Desejo: Boas Festas...

quarta-feira, 13 de junho de 2012

ANIMA INFO 1538 - Especial

ATUALIZAÇÃO, dia 14/06/2012 às 16h55. Acréscimo da apresentação em vídeo.
Editora JBC e os rumos dos mercados de mangás e animes no Brasil


Nesta terça-feira, a editora JBC promoveu uma coletiva. O objetivo da empresa, aparentemente, foi de manter uma aproximação e uma relação amigável com blogueiros e jornalistas. Neste artigo, teceremos alguns comentários e percepções acerca deste encontro.
Em verdade, este talvez seja o termo ideal: encontro. Apesar da editora ter enviado um e-mail com o termo "coletiva de imprensa", a mesma "liberou" a informação no Twitter para as pessoas que quisessem ir. O fato é curioso, pois uma das perguntas do Video Quest foi sobre a questão da divulgação do material. Apesar da seriedade da resposta - de ter canais de divulgação adequados e não somente Facebook - , ao menos na questão de "coletiva de imprensa" a JBC parece ainda não ter entendido o que exatamente é o termo, já que qualquer pessoa poderia participar do encontro. Aqui já fica uma sutil diferença em relação a Panini, que deixa claro o que é para imprensa e o que é para público.
Passada a questão da terminologia, vamos a outros pontos da apresentação. Quem estava presente e, eventualmente, leu este post do site Mais de Oito Mil pode ter achado que houve uma certa "profecia" no texto. Em verdade, praticamente tudo o que foi dito pelo Mais de Oito Mil ocorreu. Ou seja, nada. Foi uma hora e meia de uma apresentação chata que se arrastou. Os dois pontos, inicialmente, mais importantes foram sobre Crunchyroll e o lançamento de RG Veda.
A editora admitiu que houve uma certa "pressa" no anúncio da parceria com o site de vídeos em streaming e por hora, não há nada muito concreto da parceria da JBC com o Crunchyroll. Já RG Veda é certo e deve ser lançado ainda este ano. Também houve alguns anúncios em relação a gramatura do papel dos mangás.
Até aí, pareceu tudo muito normal, mas cabe aqui algumas ressalvas. No momento, há uma "vontade" de mudança dentro da empresa, não pela figura de Cassius Medauar. Mas, pela figura de Leo Lopes, gerente de comunicação que está há um ano na JBC e que deve ter em mente "coisas novas". Aparentemente e finalmente, uma "aceitação" por parte da companhia que mangá não pode ser algo de "nicho".
De uma segunda pergunta do Video Quest, foi possível emendarmos uma nossa, cuja resposta pode ser, finalmente, o diferencial que talvez a JBC tanto precise. A empresa dará mais atenção a questão do licenciamento e houve uma "promessa" de aprendizado deste setor. Tanto  que é dela a representação no Brasil do anime A Princesa e o Cavaleiro, que será lançado em breve em DVD.
Houve uma certa demora de percepção deste fato, que o site Papo de Budega vem mencionando já algum tempo em posts como Momento provocativo no mercado de mangás e animes, no mais importante: Licensing Brasil Meeting 2011, em E o mercado de mangás e animes, um puxão de orelha... e também em Mercado de animes no Brasil, desinteresse das empresas. Que as companhias de mangás e animes devem se fazer presentes no mercado brasileiro e mostrar as possibilidades de lucros que marcas oriundas do Japão podem trazer.
Caso a JBC realmente invista em aprendizado no setor de licenciamento, há possibilidades positivas para o futuro tanto da companhia como do mercado. Pensar em mangá e anime em escala próxima da massa para os próximos dois anos é algo complicado, porém não impossível. Há uma predisposição do mercado e do público em continuar seu "olhar" para os heróis, devido aos lançamentos de Marvel e DC tanto em HQs como nos cinemas. Mas tudo, claro, é uma questão de como trabalhar um título e um produto.
Não bastasse isso, há comentários nos bastidores de mudanças internas na estrutura da Panini, que pretende dar mais atenção ao setor de quadrinhos reforçando esta área. Além, por fim, do possível retorno de uma gigante ao mercado de mangás. Ou seja, com tudo isso, a JBC precisa e deve se reformular não como uma empresa "familiar", mas como uma companhia de mercado. Que as mudanças almejadas e ditas nesta  apresentação possam trazer benefícios ao apreciadores de mangás e também animes em um futuro próximo.
←  Anterior Proxima  → Inicio

6 comentários:

Faloko disse...

Eu vejo que a tal "coletiva de imprensa" da JBC foi uma brincadeira de mal gosto por parte da editora. Disponibilizar tempo e espaço para anúncios óbvios e sem grandes impactos me parece mais uma das tentativas desesperadas de se situar no mercado que ela mesmo perdeu devido ao amadorismo. Afinal de contas todos as empresas que ganharam dinheiro com esse nicho são amadoras e sem grandes aspirações.Concordo com quase tudo que você disse porém os maiores culpados da não popularização dos animes/mangas são os próprios fãs que não permitem essa popularização. Enquanto tiver essa postura dos chamados "Otakus", o mercado continuará para um nicho, as empresas envolvidas continuarão sendo amadoras e familiares e os lançamentos e as qualidade do material (anime,mangá,evento) será tão amadora quanto agora. O futuro é meio incerto e muito duvidoso.

ze disse...

Oi Sandra! Tens algum post no blog que tenha como tema ou onde aborde essa questão de mangá no Brasil ser tratado como material de nicho ou massa?
Particularmente, não consigo ver o mangá como material de massa no Brasil, salvo eventuais títulos específicos...

sandra monte disse...

Cheguei a mencionar de forma breve... Perai...

Escrever os termos na busca deste site que vos escreve (^^):

"mercado de mangás"
"mercado de animes"
"Sailor Moon"

Acho que escrevi algo sobre o assim, Zé, com estes termos.

Abração!

Anônimo disse...

JOGUEM ESSES MALDITOS MANGAS
NO LIXO!QUEM QUER SER LEPROSO???

sandra monte disse...

Nossa "Anônimo" do Paraná.
Você entrou mais de 300 vezes aqui e quando vem dizer algo, é isso?

Oh anormalidade... O_o

Antonio Alan_Mangaká disse...

"Além, por fim, do possível retorno de uma gigante ao mercado de mangás."

Essa gigante seria por acaso a Abril? Pois tirando o dato de que ela tentou publicar Kingdon Hearts a alguns anos e foi barrada pela produtora do jogo, eu ainda não soube de mais nenhum detalhe...