Desejo: Boas Festas...

quinta-feira, 20 de março de 2014

ANIMA INFO 1639

Livro Battle Royale, que inspirou mangá e filme, chega ao mercado nacional

Depois de inspirar filmes e mangás, o controvertido clássico japonês e best-seller mundial Battle Royale ganha edição brasileira em livro pela Globo Livros. Em 1997, o jornalista e escritor japonês Koushun Takami sofreu uma grande decepção. O manuscrito de seu romance de estreia havia chegado à final do Japan Grand Prix Horror Novel, concurso literário voltado para a ficção de terror, mas acabou preterido.
Embora habituado a tramas assustadoras, o júri se alarmou com a história do jogo macabro entre adolescentes de uma mesma turma escolar que, confinados numa ilha, têm de matar uns aos outros até que reste apenas um sobrevivente. Detalhe: o organizador da sangrenta disputa é o próprio Estado japonês, imaginado pelo autor como uma totalitária República da Grande Ásia Oriental.
Battle Royale só seria lançado em 1999, espalhando um rastro de polêmica - vendeu mais de 1 milhão de exemplares e foi comentado no Japão inteiro. A repercussão foi tão intensa que apenas um ano depois já eram lançadas as adaptações da história para o cinema e para os mangás - mais tarde, viriam sequências tanto na tela grande como nos quadrinhos. O filme, que tem no elenco o ator e cineasta cult Takeshi Kitano, chegou ao Brasil apenas em DVD, enquanto a série em mangá completa foi publicada aqui entre 2006 e 2011.
Para alento de quem assistiu ao filme, acompanhou os mangás ou não fez nada disso - mas adora ficção juvenil  - a Globo Livros finalmente preenche a última lacuna: com tradução direta do japonês, assinada por Jefferson José Teixeira, o livro Battle Royale aporta nas livrarias brasileiras na condição de um dos lançamentos mais aguardados de 2014.
A tarefa de traduzir a esperada saga coube a Jefferson José Teixeira, carioca que morou no Japão durante 11 anos. Especialista em caligrafia chinesa, atua como tradutor desde a década de 1980, e exibe em seu currículo de documentários a clássicos da literatura, como A Chave (Kagi), de Junichiro Tanizaki, Miso Soup, de Ryu Murakam, Chuva Negra, de Masuji Ibuse e Norwegian Woods, de Haruki Murakami.
O autor Koushun Takami é formado em literatura pela Universidade de Osaka. Na década de 1990 trabalhou como jornalista no Shikoku Shimbun, cobrindo as áreas de política, segurança e economia. Deixou o jornalismo para se dedicar à literatura, mas não lançou mais nenhuma obra desde Battle Royale.
←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

Marcelo Santarem disse...

O Jefferson também traduziu The Changeling (Torikaeko), de Kenzaburo Oe, que tive o prazer de revisar para a Editora Record em... 2012 (e ainda inédito, acredite).

Jefferson Teixeira disse...

E pelo visto continuará inédito para todo o sempre. Quatro anos se passaram a e a Record não dá sinais de que pretende publicá-lo.