-se nos Estados Unidos. Porém, poderia ter feito mais sucesso. Infelizmente, o público tem resistência à dramas.
Também faz-nos pensar em como é uma vida com a doença degenerativa Mal de Alzheimer. Perde as lembranças, locais conhecidos, pessoas e inclusive a fala. A personagem-título um comentário curioso que você pensa ser exagerado no momento da fala dela. Ao final do filme, realmente pensamos que a tal frase pode sim ser correta: "eu preferia ter tido câncer". Melhor seria não ficar doente, de fato. Para obeter mais informações acerca do Mal de Alzheimer, indicamos o site da Associação Brasileira de Alzheimer - ABRAz para obter mais informações.

quarta-feira, 11 de março de 2015

ANIMA INFO 1674

Blu-ray e DVD da quarta temporada de Game of Thrones chegam amanhã ao Brasil

A quarta temporada de Game of Thrones chega às lojas brasileiras amanhã, tanto em versões para DVD (R$ 149,90) quanto para Blu-ray (R$ 199,90), junto com os boxes das quatro temporadas da série (R$ 249,90 para DVD, e R$ 359,90 para Blu-Ray). Os fãs brasileiros terão a surpresa de um exclusivo disco na versão em Blu-Ray, comercializado somente aqui, que conta com os extras especiais “Seda, Couro e Correntes: O vestuário da 4ª temporada”, “Planejamento de um Casamento Real” e “Choque e Pavor: Criando os Efeitos Visuais da 4ª Temporada”.
A continuação da saga adaptada dos livros As Crônicas de Gelo e Fogo, do escritor americano George R. R. Martin, obteve uma indicação ao Globo de Ouro de 2015 como Melhor Série de Drama. A produção também conta no elenco os atores Peter Dinklage (vencedor do Emmy e Globo de Ouro como Tyrion Lannister), Lena Headey (Cersei Lannister), Emilia Clarke (Daenerys Targaryen), Nikolaj Coster-Waldau (Jaime Lannister), Kit Harington (Jon Snow), Sophie Turner (Sansa Stark), entre outros.
Nesta temporada, o controle dos Lannisters sobre o Trono de Ferro permanece intacto, mas será que eles sobreviverão aos seus próprios egos, bem como às ameaças em curso em torno deles? Enquanto um inabalável Stannis Baratheon continua a reconstruir seu exército na ilha de Pedra do Dragão, um perigo mais imediato se aproxima vindo do sul, quando Oberyn Martell, a Víbora Vermelha de Dorne, chega a Porto Real para a ocasião do casamento do Rei Joffrey.
Na Muralha, a Patrulha da Noite parece indefesa frente o exército de selvagens comandado por Mance Rayder que, por sua vez, está sendo seguido por um inimigo ainda mais temível. Destemida, Daenerys Targaryen, acompanhada por seu trio de ferozes dragões, está pronta para libertar Meereen, a maior de todas as cidades escravagistas no leste, que pode provê-la com uma imponente força para ajudá-la a executar seu plano definitivo de reclamar o Trono de Ferro em nome de sua família.

Vanessa da Mata -- Amado


Desde que começamos a ouvir a rádio Nova Brasil FM, percebi que realmente gosto muito de algumas músicas brasileiras. Amado da cantora Vanessa da Mata é uma excelente música. Inclusive, Vanessa tem outras lindas músicas... Ela própria tem uma linda voz, um tom único.

terça-feira, 10 de março de 2015

ENTRE LUZES E SOMBRAS - Um primeiro olhar sobre "Jane Eyre", de Charlotte Brontë

Autobiografia fictícia da jovem Jane Eyre, Charlotte Brontë escreveu o romance em 1847, inspirada na literatura gótica e em sua própria vida. Mesmo que alguns críticos o considerem uma obra romântica, “Jane Eyre” vai na contramão desse estilo literário, ao inserir uma protagonista sem atrativos físicos – à certa altura, ela se define como “pobre, obscura, feiosa e baixinha” – em busca de independência e felicidade, na puritana Inglaterra vitoriana.
Vale lembrar, ser uma mulher independente, naquela época, era um privilégio difícil de obter, mas não impossível. Mulheres com boa escolaridade tinham oportunidades de trabalho, restrito, claro, mas mesmo assim, numa sociedade cujo papel principal era ser boa esposa e mãe, algumas conseguiam atingir uma certa autonomia de vida.
Veja resenha completa neste link.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Curiosidades budeguísticas: xintoísmo

Imagem extraída do Google

Ao longo dos últimos meses, o Papo de Budega tem feito algumas resenhas de animes, algumas fundamentalmente ligadas à cultura essencialmente nipônica. São histórias com criaturas sobrenaturais, seres que não são humanos, não são anjos nem demônios. Alguns dos termos mais conhecidos por aqui são "mushi", "youkai", etc... Mas, de onde vem tudo isso?
Basicamente, estas criaturas são - de alguma forma - expressão da cultura xintoísta. O xintoísmo é - em linhas bem simples - a aceitação e incorporação do ser humano junto à natureza. O ser humano não pode viver em luta com esta força, mas deve saber como lidar com a mesma. Contudo, não somente nós. Esta mesma natureza teria uma interferência de seres que nossos olhos não podem enxergar.
Daí, temos algumas histórias de seres não-humanos que também habituam nosso mundo. Não é possível dizer que é somente um politeísmo, pois na crença há muitos seres não divinos. Somente criaturas que não podemos enxergar, mas que podem interferir em nossas vidas. Há também muitos deuses que também podem ou não interferir na existência humana.
Chega a ser um tanto quanto complexo compreender devido nossa visão ocidental. Contudo, é interessante procurar informações para que se entendam outros elementos da cultura japonesa. Inclusive alguns "pops" como animação ou filmes. Muitas obras que chegam ao ocidente têm uma correlação gigantesca com a cultura xintoísta, não podendo ser moldada em nossa visão ocidental.
O xintoísmo talvez nem possa ser considerado uma religião, mas um conjunto de valores e conhecimentos que podem ser representados de diversas maneiras. O que se pode praticamente afirmar é que enquanto vertente religiosa, é a única verdadeiramente nascida no Japão. Lembremos que o budismo nasceu no continente (Índia - Tibet, China). Há muitas informações na web sobre xintoísmo. É interessante entendê-lo para que se possa conhecer alguns conceitos e valores da sociedade japonesa.
E também conhecer para não moldar na lógica cultural e religiosa ocidental. Pois, toda vez que alguém ou grupo (especialmente os religiosos) tentam fazer isso com seus julgamentos e pré-conhecimento nulo, comentem erros completamente absurdos. O xintoísmo é, acima de tudo, uma boa relação do ser humano com o a natureza e cosmos. No final, não é isso que deveriam ser as religiões?

domingo, 8 de março de 2015

Dia Internacional da Mulher, pelo o que estamos lutando mesmo? A dicotomia do que queremos...

Queridos navegantes... Hoje, as redes sociais estão inundadas com um monte de Dia Internacional da Mulher!!! Que lindo, um montão de imagens de mulheres fazendo a clássica pose de contração de bíceps, típica dos homens. Isso para demonstrar força e tudo mais. Tenho pensando em diversas coisas nos últimos tempos... De tanto que falam em igualdade de direitos e coisas afins.
Afinal, pelo que as mulheres lutam? Por igualdade? Bem, eu creio que sim, deve haver igualdade de direitos, como por exemplo igualdade salarial. Mas, outros pontos devem ser pensados e talvez o principal seja não somente exigir direitos para as mulheres, mas enfatizar as obrigações dos homens e direitos para eles também. Por exemplo: porque os maridos têm só uma semana quando nasce um bebê? Será que não seria correto que eles ficassem três meses ajudando a mãe? Não vejo ninguém falando disso...
Porém, outro ponto mais cavernoso para nós, mulheres. Vemos uma geração de homens de 30 anos que são fruto daquelas mulheres que começaram a sair da dita opressão de gênero. Daquelas mulheres que exigiram seus direitos ao trabalho, saíram de casa e deixaram seus meninos na frente da TV, com babás ou em escolinhas. O que vemos hoje? Homens mal resolvidos, que não sabem ao certo o que querem.
Homens que têm medo de relacionamentos. Ou que não sabem como tratar as mulheres e as agridem. Daí... as filhas desta geração estão criando seus filhos sei lá como... Mas, o que vejo são moleques chorões que se jogam no chão... Pergunto: nós mesmas nos queixamos do machismo, do tratamento os homens os dão. Mas, de quem seria a culpa? No fundo, lá no fundo... todos nós sabemos que sim, tanto homens como mulheres têm suas culpas. Quando reivindicamos direitos trabalhistas iguais aos dos homens, esquecemos de lembrar que há um conjunto muito maior de questões.
"Ah Sandra... então você está dizendo que a mulher deve ficar em casa como antigamente?" Não. Mas, que lembremos de vários papéis importantes na sociedade. Uma sugestão? Por que não reivindicar redução da jornada de trabalho quando se tem um filho. Por exemplo: de 8h para 6h? Dois filhos: de 8h para 4h? Até a criança completar 5 anos? Seria uma oportunidade das mães ficarem mais próximas de seus filhos, e os mesmos não serem criados por babás ou em escolinhas.
Porque imagina... Se uma professora/cuidadora não dá conta de uma criança, quiçá de 10 ou 20... Chega a ser curioso meus pensamentos, porque meu discurso é um, mas quem me conhece pessoalmente sabe que prezo muito pela minha individualidade e liberdade. Vai ver por isso eu gostei tanto da Elsa de Frozen. Porém, isso não quer dizer que sou a favor de tudo o que muitas mulheres, vide feministas, pregam por aí.

E bem, como acho que muitas comemorações Dia Internacional da Mulher são para lá de super estranhas.. .Tipo, mulher cantando para mulher, este monte de rosinhas e rosinhas e tudo mais... Fica aqui uma música e cantor que muita mulherada curte sim. Amado Batista com Princesa, porque independente da beleza do cara, ter postura de homem é sempre bom, com romantismo sim, ué... E lá em cima, sim... ele mesmo, Christian Grey de Cinquenta Tons de Cinza. Por que mulher gosta sim de homem com pegada de homem, com cara de homem e grana de homem. #prontofalei

Para alegrar o dia 101

Gente, meso depois de cinco anos, isso continua extremamente engraçado... Não tem como não rir...

sexta-feira, 6 de março de 2015

Wooser no Sono Higurashi: Kakusei-hen うーさーのその日暮らし 覚醒編

Cena em que se brinca com outro anime: Kill la Kill


Em seus 12 episódios, Wooser no Sono Higurashi: Kakusei-hen うーさーのその日暮らし 覚醒編, continuação do anime Wooser no Sono Higurashi, continua tão estranho, quiçá mais que a primeira temporada. Consegue ser ainda mais curto, com exatos três minutos e 56 segundos. Com umas tiradas de vídeo games - com visual, sons, músicas - esta animação japonesa é, no mínimo, estranha.
É tão complicado explicá-la que a única indicação que nos é possível fazer é: veja. Sério. Em verdade, é possível dizer que é extremamente "nonsense". Sem uma lógica de argumento, sem uma lógica de roteiro. A animação é simples, mas boa. Até porque, o grande achado são os tons de vozes dos personagens.
A música de encerramento é fantástica. Inclusive, o encerramento é muito bom, sendo um verdadeiro vídeo clipe. Muito provavelmente - até o momento desta resenha - pudemos ver que Wooser no Sono Higurashi: Kakusei-hen うーさーのその日暮らし 覚醒編 é o anime mais curto do Crunchyroll. Este é, sinceramente, um título praticamente indefinível. Porém, totalmente indicado.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Televisão: Gugu retorna em show de horror

Como mencionado anteriormente, as quinta-feiras serão dedicadas aos assuntos de televisão e/ou cinema. Sei que a estreia ocorreu semana passada, mas mesmo assim, não posso deixar de lado algo que é estarrecedor. A reestreia do apresentador Gugu foi ridícula. E pior, boa parte da imprensa embarcou na onda. Não só imprensa, mas o público também.
Todos - inclusive a que escreve este texto - perderam tempo ao citar mesmo que rapidamente o assunto. Não assisti ao programa por um único motivo: para quê dar Ibope a alguém que cometeu um crime tão bárbaro? Inclusive, faz-nos pensar por que as pessoas se interessam por coisas nojentas deste nível. Por que, afinal de contas, dar atenção para criminoso? Não é endeusar quem comete delito? Por que não damos damos a devida atenção aos bons exemplos? Pelo menos para isso, este tipo de programa serve, para pensar em tais questionamentos.
E, em relação ao senhor Augusto Liberato... Ele mais uma vez mostrou desserviço e sensacionalismo para ter audiência. Só que as ações dele tiveram impactos nefastos para a televisão, como a "banheira" e o "caso falso do PCC". Aparentemente, ele prima, única e tão somente pela audiência pela audiência... Eu realmente não entendo a lógica das pessoas, que ficam "horrorizadas" mas compactuam com o horror. E não, não vou ilustrar imagem este texto com foto de ninguém. Já fiz muito em mencionar sobre tal programa.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Tudo farinha do mesmo saco...

No final... é assim que todos nós (imagino) estamos vendo nossos políticos. Em um dos piores momentos de nossa História, vemos uma situação de falcatrua em diversos pontos. Parece mesmo que não se salva ninguém. Ao ver esta notícia da Folha de São Paulo... fica-me a questão: há uma campanha para a impeachment da presidente. Mas, hoje, seria só ela a culpada? Tanta gente fazendo coisa errada...
Será que não está na hora de quem pensa em pedir para a saída dela, também não exija mais decência do congresso? E mais, que aqueles benefícios (cotão) que os congressistas têm - e que já são elevadíssimos - permaneça com os valores de 2014? Segundo diversos sites, os auxílios que os deputados recebem vão custar cerca de 150 milhões por ano. Não estou defendendo o atual governo. Mas, questiono se as pessoas estão vendo tudo isso...
Está na hora de ver que está tudo errado mesmo. Para quem for participar de manifestações, que pense um pouco nisso. Que volte-se a exigir por um pouco de decência, porque do jeito que as coisas estão... é o sujo falando do mal lavado... Triste isso.

Skank - Esquecimento



O Skank é uma banda um tanto estranha... Gosto muito de algumas músicas, mas outras não suporto. "Esquecimento" é uma destas as quais eu realmente gosto deveras. A letra e melodia são lindas. Escute, vale a pela.

terça-feira, 3 de março de 2015

A ciência dos superpoderes traz mitos e verdades dos heróis

A ciência dos superpoderes - da editora Cultrix é uma obra interessante acerca do universo dos heróis e vilões dos quadrinhos americanos. Escrito por Juan Scaliter, tem 296 páginas e custa menos que R$ 40,00. Na sinopse original,
Este livro mostra com base na descrição de mais de sessenta personagens, que a ciência já conseguiu não só explicar, mas transformar em realidade as proezas e superpoderes que antes só existiam no mundo dos quadrinhos. Por exemplo, recuperar recordações de um cérebro morto (um dos poderes ostentados pelo Lanterna Verde), criar novos elementos (como o adamantium dos ossos de Wolverine), inventar um soro que nos transforme em superatletas, como o Capitão América. Juan, autor e jornalista científico, entrevistou importantes cientistas com diversas especialidades, para averiguar o quanto a ciência está próxima de permitir que nos transportemos para o universo da Marvel ou da DC Comics. E a resposta dos especialistas é que estamos mais perto disso do que imaginávamos.
Basicamente, é um bom livro para saber o que realmente é ou não possível, o que realmente existe ou não em nossa realidade. Porém, há que se mencionar alguns erros de revisão no texto. Fora isso, também é necessário uma imensa atenção. Porque as partes que o autor menciona fatos e dados científicos, por vezes, são complexos e confusos. Definitivamente, para entender alguns pontos sobre química e especialmente física, o leitor tem que estar bem focado. A publicação é uma leitora curiosa, porém não muito prazerosa, já nem todos os tópicos são interessantes. É, realmente, indicado aos fãs de histórias em quadrinhos americanos.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Curiosidades budeguísticas: Butantã

A partir deste ano, caso não ocorram doideiras, teremos esta nova seção: curiosidades budeguísticas. Na verdade, a segunda palavra nem existe... É só uma alusão ao termo base deste site: budega. Para começar... o que significa é exatamente a palavra Butantã, que dá nome a um bairro de São Paulo e a um instituto.

Quando se fala em Butantã, as pessoas logo lembram de cobras e venenos. O motivo é simples: é neste local que se produz o soro antiofídico. Mas... não é só isso, o Butantã é muito, muito mais! Bem, primeiramente, é o bairro que esta que vos escreve vive. É um local simpático de se viver, com muitas árvores. Talvez seja um dos lugares da cidade de São Paulo com mais área verde. É no distrito do Butantã em que se encontra a também famosa Cidade Universitária.
Bem, primeiramente, há uma distinção: Butantã é o nome do bairro (distrito) e Instituto Butantan é o nome do local que se fazem os soros. Inclusive, não somente os soros, cerca de 70% das vacinas produzidas no Brasil inteiro saem do local. Ou seja, caiu uma bomba no Butantan... todo mundo morre de tudo que é doença neste país... hehehe
As pessoas em São Paulo também associam a palavra com gente biruta, por causa do "tantã". Mas, segundo nosso amigo Wikipédia, "Butantã é um termo da língua geral paulista: significa "terra duríssima", através da junção de yby (terra, chão) e atã-atã (duríssimo)." Ou seja, nada de gente doida, não... E, o termo é um tanto curioso, porque quem vive há décadas no bairro, sabe que a terra não é tão dura assim. Pelo contrário: haviam muitos brejos no local...
Um absurdo... como vocês passaram anos sem esta informação preciosíssima? Mas, falando sério: o bairro é relativamente novo, tem pouco mais de 100 anos. Eu o indicaria a quem quer ficar perto de parques, chegar relativamente rápido ao centro da cidade e tudo mais. Por fim, conhecer o Instituo Butantan vale a pena. Não tenham medo, o "bairro das cobras" os receberá de braços abertos (hein....?). E, quem nasce ou vive no Butantã seria exatamente o quê? "Cobrinha"?

domingo, 1 de março de 2015

Para alegrar o dia 100

Extraído do Facebook
←  Anterior Proxima  → Inicio