Desejo: Boas Festas...

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Mais um pouco de paixão em Cavaleiros do Zodíaco - Lenda do Santuário

Navegantes,
Diferentemente do que alguns pensam, sou fã de Os Cavaleiros do Zodíaco. Mas, algumas informações acerca do título são realmente muito loucas, para não dizer bizarras! Segundo o site Kotaku, estão roubando o poster da foto acima - do filme Os Cavaleiros do Zodíaco — A Lenda do Santuário 映画『聖闘士星矢 Legend of Sanctuary - em uma estação do metrô no Japão! Well, se alguém encontrar este poster à venda, NÃO compre... Bem, para mim é o fim pensar em comprar um produto que sei que foi roubado... Ah, e este dado comentado no cdz.com.br.
E, saiu o resultado desta semana no Box Mojo. Caiu para 9ª posição em sua segunda semana, arrecadou basicamente, os mesmos 800 mil da primeira. Em 20 semanas, arrecadando este montante, CDZ terá alcançado os 16 milhões de dólares... A menos que o Japão seja muito diferente dos EUA, um filme se paga com a arrecadação em casa. Depois é contabilizada a arrecadação do exterior e por fim, a venda dos produtos. Massssss, no Japão pode ser diferente dos Estados Unidos, né... A gente lembra que, segundo informações diversas da net, este filme custou cerca de 30 milhões de dólares.
Um dado curioso: o filme Ju-on: Owari no hajimari estreou na 6ª posição, porém, com menos salas, 122 ante 145, mas com uma bilheteria um tiquinho maior, 845 mil! É só curiosidade... Mas, façamos o que alguns fazem: a posição de Os Cavaleiros do Zodíaco — A Lenda do Santuário 映画『聖闘士星矢 Legend of Sanctuary caiu, mas a arrecadação continua igual! Uai... Ah, a gente lembra que nesta semana, estreia no Japão o filme Malévola.
←  Anterior Proxima  → Inicio

15 comentários:

Liam disse...

Daonde você tirou que "arrecadou os mesmos 800 mil da primeira semana"? Arrecadou 375 mil dolares... Caiu em mais de 50% segundo o boxofficemojo.

Anônimo disse...

Está errada quando diz que um filme se paga com arrecadação em casa. Toda empresa trabalha com vendas em nível mundial, ou seja, um filme se paga com a quantia arrecadada pelos cinemas, mais produtos licenciados. Não afirmo isso sem dados. O release da Toei (Ano Fiscal que indica as vendas de abril a dezembro de 2013) dão os números. O quesito "Filmes" com vendas no Japão, em milhões de ienes, ficou na casa de 2.021, enquanto que ao redor do mundo- "overseas", a Toei indica vendas em 2.268. Houve uma igualdade em arrecadação, com leve superioridade do mercado internacional. Percebe que um filme se paga tanto no seu país de origem, como em vendas internacionais? Por exemplo, Capitão Harlock foi uma bilheteria forte no Japão, mas somando-se apenas França e Itália, o filme chegou aos 16 milhões de dólares. Somando-se com o Japão, o filme ficou perto dos 20 milhões de dólares (+ de 4 milhões no Japão). Foi considerado um produto de retorno a médio e longo prazo. Um modelo de distribuição novo da Toei, no qual CDZ faz parte também. Nas palavras da Toei sobre Capitão Harlock: "In the Overseas segment, revenues jumped, reflecting the effect of foreign exchange rates, in addition to a large video distribution licensing deal in China, and an overseas distribution deal for the movie Captain Harlock".

É como afirmei, tudo é estudado antes de se produzir um filme e o mesmo se paga de inúmeras formas (produtos relacionados, bilheteria nacional, bilheteria internacional, vendas de direitos de exibição para a televisão, vendas em DVD e Blu-Ray, jogos...). Com títulos como os dois mencionados acima, os filmes são apenas um pedaço de todo o lucro gerado.

Claro que Seiya vai cair de produção, porque, como disse antes, o filme não agradou mesmo. Cheguei a ver um comentário de que os Cavaleiros de Ouro eram muito fracos, mas perceba o ritmo mantido- 803.693 na estreia, 375.782 na semana seguinte e, entre as semanas, 450.487 dólares. Um ritmo em queda. Totalizou 1.629.962 dólares. Falando na bilheteria total do ano, isso fez o filme passar de outras produções como Ender's Game (Dinsey), Paranormal Activity, Insidious e outros, mostrando que a bilheteria foi forte nestas duas semanas, pois passou produções de grande peso comercial.

Então, continuo afirmando que Saint Seiya está indo bem no Japão e vai estrear na China, Itália, Brasil e América Latina, por isso, poderemos ter uma noção melhor da situação após o término de exibição em cada país.

Sobre Ju-oN, que bom que estreou forte no Japão. Como disse antes, o sucesso de uma franquia não desmerece o sucesso de outra franquia.

http://corp.toei-anim.co.jp/ir/201403_3Q_presen_e.pdf

Sandra Monte disse...

Não estou errada. Como eu disse, a base de lógica que usei é a americana. Se o filme foi mal os Estados Unidos, dificilmente há uma continuação, por exemplo. Vide Speed Racer, que vendeu em produtos licenciados. Mas, foi mal nas bilheterias: primeiro na americana, depois no mundo.

E, inclusive, esta é a lógica usada pela rede Globo em suas novelas. Ela faz um estardalhaço para as vendas internacionais quando uma novela vai bem aqui. Quando vai muito mal, ela praticamente esconde debaixo do tapete.

Pelo seu comentário, no Japão a coisa é diferente. Enfim...

Sandra Monte disse...

E Liam,
Junte os 800 mil da primeira semana, e o total final da segunda semana dá 1,6 milhão.

Mas, se for somente o fim-de-semana, daí você está certo, hahahahahah

Liam disse...

Sandra, demorei mas entendi. Desculpe a lerdeza hehehe.

Anônimo disse...

SANDRA TU TA PRECISANDO ESQUECER UM POUCO CDZ HEIN? A INVEJA ESTRESSA E DÁ RUGAS QUERIDA11!!!!!

Sandra Monte disse...

O mais fiel de meus leitores sempre aparece, oh glória!

Anônimo disse...

Na verdade, até nos EUA a coisa funciona assim. Nenhum filme da franquia Resident Evil passou de 60 milhões de dólares em bilheteria, em solo americano, e o orçamento sempre foi de 40 a 60 milhões. Se a lógica do vender em casa se aplicasse, o filme não teria se tornado uma franquia. Em solo americano, nenhum "Resident Evil" se pagou em bilheteria e já tivemos 4 filmes da série. Como se explica isso? Isso se explica porque cada filme fez mais de 200 milhões, em média, internacionalmente. Fora os jogos da franquia que vendem bem.

Para não dar um exemplo isolado, vou dar outro.Pacific Rim terá uma continuação e um desenho animado. Isso foi recentemente anunciado pelo Omelete. O filme inicial custou 190 milhões e arrecadou em bilheteria, em solo estadunidense, apenas 101 milhões de dólares. Nem deveria se pensar em uma continuação, ou a abertura de uma franquia com filme e desenho, se a produção se pagasse unicamente com a sua bilheteria nos EUA. Internacionalmente, o filme fez mais 300 milhões. Isso motivou a abertura da franquia. Fora que vendeu bem produtos licenciados do filme.

Um filme, na gestão moderna empresarial, é apenas a ponta de uma forte sequência de cifras. Mesmo filmes que não se pagam em casa (Pacific Rim e Resident Evil) podem se transformar em sucessos se alavancarem outras vendas.

Voltando a Toei e CDZ, no ano fiscal passado, a franquia vendeu jogos de carta e figurinhas, além de jogos de arcade e pachinko, em uma marca expressiva. Chegou a marca de bilhões de ienes. É uma das franquias de maior sucesso da empresa, por isso apostaram no filme que trará novos produtos licenciados, além de contratos de distribuição, novos jogos, e tudo que escrevi ontem.

O animê de "No Game, No Life" aumentou consideravelmente as vendas das graphics novels que chegaram na marca de 100 mil unidades vendidas. Já a animação em si já vendeu mais de 8 mil exemplares em disco (DVD e Blu-Ray somados), na estreia.

Tudo isso para indicar que uma marca possui diversas formas de se pagar. Seja nos EUA ou no Japão, hoje as empresas pensam em um mercado globalizado e interligado.

http://boxofficemojo.com/search/?q=Resident%20Evil

Anônimo disse...

Cê nunca tá errada, né Sandra?

SonElric disse...

Pois é Sandra, tem toda razão. O que eu não entendo é 'ferocidade' de 'fãs' defendendo uma adaptação livre da obra original do Kurumada. Parece a mania de Brasileiros de nivelar tudo como futebol. Sou fã de cavaleiros também, mas é notório pra quem quiser ver que ele não deu certo. E vamos combinar? O mais interessante de cavaleiros eh o trajeto até as doze casa e oque eles passam lá, se vc tira todo o crescimento dos personagens para chegar até aquele ponto, fica tudo bobo e vazio. No mais, parabens por mais uma boa analise.

Sandra Monte disse...

"Anônimo"...
Você deveria ser um pouco mais paciente... Ou você acha que fico 24h na internet?

Depois, sim, em 90% das vezes estou certa. Residente Evil não é um bom exemplo simplesmente porque o filme é um plus no real carro-chefe da obra: os games.

Pacific Rim é um caso curioso. Eu diria que tanto PR quanto Godzilla são preciosismos da mesma distribuidora, a Warner.

Porque se pensarmos somente em continuações, daí temos Guerra Mundial Z, que ninguém cogitou até agora numa continuação e teve arrecadação (e custos) muito parecida tanto em casa quanto fora.

Em nenhum momento eu disse que só o filme paga uma produção. Disse que dependendo do que seja, é sim uma arrecadação importante, quiçá principal.
Lembre-se que Prólogo do Céu quase afundou CDZ. Tanto este título quanto alguns outros só continuam firmes porque a Toei está em crise brava. Na falta de uma obra nova que possa dar algum lucro - o que está faltando - viva os rebots... Como o próprio CDZ e Sailor Moon.

Eu acho que as pessoas se importam demais com minha opinião... Olha....

Anônimo disse...

Hikki Shinozaki:

Ai eu pensei: "Porra é no japão tá assim, imagina aqui!"

muito bom Sandra! (eu coloquei Mara e apaguei kkkkkkk)

Anônimo disse...

O mercado americano leva primeiramente em conta o desempenho caseiro. Pq em teoria qdo um filme vai bem lá, ou seja, se paga por lá, o q vier de fora vai ser lucro. Td q vc flw esta correto, mas pensa bem, depender da bilheteria do exterior pra se pagar é sempre arriscado, não q os estúdios nao levem isso em conta. Existem vários casos de filmes q foram mal nos EUA e bem fora, mas os estúdios costumam colocar esses produtos em ultimo plano ou alguem ai ta achando q americano faz produto pra brasileiro ou japonês faz produto pra europeu.

Anônimo disse...

Sandra concordo com seu raciocínio. Como disse acima nenhum estúdio faz filme para o mercado exterior,é logico q eles querem o lucro daquele mercado tal, mas o filme é feito pro seu local de produção... Isso é básico... Nos como fãs queremos boas bilheterias nos produtos q gostamos, mas nessa a Toei errou feio. Sabendo do poder do seu produto em mercados fortes. Era melhor ter se aproveitado disso. E não adianta ficar de mínimo colocando números e mais números.

vitor disse...

eu tenho vergonha de ser fã de SS as vezes...
sério tem muito anônimo precisando se tratar pqp
a Sandra tá certa
o filme realmente não está indo bem e provavelmente vai cair mais.
Um filme que vai bem normalmente mantém a bilheteria toda a semana (tipo Frozen)
então parem de serem malucos por um momento e reflitam nas besteiras que vocês escrevem, tipo quem está com recalque são vocês fãs malucos
Eu acredito sim que o caso de SS, seja especial pois eles sabem que a base de fãs é maior no exterior
então provavelmente eles esperam arrecadar mais em outros países que no próprio Japão (obviamente eles esperavam que por ser CG seria um sucesso por lá)
enfim vou assistir o filme feliz
gosto muito de CDZ e sempre vou apoiar a obra.