Desejo: Boas Festas...

terça-feira, 7 de abril de 2015

Para entender o Brasil atual, uma leitura obrigatória: A Revolução dos Bichos

Esta resenha foi originalmente publicada em junho de 2014. Porém, dada sua total atualidade, frisamos que é uma leitura obrigatória para que se possa entender o contexto político-social brasileiro destes últimos anos.

Certos livros são leitura obrigatória na vida das pessoas. Quem se interessa por uma boa literatura, não pode deixar de ler A revolução dos bichos (Animal Farm). Os motivos são vários. Seu autor, George Orwell, era um adepto do socialismo. Porém, o autor viu na sociedade comunista da União Soviética diversos problemas de caráter social e ético. Por conta disso, ou ao menos com muitas referências, ele escreveu este livro.
A revolução do bichos é uma fábula em que os animais de uma fazenda decidem se revoltar contra o sistema totalmente opressor dos seres humanos. Inicialmente, todos eles são iguais perante suas próprias leis. Mas com o tempo, alguns animais, os porcos - escolha sugestiva por se trazer de um animal popularmente conhecido como imundo - passam a dominar e oprimir seus companheiros. Daí vem a clássica frase:
Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros
A versão que esta resenhista leu foi a da imagem, da então editora Globo. Contudo, há outras versões nacionais disponíveis nas livrarias. A revolução do bichos - apesar de ter sido lançado nos anos de 1940 - ainda choca e emociona. Talvez o motivo seja a proximidade daquela sociedade com a nossa atual, em que supostos defensores dos trabalhadores tornaram-se iguais ou piores que os antigos opressores. E que hoje, usufruem das mesmas regalias, manipulam e também oprimem. No final, porcos e humanos - quando estão no poder - não são tão diferentes quanto parecem.

←  Anterior Proxima  → Inicio

1 comentários:

L.Karina disse...

Recentemente comprei esse livro com o texto integral e li em poucos dias. A última frase é do livro é genial. É incrível como esse livro é atual não só pro Brasil, mas pra América Latina toda que insiste em apoiar líderes populistas. Pra mim também esse livro daria uma boa alfinetada na turma politicamente correta.