Desejo: Boas Festas...

domingo, 9 de junho de 2013

Sailor Moon, JBC e as tais massas, sei...


Navegantes,
Hoje, a JBC fez seu evento em São Paulo, com a participação do público. Todos já sabem que a editora anunciou o mangá de Sailor Moon, além de Blue Exorcist. O fato é positivo porque Sailor Moon é, possivelmente, o último "mega hit" a chegar em terras tupiniquins. Ao menos, não me recordo de outro grande título (em vendas) a ser lançado. Havia um grande interesse tanto da JBC quanto da Panini pelo título. Foram anos e anos até a vinda das marinheiras da Lua.
Vi muitos comentários via Twitter e, certamente, quem melhor fez a cobertura foi o site Gyabbo. Tiveram paciência e rede para colocar as informações. Aqui, fica um registro: parte de meus comentários seguem com base nas informações deste site. E, o fato mais importante do evento, talvez, não tenha sido o anúncio de Sailor Moon - porque um dia isso iria acontecer seja por qual editora fosse - mas pelo início do evento em si.
Finalmente, algum interesse da editora no lançamento de mangá nacional, com seu concurso de mangás. Pelo que deu a entender, farão o tal concurso e lançarão um especial. Até aí, diversas editoras já fizeram o mesmo. Mas, segundo eles, haverá o apoio do governo japonês. Isso seria positivo se, não fosse um detalhe: será um lançamento esporádico ou algo contínuo? E, que eu me lembre... o Internacional Manga Awards é um evento aberto a qualquer um. Ou seja... é bom mesmo que venham mais detalhes sobre isso, porque ficou confuso.
Na verdade, o que me espantou foram alguns comentários na mesa redonda. Alguns fatos são verídicos: como o governo - entenda governos de todas as esferas, especialmente o federal - ser o grande pagador de livros e quadrinhos. Se o governo parar de comprar, parte do mercado editorial quebra. E isso é sério, porque grande parte do mercado é formado por didáticos. Houve algum comentário acerca de quadrinhos históricos. Esta é uma grande questão que já mencionei neste post. Um dos grandes problemas no Brasil é que quadrinhista não consegue entender a si próprio, vide seu povo, sua sociedade e sua cultura. Raros são quadrinhos históricos bons, como o caso do mangá de meu estudo acadêmico: Joaseiro.
Porém, acho que há um certo preciosismo em certos comentários, quiçá tolos. Dizer que se quer ver quadrinho como um produto de massa? Isso é dar algum tipo de esperança para o jovem que está começando e não entende de nada. Quadrinho foi - muito tempo atrás - produto de massa. Hoje, até novela tem sofrido em alcançar as massas como a Globo gostaria... Fazer certos comentários, sendo alguém importante no mercado é quase leviano...
Também escutei esta semana que o evento de hoje traria algo "revolucionário". Que o objetivo seria que um dia, mangá possa alcançar as massas. De novo, espanto-me com certos comentários. Ao menos que meu "Houaiss" esteja errado, revolução é uma "mudança radical, uma transformação súbita". Alguém me explica, por favor, que transformação o mercado de quadrinhos (mangás) sofreu com os anúncios de hoje?
Também temos o conceito de massa, que surgiu lá atrás com a escola de Frankfurt. "Massa" é um termo usado para designar um grande número de pessoas em uma indústria cultural. Historicamente, quadrinhos já foram produtos de massas no Brasil. No miolo do século XX. Não estou no mercado, não trabalho em nenhuma editora e nem faço quadrinhos - como já vi gente falar no Twitter e nas entrelinhas - mas tenho fontes muito boas para fazer meus comentários...
O termo "massa", hoje, é discutível. E não sou eu quem diz isso: são estudiosos da área da comunicação e social como Zygmunt Bauman, Stuart Hall, Pierre Lévy, Chris Anderson... Certo... eles são acadêmicos... Mas, será que representantes da Warner, Exim, Viacom entre outros, que também já mencionaram mudanças de comportamento da transitoriedade das massas para os segmentos também estão errados? Será que os diversos sites de marketing e comunicação estão errados - veja este artigo - em apontar quedas nas circulações de revistas de massas? O mercado de quadrinhos conseguiria ir contra a correnteza?
Tipo... vamos deixar de preciosismo e sejamos realistas. E por favor, não queiram denigrir meus comentários só porque "aquela pessoa não está mercado, não trabalha para nenhuma editora..." Porque "estou dentro deste mercado estando fora". Como meus leitores são inteligentes, eles entenderam exatamente a lógica do que acabei de escrever!
Assim, eu fico feliz pelo lançamento de Sailor Moon porque era algo esperado. Muito esperado mesmo... Fico feliz por Combo Rangers, cujo lançamento é 90% mérito do Fábio Yabu. Contudo gente, vamos colocar os pezinhos no chão: nada muda no mercado de mangás. Se alguma coisa mudar, é pelo exemplo que o Fábio Yabu deu em acreditar no próprio taco. E que um trabalho pode ser viável com outros recursos. Certo?
Por fim... A imagem deste artigo eu peguei da net. Não sei se é oficial ou um fanart. Só sei que é muito bonita!
←  Anterior Proxima  → Inicio

13 comentários:

Victor Hugo Carballo disse...

Eu vi uma meia dúzia de episódios de Sailor Moon ao longo da vida, tudo pela metade. Mas achei o traço bonito. Faz tempo que só leio Fairy Tail e One Piece. Com certeza vou comprar esse mangá.

Willier disse...

Quadrinhos para as massas já era. Agora é produto de nicho. Coisas que as mudanças de comportamento da sociedade nos proporcionam ao decorrer dos anos.
No mais, essa imagem da Serena deve ser oficial. Se não me engano esteve em uma das edições da saudosa Animax (ou seria da Japan Fury).
Abraço.

L.Karina disse...

Bem legal lançarem ''Sailor Moon'' no Brasil. Na minha opinião demoraram de mais para lançar. O anime nem passa mais na televisão e o público será de fãs saudosistas.
Quadrinhos sempre foram produtos de massa, mas agora está cada vez mais virando produto de nicho.
Infelizmente no Brasil a produção cultural e de entretenimento depende de maneira exagerada de investimento estatal e não vejo a coisa mudando. O ruim disso é que se alguma obra contrariar o governo ela não venderá e claro será esquecida.

Anônimo disse...

Oi Sandra, essa imagem é do artbook: Bishoujo Senshi Sailor Moon Original Picture Collection Vol. III. Provavelmente o manga lançado aqui vai ser o que foi redesenhado, não sei se os dos anos 2000 ou os mais recentes que estão saindo agora. Com quantidade diferente de páginas e algumas atualizações, tipo trocando o desenho de disquete por DVD, essas coisas. Pelo menos o mangá é bem melhor que o anime, com muito mais drama e ideias filosóficas, evolução dos personagem e sem quilos de fillers terríveis ^^

Renato Hack disse...

Excelentes comentários!
Particularmente vejo até mesmo o mercado americano como nicho. Inclusive há uma editora de lá (infelizmente não recordo o nome) que começou a trabalhar com o nicho do próprio nicho, trabalhando com segmentos mais limitado para os otakus e fez sucesso.

Natália Maria disse...

Olá!!

Interessante o que você quis dizer comentando sobre a atitude da JBC. Se eles falassem que a internet é revolucionária, seria outra coisa, aliás, é através dela que temos conhecimentos e oportunidade (mesmo que por alguns meios ilegais) de ler, ver os animes antes de todos. E não só isso, tudo está sofrendo com a internet.

Eu sei do que estou falando. Trabalhando numa revistaria e livraria todo dia tenho que "lutar" contra a maior concorrente das publicações em papel: a internet.

Se o mercado de quadrinhos sofrer alguma alteração com o anúncio feito, eu retiro o que disse. E lendo o texto, lembro que no Fest Comix ano passado a JBC respondeu a uma pergunta a cerca dos mangás shoujos, do porque eles não serem lançados com força na editora por não venderem bem. Só Sailor Moon, por ser uma clássico, vai vender?

Estranho essa posição da JBC. Estão meio que se contradizendo...

Desculpe se eu fugi um pouco do tema principal.

Fiquei feliz por Sailor Moon finalmente sair por aqui. Isso significa que o mangá vendeu bem em outros países não? E eu já havia dito que iria comprá-lo. Ai, ai meu salário.

Até mais

Anônimo disse...

Estou muito feliz pelo futuro lançamento de Sailor Moon já que há anos os fãs esperam, e isso veio na minha opinião em ótima hora, já que ele pode ser lançado "quase que" em conjunto com o remake que virá, o que pode ajudar a alavancar mais as vendas. Disseram nos comentários que a JBC disse que não lança shoujos por não venderem bem, mais acredito que a questão está em qual título é, vide o caso de Sakura que me parece ter tido boas vendas pois até uma reedição ganhou, coisa que não aconteceria se fosse o contrário obviamente. Sailor Moon teve anime exibido no país e mesmo com todos os problemas de exibição tem uma boa base de fãs, espero que venda tanto quanto Sakura pois é um clássico do gênero. Além disso foi o Shoujo mais vendido o ano passado nos E.U.A ficando em 2° lugar na lista geral, portanto acredito que o mangá vá vender bem se a JBC fizer um bom trabalho.

Digo disse...

Aqui sim dá gosto em comentar e ler os coments. Sailor Moon é mais que aguardado. Um dos principais titulo que faltavam ser lançados por aqui. Quem sabe uma boa vendagem possa ajudar a maior visibilidade da marca no Brasil. Vamos torcer para ser a versao de 2000 com aquelas capas lindas e em 12 volumes (a versao comercializada pelos demais paises) e para Sailor V e as estorias especiais estarem inclusas no pacote. E para quem tem duvidas a estoria é muito melhor que a do anime, com mais suspense e drama.

Sandra Monte disse...

"Digo"... O_O
"Aqui sim dá gosto em comentar e ler os coments."


Eu gostaria de dizer a todos que o "Digo" não sou eu... O comentário "puxa-saco" é por conta dele(a)...

hahahah hahahahahh hahahaha

Digo disse...

Kkkkk. que isso Sandra. To falando a verdade. Tem um povinho muito infantil con uns coments que da nojo d ler tamanha imbecialidade, em outros sites ai. Pior que se for considerar, as vezes nem é publico que realmente consome os produtos Povo reclama de tudo. E nao eh so por ser fã. das Sailors. To stressado mesmo kkk. É a idade. kkkk

Philippus Xaverius disse...

Cara Sandra,
Tenho opinião semelhante quanto a problemática do termo "massa", que tem se tornado vago nestes tempos pós-modernos.

Sobre o estudo acadêmico que fizeste sobre o quadrinho Joaseiro, onde eu poderia encontrá-lo?

Sandra Monte disse...

Por enquanto você ainda não encontra... Pois minha banca será neste sábado!

Dando tudo certo, daí sim ela poderá ficar online. Deseje-me sorte!

^^

The Fool disse...

Apenas um parênteses.
No Brasil, podemos dizer com alguma firmeza que quadrinhos viraram coisa de nicho sim.
Mas existem exceções: Luluzinha Teen é uma delas.
Mas por ene razões outros quadrinhos não conseguem mais sair do nicho onde se enfiaram.
No exterior não está da mesma forma também.
É isso.