Desejo: Boas Festas...

segunda-feira, 9 de março de 2015

Curiosidades budeguísticas: xintoísmo

Imagem extraída do Google

Ao longo dos últimos meses, o Papo de Budega tem feito algumas resenhas de animes, algumas fundamentalmente ligadas à cultura essencialmente nipônica. São histórias com criaturas sobrenaturais, seres que não são humanos, não são anjos nem demônios. Alguns dos termos mais conhecidos por aqui são "mushi", "youkai", etc... Mas, de onde vem tudo isso?
Basicamente, estas criaturas são - de alguma forma - expressão da cultura xintoísta. O xintoísmo é - em linhas bem simples - a aceitação e incorporação do ser humano junto à natureza. O ser humano não pode viver em luta com esta força, mas deve saber como lidar com a mesma. Contudo, não somente nós. Esta mesma natureza teria uma interferência de seres que nossos olhos não podem enxergar.
Daí, temos algumas histórias de seres não-humanos que também habituam nosso mundo. Não é possível dizer que é somente um politeísmo, pois na crença há muitos seres não divinos. Somente criaturas que não podemos enxergar, mas que podem interferir em nossas vidas. Há também muitos deuses que também podem ou não interferir na existência humana.
Chega a ser um tanto quanto complexo compreender devido nossa visão ocidental. Contudo, é interessante procurar informações para que se entendam outros elementos da cultura japonesa. Inclusive alguns "pops" como animação ou filmes. Muitas obras que chegam ao ocidente têm uma correlação gigantesca com a cultura xintoísta, não podendo ser moldada em nossa visão ocidental.
O xintoísmo talvez nem possa ser considerado uma religião, mas um conjunto de valores e conhecimentos que podem ser representados de diversas maneiras. O que se pode praticamente afirmar é que enquanto vertente religiosa, é a única verdadeiramente nascida no Japão. Lembremos que o budismo nasceu no continente (Índia - Tibet, China). Há muitas informações na web sobre xintoísmo. É interessante entendê-lo para que se possa conhecer alguns conceitos e valores da sociedade japonesa.
E também conhecer para não moldar na lógica cultural e religiosa ocidental. Pois, toda vez que alguém ou grupo (especialmente os religiosos) tentam fazer isso com seus julgamentos e pré-conhecimento nulo, comentem erros completamente absurdos. O xintoísmo é, acima de tudo, uma boa relação do ser humano com o a natureza e cosmos. No final, não é isso que deveriam ser as religiões?
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: