Desejo: Boas Festas...

terça-feira, 5 de maio de 2015

O cortiço, retrato da alma brasileira

O Cortiço - publicado pela primeira vez em 1890 - é um dos livros mais complicados de se pensar nos dias atuais, da sociedade brasileira contemporânea. Alguns de seus acontecimentos são relativamente difíceis de aceitar, ao menos para quem tenha sentimento ético mínimo, pois há muitas tramoias ao longo da história. Como vemos na sinopse vista no site Wikipedia,

A obra descreve a ascensão social do comerciante português João Romão, dono de uma venda, uma pedreira e um cortiço, próximo ao sobrado de um patrício endinheirado, o comendador Miranda. A rivalidade entre os dois aumenta à medida que cresce o número de casinhas do cortiço, alugadas, na sua maioria, pelos empregados da pedreira, que também fazem compras na venda de João Romão, que, desse modo passa a enriquecer rapidamente. Com a intenção obsessiva de tornar-se rico, João Romão economiza cada moeda e explora quem quer que seja sempre que tem oportunidade, como o faz com a escrava fugida chamada Bertoleza que o auxilia no trabalho duro e para quem ele forjou um documento de alforria. O sonho de João Romão é adquirir prestígio social, como seu patrício Miranda.

Por ser uma obra do movimento literário realista (naturalista), as bases que o autor Aluísio Azevedo usou são muito reais, como bem diz o nome do movimento. Tão reais como a relação de de João Romão e Bertoleza, e especialmente as falcatruas que ele faz para conseguir dinheiro e status. Foi deste livro, talvez, uma das primeiras sequências de homossexualidade de nossa literatura, com as personagens Léonie e Pombinha. Ao menos, uma sequência nítida.
Esta obra-prima vista hoje, causa um certo desconforto. Pois, sabemos que a relação de João Romão e seus inquilinos é totalmente possível, ainda nos dias atuais. A dominação, o mais forte aproveitando-se do mais fraco da forma mais vil... O dinheiro falando muito mais alto, acima de qualquer sentimento; a vontade de querer se mostrar para a sociedade como alguém importante e fazer qualquer coisa para isso... Por tudo isso, O Cortiço incomoda. Um incômodo obrigatório de ser lido.

←  Anterior Proxima  → Inicio

1 comentários:

Anônimo disse...

Olá,

Muito obrigado por mudar o formatado das citações! Meus olhos astigmaticos também agradeçem.