Desejo: Boas Festas...

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Filme: De repente 30

Allguns filmes não são grandes produções, não são obras de arte, mas são ótimos "relaxantes" mentais e espirituais. Este é o caso de De repente 30 (13 Going on 30), título de 2004. Mesmo 11 anos depois de sua produção, ele continua atual. Talvez um "atual retrô". Isso porque a história começa lá nos anos 80 e chega aos anos 2000. Momento da vida de muita gente que viu o filme naquele momento, e ainda da vida de quem está por este mundo hoje.
Na história, Jenna é uma típica garota de 13 anos impopular de seu tempo. Quer ser "descolada" como as bonitinhas da escola, e vive tentando se enturmar. Ela tem seu melhor amigo gordinho, Matt. Os dois se dão bem juntos, mas quando Jenna tenta se aproximar das "amigas", ela o ignora. Eis que em um fato de "mágica", por um forte desejo de se tornar adulta logo, a garota acorda como uma mulher de 30 anos.
É a própria vida dela no futuro, porém, com todas as coisas erradas que a jovem faz dos 13 até os 30 anos. Jenna reencontra seu amigo Matt, agora bonitão, e percebe que fez um monte de coisas erradas. De repente 30 lembra a lógica de Quero ser grande, com o Tom Hanks. De tentar ser o que ainda não é e como percorrer a vida de uma forma correta no tempo certo.
Não é uma obra genial no sentido de revolucionária. Mas, emociona e muito. Seus atores são bons. O Matt é feito pelo até então desconhecido Mark Ruffalo, que se tornaria o "vingador" Hulk. Jennifer Garner é relativamente conhecida hoje, mas já fora mais com sua participação na série de TV Alias. Este longa-metragem é daqueles que sempre vale a pena de se ver quando se está triste, pois o mesmo dá uma animada na alma.
←  Anterior Proxima  → Inicio

1 comentários:

Hikki Shinozaki disse...

Opa! Anotado aqui!