Desejo: Boas Festas...

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Rei Davi, o grande trabalho que perdeu para o preconceito...

Rei Davi é um seriado da Record exibido no início deste ano e reprisado agora. A Record foi inteligente ao colocar este trabalho no horário da novela Salve Jorge. Motivo? As "viúvas" de Avenida Brasil que gostam de bons trabalhos. Não posso dizer que a atual novela global das nove é ruim, mas é fato que não trouxe e nem traz nenhum tipo de interesse em suas chamadas.
Quem viu ou tentou ver Rei Davi na primeira ocasião, tem o que dizer do seriado. É tecnicamente muito bom, com um ótimo trabalho de elenco e, talvez o mais importante, segue-se o texto bíblico quase que fielmente. E olha... bancar uma história como a de Davi... O cara foi um herói para o povo dele? Sim, foi. Mas, ele fez muitas merdas...
E, neste ponto a direção é genial. Mostra-o como um herói, mas também como um humano que cometeu erros absurdos. Chega a ser curioso ver como Jerusalém se formou, justamente na época que houve tantos desatinos entre Israel e Palestina nas últimas semanas...
Uma série fantástica, no final. O que lamento muitíssimo é a falta de interesse das pessoas em, ao menos, tentar assistir à obra. As pessoas têm resistência por ser na Record ou por ser um texto bíblico. Quão, no final, estão perdendo uma história bem contada. Na se deveria julgar Rei Davi pela conduta da cúpula da Record. Deveria-se julgar a obra pela obra.
E, como dramaturgia pura e simples, Rei Davi e Avenida Brasil foram, sem sombra de dúvidas (para mim, claro), as melhores obras da TV brasileira deste ano. Mas, como eu disse, bom seria se as pessoas se desfizessem um pouco de seus preconceitos. Porque elas perdem excelentes atuações: vide Gracindo Junior, Leonardo Brício, Maria Ribeiro, Claudio Fontana, entre tantos outros... E perdem um roteiro bem amarrado, um cenografia, figurino, música - entre outros elementos técnicos -, todos excelentes. Uma pena.
←  Anterior Proxima  → Inicio

6 comentários:

Diogo Aires (Dood) disse...

Foi bom sim, uma série que se lançada em DVD teria um comprador. Uma pena que a Record não consegue ir além na Dramaturgia. Eu tinha esperanças que fosse uma Manchete nesse quesito (até estava discutindo sobre a falta de uma emissora como a Manchete atualmente, não pelos animes, mas sim pela produção própria que revelou muitos artistas na época).

Naty disse...

Olá!!

Confesso que sou uma das pessoas que não acompanho novelas. Porém, as vezes, quando meu vô assisti, acabo vendo umas partes e outras, e tenho que concordar com você. A Record fez um ótimo trabalho com Rei Davi.

Se não me engano, esse preconceito se deve um pouco por ser algo religiosa e também deve ser pelo diretor da Record ser evangélico.. É somente o que acho!!

Fico contente que tenha voltado a postar. Espero que as coisas para você se resolvam nesse finzinho de ano... o/

Até mais

The Fool disse...

Oi Sandra!

É, é dose.
Existe um pensamento recorrente que a "TV não passa nada que preste" além de um "Rede Globo fdp", um "Record explora fiéis" e por aí vai.
É aquele negócio, o cidadão assiste 30h por dia Cidade Alerta, noticiário de desgraças em geral, novela global que pouco acrescente e pronto! O cidadão tem um pré-conceito sobre tudo relativo a TV.
Que tem coisa que preste, mas quem quer garimpar isso, né?
Abraços!

sandra monte disse...

Mas a Record já foi além, Dood.

O problema é que a emissora fica tão preocupada com a Globo que se perde em muitos momentos.

Para de tentar imitar, que a coisa vai... Basta lembrar de "Escrava Isaura", "Essas Mulheres", "Os Mutantes"...

Filippo Saverio disse...

Eu, como apreciador da narrativa bíblica, achei "Rei Davi" sensacional. Pra mim, o melhor de teledramaturgia desse ano.
As pessoas não se ligam que, querendo ou não, a Bíblia é um dos alicerces da nossa cultura brasileira (e ocidental), e tentam deixa-la pra escanteio.

Diogo Aires (Dood) disse...

Sandra.

Ainda acho que a Record ainda não conseguiu a excelência com suas produções. Escrava Izaura foi um remake com base em uma trama consagrada, Essas Mulheres não posso comentar e Os Mutantes tinha potência mais como série do que novela, porque a trama era arrastada demais.