Desejo: Boas Festas...

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Édipo Rei, aquele que deu origem ao Hyoga de Cavaleiros...

Esta talvez se torne a resenha mais curta feita até o momento por este site. Porém, é sempre interessante deixa um registro. Um dos grandes clássicos da literatura sobreviveu séculos e séculos com suas diversas versões. O livro que li veio ao Brasil  pela editora L&PM Pocket e tradução de Paulo Neves. Trata-se de Édipo Rei. Esta é a história em que Édipo mata seu pai e - sem saber - casa-se com a própria mãe. A versão da L&PM Pocket vem em formato de leitura de teatro. Não é exatamente uma prosa nos moldes "normais", já que há termos do tipo: "entra em cena, coro", etc.
Nada que atrapalhe o entendimento da obra. Vale muito a pena ler este título por todos os motivos possíveis e imagináveis. Primeiramente, é um clássico da literatura universal de Sófocles. Segundo, sua história deu à psicologia o termo "complexo de Édipo", tão corriqueiro em histórias atuais. Afinal, como não lembrar deste complexo ao ver o Hyoga de "Cavaleiros do Zodíaco". Terceiro: é um livro rapidíssimo de ter lido. Quatro: é bem barato. Ou seja, é uma leitura certamente interessante, que merece atenção dos apreciadores de um bom clássico.
←  Anterior Proxima  → Inicio

3 comentários:

Natália Maria disse...

Olá!!

Já tentei uma vez ler livros com formato de leitura de teatro, e sei lá, não consegui. O_O

Talvez esse seja o motivo pelo qual eu venha a passar longe dele. Ou talvez eu faça uma força para lê-lo, afinal, conhecer o complexo de Édipo eu já conheço e os quatro motivos que você citou é justamente para isso. Para lermos.

Até mais

Mad Cientist disse...

Não gosto de comentários longos, mas este terá que ser, pois eu gosto de assunto e gosto mais ainda de compartilhar o conhecimento^^:

Édipo Rei é um "mito". Muito resumidamente (e mal argumentado) seria apenas uma história que é de conhecimento geral e corrente em uma determinada população, no caso, a grega. Por ser um mito, a história poderia ser adaptada e utilizada da maneira que as pessoas quisessem, geralmente compiladas em poemas ou em peças de teatro.

O Édipo rei em questão foi escrito por Sófocles, como você bem disse, um dos grandes tragediógrafos da Grécia antiga, e é nada mais do que uma peça de teatro mesmo, datada do século V antes de cristo. Salvo engano é a única (ao menos é a mais famosa) peça completa sobre o mito de Édipo Rei que chegou aos nossos dias.

Outro ponto interessante é que Sófocles possui outras duas peças que orbitam no mesmo mito de Édipo, que é o Antigona e o Édipo em Colono, ambos publicados no Brasil pela LxPM. Existe também o "7 contra Tebas" que igualmente orbita no mito de Édipo, mas fala sobre os filhos dele e a guerra que eles travam. Se não me engano, a versão que Sófocles fez não chegou até nossos dias, mas existe uma feita por Eurípides, outro grande tragediógrafo grego, que chegou completa e encontra-se facilmente.

Essas outras peças de teatro valem a leitura, assim como o Édipo Rei.

Gostei do post, Sandra. E Até mais!!!

L.Karina disse...

Nunca li nenhuma das peças sobre Édipo,mas li sobre o mito em ''O livro de ouro da Mitologia grega''. É uma história realmente muito interessante.
Boa resenha.