Desejo: Boas Festas...

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Os Dez Mandamentos - avaliação do que foi e o que poderia vir...

Que a novela Os Dez Mandamentos já fez história em nossa televisão, isso é fato. A questão do sucesso não é simplesmente por ter passado em muitas semanas a audiência da rede Globo. É isso também, especialmente no ano do aniversário da emissora carioca. Com uma história já conhecida, a autora Vivian de Oliveira, a produção da Record e claro, do empenho de todos os atores. Óbvio que as pessoas gostam de trabalhar no que faz sucesso.
Mesmo sendo algo já conhecido, houve histórias paralelas, estas que seguraram e muito a obra. Raro ter tantos grandes vilões em uma única produção ao longo do período. Começando com o faraó Setti (o ator já está na Globo novamente), indo para Yunet, pulando para Ramsés e chegando finalmente a figura de Corá. Tantos e bons vilões grandes e também os menores.
Mas, o que fez uma novela bíblica ter tanto êxito? Além dos fatores já citados acima e também neste outro artigo, lembramos que quem viu a novela não era - necessariamente - evangélico. O êxito provou que o público está "para além dos cristãos". Havia um público carente em histórias mais espetaculares. Se a rede Globo atrelar o sucesso da novela a isso, corre sérios riscos ao em futuro breve. Porém, a Record também não pode cair na armadilha de acreditar que quem assiste às tramas bíblicas é somente o público conservador. Há pessoas que sim, gostam de boas histórias e só. São pessoas em cujo cotidiano têm pensamentos mais liberais.
As pessoas que viram a novela, agora estão no aguardo pela segunda fase, que será séria e sangrenta, já que pega a parte mais complicada do livro do Êxodo. A Record terá que ter o cuidado com a transição para não cansar o público com enrolações ou cenas mal feitas, já que terceirizará sua equipe de produção. No final, quem diria, a emissora está fazendo aquilo que sabe fazer - histórias de época - e consegue assim descolar da imagem de "Recópia" da Globo. Pode não ser o mais usual "quebrar" uma novela, mas esta é, finalmente, a cara da emissora. Se dará certo, só o tempo dirá.
Fica também o registro de que a TV Record pode investir também em um tipo de história muita citada no cinema, mas nunca vista antes em nossa dramaturgia (como foi bem pensado pelo jornalista David Leão): a Segunda Guerra Mundial. Uma obra com tal temática vai de encontro com o que a própria autora de Os Dez Mandamentos mencionou no vídeo de "making off". Trataria de injustiça, liberdade, esperança e fé. E isso, uma novela sobre a História da Segunda Guerra seria riquíssima, com amores, amizades, separações, fé e finalmente a esperança, como por exemplo, pessoa vindo para o Brasil ao final. Sugestões de época não faltariam. Basta agora, a emissora querer.
←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

Hikki Shinozaki disse...

Adorei a sugestão hein Sandra!
Realmente, embora um acontecimento lamentável na história da humanidade, a segunda guerra mundial pode ser riquíssima em estórias, eu apóio!

J.P. disse...

Não sei como a teledramaturgia brasileira ainda não fez uma história sobre os pracinhas que lutaram na Segunda Guerra. Daria uma ótima história e chamaria atenção.