Desejo: Boas Festas...

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Mercado de animes e mangás, sem um norte?

Navegantes,
Ontem, vi um release de uma consultoria que trata do crescimento o número de empresas japonesas que estão se instalando no Brasil. É um dado curioso... Vejam um trecho:
O avanço tem sido percebido também pela Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, que, desde 1990, mede de maneira sistemática a evolução das empresas nipônicas no Brasil. Na década de 1990, muitas empresas do Japão deixaram o Brasil. A retomada dos investimentos diretos japoneses no País aconteceu em 2005 e se intensificou a partir de 2011, quando houve o tsunami no país asiático. Apenas entre 2011 e 2012 entraram 20 empresas japonesas no Brasil, número recorde de ingressos de um ano para outro. Em 2013, já foram registradas dez novas empresas japonesas pela Câmara.
Daí, fui dar uma olhadinha na tal Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil e tive uma triste constatação: aparentemente, não há empresas de entretenimento nas listas da instituição. Isso é ruim, pois mostra que o Brasil ainda não é atrativo ao mercado japonês de entretenimento: vide empresas de mangás e animes.
Ou seja, ainda estamos na dependência de eventos de licenciamento externos, aquisições externas e tudo mais. Não há empresas japonesas interessadas instaladas em nosso mercado. Ao meu ver, o ideal é delas se instalarem - com escritórios e tudo mais - em nosso país. Só assim para poder ter uma atuação mais adequada.
Ou seja, para mim, mesmo depois de uns dois anos... Continuo acreditando que nosso "mercado", tanto de mangás quanto animes não irá para frente enquanto não formos capazes de trazer as empresas de entretenimento, elas próprias... Há muitas companhias japonesas no Brasil, mas não desta "indústria vital" (como diria o carinha do Pica-Pau), em nossa vida "lúdica"!
Aguardemos um futuro melhor...
←  Anterior Proxima  → Inicio

3 comentários:

Natália Maria disse...

Olá!!

Será que eles pensam, que com a internet, não valeria a pena esse ingresso por parte do entretenimento? Ou seria os brasileiros, que ajudam nesse ingresso que não estão interessados? Seja por que o retorno poderá se outro ou até outro motivo (que não consigo citar aqui).

Assim como você, aguardemos um futuro melhor.

Valu Vasconcelos disse...

O grande problema é sempre o mesmo...pirataria e falta de escalabilidade.
Sem números oficiais positivos, não vale à pena para nenhuma industria se instalar no Brasil e enfrentar a enorme burcracia e impostos que nós temos.

O mercado é dos fãns e só a demanda deles vai lançar luz à um empreendedor internacional.

Um grande exemplo disso foi o jogo "Injustice - Gods Among Us".
Com os enormes números de vendas no setor de games , e em particular com o título em sua versão anterior, os responsáveis viram a necessidade de dar mais atenção à esse mercado de fãns brasileiros, e lançaram uma versão dublada com as melhores vozes do mercado, o que catapultou o título.

The Fool disse...

Salve Sandra!

Talvez o problema seja que exatamente por ter um público essencialmente consumidor de comics norte-americanas os empresários japas não acham como ou porque deveriam investir aqui.
Pode ver, sempre temos eventos aqui relacionados a licenciamento de coisas gringas, mas nunca algo voltado a anime e mangá.
Pena, mas no meu entender, o Brasil não foi feito pra essas coisas.