Desejo: Boas Festas...

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

ANIMA INFO 1554 - Especial

A Origem dos Guardiões

Os Guardiões são as lendárias figuras carismáticas do universo das crianças: Papai Noel, o Coelhinho da Páscoa, a Fada dos Dentes e Sandman. Esses portadores benevolentes de presentes, ovos, dinheiro e sonhos são muito mais do que parecem ser. Na animação da Dreamworks/ ParamountA Origem dos Guardiões, eles são imortais, fortes e espertos, cuja missão é proteger a inocência e imaginação das crianças de todas as idades com toda a extensão de seus poderes.
Quando a ameaça chega com um plano de apagar os Guardiões do mapa, roubando as esperanças e sonhos dos pequenos, eles precisam da ajuda de Jack Frost, um novo recruta inseguro que prefere aproveitar um dia de neve a salvar o mundo. Os heróis se envolvem em uma batalha global contra o Bicho Papão, cujas maquinações para conquistar o mundo espalhando o medo pelo planeta só podem ser derrotadas pelo poder da crença e pela magia dos Guardiões.
Esta animação tem alguns traços curiosos. O fato das lendas infantis se reunirem em uma sala, apontando seus interesses e suas divergências, faz-nos lembrar de um outro grupo apresentado este ano: A Origem dos Guardiões poderia ser lembrada com a versão infantil de Os Vingadores. Afinal, no final das contas, o grande objetivo de todos é proteger o mundo.
Como todos estas figuras lendárias foram, originalmente, trazidas ao Brasil pelos europeus, eles são facilmente reconhecidos. Porém, duas destas figuras da história podem ser incompreensíveis ao brasileiros. Um dos personagens até tem nome traduzido no país, mas que não foi aproveitado. Sandman seria o equivalente ao João Pestana.
Já o herói maior da animação, este sim, nós não temos como conhecê-lo. Trata-se de Jack Frost. Ele é uma mito do norte europeu, cuja função seria levar o frio aos lugares, com especial atenção ao fato dele fazer nevar. Como no Brasil o inverno não é intenso, praticamente não neva, a lenda do personagem não é conhecida aqui. Talvez porque todos as outras figuras trazem algum referencial: Papai Noel e o Coelho da Páscoa têm relação com um fundo religioso; as crianças perdem os dentes, logo faz sentido o conhecimento da Fada dos Dentes; Sandman é o equivalente do "João Pestana", figura vinda ao Brasil pelos portugueses. Ele é responsável pelo bom sono das pessoas.
Até mesmo o Pé Grande nós o conhecemos, seja pelo cinema ou desenhos animados da televisão. Mas, Jack Frost não nos foi apresentado nem pelos imigrantes que para cá vieram, e nem mesmo pelo cinema ou TV. Ou seja, justamente o herói da história pode causar algum estranhamento. Contudo, o fato não é um problema em si, já que o roteiro foi muito bem amarrado.
A animação é interessante, porém um pouco escura. O desenho dos personagens também é bonito. Bem diferente os pôsteres vistos nos metrôs de São Paulo, por exemplo. As imagens de divulgação não foram muito felizes e nos dão uma sensação de sufocamento, algo quase malévolo. A animação não é deste jeito, os personagens não têm cara de maus. Nem mesmo o vilão.
Um dos pontos fortes de A Origem dos Guardiões é a música - providencial em várias momentos do longa-metragem - de Alexander Desplat. O músico é o responsável musical de sucessos recentes como O Curioso Caso de Benjamin Button, Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1 e 2, O Discurso do Rei, A Saga Crepúsculo: Lua Nova e também da animação O Fantástico Sr. Raposo.
Para esta animação vale a pena assisti-la em telas grandes, como os "Extremes" do Cinemark. E ter uma atenção especial para a dublagem de Isabelle Drummond (a Fada)e Thiago Fragoso (o Jack). Normalmente, atores de cena não se saem muito bem quando dublam. Mas, os dois ficaram muito bons em seus respectivos personagens. A Origem dos Guardiões já é um bom "preparativo" para o espírito natalino, apesar do momento mais importante da história acontecer na Páscoa.

sábado, 17 de novembro de 2012

E o primeiro anime brasileiro poderia ser...

EDITADO DIA 18/11 ÀS 00h07 - VER FINAL DO TEXTO
Navegantes,
Estes dias de pura ociosidade, estive a pensar algo interessante. Por que não há anime brasileiro? Bem... haveria uma séria de comentários bastante óbvios... especialmente porque animação no Brasil é algo pífio ainda, não tem investimento, não tem mão-de-obra... Mas, há um ponto que até o momento, nunca vi ninguém mencionar.
O primeiro anime brasileiro não seria um curta-metragem ou longa-metragem... Nem tão pouco uma série de televisão. O mais viável para que haja um primeiro anime no Brasil talvez seja onde há mais animações nacionais: na propaganda. Já imaginaram que legal seria ver uma propaganda de um miojo, de uma Sony, Toyota ou afins sendo uma propaganda-anime? Eu ficaria deveras feliz. Quem ai ficará contente também? Tipo... se virasse um "hit" como os poneis malditos? Ou o hominho do Contonete, o Elefante do extrato de tomate...
Pela própria História da animação brasileira, este talvez seja o pontapé ideal para um anime nacional!!! Vamos propagar a ideia? E a imagem ao lado foi retirada do site Xdragoon, já em ritmo de Natal...
Acabei esquecendo de dizer... Por que uma propaganda? Simples... A publicidade tem "naturamente" grana para fazer. Basicamente, é isso.

E se Seiya tivesse lutado com ele?


Navegantes!!! O Cartoon Brew sempre traz animações interessantes. O vídeo acima é o desenho The Saga Of Biorn feito na Dinamarca e exibido no Brasil no Anima Mundi do ano passado. Um título muito engraçado, da busca de um guerreiro pelo descanso eterno em Valhalla!!! Afinal, cada um com seu céu!!! Assistam, é super divertido! Se Seiya tivesse lutado com ele... hahahah

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O curta-metragem mais lindo do mundo...

A Pequena Vendedora de Fósforos
Simplesmente, veja...

ANIMA INFO 1553

Flash Mob do Pica-Pau acontece na Av. Paulista



No dia 24 de novembro (sábado) das 14h30 às 16h, acontece na Av. Paulista a 9a. edição do Flash Mob do Pica-Pau. É um encontro comemorativo referente ao episódio Vamos às Cataratas. Para participar, é necessário estar no pontualmente no horário no local com uma capa de chuva amarela. Logo após, o participantes caminharão pela avenida.
"Flash Mob" é um tipo de encontro rápido que as pessoas fazem em determinado local já pré-difinido. Normalmente, estes encontros são agendados pelas redes sociais e acontecem muito rapidamente. Por isso, aos interessados em participar do chiste, é só chegar no horário agendado.

Comentário rapidão para os caros leitores!!!

Navegantes,
Peço desculpas pelo sumiço dos últimos dias. Mas, estive um tanto ocupada. Tenho que fazer alguns trabalhos da pós, e isso leva algum tempo. Também pretendo escrever nos próximos dias... quiçá este feriadão... sobre aquele "causo" no mercado de animes. A coisa já meio que resolvida. Vamos ver. Demais, tentarei fazer alguma notas, não pretendo abandonar o blog e o Twitter.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Aquela tal Disney... mais da Crunchyroll e o que são majors

Navegantes, primeiramente, esta imagem eu peguei do site Pipoca Moderna. É bem elucidativo para falar sobre o assunto. Sim, a Disney comprou a Lucas Film e todos os interessdos em cinema já devem saber do fato. Provavelmente, foi a aquisição do ano.
Estou a escrever este post apenas para lembrar como deve ficar configurado o mercado para os próximos anos. Imaginem o cinema, animações de TV, quadrinhos e produtos diversos tomados por Os Vingadores, Liga da Justiça (Warner), heróis e agora Star Wars. O anúncio da compra aconteceu na terça passada, dois dias antes do anúncio Crunchyroll no Brasil.
Assim, vemos que cada vez mais a necessidade de união dos fãs de animação japonesa no Brasil. Não adianta se unir em torno de algo ilegal, de algo que não traz produtos, não traz atenção positiva... Pois, as "majors" são organizadas e elas estão agrupando e/ou engolindo - como um buraco negro da astronomia - tudo o que está em sua volta e valha a pena financeiramente. E elas, em sua organização, chamam para si a atenção de seus produtos. São estes produtos que veremos fortemente em mochilas, cadernos, lanches de lanchonetes, na TV, quadrinhos, DVDs, etc...
E, aqui também registro uma informação. Há um conceito usado na área da comunicação e cultura - surgido especialmente no cinema lá nos anos 30 - que algumas pessoas conhecem, mas têm uma ideia equivocada do que seja: majors. "Majors" são as empresas mega gigantescas que dominam justamente a cultura e comunicação de massas. Vejam: dominam em todas as esferas: desde a produção até a distribuição. Li no Facebook um comentário de que a Saban seria uma "major". Não é. O ato da dominação de uma "major" chega, inclusive, na esfera política. Ou seja, não se compara empresas menores como uma Crunchyroll com nenhuma major. Os efeitos de "dominação" chegam em leis de copyright, em jabás, entre outras imposições...
A coisa começou no cinema e se expandiu para a TV, editorial, parques, maquinários, etc. Por isso, há somente seis "majors" no mundo, aquelas empresas que dominam cerca de 70% dos mercados, de uma forma ou outra.
Se você pensar em comunicação e cultura, muito provavelmente encontrará alguma empresa pertencente a uma "major", ou que precise desesperadamente dos produtos delas para sobreviver (vide Netflix), ou que tenham que pedir permissão para não sofrer sanções (vide Youtube) . E, no caso da Disney, fica um chute: no mundo físico acho que não falta ela comprar mais nada... Mas, Google, Amazon, Facebook estão aí... São elas:

EMPRESA (major/ matriz) - suas empresas menores e/ou subsidiárias

Time Warner (a maior) - Warner Bross (estúdio), Warner Music, revista Time, DC Comics, Cartoon Netwook, CNN, etc.
The Walt Disney Company - Walt Disney Pictures, canal ABC, canais Disney, ESPN, Marvel Studios, Lucas Films, parques, etc.
NBC Universal - Universal Studios, canal NBC, Telemundo, Hulu, parques, etc.
News Corporation - 20th Century Fox, The Sun, Fox News, National Geografic Channel, etc.
Viacom - Paramount Pictures, Nickelodeon, MTV USA, etc.
Sony Corporation - Sony/Columbia Pictures, Sony Music, eletrônicos, games (Playstation), etc.

E, não pensem vocês que as "majors" se odeiam. Elas são concorrentes, mas quando têm interesses em comum, todas se unem. E, na escolha por um produto, uma major consegue convencer outras empresas a adquirir suas licenças, já que as seis têm uma estrutura bem definida. No caso brasileiro, por exemplo, todas as seis estão presentes, o que já nos mostra a organização e poder de fogo financeiro. Se uma empresa que faça mochilas tiver que escolher uma marca, tende a escolher uma que pertença a uma "major".
Daí, fica a questão: dá para rebatê-las? Não. Mas, se tentarmos nos unir em algo em comum, legal e visível para nossas empresas, quem sabe não encontramos um espaço? Um espaço para vermos um anime nas mochilas, cadernos e afins... e não mais um Ben 10... Afinal, os memes do Facebook já viraram mochilas e cadernos. Por que um anime exibido legalmente na net não poderia encontrar seu espaço no mundo real? Pense nisso, otaku. Pense nisso.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

ANIMA INFO 1552

Série de TV "Como Treinar o Seu Dragão" chega em dezembro

Em dezembro acontece a pré estreia de DRAGÕES: PILOTOS DE BERK no Cartoon Network em 3 de dezembro, às 20h (horário de Brasília). Dando continuidade ao sucesso das telonas Como Treinar o Seu Dragão, o herói Soluço e todos os membros da sua comunidade embarcam numa jornada pela harmonia perfeita entre homens e dragões. Poderes extraordinários, novos mundos e lutas contra novos vilões são só uma parte do que o público pode esperar dessa animação.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Mercado de animes no Brasil: Crunchyroll - a cretinice dos otakus...

Editado: acréscimo no texto às 21h
Navegantes,
Foi lançado oficialmente no Brasil o Crunchyroll, site que faz exibição em streaming. O valor inicial para a aquisição do pacote é de R$ 9,99. Há um ponto que assusta, que é referente ao pagamento de quem escreve para o site... Os caras entendem que R$ 9,99 é um bom "salário" para os blogueiros que lá estão escrevendo. O que para mim, caracteriza trabalho escravo... Mas, enfim... pulemos esta parte... Afinal, houve quem aceitou tais condições.
Avisaram-me via Facebook. O que me chamou a atenção foram os comentários no site PunchSub, um fansubber conhecido no universo otaku. Lá, o pessoal paga R$ 10,00 para baixar os animes. Só não escrevo um palavrão porque seria muito feio... Mas, gente, tenham vergonha nesta cara imunda!!!! Vocês pagam 10,00 reais para uma empresa não oficial e uma oficial, vocês se recusam? A exibição oficial é a única forma de salvar o anime no Brasil, daí todos vocês fazem "ânus glicose" para não pagar?
Deixem de ser cretinos, safados e pilantras. Vocês pagam 100 reais para entrar em um evento de anime, pagam mais 30 reais por produtos piratas, uns 15 por um mangá e vocês dizem que 10,00 reais é muito para ver animes oficialmente? A empresa mostrou uma má vontade ante a questão do profissional de texto, daí vocês mostram mais má vontade em tentar fazer o mercado crescer?
Sério... Tenho muita vergonha alheia de vocês, otakus pobres não de grana... Afinal, qualquer grana de vocês sai do bolso de papai e mamãe. Vocês são pobres em consciência, pobres de espírito. Pobres miseráveis IGUAIS ao políticos tão criticados deste país.
O PunchSub, teve a decência de tirar de sua grade, animes existentes no Crunchyroll. Tenham vocês a decência de adquirir estes mesmos animes legalmente. Um erro (da empresa) não justifica o outro (o de vocês)...
Ah, e li que muito otaku acha que as coisas devem ser de graça na net, que é característica da rede. Ou seja, se é para ser tudo de graça, qual o sentido de se produzir animes, filme ou qualquer outra coisa? Onde está o respeito para com toda a gente que produziu o anime? E, onde fica o lucro dos caras? Gente, ninguém no mundo faz nada de graça...
←  Anterior Proxima  → Inicio