Desejo: Boas Festas...

segunda-feira, 31 de março de 2014

ANIMA INFO 1641 Especial

BELÉM: ZONA DE CONFLITO

O tempo, a falta de notícias ou excesso delas faz-nos esquecer de alguns conflitos já comuns no mundo. Um deles é o impasse entre israelenses e palestinos (árabes) no Oriente Médio. Um momento interessante para lembrar e refletir sobre a situação daquela região é assistir a filmes sobre a localidade. No próximo dia 03 (quinta-feira) estreia em São Paulo e Brasília BELÉM: ZONA DE CONFLITO.
A história traz o vínculo improvável entre Razi, um oficial do serviço secreto israelense, e Sanfur, seu informante palestino. Sanfur é o irmão mais novo de um militante palestino. Razi o recrutou quando ele tinha apenas 15 anos e desenvolveu uma relação muito próxima, quase paternal com ele. Agora aos 17, Sanfur tenta navegar entre as demandas de Razi e a lealdade ao seu irmão, vivendo uma vida dupla e mentindo para os dois. Quando o serviço secreto israelense descobre o quanto Sanfur está envolvido nas atividades de seu irmão, Razi se depara com um grande dilema.
Co-escrito, e dirigido, por Yuval Adler e Ali Waked, um jornalista árabe que passou anos na Cisjordânia, com base em anos de pesquisa, BELÉM dá uma retrato da realidade complexa por trás da atualidade. Uma realidade incômoda a nós brasileiros. Algumas situações de guerrilhas são bem semelhantes as que existem em nossas favelas. Saímos do cinema com a impressão que a guerra não é tão longe assim.
O grande ponto da questão é a relação de amor e ódio entre os dois povos desde os tempos bíblicos. É algo tão intrínseco no coração de ambos os lados, que é difícil imaginar uma solução pacífica. Além disso, há um pouco curioso: BELÉM foi financiado pelo governo de Israel, mas não levanta bandeiras em prol próprio. Em certos momentos, vê-se certa crítica quanto a forma de atuação do governo israelense ante os palestinos.
BELÉM: ZONA DE CONFLITO é um bom filme para lembramos que certas situações não se resolvem tão facilmente quanto gostaríamos. O tempo cria feridas ou as aprofunda. E que certas escolhas são inevitáveis, especialmente quando as vidas de quem se ama estão em jogo.

domingo, 30 de março de 2014

FROZEN e o Japão, Elsa mandando beijinho no ombro, ovo de Páscoa...

Queridos e amados navegantes,
Vocês que visitam este blog constantemente, já devem ter percebido o quanto adorei a animação FROZEN (#disneyfrozen). Basta escrever na "busca" a palavra que vocês vão encontrar vários posts sobre desenho. E hoje, enfim, veio uma notícia que eu muito esperava: FROZEN passou Toy Story 3 e se tornou a maior bilheteria de animação da História do cinema.
Segundo a medição oficial do Box Office Mojo, a animação passou inclusive Piratas do Caribe: o Baú da Morte. Neste artigo do MovieWeb, diz-se que o Elsa, Anna e Cia fizeram sucesso no Brasil, com 21 milhões arrecadados. Particularmente, acho que poderia ter feito mais sucesso. Infelizmente, vendo os comentários tupiniquins, dá para entender porque Frozen não teve tanto êxito aqui: os brasileiros não estão acostumados com histórias com fundo familiar e fraternal...
No link acima, é possível ver números avassaladores de vendas DVDs, Blu-rays e afins nos Estados Unidos. E como eu disse dias atrás, quem está levando o desenho ao topo, agora, é o Japão. Mesmo com a história absurda de que Frozen teria plagiado a saga de Odin de Cavaleiros do Zodíaco (você saberá desta idiotice com detalhes em breve aqui). Até a maioria deles deve ter dado risada desta teoria absurdamente babaca... Em três semanas, o desenho já arrecadou 50 milhões no Japão. Neste ritmo, pode ser tornar a 8ª bilheteria da História.
O que chama a atenção em todos os números de Frozen é que o título não teve um plano de marketing tão feroz quanto outros filmes recentes da Disney, como Os Vingadores por exemplo. Creio que o motivo foi a baixa bilheteria de Enrolados. Certamente, deve ter se tornado um verdadeiro espanto interno para eles. Sem contar um outro fator: a pirataria. Sim, talvez hoje seja mais difícil para um filme fazer sucesso do que em anos atrás. As pessoas têm ido menos ao cinema e visto tudo por downloads piratas.
Ou seja, é um mérito gigantesco para um filme hoje em dia, tamanho sucesso nos meios legais... Tamanho sucesso oriundo, principalmente, do boca a boca, que ainda hoje é o principal fator de marketing para qualquer produto... Para fechar... Quem é fã, mas fã de verdade... Há ovos de Páscoa nas Lojas Americanas. É Elsa... pode mandar beijinho no ombro para todo mundo. Você merece!! Let it go, do you want to build a snowman? E que venha o DVD e Blu-ray agora em abril no Brasil...

quinta-feira, 27 de março de 2014

FROZEN: você ainda não viu de tudo...


Navegantes, oi novamente!!!
Fico cada vez mais impressionada como Frozen (#disneyfrozen) conquistou pessoas ao redor do mundo. Talvez nem a própria Disney tenha acreditado tanto assim o êxito do filme. O vídeo acima nos traz um programa coreano em que há uma paródia com a gloriosa cena da Elsa e a criação do seu palácio de gelo.
O cara realmente ficou emocionado e o pessoal do programa meio que se emocionou também com a vontade dele... Vale a pena ver e se divertir! Lembrando, Frozen chega ao mercado de DVD e afins no dia 09 de abril!!!

Tom e Jerry inspiram na criação de um anime, só que não...

Navegantes,
Que a animação Tom e Jerry é conhecida e fez parte da infância de muita gente, isso é fato. Curiosamente, fez a cabeça de programadores de computação. Tanto que o desenho animado de Bill Hanna e Joe Barbera inspirou na produção de um "anime", que é na verdade, um experimento do programa. A informação está no Cartoon Brew, site especializado em desenhos animados.
O nome do programa de computação é MikuMikuDance. É meio estranho, meio confuso... Mas, vale assistir ao videozinho e perceber que mesmo com toda a tecnologia do mundo, a versão quadro-a-quadro feita a mão do desenho original é muito melhor. Quem mais concorda?

quarta-feira, 26 de março de 2014

ANIMA INFO 1640

Evento Henshin+ traz lançamento de Sailor Moon

O Henshin+ é um evento criado pela JBC, realizado desde 2012. A edição de 2014 ocorrerá neste sábado, dia 29/03. Nesse ano haverá o lançamento do mangá Sailor Moon - o último blockbuster japonês a chegar no Brasil - e um bate papo com a equipe JBC. A ação ainda contará com uma mesa redonda sobre quadrinhos, o anúncio dos vencedores do Brasil Manga Awards, e a palestra final será sobre a JBC, que promete novidades.
O evento será realizado no auditório da Saraiva MegaStore do Shopping Center Norte e, como o número de vagas é limitado, a entrada será regulada com a distribuição de senhas. Elas serão distribuídas por ordem de chegada, onde cada senha corresponderá à apenas uma palestra. O mangá de Sailor Moon estará disponível para venda.
No dia, a Spirit Art School marcará presença com um estande de caricaturas gratuitas, das 13h às 20h. O evento ainda terá um mini-concurso para todos que comparecerem com cosplays de Sailor Moon e mais um show da Dani Mancz, vocalista do Gaijin Sentai, que interpretará as músicas do animê das guerreiras da lua. Confira o cronograma do evento:

1º palestra – 14h às 16h
Tema: Sailor Moon
Distribuição de 130 senhas das 12h30 às 13h30
2º palestra – 16h30 à 18h30
Tema: Mesa redonda de quadrinhos
Distribuição de 130 senhas das 15h às 16h
3º palestra – 19h às 20h
Tema: Novidades Editora JBC
Distribuição de 130 senhas das 17h30 às 18h30

terça-feira, 25 de março de 2014

Sumiço animado, só que não...

Navegantes,
Estes dias - só para variar um pouquinho - dei uma sumida. A verdade é que março não está sendo um mês lá muito fácil. Por algumas ocupações no trabalho e por questões pessoas. Tanto que - como vocês devem ter percebido - não fiz a resenha animada na última sexta-feira. E nem devo fazer uma resenha de livro hoje. Talvez até eu faça, mas não sei se terei tempo...
Alguns pontos animados a serem comentados. Não mencionei nada acerca do filme de Saint Seiya - Lenda do Santuário, pois estou esperando algumas definições. Também estou acompanhando com certo carinho o avanço de Frozen na bilheteria mundial.
Eu espero do fundo da minha alma que passe Toy Story 3. Tive um certo problema de aceitação para com esta história, especialmente como final... Como eu disse nas redes sociais... Quem está levando FROZEN nas costas, agora, são os japoneses. São praticamente eles quem vão decidir o quanto a animação subirá no ranking.
Enfim, por hora é isso.

sexta-feira, 21 de março de 2014

Do passado ao presente... Snoopy & Charlie Brown: A Peanuts Movie


Queridos navegantes,
Esta semana, a Fox Family Entertainment UK divulgou o primeiro trailer de Snoopy and Charlie Brown: A Peanuts Movie. Não posso negar que quando eu soube do filme, fiquei um tanto receosa. Mas, quão contente fiquei ao ver estre trailer. Simplesmente, maravilhoso. Tecnicamente, não tem o que dizer.
Basta saber se vão manter o estilo da série original da TV. Peanuts é originalmente histórias em quadrinhos, mas sua versão da TV - dos anos 60 - é muito conhecida e é com base nela, especialmente, que muita gente terá como referência. Aguardemos, então, o 2015..."Que puxa..."

quinta-feira, 20 de março de 2014

ANIMA INFO 1639

Livro Battle Royale, que inspirou mangá e filme, chega ao mercado nacional

Depois de inspirar filmes e mangás, o controvertido clássico japonês e best-seller mundial Battle Royale ganha edição brasileira em livro pela Globo Livros. Em 1997, o jornalista e escritor japonês Koushun Takami sofreu uma grande decepção. O manuscrito de seu romance de estreia havia chegado à final do Japan Grand Prix Horror Novel, concurso literário voltado para a ficção de terror, mas acabou preterido.
Embora habituado a tramas assustadoras, o júri se alarmou com a história do jogo macabro entre adolescentes de uma mesma turma escolar que, confinados numa ilha, têm de matar uns aos outros até que reste apenas um sobrevivente. Detalhe: o organizador da sangrenta disputa é o próprio Estado japonês, imaginado pelo autor como uma totalitária República da Grande Ásia Oriental.
Battle Royale só seria lançado em 1999, espalhando um rastro de polêmica - vendeu mais de 1 milhão de exemplares e foi comentado no Japão inteiro. A repercussão foi tão intensa que apenas um ano depois já eram lançadas as adaptações da história para o cinema e para os mangás - mais tarde, viriam sequências tanto na tela grande como nos quadrinhos. O filme, que tem no elenco o ator e cineasta cult Takeshi Kitano, chegou ao Brasil apenas em DVD, enquanto a série em mangá completa foi publicada aqui entre 2006 e 2011.
Para alento de quem assistiu ao filme, acompanhou os mangás ou não fez nada disso - mas adora ficção juvenil  - a Globo Livros finalmente preenche a última lacuna: com tradução direta do japonês, assinada por Jefferson José Teixeira, o livro Battle Royale aporta nas livrarias brasileiras na condição de um dos lançamentos mais aguardados de 2014.
A tarefa de traduzir a esperada saga coube a Jefferson José Teixeira, carioca que morou no Japão durante 11 anos. Especialista em caligrafia chinesa, atua como tradutor desde a década de 1980, e exibe em seu currículo de documentários a clássicos da literatura, como A Chave (Kagi), de Junichiro Tanizaki, Miso Soup, de Ryu Murakam, Chuva Negra, de Masuji Ibuse e Norwegian Woods, de Haruki Murakami.
O autor Koushun Takami é formado em literatura pela Universidade de Osaka. Na década de 1990 trabalhou como jornalista no Shikoku Shimbun, cobrindo as áreas de política, segurança e economia. Deixou o jornalismo para se dedicar à literatura, mas não lançou mais nenhuma obra desde Battle Royale.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Quando os lobos fazem a diferença...


Navegantes,
O vídeo acima foi um grato estudo acerca de como todos nós estamos interligados e que qualquer ser vivo faz diferença na cadeia existencial... Vejam tanto o vídeo quanto este link com algumas explicações. Lindo e genial!

terça-feira, 18 de março de 2014

Na reta quase final, aprendendo a pegar a joia de um dragão...

Ele é considerado inimigo de tudo e de todos. Assim que podemos descrever a situação de Soluço em Como pegar a joia do dragão. Agora, o garoto já não é mais tão garoto, nem tão franzinho e baixinho. Como o resumo oficial nos diz:
A Rebelião dos Dragões começou. Alvin, o Traiçoeiro, declarou-se Rei do Oeste Mais Selvagem por possuir oito das Dez Coisas Perdidas do Rei. Malvado Melequento virou o novo Chefe da Tribo dos Hooligans Cabeludos enquanto Stoico foi banido e carrega na pele a marca dos escravos.
Em tempos tão sinistros, a esperança de todos reside na Joia do Dragão, a última das relíquias do Rei e o artefato mais poderoso que existe. Só que Alvin também está atrás da Joia, e ele pretende usá-la para banir os dragões da face da Terra. Soluço precisará não só de um plano brilhante para contrariar os artifícios do vilão, mas também de um bocado de sorte.
Fora tudo isso, nosso herói terá um outra grande missão: encontrar seu amigo Perna-de-peixe. Quanto a Camicazi, ela continuará a ser amiga do Soluço, mesmo depois de descobrir que ele tem a marca dos escravos? E, uma outra figura, de forma ainda mais impressionante, retorna praticamente decidindo o futuro de todos.
Com certo pesar, vemos que a história está chegando ao final. Cada vez mais ficamos a pensar o que exatamente acontecerá ao mundo. Afinal, lembremos que estas são as lembranças de Soluço, da época que existiam dragões. O que se sucederá com os dragões só no próximo volume: Como trair o herói do dragão.
Este último livro ainda demorará um pouco a ser lançado no Brasil, já que é recente inclusive em seu país de origem, a Inglaterra. E, neste volume ficamos também a pensar se não teria sido melhor fazer a animação com o conteúdo mais próximo dos livros.

sexta-feira, 14 de março de 2014

Frozen (#DisneyFrozen): quando os moralistas não sabem o que é amor...

Navegantes,
Vocês que me acompanham constantemente, aqui, no Facebook e Twitter, sabem que amei de coração a animação Frozen: uma aventura congelante (#DisneyFrozen). Eu ia escrever este texto na ocasião do lançamento do DVD, mas a sandice nojenta, moralista e absurda de ditos cristãos imbecis anteciparam estas linhas. A Thabi Almeida me mostrou textos estarrecedores, que podem ser vistos neste link e neste outro... E já aviso, daqui para baixo escreverei alguns impropérios (vulgo xingamentos). E até mesmo spoilers. Então, se não quer ler palavras de baixo calão, pare agora.
O que fez Frozen: uma aventura congelante (#DisneyFrozen) ter ganhado tantos fãs, tanta gente que amou Elsa, Anna, Kristoff, Olaf e Sven, tanta gente que foi ver duas, três vezes a animação? Simples: Frozen é a animação "mais família" dos últimos anos no cinema americano. E é justamente por isso que não entendo o porque alguns cristãos deturpam tanto uma história linda.
Vejam: são duas irmãs super amigas. Isso existe. Uma delas tem problemas. Isso existe. Por conta deste problema, os pais tomam uma decisão errada - compreensível, porém errada - e as separam. E isso também existe. Só que isso causou sequelas nas duas. A mais velha - a futura rainha - tornou-se extremamente insegura por causa do seu problema.
Só que ela, a Elsa, tinha uma baita responsabilidade pela frente: ser rainha... Já a caçula, a Anna, tornou-se extremamente carente, rejeitada. Afinal, ela viu a irmã "ir embora" sem saber o motivo... Isso fez com que ela sentisse afeição por qualquer um que aparecesse e lhe desse um tiquinho de amor. E, mais uma vez, gente assim existe. E, lembremos que as duas viviam juntas na mesma "casa", porém isoladas.
Ou seja, tudo isso acontece na vida real. Tudo isso é muito comum. Famílias que se despedaçam por erros e situações diversas. Qualquer pessoa, quando encontra brechas para mudanças, agarra-se com todas as forças. Foi o que Anna fez em relação ao Hans. E a Elsa na montanha ao sentir-se livre pela primeira vez. Livre do medo extremo que sentia. Medo extremo de machucar sua própria irmã querida.
Ou seja, Frozen é sim uma história de irmãos. Para estes cristãos delinquentes... irmãos têm que ser sempre os exemplos nefastos quem vemos na Bíblia como Caim e Abel? Têm que estar brigando? Um príncipe tem que querer derrubar o outro e assumir o trono? Amor tem que estar ligado sempre ao sexo? Só existe amor entre homem e mulher? Irmãos não se amam? Pais e filhos não se amam?
E a Anna e o Kristoff terminam a história como inimigos, por acaso? E a Elsa? Para conhecer alguém não é importante ela se conhecer primeiro?´Não é importante, ela como eleita por Deus, amar seus súditos? Ou os cristãos se esquecem o que representou a coroação? E o senso de "hierarquia" da caçula ante a irmã mais velha? Da princesa ante sua rainha?
Eu sou católica, não li toda a Bíblia, mas acho que sentimento de amor é universal. Ver qualquer coisa "além" na relação das duas só me faz crer que esta gente é o extremo da hipocrisia. Que só tem uma maldade grotesca, imunda e obscura no coração e que não entende uma linha das milhares escritas na Bíblia. Se Frozen representasse qualquer outra coisa eu mesma diria. Se fosse uma "bandeira gay" ou fizesse alusão eu também diria.
Que fique claro aos gays que lerem este texto. Nada contra vocês. Mas, Frozen não é bandeira de vocês. Não é bandeira nem de homossexualidade, nem de heterossexualidade, nem feminismo como já li por aí. Frozen: uma aventura congelante (#DisneyFrozen) é a bandeira do amor. E amor independe do sexo. No final, pelo visto, é só nisso que estes cristãos de merda pensam. A vocês, falta justamente o maior ensinamento de Jesus: "amai ao próximo como a si mesmo". E isso vale para seu irmão de sangue, inclusive. Ok?

ANIMA INFO 1638

Mr. Bean deve chegar em breve à TV brasileira

Segundo o site TV Kids, a Endemol licenciou a segunda temporada da série animada de Mr. Bean para o Turner Broadcasting System International, grupo que tem as TVs Cartoon Network e Boomerang. O desenho animado é conhecido por ser baseado na série de televisão homônima inglesa, em que o personagem principal se mete nas mais inusitadas situações. A segunda temporada da animação deve chegar em breve ao Brasil, já que a licença vale para Europa e América Latina também.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Frozen mangá (#DisneyFrozen)

Navegantes...
Que eu gostei de Frozen: Uma Aventura Congelante todos vocês já devem ter percebido. Especialmente quem me acompanha via Facebook. Mas, o curioso é que não fui só eu. Creio que muitos japoneses também, isso porque o filme só estreia esta semana no Japão... Mas, dá para imaginar que o pessoal lá do outro lado do mundo já curtiu.
Aqui temos duas imagens em estilo mangá de Frozen, uma, inclusive, é um crossover com Pokemon! Não sei os autores, mas realmente tem jeitão de ser coisa de "japa"! Peguei as duas imagens deste post nesta página do Facebook. E que o país nipônico faça Frozen passar Toy Story 3 na bilheteria mundial... Quando sair em DVD, pretendo tecer outras considerações...

Para não dizer que não falei de Bleach e Death Note...

Navegantes,
Estou aqui para dizer meia dúzia de palavras. Primeiro: ontem não coloquei a resenha de livro porque simplesmente esqueci. Só semana que vem agora... Segundo: que achei interessante as aquisições da PlayTV: Bleach e Death Note. Bons títulos, apesar de eu achar que um deles seria Inuyasha.
De qualquer forma, não mudará quase nada nossa vida "animética", já que a emissora é pequenina...Vocês sabem que acho que o futuro dos animes no Brasil está no streaming... Não adianta tecer muitas considerações a mais sobre isso. Mas, bons títulos!

segunda-feira, 10 de março de 2014

Walt nos Bastidores de Mary Poppins é um bom filme com um péssimo título...

Navegantes... certas coisas são muito difíceis de entender...
Talvez fosse o caso de fazer uma busca... Mas, não entendi porque Walt nos Bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks) não teve a repercussão que merecia. E, porque a Academia ignorou este grande trabalho da Emma Thompson. Ela, para mim, é tão genial atriz quanto Meryl Streep. Basicamente,
Inspirado em eventos reais, o filme retrata a extraordinária história não contada de como o clássico Mary Poppins da Disney chegou à telona - e o complicado relacionamento que o lendário Walt Disney teve com a autora P.L. Travers, que quase estraga tudo.
Em sua busca para obter os direitos, Walt enfrenta uma escritora difícil que não tem a menor intenção de permitir que a máquina de Hollywood maltrate sua adorada babá mágica. Mas, conforme as vendas do livro param e o dinheiro acaba, Travers concorda com relutância em ir até Los Angeles para ouvir os planos de Disney para a adaptação.
Obviamente, sabemos que muitas coisas não aconteceram. Mas, alguns pontos certamente estão registrados porque foram gravados. P.L. Travers, no final das contas, mostra-nos o quão difícil é fazer uma adaptação, especialmente com o autor vivo. E como é difícil para um autor libertar-se de suas próprias amarras... Deve realmente ter sido curiosíssimo os bastidores do filme na fase da produção do roteiro/ adaptação.
Emma Thompson - que deixo claro, sou fã - samba na cara da sociedade com uma interpretação espetacular. Impossível não esboçar um choramingo vendo-a. Sério que não entendo porque não houve uma indicação a atriz ao Oscar... Mistérios que só Hollywood nos proporciona...
Agora, um ponto terrível: a tradução do título original. O longa-metragem não é sobre o Walt Disney, é sobre a autora P.L. Travers. Walt nos Bastidores de Mary Poppins poderia ter ficado somente como Nos Bastidores de Mary Poppins. Uma tremenda bola fora do distribuidor. Mas, enfim, indico aos meus caros leitores que vejam. E, que vejam logo pois, infelizmente, tende a ficar pouco tempo em cartaz...

quarta-feira, 5 de março de 2014

Da fantasia à ciência: Frozen 2014, As Aventuras de Peabody e Sherman 2015, deu para entender?

Caros amados navegantes... Primeiramente, peço desculpas, mas esta semana não escrevi resenha de livro (tipo, ontem) e nem farei uma resenha de anime. Ainda recupero-me da porcaria da semana passada (veja post abaixo).
Quem esteve comigo via Twitter e Facebook, sabe o quão contente fiquei com a vitória de Frozen com os Oscars de animação e canção original. Vi a premiação por causa da animação, mas no final... Curti muito ter visto o Oscar inteiro. Um dos melhores dos últimos tempos... Justíssimo Frozen ter ganhado. Alguns dos motivos podem ser vistos neste bom artigo em inglês...
Em relação a canção Let it Go, abaixo segue uma versão toda especial em que Idina Menzel - a diva Elsa - cantou em um programa de TV. Muito boa esta versão "alternativa" e descontraída!!! Veja abaixo.



Enfim, Frozen venceu! E, o que nos espera em 2015? Bem... Lá atrás quando Rango estreou eu tinha dito - em algum lugar, não lembro se aqui... - que a animação tinha tudo para ganhar o Oscar. E ganhou. Agora, prevejo uma das mais geniais animações, que estreou sexta-feira passada, a ser favoritíssima ao Oscar 2015: As Aventuras de Peabody e Sherman.
Sem sombra de dúvidas, um dos mais brilhantes roteiros animados nos últimos anos. Divertido, com tom politicamente correto sem ser imbecil, a história em que "todo cachorro precisa de um menino", encanta desde o primeiro minuto. Basicamente, As Aventuras de Peabody e Sherman é uma ficção científica envolta em História.
E isso é sério. Crianças podem até ver - como ocorreu em Rango - mas a história é para o público adulto, tamanha é a carga cultural que a pessoa deve ter. É compreensível para todos, mas especialmente quem conhece História. Além disso, quem conhece e/ou acredita em buracos-negros e etc vai se encantar com as aventuras do cachorro e seu filho adotivo.
Um ponto mais do que formidável. A menos que eu esteja doida, uma das cenas traz uma justa homenagem a Santos Dumont. Os americanos dizem que foram seus irmãos os primeiros a voar. Mas, em As Aventuras de Peabody e Sherman é nítido que é Dumont quem está com os protagonistas em cena bem rápida. E também temos Aquarela do Brasil. Uma animação formidável que compartilho com vocês. Quem puder, assista.
←  Anterior Proxima  → Inicio