Desejo: Boas Festas...

quinta-feira, 31 de maio de 2012

ANIMA INFO 1536 - Especial

Branca de Neve e o Caçador

No filme épico de ação e aventura Branca de Neve e o Caçador (Snow White and the Huntsman), Kristen Stewart (Crepúsculo) interpreta a única pessoa na terra mais bonita do que a rainha má interpretada por Charlize Theron.
Porém, o que a tirana não imaginou é que a jovem que ameaça seu reinado vem treinando a arte da guerra com o caçador (Chris Hemsworth, o Thor). Sam Claflin (Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas) se une ao elenco como o melhor amigo de Branca de Neve e que faz alusão a um príncipe.
Esta nova visão baseada na história clássica dos irmãos Grimm é de Joe Roth, o produtor de Alice no País das Maravilhas e do produtor Sam Mercer de O Sexto Sentido.
Logo é possível, vendo quem são os responsáveis pela produção do longa-metragem, familiaridade com algumas cenas, visual e estética. Este Branca de Neve realmente lembra Alice, especialmente no figurino da protagonista. Também lembra um pouco outro filme de época: Elizabeth: A Era de Ouro.
Pegando pelo prisma da produção, é um bom filme, apesar de ter uma fotografia um tanto escura em certas sequências. Também tem uma boa trilha sonora, talvez o elemento maior da produção. Todavia, no que diz respeito ao roteiro, há algumas ressalvas. Esta é uma heroína que transita entre ser forte e fraca. Entre um amor e outro, entre ser "boazinha" e ter que agir com rigor contra a madrasta.
Talvez porque Kristen Stewart ainda não tenha se desvincilhado da imagem de "Bella" de Crepúsculo. A atriz fez bem em tentar sair da imagem de "namoradinha" de vampiro. Entretanto, ela ainda não convenceu com esta personagem. Quem também não convence muito é Chris Hemsworth. O caçador dele parece um Thor medieval.
Além de um roteiro que oscila entre ser sério e ter um "toque mágico", a direção também não foi muito feliz. Tanto que até mesmo as figuras que deveriam ser carismáticas na história não são: os anões. Nenhum deles conquista o espectador.
Talvez o grande problema que esta versão de Branca de Neve encontrará é a imagem que Espelho, Espelho Meu deixou. Apesar deste ser uma comédia bem ao estilo Sessão da Tarde, parece que Lily Collins convence mais em sua mudança de "delicada" a "destemida" e Julia Roberts como uma "rainha malvada louca de pedra".
Branca de Neve e o Caçador é um bom filme para que gosta do estilo Crepúsculo. mas, pode decepcionar quem espera algo mais sério ou quem aguarda uma Branca de Neve forte. Esta não é. E nem a rainha é tão má quanto deveria ser.

Björk e o seu Vênus...


Navegantes,
Eis mais um clipe mucho louco da época boa da MTV! E sim, outro clipe meio estranho... Ou vocês acham que só a Grace Jones (veja posts abaixo) fez coisas doidas? Venus As A Boy é uma das melhores músicas da Björk. Ela tem um jeito meio "entojento"... ao menos quando veio ao Brasil. Entretanto, não dá para negar a excelência de música que a moça fez! Tanta gente imita a Whitney Houston... queria ver (ouvir) imitar a Björk... Tão difícil... quiçá até mais! Vejam e ouçam e depois me digam se não é verdade...

sábado, 26 de maio de 2012

Del Greco sai da JBC. E agora?

Navegantes,
A esmagadora maioria dos fãs de mangás e animes já sabem da saída de Marcelo Del Greco da gerência de conteúdo da JBC. Nos últimos tempos, houve problemas grandes e graves nos lançamentos da JBC. Podemos citar três em especial:

- Tradução e adaptação com seus "passar cerol na pipa"...
- Divulgação equivocada dos lançamentos da editora em redes sociais "pessoais"
- E, talvez, as baixas vendas

As baixas vendas podem - e vejam eu disse "podem", logo, é suposição - ter sido ocasionadas por tudo isso e mais um pouco como erros de impressão, gráfica ruim, etc. Alguns fatores, certamente, são foram culpa do Del Greco. É difícil mensurar o que ocasionou a saída dele da editora.
Mas, o fato me lembra um pouco o que acontece com os técnicos de futebol do país. Ele não tomou as decisões sozinho, mas, como era ele quem dava a cara a bater, levou os "méritos"... Não se preocupem! Ele tem muitos amigos e já deve estar se arranjando no mercado. Bem... quero crer que sim...
Preocupem-se, por exemplo, com a situação dos mangás na JBC, a situação do Crunchyroll. Como fica? Porque a JBC nunca mais tocou no assunto e isso, a mim, é muito sério... Como já disse anteriormente, os relançamentos também preocupam. Afinal, quem garante que os mesmos estão vendando? São coisas a se pensar.
Quanto a nova gerência... apesar dele não curtir meus textos ou a mim, espero que faça um bom trabalho e não caia em algumas "armadilhas" que, parece-me, a Panini tem conseguido fugir... A JBC não. Agora saberemos, afinal, de quem era/é a "culpa" pelas mazelas vistas nos mangás da JBC nos últimos tempos...
E, aos interessados, outro site que fez (inclusive inspirou este post) comentários interessantes foi o Anikenkai. Se você já chegou até aqui, vá até ali no site e veja mais informações.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Vida de empreguetes, ah... você ainda não conhece?

Navegantes,
Quem diria que a Globo finalmente iria aprender a lidar com as redes sociais, internet e afins... Se você ainda não viu ou ouviu, não vai conseguir escapar por muito tempo do "Todo dia acordo cedo... Moro longe do emprego... Quando volto do serviço quero o meu sofá"...
Sim, Vida de Empreguetes é a música das três personagens de Cheias de Charme, novela que tem dado o que falar. Por quê? Curiosamente, a música é legal mesmo. Tem o toque "brega" que a história nos apresenta, com uma letra "sofisticada" para os padrões tecnobrega.
Mesmo que a pessoa não goste, é muito difícil não resistir a uma novela. Não tem jeito, faz parte de nossa cultura. Ainda mais quando uma novela é bem feita, quando é bem dirigida e há sintonia entre atores e atrizes. Não tenho tempo de assisti-la completamente, mas pelo que consigo ver, Cheias de Charme agrada.
E agrada porque esta novela, assim como Avenida Brasil, está inaugurando na Globo algo novo. A primeira por pegar o estilo musical para lá de Rebelde, mas com o jeitinho musical brasileiro, que, no final, é mais sincero e real do que os "roquetes" e "pop teen". Já a segunda cativa devido sua direção, argumento, roteiro bem trabalhos porém, o mais importante, interpretações impecáveis.
As pessoas não têm do que reclamar desta leva de novelas da Globo. Ao menos, das 19h e 21h. O Youtube tem algunas versões da música e do clipe, mas nada melhor do que assistir a Vida de Empreguetes no site oficial, com uma tremenda imagem e som impecáveis. Afinal...

"Levo vida de empreguete, eu pego às sete
Fim de semana é salto alto e ver no que vai dar
Um dia compro apartamento e viro socialite
Toda boa, vou com meu ficante viajar"

Queria ver se as Empreguetes e se a Chayene fizessem um show, se não iriam lotar um Morumbi ou até mesmo um Maracanâ... Alguém duvida? Afinal, as atrizes mostraram que também sabem cantar o estilo tecnobrega...

terça-feira, 22 de maio de 2012

Campanha do agasalho, já fez a sua parte?

Navegantes,
Contribua para a Campanha do Agasalho. Entre no site oficial e veja onde doar. Mas, sério... Doe algo "usável". Como diria o padre: não vá dar algo que você jogaria fora. Chega a ser estranho o que vou escrever mas... As pessoas são gente, e não lixo. Ok? Não deixe de ajudar... afinal, estamos aqui no quentinho de nosso lar. Mas, tem gente que nem um lar tem. Que, ao menos, possam ficar quentinhos também.

Ei otaku... sim, você mesmo! Preste atenção.

Navegantes,
Eu havia largado mão de falar de eventos de animes porque passei a achar que não valia a pena. Os otakus gostam - isso mesmo - gostam de ser ludibriados. Mas, fico contente que algumas pessoas estão a ver a realidade. Olhem este post lá no Facebbok. É de uma frequentadora que percebeu que "certos eventos" não valem a pena.
Alguns de vocês sabem que acho alguns eventos uma verdadeira palhaçada (perdão aos palhaços)!!! Os motivos dela são totalmente pertinentes e devem ser lidos. Se não dão atenção a mim, que ao menos vejam o post de alguém que - aparentemente - não tem mais intenção de ir em "certos eventos".
De minha parte, fica uma dúvida - que já mencionei várias vezes - alguns releases em sites oficias (até o fechamento desta nota) dizem que "certos eventos" - que acontecem em julho - chegaram a receber 100 mil pessoas. Algum otaku já fez uma continha básica? Supondo que em todos os dias o cidadão pagasse um total de 100 reais (uma média, viram?)... 100 reais vezes 100 mil pessoas dá uma soma de 10 milhões de reais!
Se realmente houve um número tão grande de pessoas (o que duvido), porque a organização de "certos eventos" traz sempre as mesmas atrações? Os mesmos cantores que até no Japão são decadentes? Sério... Quero crer que depois de anos, os otakus hão de ver como são trouxas em dar grana para gente inescrupulosa! Enfim... Leiam o post de desabafo da moça...

domingo, 20 de maio de 2012

ANIMA INFO 1535

Concurso de mangás é promovido pelo governo japonês


O 6º Prêmio Internacional de Mangá já está com as inscrições abertas. Realizado pelo Ministério das Relações Exteriores do Japão e Comitê Executivo do 6º Prêmio Internacional de Mangá, o objetivo principal é o compartilhamento da cultura pop japonesa e para auxiliar na promoção da compreensão a respeito do Japão.
Todos os detalhes podem ser vistos no site do Consulado Geral do Japão em São Paulo e também pelo site oficial em inglês. Em anos anteriores, o evento recebia o material em inglês. Entretanto, caso hajam dúvidas, o ideal é entrar em contato com o consulado. As inscrições vão até o dia 15 de junho.

Grace Jones, uma voz poderosa!!!


Navegantes,
Já faz algum tempo que não escrevo meus "momentos musicais"... Bem, acima, temos um dos clipes mais estranhos dos anos 80, ao estilo "Peter Gabriel". É da cantora Grace Jones! Sim, aquela negra que fez o filme Conan. Para quem não sabe, ela é uma grande cantora! Uma voz poderosíssima! A música é Slave to the Rhythm e como vocês verão, o clipe é para lá de estranho, mas a canção é muito excelente! Bons tempos do Clipe Trip, em que eu via estas coisas...

sábado, 19 de maio de 2012

Um post piegas? Pode ser...

Navegantes,
Este post é só para lembrar algo que, às vezes, esquecemos. Você (e eu também) fica aí reclamando da vida por tão pouco... Só que esta época do ano é mesmo para reclamar? Estamos aqui, no quentinho do nosso lar, com nossas famílias, com saúde... E aí? Por tão pouco reclamamos tanto...
Lá fora tem alguém precisando de tão pouco... Às vezes, um cobertor, uma palavra, um emprego... Qualquer coisa... e a gente aqui reclamando da vida. Vamos engolir um pouco nossas queixas, porque olhando para tudo, vemos que não há o que reclamar... Alguns aí vão falar: "nossa, que post piegas!!!". Pode ser. É só para não esquecermos o que temos...
E, esta imagem eu peguei no Google.

Uma semana de sumiço... verdade...

Navegantes,
Esta semana, como todos vocês puderam ver, sumi. Nada em especial, apenas total e completa falta de tempo devido ao intenso trabalho. Espero ter mais tempo esta semana para fazer atualizações. Acabei recebendo infos legais e releases interessantes, que não tive oportunidade de publicar. Paciência.
Nem novela eu vi...
Também tenho que ler dois livros. Um relativamente curto e rápido. Mas o outro... Darcy Ribeiro, preciso dizer mais? Também há alguns textos para a pós e alguns outros preparativos em minha vida pessoal. Também espero que, em breve, eu possa divulgar uma novidade que está em "stand by". Algo realmente legal a alguns fãs...
Enfim... Retornando...

domingo, 13 de maio de 2012

ANIMA INFO 1534

Parque no Japão ganha atração de Harry Potter

Segundo o site Global License, a Universal Studios Japan fez uma parceria com a Warner Bross. O parque Universal Parks and Resort Japão terá entre suas atrações em 2014 o The Wizarding World of Harry Potter, um grande complexo cuja temática é o bruxo inglês. Já há uma atração de Harry Potter no parque Universal em Orlando e, segundo representantes das empresas, o personagem continua sendo uma marca forte. Aparentemente, o objetivo é expandir a atração The Wizarding World of Harry Potter pelo mundo. Fica a esperança que venha ao Brasil. Lembremos que a Warner tem uma parceria com o parque Hopi Hari, com os heróis da empresa em atrações no local.

Só breves comentários de "Os Vingadores"

Navegantes,
Achei mais conveniente deixar a poeira da euforia do lançamento passar para falar de Os Vingadores (Avangers). Não há muito o que dizer: o filme é muito bom, tem um roteiro bem amarrado e prende até o final. Os atores são gatíssimos, um verdadeiro colírio para o público feminino.
Como bilheteria, bateu todos os recordes. E, já até bateu a marca de um bilhão no mundo. Tem gás para conseguir mais? Possivelmente tem. Será batido pelo novo Batman? Bem, isso não sei, o segundo tem que ser extraordinariamente bom. Caso não seja, em bilheteria, "Os Vingadores" provavelmente será o filme do ano. E com um diferencial: estreou fora da época das férias...
Mas, há um fato bem curioso: o número de "otakus" que falaram, adoram e idolatraram o filme. Olha... foi muita gente. Daí, fica uma pequena curiosidade da minha parte: a galera esqueceu que é "comics"? "Os Vingadores" nos mostrou o que realmente falta ao mundo dos animes. Organização... Planejamento... Só isso. E claro, uma ótima obra!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Um mangá nacional que vale a pena...

EDITADO em 12/05/2012 às 20h25. Ver novo texto ao final deste post.

Navegantes,
Já mencionei sobre o assunto em ocasiões anteriores, mas acho que vale mais comentários a respeito. A questão do mangá nacional. Muito se falou disso na ocasião do lançamento de "Turma da Mônica Jovem" e outras revistas, que não tiveram continuidade.
Muito se questiona se existe mangá nacional. Bem, existe sim. Ou deveria existir. Entretanto, porque os títulos não dão certo? Como eu já disse anteriormente, faltam bons roteiros. Nós estamos no Brasil, temos uma cultura totalmente diversa e mesmo assim, vemos alguns autores tentarem, por exemplo, fazer histórias com samurais. Ou coisas ligadas ao Japão, nomes japoneses...
Este tipo de história dá errado porque há uma "carga" cultural e sentimental que não temos. Sabemos no papel o que são alguns fatores ligados ao Japão. Mas, a verdade é que sabemos a História. Não a sentimos. Este é o ponto: sentimento. Sentir o lugar, os sentimentos do povo, o clima. Sentir para poder transmitir isso para o papel.
E, talvez por uma resistência a nossa própria cultura, que temos histórias tão medíocres. Contudo, li uma que conseguiu ser tudo um pouquinho o que eu disse acima. Joaseiro.

O mangá se passa basicamente no período de 1910 a 1911, época em que o vilarejo de Tabuleiro Grande, ansiando liberdade dos pesados impostos que lhes eram cobrados, decidem desvencilhar-se da cidade de Crato, da qual faziam parte, originando a emancipação da vila que, futuramente, seria conhecida como a cidade de Juazeiro do Norte.

Por que a história foi boa? Houve quem me dissesse: "ah, mas fala do Padre Cícero... religião, não pega nada". Pois é... é este tipo de pensamento que denota com tudo no Brasil. A história não fala necessariamente do Padre Cícero. Mas, da influência dele na vida das pessoas. Ou seja, é uma história da História. Entenderam a diferença do "história" com "h" minúsculo e maiúsculo?
Talvez seja isso que falta: entender nossa própria História para que se possa escrever histórias sobre um assunto. Poderia ser sobre qualquer coisa, mas, não necessariamente sobre o fato em si. Um dos melhores e mais conhecidos mangás neste sentido  foi A Rosa de Versailles de Ryoko Ikeda. Ela conseguiu brilhantemente, escrever sobre a Revolução Francesa, sem necessariamente a revolução ser o assunto principal...
E isso tudo o que eu disse não é só sobre algo com "cara" histórica. É algo com "cara" brasileira. É isso o que tem faltado. Mais mangás como Joaseiro. Parabéns ao pessoal que produziu esta obra! E, espero que em breve, eles possam colocá-lo online para que todos vejam e entendam...

Allan Fefferson – desenho, tons e cores
Israel de Oliveira – desenho e storyboard e arte final
Jefferson de Lima – arte final
Hiroyto Sobreira – roteiro
Tony Paixão – tratamento digital
Edson Gonçalves – publicação
Luís Monteiro – coordenador do projeto
Leandro da Silva – tesoureiro
José Fábio Vieira – presidente

Fazendo um acréscimo devido ao comentário do JMTrevisan lá no Twitter. Ele comentou: "Só discordo de uma coisa, @papodebudega :Pq o brasileiro precisa se limitar à propria cultura se vc cita A Rosa de Versailles de Ryoko Ikeda". Verdade... o problema é que não comentei, mas nem a História do Japão o povo conhece direito. E quando conhece, esquece que a história tem que ter "alma" brasileira. É feito para o nosso público. Então, mesmo que se faça um mangá com tema de fora, esquece-se do tal "sentimento". E, quando se coloca "sentimento nacional", achamos que fica algo "fake".
Ryoko Ikeda conseguiu fazer A Rosa de Versailles porque a Revolução Francesa era só o pano de fundo. A história propriamente dita estava o relacionamento da Oscar e do André. O tal "sentimento", nesta história, fica por conta do que Ikeda percebeu o que o público feminino no Japão queria: uma história de amor com o homem "surreal" (sim, porque um homem como o André não existe nem no Japão e nem no restante do mundo, o homem ideal).
Os pretensos "mangakás" brasileiros deveriam, seriamente, ver novelas. Novela é nosso principal produto de massa. E os autores, normalmente, escrevem algo que agrade a "alma brasileira". Ou, como vocês acham que a Chayene de Cheias de Charme faz tanto sucesso? Menos preconceito com o que é nosso cairia bem.
Basicamente, era este o acréscimo...

terça-feira, 8 de maio de 2012

Sustentabilidade sim, sacanagem não (sacolinhas plásticas)


Navegantes,
O vídeo acima traz-nos breves considerações sobre o uso das sacolinhas plásticas. Aqui em São Paulo, aos que não sabem, os mercados não estão mais distribuindo sacolinhas plásticas para os consumidores. A alegação é ambiental. Sério mesmo? Sério mesmo que as sacolas que TODOS teremos que COMPRAR não fará efeito ambiental? O vídeo acima, cujo autor eu gostaria de saber quem é, mostra-nos que é mais uma questão financeira que qualquer outra coisa.


E o vídeo acima, da Plastivida, mostra-nos que os mercados que ainda estiverem dando sacolas pode sim continuar "dando". Eu sou totalmente a favor de um mundo sustentável. Entretanto, a retirada das sacoquinhas tem outra motivação. Alguém já perguntou se o preço dos produtos caiu? Caiu nada!
Continuamos pagando a mesma coisa e ainda temos que "pagar" pelas sacolas que nos vendem. Teremos que jogar nosso lixo naquelas sacolas pretas, teremos que pagar por isso e pior, o mundo continuará com plásticos! Só que com uma diferença: pagaremos mais por isso!
Vá a mercados que continuam dando as sacolinhas e, se possível, divulgue para as demais pessoas.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

ANIMA INFO 1533

Editais de roteiros de animação estão abertos em SP

O Centro Cultural da Juventude lançou dois concursos de roteiro para filmes de animação com os temas: “Cena de Amor em São Paulo” e “Bicicletas em São Paulo”. Será selecionado um roteiro para cada tema e o autor escolhido receberá o valor bruto de R$ 10.000,00.
Não é necessário story-board ou desenhos. É necessário uma criativa, original, marcante. Qualquer cidadão residente na cidade de São Paulo há - pelo menos - dois anos pode participar. Profissional, amador, estudante. Inscrições: de 20 de abril a 09 de junho de 2012, terça a domingo, das 10h às 17h, apenas na recepção do CCJ (veja link acima). Para conhecer todos os detalhes dos editais, acesse o site.

ANIMA INFO 1532

Panini relança V de Vingança

A série V de Vingança, referência para os quadrinhos e obra que revelou seus autores Alan Moore e David LLoyd, terá nova edição pela PANINI. O encadernado com 304 páginas reúne as três partes que compõem a saga completa, e ainda diversos extras que contextualizam a origem da história e as referências dos autores. A publicação chega às livrarias e comic shops das principais cidades do país por R$ 24,90.
O especial traz introduções de Alan Moore e David Lloyd, além de duas histórias curtas apresentadas na revista inglesa Warrior durante a publicação original da série em 1981, concebidas como interlúdios para a trama principal e mostrando outros personagens e ambientações. Entre os extras, a publicação apresenta ainda uma seleção de páginas de esboços e de material promocional criados por Lloyd - muitos dos quais jamais foram reproduzidos antes-, com suas respectivas legendas e descrições, além de capas alternativas.
A edição traz também uma descrição de Moore, com riqueza de detalhes, sobre os bastidores da criação e “de onde tiraram essas ideias” para sua produção. Nas palavras do premiado roteirista, “V é fruto do encontro da minha personalidade deformada com a de David. É algo que nenhum de nós poderia fazer sozinhos ou trabalhando com outro profissional. Embora muitos dos admiradores da série não pensem assim, não existe ‘V de Alan Moore’ ou ‘V de David Lloyd’. A série é um esforço conjunto em toda a acepção da palavra”.
Uma poderosa e aterradora história sobre perda de liberdade e cidadania, em um mundo bem possível, “V de Vingança” se passa em uma Inglaterra de um futuro imaginário que se entregou ao fascismo. Esta arrebatadora história captura a natureza sufocante da vida em um estado policial autoritário e a força redentora do espírito humano que se rebela contra essa situação. Obra de surpreendente clareza e inteligência, traz inigualável profundidade de caracterizações e verossimilhança a este audacioso conto de opressão e resistência.
←  Anterior Proxima  → Inicio