Desejo: Boas Festas...

domingo, 27 de janeiro de 2013

Santa Maria: qual é a graça?

Navegantes...
Estou aqui para dizer algumas poucas palavras acerca do ocorrido em Santa Maria. Uma tragédia. Não há muito o que dizer. Espero, de coração, que Deus dê perseverança, sabedoria e força a estas famílias. Pois, saber que seu filho, irmão, sobrinho, amigo querido foi a um lugar se divertir e morrer terrivelmente não deve ser fácil.
Também quero lembrar um fato curioso. Tempos atrás, queixei-me da falta de noção das pessoas que ficavam insistentemente falando, "chorando, doendo-se" pela tragédia do tsunami no Japão. Houve muita falsidade naquela hora... Mas, hoje, coisa pior aconteceu e ainda está acontecendo: as piadinhas imbecis, de gente estúpida e sem o menor pingo de amor no coração.
Sério mesmo que esta gente acha engraçado tirar onda com o sofrimento alheio? Sério mesmo que esta gente cretina acha que "tem que ser policitamente incorreta" para tudo? Sério... vão se foder todos vocês que acham isso. Meus leitores sabem não gosto do "politicamente correto". Acho que daí sai muita hipocrisia. Mas, com tragédia... não tem como ser "engraçadinho", não tem como achar graça.
Que vocês que estão tirando onda, nunca passem por uma situação como os que morreram, e nem estejam no lugar destas famílias. E, que algum dia, vocês possam minimamente, ter um pouco de consicência. Nem tudo é para tirar onda. Nem tudo é para ser engraçado. Nem tudo, gente, é para ser incorreto.
←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

João Paulo disse...

Nesse caso acho q nem estão sendo só "incorretos". Estão sendo idiotas, babacas que não tem compaixão pelo sofrimento alheio. Certos momentos não cabem piadas e brincadeiras, mas seriedade.
Abraços.

nekomimi disse...

Oi, Sandra:
Na verdade, nem se pode chamar isso (as piadinhas em torno de tragédias) de "politicamente incorreto". O termo certo para isso é "imbecilização", "idiotização" ou "banalização".
Uma coisa é gostar de ver um mangá ou anime com cenas de violência extrema e crueldade explícita contra humanos (sejam crianças, adultos/as, homens, mulheres, jovens ou idosos/as) e animais (afinal de contas, têm gosto para tudo no universo FICTÍCIO dos quadrinhos, animações, literatura, etc.), que são, no fim das contas, FANTASIAS, por mais brutais que sejam.
Já gostar de fazer piadas imbecis e infames de fatos e acontecimentos trágicos da VIDA REAL, aí é BEM DIFERENTE: a pessoa que acha graça na tragédia REAL que acontece no Brasil ou em outros países demonstra uma total FALTA DE SOLIDARIEDADE para com o próximo.
Nessas horas, lembro-me de um caso assim, relatado por uma prima minha que contou o que os usuários do MSN (ainda existe isso? Pelo que eu ouvi falar, a microsoft anunciou que o desativou no final do ano passado) com quem conversava comentavam sobre os atentados ao WTC naquele fatídico 11/9 de 2001:
Muitos brasileiros fizeram piadas (infames, inclusive) sobre a tragédia naquele dia. Alguns chegaram a postar fotos dos atentados, acompanhadas de textos humorísticos (má hora e aasunto para se fazer humor, na minha opinião).
Lembro de uma das fotos que ela me mostrou, de um dos sobreviventes da tragédia, com o cabelo desarrumado e sujo de poeira resultante da queda das torres gêmeas.
No texto abaixo da foto, um brasileiro que gosta de fazer piadas infames, ao que tudo indica, chamou o sobrevivente de um dos Três Patetas (por causa da vaga semelhança, reforçada pelo cabelo desarrumado e pela poeira no cabelo e na roupa. Só que, não me lembro qual era o nome).
Essa é apenas uma pequena amostra do que os brasileiros andaram comentando sobre os atentados que vitimaram mais de 3 mil pessoas em Nova York, naquele dia.
Fiquei pensando: o que diriam os americanos (em especial, os novaiorquinos) naquela época se soubessem disso.
Enquanto o povo americano (e novaiorquino, principalmente) tentava se recuperar do choque psicológico e emocional causado pelos atentados naquele dia, havia brasileiros fazendo troça e piadas infames e sem graça da tragédia.
Infelizmente, os brasileiros têm uma fértil veia humorística e uma propensão a fazer humor até mesmo de tragédias do MUNDO REAL, o que é pior, já que as vítimas não só existem (são de carne e osso, ao contrário dos personagens de ficções escritas ou desenhadas) como também têm famílias, parentes e amigos igualmente REAIS. Não dá para ignorar essa fato.
Mas, o que se pode fazer? Brasileiro é (infelizmente!) assim mesmo.
Talvez outros povos demonstrem mais solidariedade (ou empatia, se preferir a expressão)em relação a vítimas de tragédias do que os brasileiros, quem sabe (já que não tenho certeza quanto a isso).
Só sei dizer que existem muitos brasileiros que são chegados a uma piada escrota ou a uma demonstração de falta de solidariedade ou empatia para com o próximo (sejam humanos ou animais, até; digo isso porque, num país como o nosso, onde atropelar animais nas ruas e estradas não só virou algo comum como também uma forma de diversão, não é de se admirar que haja gente que ria das tragédias que acontecem com os outros).
O texto ficou longo, talvez até demais, mas só assim eu posso expor da maneira mais completa possível o meu ponto de vosta.