Desejo: Boas Festas...

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Sempre maltratado no Brasil, pobre Samurai X (るろうに剣心)

A resenha de anime desta semana será um tanto diferente. Pois, não se trata exatamente de uma animação japonesa, mas sim da adaptação cinematrogrática de um dos títulos mais conhecidos no país: Samurai X (るろうに剣心), ou simplesmente Rurouni Kenshin.
Alguns títulos causam certa comoção, não importa em qual mídia apareçam. Samurai X (るろうに剣心) é justamente um destes títulos. Lançado originalmente como mangá, ganhou anime nos anos 90 e o filme de 2012, objeto desta resenha. Este longa-metragem trouxe os principais personagens do primeiro arco do mangá: o próprio Kenshin, Kaoru Kamiya, Sanosuke Sagara, Jin-E, Megumi Takani e Saitou Hajime. O lançamento no Brasil foi pela Focus Filmes.
Battousai Hitokiri ficou conhecido por ser um dos melhores assassinos do país. Seu apelido, o Retalhador, ecoou por todos os cantos do Japão. Cansado de tanta matança, Himura abandona sua espada em plena batalha e faz um juramento - defenderá a justiça, mas não matará mais ninguém. Sua arma, porém, foi recolhida por um dos derrotados, Udo Jin-e. Vivendo como andarilho Himura Kenshin, o ex-assassino, vagueia pelos vilarejos até que, dez anos depois de sua decisão, ele chega a Tóquio. Lá, ele conhece Kaoru, uma jovem que herdou o dojo de seu pai, e teve o nome humilhado por um espadachim que usava o nome Battousai Hitokiri. Para provar que a suspeita de Kaoru está errada, Himura mostra a ela que ele não carrega espada alguma, apenas uma sakabatou, uma arma de lâmina inversa.
Apesar do título ter sido lançado há dois anos no Japão, somente agora em 2014 chegou ao mercado de DVD no Brasil. Em 2013 havia aparecido antes no site streaming Netflix. Infelizmente, foi o tempo da pirataria ter engolido um longa-metragem interessante. Isso porque o filme é muito bom. Uma adaptação sensata, com boa escolha dos personagens, em especial do próprio Kenshin e Saitou.
Porém, a inacreditável demora contribuiu para a pirataria. E esta demora foi inacreditável mesmo. Pois, fica nítido alguns problemas no som e mixagem do longa-metragem. Há altos e baixos nos sons de lutas, e uma aparente falta de sincronia nas falas em português com os atores. Ou seja, a parte técnica do material em si deixou a desejar. Uma pena para um filme que manteve a essência da história, com pequenas mudanças.
Fora este problemas técnicos, Samurai X (るろうに剣心) tem as já citadas ótimas cenas de lutas - que lembram um pouco filmes chineses - , um figurino simples, mas que deve ser condizente com as vestas no final do século XIX no Japão e sim, bons atores. As músicas são boas também, mas se perdem nos problemas de áudio do DVD. Que venham as continuações em português, e que as mesmas sejam melhor tratadas em nosso mercado.
←  Anterior Proxima  → Inicio

1 comentários:

Leandro disse...

Oi Sandrinha!

As continuações estão assegura moxa:

http://www.jbox.com.br/2014/08/27/primeira-mao-novo-filme-de-samurai-x-no-brasil/

Bjim.

Larc =)