Desejo: Boas Festas...

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

FILMES: O charme das vídeos locadoras

Foto retirada do Google Imagens

Elas surgiram no final dos anos 80. Tiveram seu auge na primeira metade dos anos 90. As vídeos locadoras eram uma febre, até porque, os vídeos cassetes também eram uma febre. Cada bairro - isso na cidade de São Paulo - tinha uma e o local tornara-se um verdadeiro ponto de encontro. Até mesmo os pôsteres eram cobiçados pelos usuários. A procura era tanta, que muitos filmes "do momento" eram praticamente impossíveis de serem encontrados, mesmo com a devolução sendo de um dia para o outro.
Porém, no início dos anos 2000, diversas "vídeos locadoras" começaram um declínio gradual e grande parte, definitivo já no final da primeira década dos anos 2000. O primeiro motivo foi a facilitação dos meios de produção, o que possibilitou a pirataria de VHS e, especialmente, DVDs piratas em locais de grande circulação. Logo em seguida e meio que ao mesmo tempo, a disseminação e facilidade da aquisição de TVs a cabo e visualizações pela internet. E, por fim, nos últimos tempos, a existência de portais como Netflix.
Com tantas possibilidades para ver um filme, o que poderia levar alguém a ir a uma locadora nos dias atuais? Primeiramente, a raridade de algumas obras, que até mesmo na internet são difíceis. Outro fator, a questão de conversar com pessoas que gostam de cinema, sejam atendentes ou outros usuários. Por fim, as locadoras são locais em que há uma diversidade grande de filmes eróticos/pornôs. Apesar de parecer não haver mais motivos e usar os serviços das "vídeos locadoras", o fato é que este ainda é um local aprazível para visitar e alugar filmes, seriados e afins. Afinal, nem tudo vale a pena ser visto ou procurado na internet.
←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

Gustavo Figueiredo disse...

O grande barato de ir a locadora já começava por aí; sair de casa para escolher um filme. E se fosse pra ver mais tarde com os amigos, então não era apenas um filme, e sim vários filmes. E nisso acabava-se escolhendo filmes dos quais você nunca tinha ouvido falar. Ou acabava sendo muito ruim, o pior da noite (quando este não era escolhido de propósito), ou então se descobria um filme excelente, do qual tão cedo você vai esquecer ou deixar de comentar com os amigos.
A Blockbuster, quando chegou por aqui, acabou com essa diversidade de filmes, focando mais em quantidade (ao invés de qualidade?) dos filmes de maior bilheteria. Ao menos as lojas tinham as gavetas para depositar o filme depois de assistido, evitando assim a multa por atraso. Tinham também sempre um estoque de comida e bebida para você, devidamente induzido, comprar para consumir durante o filme> E as promoções. Peguei muitos filmes para meu filho ver no Clubinho do Sofá.
Mas com o advento da internet, a Blockbuster, assim como as demais locadoras, sucumbiu e hoje é apenas um setor em mais uma filial das Lojas Americanas, onde, entre a seção de lingerie e a de eletrônicos, você pode escolher um filme dentre os poucos títulos disponíveis.
De fato, Netflix e afins são bem mais práticos. Você escolher o que quer ver sem sair do sofá (sedentarismo?). E nem precisa ficar limitado à esses serviços. Você pode baixar o que quiser; basta ter um bom número de seeders para o teu torrent. Mas sei lá, acho que perdeu um pouco a magia de escolher um filme.

Hikki Shinozaki disse...

Adoro! Tem uma locadora aqui perto de casa, mas ela é tão pequena... Dá até dó... E digamos que o cara não parece manjar muito de filmes.
Mas no ano passado eu ia lá todo final de semana pra COMPRAR certos filmes (isso pq como a Sandra sabe, ano passado eu não tinha um CPF, e por isso eu não podia alugar nada), mas agora eu realmente gostaria de alugar e ou comprar alguns filmes mais desconhecidos ou alguns de que eu nunca ouvi falar.
Mas essa magia toda que o texto descreve (ao menos), nessa locadora não tem... Acho que é por causa do bairro...