Desejo: Boas Festas...

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Raquel Sheherazade, a polêmica foi para o lado errado...

Navegantes,
Abro uma brecha nas coisas que estou fazendo para tecer comentário acerca da polêmica da semana passada. A fala da jornalista Raquel Sheherazade no jornal do SBT. Primeiramente, não vejo este jornal. Praticamente não tenho visto televisão, em verdade...
O que vi e as críticas que vi foram na internet. Ao que percebi, as pessoas pegaram o comentário dela por um lado que não deveria ser. Quem prestar mais atenção, verá a fala sobre a ausência do Estado no Brasil. No final, esta é a real crítica que a jornalista fez.
Quando muitas pessoas criticaram os hipócritas que, por sua vez, detonaram a jornalista, não foi à toa... Teve hipócrita de um tudo na net. Inclusive gente que criticou a jornalista, mas é a favor de aborto...Chegamos em um nível de barbárie em que acha-se que só o outro comente...
Outro ponto: esta história de que jornalista não deve ter opinião foi algo incutido nas faculdades e mais reforçado no regime militar. Ou seja, outra discrepância... Porque critica-se as universidades, critica-se o regime militar, mas exige-se dos jornalistas (ao menos dos formados) uma posição daquele período no Brasil. É muito cômodo fazer exigências para com os jornalistas quando convém...
Que Raquel Sheherazade continue suas críticas. E que os desavisados "Maria vai com as outras" e hipócritas reflitam o fato com mais cuidado. Porque é mais fácil criticar só a jornalista, e esquecer que estamos em um Brasil sem Estado...
←  Anterior Proxima  → Inicio

6 comentários:

Thiago disse...

Ótimo texto!

Silvestre disse...

Sim, não é porque o outro erra que deixamos de errar, ambos erramos, ao mesmo tempo.

Jornalista pode ter opinião, mas assim como a liberdade de opinião não pode passar por cima das garantias e direitos constitucionais, um jornalista pode menos ainda porque ali na bancada do jornal, na TV em horário nobre, ele está não usando sua liberdade de opinião, ele está usando sua liberdade de imprensa que o limita ainda mais no que ele pode dizer.
Sim, ela fez uma crítica ao estado, e nessa crítica afirmou como resposta vilipendiá-lo usando como justificativa falácias moralistas e mentiras. Não, a lei NÃO permite vigilantismo ou semelhantes. O próprio caso que motivou a fala dela já é um exemplo do problema, um grupo de 30 pessoas, armadas e até motorizadas, cercou o garoto que apenas estava passando pelo local com um punhado de amigos. Apesar de a imprensa não dar destaque a outros casos, há uma avalanche de relatos de casos assim, de pessoas sendo agredidas apenas porque "parecem" bandidos ou marginais. Todo mundo parece suspeito no olho de outro, e o que a Rachel fez foi incentivar todos agredirem quem eles acharem que devem, porque como o estado não está presente, suas leis também não, então todo mundo pode julgar arbitráriamente.

E por falar em regime militar, já que você citou ele, está acontecendo é o contrário, estamos voltando a ele no sentido de jornais aprovarem e incentivarem a barbárie e violência.


E adotar? Por favor, JÁ adotaram um pouco tempo atrás. Já esqueceram? Branquinho, olhos claros, bonito... Totalmente louco e perigoso, mas aquele era marginal para adotar né?

Sandra Monte disse...

Entendo...
Mas, incrível que em toda a discussão fala-se somente da questão da liberdade de imprensa.

Nenhuma das pessoas que criticou a Raquel mencionou o papel do Estado.

Onde está o poder executivo?
Por que as leis são arcaicas e dúbias?

São estas coisas que deveriam, prioritariamente, serem discutidas. Mas, até mesmo os críticos preferem só "bater" na jornalista e não discutir o que deve ser discutido.

O motivo? Não sei...

Natália Maria disse...

Será que criticaram justamente por ela ter dito a opinião dela que consequentemente não condiz com a da população em geral?

Infelizmente, meu avô não assisti ao SBT de semana (o pc fica na sala e eu acabo assistindo tudo o que ele assisti)... Senão, eu comentaria com mais firmeza.

L.Karina disse...

Justamente como eu comentei no Fcebook, são implicam com a Rachel,porque ela não opiniões de ''esquerda'' e isso essa turma de suposto progressistas não suporta.Basta uma opinião diferente do que eles pregam para a pessoa ser ridicularizada e atacada.
Agora o que ela ela falou sobra a ausência do Estado e da população se sentir cada vez mais acuada é real.Tanto é que de vez em quando acontecem linchamentos no interior do país e o povo apoia esse grupos de justiceiros.Porque as leis são ridículas e ninguém realmente se importa de mudá-las,apesar do que diz o povo.Meu medo é que justiça pelas próprias mãos se torne uma regra,porque aí vem o caos.

Victor Martins (desabadevaneios.blogspot) disse...

Engraçado como se passam os anos e não se amadurece ou se liberta a mente cativa!Somos ainda o mesmo país da era da "cana de açúcar"?Bom,ontem eu ouvi uma pessoa cheia de orgulho do governo Lula...agora vamos pensar e rever:todas as leis criadas que não funcionam,a pior internet do mundo,o país com um dos maiores impostos,saúde debilitada e educação jogada na privada!Além disso o "impactante" choque em ver dois homens se beijando em uma novela,mostra o atraso e a falta de informação em que vivemos!!Agora uma jornalista competente que decide honrar sua profissão fazendo seu serviço como profissional em dizer o que é preciso,sendo atacada com pedras??Nossa como esse país me cansa...