Desejo: Boas Festas...

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Mangás no Brasil: quando minha compra não fará mais falta...

Queridos e amados navegantes...
Estou em um processo de mudanças e estou revendo um montão de mangás que comprei em outrora. Foi em um momento que o mercado de mangás estava voltando ao Brasil depois de anos... A Era Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball pela Conrad e Samurai X, Sakura Card Captors, Vídeo Girl Ai e Guerreiras Mágicas de Rayearth, todos estes pela JBC.
Eu era do tipo que comprava um monte de títulos. Hoje, olho para alguns deles e me arrependo do fundo da alma. Inclusive porque alguns nunca li, como Cowboy Bebop. A menos que alguém se manifeste aqui nos comentários, farei uma grande doação a Gibiteca Municipal Eugênio Colonnese, que fica em São Bernardo do Campo: Rua Tasman, 301, entrada gratuita pela Cidade das Crianças.
Por que estou me desfazendo? Eu poderia dizer que é só falta de espaço... Mas, a verdade é que ver estes quadrinhos - especialmente estes mangás - faz-me mal. Fico com a sensação de total desperdício de dinheiro. Sério, fiz as contas aqui e vejo que foram mais de 300 reais jogados fora. Anos atrás, eu dava força para  a galera a comprar mangás como incentivo para o mercado.
Porém, hoje, eu não aconselho ninguém a fazer mais isso. Um: o mercado se estabeleceu e não é mais necessário. E, o mais importante: a sensação de desperdício de dinheiro é muito ruim. Aconselho, sinceramente, aos leitores a comprar somente aquilo que eles têm total certeza que realmente querem e vão guardar. Não comprem por impulso. Sério...
Da listinha que vai para doação estão: Chobits (nem sei porque terminei esta porcaria), A Princesa e o Cavaleiro, vários volumes de Tsubasa, Mestres Disney (só fiquei com o do Canini), o Cowboy Bebop já citado acima e mais alguns outros...
Daí, alguns de vocês devem estar pensando: você não vai comprar mais mangás? Vou, quando eu tiver certeza que ficarei com a coleção. Um que ainda estou comprar é Os Cavaleiros do Zodíaco: The Lost Canvas Gaiden. Tirando este, só três outros mangás me fariam ir à banca e comprá-los. Mas, tenho certeza absoluta que os mesmos nunca serão lançados aqui...Enfim, boa aquisição para quem continua. Já fiz minha parte pelo mercado.
←  Anterior Proxima  → Inicio

28 comentários:

Nane disse...

Princesa e o Cavaleiro e Cowboy Bebop me interessa
Como fazer?

Rodrigo Adamuz Machado disse...

Eu tinha muitos mangás, e tinha a mesma sensação de perda de dinheiro. Hoje eu verifico muitas coisas antes de comprar um mangá. E ainda assim acabei comprando coisas que não gostei. Hoje tenho uns 3 ou 4 títulos que compro que valem a pena. Para o tanto de mangá que tem a venda, muito pouco, né? Mas é isso mesmo.

Willier disse...

Também fiz minha parte pelo mercado láaaa no comecinho com Sakura Card Captor, Cavaleiros, Love Hina (esse último me traz boas recordações)... agora posso te afirmar que não compro mangá há mais de 5 anos. Acho que a fórmula ficou muito repetitiva e não me atrai mais... só Lúcifer e o Martelo me instigou minha curiosidade recentemente (ainda não li). Gastei uma porrada de realitos mas não me arrependo, cada época é cada época, e o dinheiro que iria economizar não comprando certa coisa iria ser gasta em outra. Até.
Willier.

Natália Maria disse...

"Não comprem por impulso.".... Me senti envergonhada agora. hahahahaha
Uma pena que você se sente mal quando vê eles. Dos que eu tenho, até o momento, nenhum me fez sentir mal, só aqueles que eu acabei "comprando por impulso". hehehehe

Eu até teria interesse em A Princesa e o Cavaleiro... mas realmente não dá.

Até

Anônimo disse...

Eu tb parei. Só irei continuar com o que está tendo e o que vier de CDZ. Só :)

Diego Miyabi disse...

Eu que comentei do cdz, foi em anônimo XD

Spider-Phoenix disse...

Sandra, você tem o B't X? É um mangá que a JBC lançou e é do Kurumada. Se tiver, ainda mais completo, teria prazer em fazer negócio contigo rsrs

Victor Hugo Carballo disse...

Teve um dia que pensei assim, mas pensa assim, naquele dia, a melhor coisa a fazer era comprar esse mangá, seja para ler ou pelo experimento.

Nossa vida tem muita chatice e nos dar esses mimos faz tudo valer a pena.

Victor Olavo Roca disse...

pois é. tenho um monte de mangás por aqui. alguns estou me desfazendo também até por que uns ficaram repetido depois que casei e juntamos as coleções e outros realmente não valiam a pena dar continuidade. Enfim, a idéia da doação é ótima parabéns pela iniciativa. =D

Anônimo disse...

Hikki Shinozaki:

Acho que é lance de idade ou talvez por ser meio "novato" no mundo das séries japonesas. Mas, não me vejo nunca doando nem dando, tampouco vendendo minhas coleções, quer dizer as minhas coleções mesmo, eu tenho vários mangás avulsos aqui, mas tenho tres completos (ou quase)
- Level E (são só três mas valeu cada centavo)
- Naruto (A série que me mostrou o mundo da animação japonesa)
- Cavaleiros do Zodíaco (pff não precisa nem falar)
- Tenho alguns outros avulsos q não vou citar, mas não me livrarei deles até eu conseguir completa-los...

Mas enfim, é um pouco triste...
Por outro lado, sua boa ação de doa-los é incrível tbem.

Anônimo disse...

A "Princesa e o Cavaleiro" é um verdadeiro clássico dos mangás! Tenho todos os números e não penso em me desfazer deles, e olha que eu já me desfiz de vários títulos como Samurai X, Love Hina, Vídeo Girl Ai, CDZ (primeira impressão pela Conrad) e exemplares avulsos de vários outros. Também comprei muito por impulso ou curiosidade, amargando depois o "dinheiro jogado fora"; mas faz parte do "jogo" quando se está "apaixonado" pela coisa.
Hoje, não compro nenhum. Quanto muito folheio na banca mesmo, quando não vem lacrado.
É maturidade mesmo, e com ela maior discernimento, senso crítico e perda de identificação e gosto por personagens, histórias e apelos visuais e fonéticos típicos desses produtos.
Porém, cada pessoa é uma e suas experiências com dado mangá ou anime também, o que explica a manutenção ou rejeição desse ou daquele título, agora ou posteriormente.
Pessoalmente, além de Princesa e o Cavaleiro, tenho apreço por Lobo Solitário, Gunm e Samurai Executor (oh nome infeliz...), mais adultos e menos comprados pelos otakus (seria um indicativo de qualidade?rsrsrsrs).

Anônimo disse...

É no mínimo curioso vc se desfazer de "A Princesa e o Cavaleiro", Sandra. Um mangá com influencia total de Walt Disney, cujas obras vc já deu a entender em vários posts e comentários que "idolatra", produzir essa sensação de "coisa de criança" ou "dinheiro jogado fora" e, por isso, destinado à doação.
Eu que não cultuo Disney, mantenho o título pela qualidade de sua história de conto-de-fadas, ou que remete ao conto-de-fadas, bem escrita. Ou serei eu que não me toquei que não é bem escrita? Afinal, faz tempo que o li pela última vez. Enfim, cada cabeça uma sentença

Anônimo disse...

A propósito: Inuiasha não lhe dá a mesma sensação?

Anônimo disse...

Eu só acho legal comprar o Mangá se ele continua a história do anime, ou se tem um final alternativo algo assim, particularmente não gosto muito de mangás por ser preto e branco, numa época que tem tudo em HD colorido e qualidade prefiro assistir o anime de novo do que ler por mangá.

Sandra Monte disse...

Anônimo, em que parte do meu texto eu disse que "A Princesa e o Cavaleiro" é coisa de criança?

Disse que me causa uma sensação de desperdício... Cada um é cada um.

Quanto a InuYasha. Não só não me causa tal sensação como ainda pretendo comprar os DVDs originais que não tenho. :P

Sandra Monte disse...

E... outra coisa...
Eu doarei... Não vou vender e nem jogar fora.

Pois, sei que alguém lerá e ficará deveras feliz. Certamente, este é o destino mais honrado para um quadrinho quando as pessoas não o querem mais... Mas, sabem que o mesmo será útil e agradável a alguém.

Nane disse...

Sr Anonimo, vc não sabe a felicidade que estou em saber que terei A Princesa e o Cavaleiro em mãos. Uma obra que estou procurando há um bom tempo e não acho. E sim, é um desperdício de dinheiro e espaço se a pessoa tem uma obra e ela fica ali sem ser lida por muito tempo, ou nunca mais ser lida, vou mais além, acho um insulto ao autor. Obra parada é obra morta.
Se a obra não me interessa mais pq não passar a alguém que vai se interessar?
E não estou desmerecendo o autor, estou o respeitando repassando para outra pessoa que vai ter o privilegio de le-lo.

Gustavo Figueiredo disse...

Mangás bagunçaram a vida do colecionador que até então estava acostumado a consumir seus comics e, salvo por algumas exceções, passava adiante sem nem se preocupar com isso. Ia direto pro lixo mesmo. O fato de ser uma obra fechada faz com que você queira guardar todos. E no meu caso, eu praticamente comprava quase tudo que saía. Mas quando o espaço físico fica escasso, você tem que começar a avaliar porque está guardando esse ou aquele título, seja ele qual for.

Anônimo disse...

Dona Sandra, em nenhum momento quis julgar seus pensamentos, sentimentos ou ações. Isso é de foro íntimo e não me diz respeito. Agora, a senhora parece que ficou indignada com o que escrevi. Será pela minha ironia? Se foi, desculpe. Quis ser brincalhão.
E eu só achei curioso vc se desfazer do mangá do Ozamu. Se quer ou não dizer o por quê, isso cabe só a vc. Acho curioso porque é um mangá clássico e vc, como jornalista especializada em cultura pop japonesa, seria, a meu ver, a última a se desfazer de um mangá raro destes, seja por conta de sua profissão, seja para manter uma "mangáteca" fundamental, seja por gosto pessoal mesmo. Só isso.
Eu já doei, vendi e até joguei fora mangás e comics. Hoje, prefiro doar pois, como vc disse, alguém vai ter o prazer de ler e conhecer tal obra.

Sandra Monte disse...

Eu não pareço que fiquei indignada. Eu fiquei...

Não é curioso, até porque eu disse no meu post. Fiz as contas e gastei mais de 300 reais em mangás que etão ocupando espaço, mangás que não li. É simples.

Sou especializada. Sou. Mas, caso algum dia eu precise... é para isso que existem gibitecas. Algumas muito boas como a Gibiteca Henfil e a Eugênio Colonnese.

Tem um volume razoável de DVDs e é neles, hoje, que é meu foco. Neles e nos meus livros. Mangá deixou de ser prioridade.

Ficou claro?

Paulo Silva disse...

Por algum motivo estranho, eu sempre compro mangás por impulso. Assim como compro livros e dvds por impulso. Ir em bancas, ir nas lojas americanas ou ir em um sebo é pedir para comprar algo por impulso. Acaba sendo natural. Mas o meu caso é diferente: colecionismo. Quem coleciona coisas sabe como é...


No mais, eu só gostaria de saber: quais mangás você compraria se fossem lançados aqui? Creio que um deles seria o Rosa de Versailles, outro uma obra da Rumiko Takahashi (cujo nome esqueci no momento. Rs) e o outro seria qual?

Diego Miyabi disse...

Tá certo Sandra, isso ae. Eu n sou esse anônimo viu, só falei de CDZ e mandei errado ♥

Sandra Monte disse...

Paulo...
Você foi o que mais próximo acertou.
O outro título seria Shirokuma Café. ^___^

Anônimo disse...

Ah mulher... eu não ia mais escrever sobre isso, mas dada sua gratuita grosseria, sou obrigado a responder.

"Não é curioso, até porque eu disse no meu post. Fiz as contas e gastei mais de 300 reais em mangás que etão ocupando espaço, mangás que não li. É simples."

então entre esses 300 reais em mangás que estão ocupando espaço e não lidos está o do Tezuka. Pelo que escreveu se conclui isso. E alguém que trabalha com mangás e animes, mantendo um blog desses assuntos e tendo escrito um livro sobre a influencia dos mesmos na cultura de massa brazuca, não ter lido a P&C chega a ser absurdo. Ah, claro, vc se interessa pelos animês, escreveu um livro sobre os mesmos na TV brasileira, e não vê problema algum em não conhecer o gibi que deu origem ao anime. Porém leu CDZ assim como assistiu o anime e suas continuações desenhadas e animadas. Pra mim, isso pesa contra seu profissionalismo.

"Ficou claro?"
Ficou bem mais sua grosseria.

Sandra Monte disse...

Bem, como eu disse acima...

Doar um mangá não me proíbe de lê-lo. Posso ler em uma Gibiteca.

Escrevi um livro mercadológico. Que, passou bem sem informações ligadas a mangás.

Tezuka é um mestre. Mas, comprei-o e acabei não o lendo. E vou dá-lo.

Como eu disse, Tezuka, a esta altura, deve estar contente ao ver que a obra dele ficará com quem o quer.

Se peca contra meu profissionalismo, isso é você quem decidi. Continuarei aqui com meu blog e meus posts. Se você se ofende com a a minha "falta"... Fique a vontade para não me visitar mais.

Profissionais também admitem suas falhas e tentam corrigi-las. E, no momento, a minha correção é esta.

thomaz disse...

Acho que voce deveria pedir desculpas para as pessoas que seguiram seu conselho naquela época.

Sandra Monte disse...

Pedir desculpas?

Ué... Por quê? Eu disse que me arrependo de ter comprado alguns, nem todos.

Depois, não me lembro de ter colocado uma arma na cabeça de quem seguiu tal conselho.

Se você diz para eu pedir desculpas... Talvez seja o caso da própria pessoa também ter se arrependido.

Daí, aconselho a dar o mesmo fim que eu, DOE. Dê a alguém a oportunidade de ler aquele título importante. Ué...

Helder Henrique disse...

Doe par mim, por favor!