Desejo: Boas Festas...

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Adeus a José Roberto Pereira, o JRP ou BK...

Navegantes,
Esta semana foi um tanto estranha... Faleceram dois grandes cantores: o brasileiro Wando e a americana Whitney Houston. Duas figuras que deixarão saudades. Sim, eu gostava do primeiro, apesar de ser considerado "brega". Qual o problema? Somos bregas em nossa essência...
Mas, estou aqui para falar de um falecimento muito mais próximo de nós: José Roberto Pereira, também conhecido como BK ou JRP. A confirmação veio da esposa dele no Facebook, a causa foi um câncer. Sim caros... aquele mesmo. A figura que conseguiu um número avassalador de desafetos.
Certamente, diversas pessoas deram graças a Deus pela morte do cara. Jornalistas "babões" e puxa-sacos, roteiristas frustados cuja fama é inexistente, cosplayers, gente que o processou. A lista é gigantesca. Todos estão quietos, "ignorando" o falecimento do JRP. Melhor, claro, do que dizer abobrinhas.
As histórias que giram em torno do JRP são inúmeras, como o "clássico" fato de um jornalista (cujo nome vou reservar-me o direito de não mencionar) ter chamado o BK para a briga na cabine de Star Wars e este ter ignorado completamente. Outras das brigas judiciais do BK... Da pirataria... enfim, o que não faltam são "causos"...
Daí, alguns devem estar a pensar: mas Sandra, você gostava dele? Resposta: não. Eu, como praticamente todo mundo, fui vítima dos comentários do JRP. Mas, diferente de alguns, eu não o odiava. E aqui cabe a grande diferença entre mim e os outros. Ao contrário de todos que desmereciam o José Roberto, eu reconhecia o fato do cara ser um dos maiores conhecedores do mercado de quadrinhos do Brasil.
Muita gente vai ler este meu comentário, vai desdenhar. Mas, o fato é que o JRP conhecia o mercado e, e momentos de lucidez, conseguia mostrar isso. Era difícil, pois em grande parte das vezes dele "desbundava". Entretanto, com um pouco de atenção, era possível ler dele algumas grandes verdades.
E, eu reconhecia o conhecimento dele. Tanto que recebi muitas críticas e questionamentos por mantê-lo em meus agradecimentos em meu livro. Inclusive do próprio, que, como não poderia deixar de ser, criticou minha publicação... Mesmo assim, fiz questão de deixar tal agradecimento.
Talvez por isso eu esteja aqui a escrever tais palavras. O José Roberto Pereira, JRP ou BK foi uma das pessoas mais importantes do mercado de quadrinhos e afins no Brasil. Não somente por questões positivas, mas especialmente por toda a ira que causou.
Contudo, daqui alguns anos, toda esta geração de profissionais (ou não) que vivemos, provavelmente, será esquecida. Ficará na História quem disse alguma coisa. E, gostemos todos ou não, ele disse muito, escreveu muito e isso ocasionou em "seguidores" reais. Gostemos todos ou não, sendo ele troll ou não, talvez seja isso que aconteça. Ele fez a diferença, coisa que os "odiadores" dele, até agora, não conseguiram... E isso tem nome: a História chama de "lenda".
Fica o registro e a perda.

←  Anterior Proxima  → Inicio

46 comentários:

Anônimo disse...

PRa mim quem não aguentava as criticas dele na internet, não deve sair de casa. Pois não esta preparado para ter o orgulho ferido cara a cara no mundo real.

Graças as criticas e dicas do BK eu pude amadurecer mais o meu trabalho.

Só lamento para esses que não souberam aproveitar e, ficaram choramingando. Fiquem com seus outros "ídolos" dos quadrinhos, aqueles que sequer aparecem para dar uma dica.

BK vai fazer falta.

Defensor disse...

Achei o BK uma figura inusitada. Lembro de ter conhecido ele quando discutíamos sobre a identidade nacional de uma capa de uma Light Novel nacional que foi publicada antes de seu lançamento. Não fazia ideia de quem era o cara Oo

Sendo sincero, não gosto da visão de mercado que ele tinha, apesar de haver muitas verdades do que ele dizia. Mas esse lance de olho por olho, dente por dente, sempre acaba com cegos e banguelos. Se ele fazia o que fazia para ver o mercado melhor, é admirável.

Um dia eu leio alguma obra dele para dar uma opinião mais afunilada sobre.

Raphael Soma disse...

Na boa Sandra, quem viveu essa época da Animax adorava odiar esse filha da puta. O cara trollava numa época em que nem existia o termo. Quando troquei farpas com certo "quadrinhista" cujo nome rima com "borrado", lembrei de uma crítica do JRP ao mesmo, em que ele disse que o cara tinha "um ego do tamanho da corrente de Andrômeda". Manjava muito esse JRP...

Mas é meio triste que ele tenha partido assim de fininho. Lhe digo que a Animax não ia dar certo só com o Peixoto, e essa revista fez um baita bem pra todos, revelando gente como a Awano e outros. O cara fez uma diferença no mercado que muita gurizada nova nem faz idéia. Fazer o quê, né?

E ODEIO admitir, mas boa parte do meu jeito ácido de postar tanto no meu blog quanto no Twitter é influência direta dele...Não sei se agradeço ou não, mas ele fez a diferença^^

Seja como for, que bons ventos te levem a paz merecida, Zé Roberto...

Anônimo disse...

O cara era sem noção, mas falou grandes verdades. Fiquei triste, ele era puro ego, mas era 100% sincero! RIP José Roberto Pereira!

Lexseifer disse...

Sinceramente, discordo completamente dele ser "maiores conhecedores do mercado de quadrinhos do Brasil"... Não chego a ser um hater, apesar de ser um dos que tomaram esporro do JRP. JRP esculhambava e era famoso por vomitar verdades pesadas, mas o verdadeiro conhecedor conhece o esquema e a podridão e ou sabe passar por cima ou manipulá-la. JRP não usou nenhum dos dois, preferiu erguer seu escudo de "falso-anti-hipócrita" e espalhar para os poucos que o conhecem que ra o melhro entre todos e que ninguém sabia amis que le, quando na verdade seu trabalho era de nicho e de qualidade igual ou inerior ao que tanto criticava, falava de coisas que não entendia, endeusando desenhista e ilustradores de habilidade comprovadamente inferior por quem realmente entendia(e não se enganem, esse tipo de coisa pode e deve ser quantificada...) . A verborragia trouxe opiniões diversas, quase sempre negativas, sobre sua pessoa. Nenhma fama ou grande diferença foi feita pelo JRP, que acaba deixando apenas a impressão de um grande e excêntrico desocupado, participante de foruns, comunidades e blogs afins, na vã tentaiva de formar nos jovens uma ideia de um mercado que finalmente o abraçasse. Apesar de muitos de seus "conselhos' terem pesos de verdade, não formou nenhum profissional seguidor, uma vez que isso é definido por fama e prêmios, coisas que hipocritamente repudiava, mas aparentemente secretamente buscava, afinal, é isso que trás o dinheiro que tanto almejamos. Não vejo em zé roberto um lugar entre "lendas", mas vejo um lugar curioso, de um grande troll que assolou um nicho muito fechado da internet. Os otakus e almejantes a mangakás(coisa nenhum não-japonês jamais será...). Foi um grande e desconhecido troll, e é uma pena que tenha sobrado desse "revolucionário" foi um legado como esse. Não fez diferença. Porque ninguém que realmente fez sucesso se assumiu seu seguidor, não concretizou sua revolução doméstica, nem publicou o lançou nada que fizesse garande sucesso(megaman e animax dificilmente serão lembradas como grandes obras, apesar do peso de diferencial entre a mesmice, e do canal de verdades difundido pela última). Eu sinceramente sinto muito, mas gente, quem foi zé roberto? Ei ainda estou tentando encontrar, e entre todos os grandes representantes desse mercado, não encontro u que o conheça. Talvez pra ele isso fosse algo bom, se for isso, tenho mais pena ainda, pois alguém com a verdade na lingua como ele, poderia ter difundido suas verdades em canais mais famosos, mas prefereiu difundir suas palavras em um secto mais ingenuo, mais sucetível á serem seus eguidores controlados: os fãs de mangá, estes tão ignorados e uma das clases de aspirantes a desenhistas mais alienados e ignorados pelo meio. Poderia ter sido mais...

sandra monte disse...

Apesar do volume de erros de seu comentário, decidi colocá-lo por um motivo:

Dê tempo ao tempo. Você fala do hoje e agora como se figuras recentes tivessem tal poder.

Dê tempo ao tempo, só isso.

MMC disse...

Putz, esse cara falou muita merda. Lógico que o BK não era expert em mercado mas as histórias de bastidores das editoras que ele contava explica muita coisa sobre o motivo do mercado de quadrinhos nacionais não ir pra frente.
Sandra vc chegou a ler um post do Forastieri que fala que a qualidade ruim dos quadrinhos nacionais é em parte por causa falta (de colhões) da critica especializada?

sandra monte disse...

Não li, MMC.

Mas, daí pergunto: quando aparece um JRP, donos como ele aceitam as críticas?

Diego disse...

Eu nunca fui da turma dos que jogavam pedra nele, porém muitas coisas que ele dizia eram verdade. Ele tinha bastante conhecimento, mas carregava muita mágoa dentro de si. Devo a ele algumas coisas que conheci. Não pude deixar de dedicar os artigos de hoje em meus sites a ele. Se bem que imagino ele lendo e dizendo que ta uma bosta.. hahahaha

Diogo Aires (Dood) disse...

Sinceramente nunca fui fã dele, mas como você disse ele fez muita coisa bacana e apesar do jeitao casca grossa ele não tinha papas na lingua metia o dedo na ferida e rodava. Era uma figura de personalidade forte que eu acabei agregando um pouco dessa personalidade. Gosto de gente que desafia o comum.

MMC disse...

http://noticias.r7.com/blogs/andre-forastieri/2010/05/10/sem-critica-nao-ha-avanco/

Achei, é antigo mas vale a pena a leitura.

Elenildo Lopes disse...

Eu o considerava como se fosse um termômetro, pq todos só elogiam, mas as vezes precisamos de alguém que diga isso ta uma m. como ele dizia. Pra que possamos nos enxergar melhor.

Anônimo disse...

Como vc é uma moça doente, perturbada, Sandra Monte... assim como o JRP, que já tinha que ter morrido ha muito tempo, era só um peso morto pra sociedade, um medíocre. Vcs dois não fazem a menor diferença, não fazem a menor falta e nem contribuem pra NADA, pra ninguém. São 2 LOSERS profissionais, que arrotam arrogância podre na cara dos outros. Você e JRP serão esquecidos, sem dó nem piedade. E seus ultimos dias, Sandra, serão sem namorado, sem marido, sem amigos, se lamentando, com quilos de amargura e recalque.

sandra monte disse...

"Anônimo"

Eu sou doente ou você que retornou aqui para dizer isso tudo? Que veio perder seu precioso tempo com alguém que não vale a pena?

E que já voltou aqui para ver se eu publiquei seu comentário? Nossa, sou eu a doente...

Esta gente que "pensa" que se esconde no anonimato...

E olha "peixe"... meu Deus, nosso senhor Jesus Cristo é mais forte , praga não pega em mim.

Posso não gostar de muita gente, mas desejar mal? Eis a diferente entre mim e você, covarde.

De sua pessoa, "peixe", só tenho pena. Que Deus tenha piedade da sua alma por tanto sentimento negativo. Porque sentimento ruim volta, viu?

Que coração peludo...

Mayellow disse...

JRP nunca conseguiu fazer uma HQ que vendesse bem e durasse muito. Nunca conseguiu entender o mercado, e por isso mesmo jamais conseguiu se virar dentro dele. As publicações que seguiram com ele fracassaram. Aquelas que se livraram dele já no começo, duraram mais um bom tempo, como Megamen e Animax. Viveu de favor dependendo dos parentes, que ofereciam um espaço pra ele e a família morar.

Até ae, não tem problema nenhum não ser bem sucedido. Os que se destacam mesmo por seu trabalho e conseguem viver apenas por ele nesse meio são raros. O problema é pegar alguém com esse desempenho como “um dos maiores conhecedores”. Só evidencia a sua própria falta de conhecimento Sandra...

O Zé passava maior parte do dia simplesmente xingando gente fadada ao fracasso, como ele foi, ou gente que conseguiu realmente subir nesse mercado e até mesmo está no topo dele nos dias de hoje.
Ele vai fazer falta sim, provavelmente para aqueles que também são tomados por inveja e desdém por quem se destaca. Sem o Zé, essas pessoas perdem um “porta-voz”, que dizia tudo aquilo que o resto da cambada não tinha coragem de falar, porque não queriam passar o ridículo que ele passava, dedicando tanto tempo só pra tentar deixar alguém bravo com insultinhos pessoais que não refletiam os ganhos do trabalho dessas pessoas.

De qualquer forma...condolências para a família dele.

sandra monte disse...

Sabe o que é mais interessante, "Mayellow"...

É que com todo o histórico que você citou de fracasso do cara, gente como você se dignifica a vir aqui falar dele com tanta veemência, mesmo que para desmerecê-lo.

Ou seja, o JRP foi bem sucedido em uma coisa, irritar as pessoas. Tanto que seres como você não aceitam sequer um "elogio" ao cara.

Ou seja, gostando ou não, o Zé é mais importante que pessoas como você. Pq você sabe quem está criticando. Você sabe de tudo isso da vida dele, como todos sabiam e mesmo assim se irritavam.

E sua insignificância não te deixa dar a cara a bater como ele. E sua falta de amor próprio vai fazer você voltar aqui só para ver se seu comentário foi publicado.

Gente como você, sério, precisa urgente de psicólogo...

Anônimo disse...

Galera do 'mercado editorial' de quadrinhos, animes etc: Tudo barata tonta que ficaram perdidas com o advento da internet.

Mayellow disse...

Ele foi um inegável fracasso, isso qualquer um que viu seu desempenho no mercado sabe. Tanto que você mesma nem teve capacidade de argumentar sobre isso, não é? Se limitou a me chamar de insignificante e mais N insultinhos aleatórios.

Mas de modo nenhum eu seria incapaz de fazer um elogio a ele. Lendo o que eu escrevi com atenção e mínimo de inteligência, você vai ver bem escrito que o JRP tem uma característica positiva muito clara: Coragem.
Claro, uma coragem nutrida por uma completa falta de senso, mas ainda um tipo de coragem.
O ponto é que ele dizia mesmo suas revoltinhas e ódios, diferente de outras pessoas, que se limitam a fingir serem amigas de pessoas que odeiam e invejam, mas vibravam quando o JRP atacava alguma delas. Essa é você Sandra.
Por isso, o JRP não é o pior tipo de ser humano de modo nenhum.

Você é.

Porque você precisa se limitar a elogiá-lo por falar o que você nunca teve coragem de dizer para as pessoas que te frustram apenas por existirem, chegando ao ponto de fingir que ele possuía um grande conhecimento no mercado que você mesma sabe que ele jamais teve qualquer sucesso.

Quem sabe, agora que ele se foi e você não pode mais “gozar” através dele, você evolua um pouquinho e deixe de se revoltar tanto com gente que vai mais longe que você, como ele fazia.

sandra monte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sandra monte disse...

Mayellow...
Fiquei curiosa com uma coisa: de onde você tirou que eu "finjo" ser amiga de pessoas que eu odeio e invejo?

Só para constar, não odeio nem invejo ninguém no meio. No mais, desprezo pela babaquice e "puxa-saquismo". E as pessoas que desprezo eu deixo claro para elas isso. Estas pessoas sabem, não finjo ser amiga delas...

Elas tanto sabem que já disse publicamente! Você precisa realmente, informar-se mais, sabe...

O teu parâmetro de "sucesso" dá-se por quem está aí no mercado, ao visto.

Eu vou te dar dois exemplos de fracassos que fizeram história. Um é o filme Tron.
Tron foi um dos maiores, quiçá maior, fracassos financeiros do cinema! A Disney amargou o fato por décadas.

Entretanto, hoje Tron é considerado um clássico e é respeitadíssimo no meio "digital" por representar toda a metáfora da interface nos meios digitais de hoje.

Outro exemplo é um troço chamado Smalltalk. Foi um sistema operacional lançado pela Xerox que "ninguém sabe e ninguém viu". Também foi um fracasso avassalador em vendas.

Só que, se você esta aí desse lado do seu Windows, Linux ou Mac, deva isso a este sistema. Que por sinal, devemos tudo a Xerox PARC, que foi quem realmente fez tudo o que usamos hoje em programas!

Como diria o JRP nesta hora, vai ler um pouquinho, só um pouquinho, que você verá que muitos "fracassos" foram, com o passar do tempo, verdadeiros sucessos pelo legado que deixaram.

Quão mais, como eu disse, fracassos são relativos. Eu sou o fracasso que você está se ... o que ... humilhando a ter atenção?

Ou seja, estou sendo um sucesso por algum parâmetro, porque estou fazendo uma pessoa que me despreza, visitar-me, ler-me e responder. Veja só você...

Ou seja, pode voltar aqui e ler o seu comentário, que PERMITI ser visto pelos outros, e ler o meu, já que é isso que seu pobre ego quer... Receber minha atenção.

No mais... sério, vai procurar um psicólogo, porque querer ler a resposta de quem você despreza não é normal...

sandra monte disse...

Ehhh Mayellow...

Tá com ego baixo mesmo, né?

Já entrou de novo para ler a resposta, né, "peixe"?

Mayellow disse...

Esse é o seu argumento? Que já existiram fracassos que depois viraram sucessos?
Essa premissa é obvia, mas com isso concluir que fracassos SERÃO sucessos é uma falácia, isso é, tirar uma conclusão que nada tem a ver com a premissa.
Pelo seu raciocínio, toda tentativa frustrada que o mercado esqueceu merece o mesmo reconhecimento que os maiores ícones do mercado, porque “talvez um dia faça sucesso”.
Faz assim, espera algum trabalho antigo do JRP ser reconhecido, que daí você consegue argumentar...Até lá, se for argumentar com fatos, e não com a sua fé, a conclusão é exatamente a que eu coloquei.

Sobre como você realmente é, olha Sandra, sua auto-imagem realmente não bate com a imagem que algumas pessoas próximas a você fazem. Vai ver eles perderam suas declarações publicas de desprezo, e te julgam falsa erroneamente...vai saber?

Quanto a receitar psicólogos para todos que escreveram aqui discordando de você, ou sua afirmação constante de que é importante e melhor que alguém porque entre uma mexida ou outra no facebook, twitter e em outros blogs, vê também o seu post e discorda...
Acho que qualquer psicólogo te explicaria as armadilhas da necessidade de auto afirmação constante e a posição esquizo-paranóide de Melanie Klein. Tal delírio de grandeza, provavelmente merece uma checagem, que tá na cara, vai revelar quem tá com o problema no ego. Eu poderia entrar na mesma argumentação patética e falar que você só adiciona meus comentários porque não suportaria a idéia de me deixar saber que não pode pensar em uma resposta, ou sua fixação ao ponto de fazer resposta picotada reforçando sua projeção, mas sinceramente? Pra mim tanto faz sua motivação. Sua incapacidade de formular argumentos que as premissas cheguem na conclusão é o que importa mais do que “analises de botequim” online.

sandra monte disse...

"Mayellow", querido peixinho...

Se meu argumento é ruim, o seu é ainda pior. Como eu disse no texto, só o tempo dirá qual o impacto da influência do JRP. Seja pela obra ou por outros elementos. Que pelo visto, o impacto já se faz presente, já que tanta gente, como você diz, está discordando.

E, quem sabe, se roendo por isso...

E, se há pessoas próximas que tenham algum julgamento diferente acerca de mim, sério... Isso pouco me importa. Se você se importa tanto com os outros, novamente, você tem problemas sérios...

E eu não tenho necessidade de auto-afirmação. Porque estou aqui no meu canto, com meu blog. São os "outros" que vêm aqui e debater comigo. São os outros que se importam com minha opinião. São os outros que estão se importando com o JRP, mesmo depois de morto.

No momento que alguém perde seu tempo entrando várias vezes aqui para ler minha resposta, dando-me audiência, isso só mostra a importância que JRP teve e que eu tenho. E isso mostra a importância de meu texto.

Goste você ou não. É você que está vindo aqui em uma tentativa frustrada de desmerecer meu texto.
Pode voltar e divagar novamente com seu papinho de "você é arrogante, isso e aquilo".

Típico de um peixinho com necessidade de atenção. Não adianta se esconder em um nick!

Se você acha que tenho problemas com auto-afirmação exarcebada, você tem sérios por não ter nenhuma.

Por fim, a você "peixe" e a todos vocês que não gostam de mim, meu texto ou do Zé. Vocês deveriam ir aprender mais a lógica de atuação do Google...

Quem conhecer um pouco de informatica vai entender o que estou a dizer...

Anônimo disse...

Só uma pergunta, o BK morreu mesmo ou é só + uma trollagem?

sandra monte disse...

Peixe anônimo...

Ele se foi mesmo.

Mas, se você tiver dúvidas, acima tem o link para Face da esposa dele.

É só perguntar para ela.

Ou falta coragem, peixe?

Mayellow disse...

Você é muito importante mesmo, porque alguém trocou meia dúzia de mensagem contigo no teu blog. Mas agora que eu fui me tocar porque desse seu raciocínio “brilhante” batendo o olho em todos os seus últimos posts...
Ninguém nem comenta nisso aqui. Posts com 5 comentários são uma raridade tremenda. Maioria tem uns 2. Então vc tem MESMO que comemorar um post seu ser inflado por um dialogo. Curta Sandra! Esse é seu grande momento moça, parabéns!
Fofa...tava só carente!

Sobre argumentos, tá bom, seu argumento em ter fé que um dia as primeiras edições do Megamen ou a revista otaku do Zé que fracassou no primeiro volume, vão virar grandes fenômenos Cult ao serem redescobertas daqui a uma década, sem duvida é mais coerente que o meu, que considera o desempenho real e mensurável no mercado.
Todo mundo sabe que fé >>>>> feed back de vendas ou qualquer desempenho mensurável, né? É uma jornalista fodona mesmo! Porque fatos são de menos...

E Sandra...vc não sabe usar o contador do seu próprio site pra ver ip? Eu não fiz essa pergunta ae filha, eu sabia da morte do Zé antes do seu post inclusive...tenho o facebook dele. Então quando vc me chama de peixe igual chamou todos os outros, tá projetando uma pessoa especifica que não curte em todos? Vc deve odiar mesmo esse nego ao ponto de ver ele em todo lugar e sonhar que ele te persegue com uma enorme rede de ips fixos...e você receita terapia pros outros né?

sandra monte disse...

Olha só quem voltou...
Pois é peixe...

Você decidiu pedir para alguém postar por você? Isso não é difícil na rede.
Enfim... Como eu disse, não sou quem está se dando o trabalho de vir aqui.

Você pode dizer o que quiser, usar seu ip ou de outra pessoa da forma como quiser. Sua doentia pelo JRP e por mim estão evidentes.

Por fim, quando você voltar, sim, porque você vem umas três ou quatro vezes ao dia... Pode ficar tranquilo que postarei seu comentário de "olha, ela não tem argumentos e tals, blá blá blá".

Motivo simples: tenho leitores esperando por um artigo que tenho que colocar o quão antes.

Ou seja, o tempo que eu tinha para você acabou.

Mas, como eu disse, pode voltar quantas vezes quiser ao dia, como sempre. Pode escrever, eu deixo!

Bitocas.

PS: e Google... e lá vamos nós!!!

Anônimo disse...

Pq a senhora chama todo mundo de Peixe? Algum problema com rios e mares? Seu signo é aquário ou peixes Dona Monte? O Bk tinha toda razão sobre sua pessoa, mulherzinha fraca e sem bundinha! Faça urgentemente um enxerto na parte de trás, ainda dá tempo sua furreca...

Mayellow disse...

Sandra, vc tem meu ip ae fofa...vc sabe que eu entro geralmente uma ou duas vezes, isso nos 3 ou 4 dias que estamos falando, que antes nunca nem tinha vindo aqui...bom, mas você tá fantasiando agora que eu to orquestrando outras pessoas para postar né? Então podem ter sido infinitas. Vc acorda no meio da noite gritando que o PEIXE tá te atacando ou só tem paranóia nesse nível acordada?

Mas beleza...vai lá fazer o artigo já que o papo acabou.
Se eu lembrar, passo aqui sim pra fazer sua alegria...
Tudo de bom!

sandra monte disse...

"Anônimo",

Há uma galera que usa o termo "peixe". Se você é ignorante ou está de fazendo de bobo, isso é problema seu.

E Mayellow, eu não disse que você ia voltar? E que ia deixar um recadinho? E você vai voltar, não vai resistir!
Mesmo que, desta vez, você não diga, já que ficou claro para todo mundo sua obsessão para com o JRP e por mim :P

Como diria o Collor no célebre debate da prefeitura de SP em 2000, "pode continuar"...

Anônimo disse...

essa sandra fica doida demais com o que a galera fala dela. falo ja um monte de vez que nem ia responde nada,,que ta ocupada,mas nao consegue para.voces nem se tocaram,mas ela chama voces de peixe porque ela acha que sao o peixoto, ja que ela odeia aquela bicha gorda. o bk podia ser cuzao mas merecia gente menos imbecil defendendo ele.

sandra monte disse...

Não "Anôonimo"...

Não adinata disfarçar o "peixe".

Você e os demais ai da terra maravilhosa sabem...:P

E eu estou aqui no meu canto. Vocês é que são fanáticos pelo JRP e por mim que continuam vindo!

Se respondo ou não, isso não é o fato maior.

O fato maior é ver este povo do Rio, uma pessoa, duas talvez, importar-se tanto.

Cara, ao visto, o Zé fez muita diferença na vida de vocês, já que vocês mesmos não deixam o post "morrer".

Realmente, um caso para estudo... O___O

Corto Blog Maltese disse...

Sandra, certa vez o JR Pereira afirmou que vc não queria citar ele como fonte de referência no seu livro, após várias consultas feitas por vc a ele, porque o JR era mal visto no mercado.

No seu texto acima vc afirma que enfrentou várias críticas por ter dado o crédito a ele, mas segundo o próprio não era essa sua intenção no início.

O que é verdade nessa história?

sandra monte disse...

A verdade Corto...

Quando consultei o JRP para tirar umas dúvidas, ele tinha me proposto fazer um livro junto comigo.

Não aceitei fazer um livro com ele pelo motivo citado: ele não era bem visto pelo mercado.
E nem tê-lo como um "ghost writer"...

Mas, mesmo sendo mal visto, sempre me senti na obrigação de colocá-lo em meus agradecimentos e manter a citação, por ele tirou minha dúvida. Colaborou com a obra como todos os demais citados no agradecimento.

Fora isso, é tudo bobagem o que ele disse. Tanto que de todas as doideiras que o JRP citou, esta foi uma que ele citou fraquinho, porque imagino que nem ele mesmo acreditou nesta mentira.

Tanto que se você for procurar, JRP pouco criticou meu livro. O que ele mais criticou foi a capa.

Por fim, eu guardei os e-mails de minha conversa com ele. O dia que alguém quiser fazer uma biografia dele... É só perguntar.

É isso.

Demais, o Zé, ao contrário do que algumas pessoas enfurecidas com este post acham, não virou santo. Só que minha relação com ele sempre foi de altos e baixos.

Eu não o odiava como a maioria. E, talvez por isso, talvez por causa deste post, muita gente no mercado vai passar a me odiar.
Paciência. Tento ser minimamente justa, mesmo que para isso eu tenha desagradado um monte de gente... Assim, quem passou a ser mal vista pelo mercado, ironicamente, sou eu...

Mas, como disseram por aí, ele foi tão importante que não passou despercebido. E, uma pessoa que estava fora do mercado levar umas 400 pessoas em 2 palestras não pode ser ignorada.

Imagine se ele estivesse no mercado como uns e ouros.

Mario C. Silva (MCS) disse...

Bizarro. Tive o prazer de conhecê-lo, falando mal dele na frente dele, sem saber que era ele, pois ele se referiu a si próprio na terceira pessoa. Acho que ele era maluco de pedra, pois durante a conversa, ele malhou a si próprio, ou seja, nem ele mesmo escapava das próprias críticas destrutivas.

Nem podia imaginar que ele estivesse passando por isso. Fica aqui o registro de condolências. No mais, Milady Sandra já disse tudo.
O"

J Daniel disse...

Quando não ativava seu modo escroto, sabia conversar em alto nível sobre quadrinhos e criações em geral. Tinha ideias muito interessantes e tinha uma grande base cultural. Ele lia bastante e tinha muito conhecimento sobre variados assuntos.
O livro dele, Mil Nomes, tem problemas de estrutura, mas é um livro muito interessante. Recomendo.
O livro que ele estava escrevendo, da Elfa Torturadora, tem uma introdução muito boa. Tinha um puta potencial. Os primeiros capítulos podem ser lidos aqui:
http://jrdobem.wordpress.com/2011/10/28/exclusivo-previa-do-livro-a-ascencao-e-queda-da-torturadora/

Conversei com ele algumas vezes num ótimo nível no Facebook. Ele me dizia muitas coisas interessantes sobre esse livro e a personagem Morganna. Mas era difícil manter o nível de papo com ele, pois a escrotidão dele imperava no final das contas, quando os assuntos misturavam. Vieram os xingamentos básicos dele, então tive desavenças, e acabei parando de trocar ideias com ele por causa disso. Cansou.
A última discussão que eu tive com ele no Facebook foi questionar a isenção dele como crítico, por ter poupado de críticas públicas a hq online de Red Luna pelo fato do idealizador ser muito chegado a ele, e dele ter perturbado gratuitamente o criador do Madenka, fazendo críticas públicas num tom exagerado, acuando-o. Ele não gostou, falou que eu tinha mágoas dele, mas fazer o que... o JRP era assim.
Bom...
Separando o fato dele ter tido um comportamento xarope, mas analisando-o como autor, o JRP foi um desperdício de talento. Perdia muito tempo com babaquices e coisas menores nas redes sociais, enquanto podia criar mais e levar adiante seus personagens. Por suas ideias malucas e criativas, ele seria uma espécie de Go Nagai brasileiro.
Talvez, mais além, ele poderia ser o melhor criador de mangás do Brasil. Uma pena.
Eu disse tudo isso para ele uma vez no Facebook. Não é porque ele morreu que estou escrevendo isso agora. Inclusive, por e-mail via Facebook, depois de ler a introdução do livro da Morganna, mandei para ele uma mensagem sugestionando ele reunir todo o material da Morganna e enviar para alguma produtora japonesa que poderia dar samba. Os japas gostam do tipo de personagem que o JRP criava.
Hoje, pensando sobre a figura dele, lembrei que alguns dos grandes autores japoneses de mangá, como pessoas, eram complicados. Bêbados, cheiradores de cocaína, alguns indo pro xilindró por causa de posse de arma, problemas na justiça por causa de grana, etc. Pessoas complicadas como o JRP.
Por exemplo, se fosse assim, eu odiaria Yamato por conta das presepadas que a dupla Matsumoto/Nishizaki aprontaram.
O Fábio Sakuda acabou de postar no twitter que o Katusuhiro Otomo, num stream ao vivo, apareceu bêbado falando de masturbação.
Se levasse a ferro e fogo determinados artistas como pessoa e não como criadores de arte, sobraria desprezo enorme a todos. O negócio então é deixar a hipocrisia de lado.
De certo modo, por ser um amante da arte, eu prefiro ver o JRP pelo que ele conseguiu criar em vida como autor e esquecer o comportamento dele como pessoa.

Anônimo disse...

Houve um episódio memorável no tempo dos news groups quando um cara chamaddo "Spy" conseguiu entrar na maquina do BK, copiando vários documentos pessoais e divulgando dados como endereço, telefone, etc em todos os grupos que o BK frequentava. Seguiu-se um longo "flame" com o BK ameaçando processar o cara. A garotada que frequentava os news de manga e anime deve ter azucrinado muito o Ze Pereira.

Anônimo disse...

Desculpem os admiradores dele, mas eu só via um cara rancoroso, cujo mote era falar mal de todo mundo que não concordava com suas idéias. Chegava á ser tedioso falar com ele, pois de cada 10 palavras, 20 eram sobre exatamente isso: criticar os outros!

E também não vi nenhuma revolução da parte dele, infelizmente o que eu vi, foi alguém que tentou fazer "uma fama de mal" e acabou sendo taxado até de criminoso. Creio que isso não ajuda ninguém á ganhar respeito em lugar algum, para nada!

sandra monte disse...

Acho curioso alguém ir falar mal do JRP neste post, mas entrou no meu site em procura do Google pelo assunto.

Vai entender...

Wellington Conegundes da Silva disse...

Essa semana topei com os áudios do Zé Roberto. O cara é controverso até o osso, mas realmente ele fez, sendo ou não sucesso, ele rompeu com a inércia editorial a época, digo época da Animax e cia., pois ninguém conseguiu falar com o público naquele período como ele, tanto que inflamou uma geração inteira a desenhar.
Não estou falando de "achismos", eu vivi essa época, ia nas primeiras convenções onde a galerinha ficava inflamada com seus textos antológicos, convocando a para que todos se atirassem no mercado editorial e melhorassem a mentalidade de criação, alimentando o desejo de muitos em ter seus desenhos publicados nas revistas que publicava.
Quando ele saiu da revista sem nenhuma explicação, foi sentido um vazio na revista e uma postura mais "panos quentes" no discurso com o público (melzinho na chupeta do fã), que foi empurrando a coisa até que ela não se sustentasse mais.
Para dizer que esse pontapé não foi insignificante, eu mais quatro amigos que desenhamos juntos os zines da vida, seguimos carreira desenhando e ingressamos na universidade para melhorar em todos os aspectos, muito sob influencia dessa época.
E foi durante a faculdade, que voltei a encontrar os textos no Zé Roberto em uma famigerada comunidade do Orkut chamada EU LIA A ANIMAX. Sem saber que o moderador da coisa era o senhor BK, só me dei conta quando vieram tópicos em que ele fazia uma tremenda "lavação de roupa suja" que deixam os podcast dele parecerem brincadeira de criança.
Não vou citar nenhum evento cabeludo, mesmo porque faz parte de um passado alheio, só vale mencionar que ele teceu detalhes sobre a magnífica entrevista falsa com Naoko Takeuchi, tirada da Newtype, onde os editores da Animax fizeram entender ao leitor, que eles haviam conseguido uma exclusiva com a autora, até mesmo se dizendo amigo íntimo dela.
Como disse, são bobagens do passado, de um folclore onde ele é lenda sim, misturando delírios de sua persona combativa e um olhar precioso sobre comportamento humano e propostas criativas, bem como editoriais.
Mesmo tirando uma onda com os nerds em geral, mesmo ele mesmo um maldito, falou como poucos aqui no brasil “da fantasia”, do ostracismo, da mediocridade, e das inflamações egóicas sobre o espírito nerd dos anos 70 em, diante. Acho que esse é mais um de seus legados, e talvez ele seja citados por isso, pois não conheço ninguém que fez isso com tanta propriedade, já que viveu (atuou) e conviveu com os maiores expoentes da cultura nerd, em especial a Otaku.
É compreensível que muitos o olhem como um lunático, doido, que cuspia fogo pelos cotovelos, e que sua trajetória tenha profundas contradições, sendo ele mesmo vítima das maldições que proferia. Mas vale a pena conhecê-lo pelos seus audios, tomando conta de ter com filtro ligado (pois tem muito lagarto, cobra e abobrinha no discurso) acompanhar uma conversa gotosa, que raramente qualquer pessoa tem, mesmo com uma linguagem chula, em meio a arrotos e afetações.
Vai fazer uma baita falta.

Queijo Emmental disse...

Vc viu isto Sandra?
O que pensas?
Um abraço

Depois de um ano da
morte do BK, e de acompanhar toda essa insanidade sobre se ele morreu
ou não, devo dizer uma coisa:

É um fato inegável
e absoluto de que José Roberto Pereira de fato faleceu.

E
eu digo mais: não importa se o corpo dele deixou de viver, ou
se ele queimou seus documentos como disse que faria em um podcast de
junho de 2011 e se retirou em um sítio do Emir Ribeiro onde
vive com sua amante Sandra Monte, ou qualquer outra maluquice que
alguém quiser pensar.

A maior prova de que o JRP morreu
é que agora, um ano depois do anúncio, ele não
incomoda mais ninguém com sua presença, sua morte não
significou nada: O mercado editorial que ele tanto criticava continua
a mesma coisa, ele não gerou herdeiro nenhum, seja em sua
arte, seja em sua atitude nefasta: as pessoas que se intitulam
"herdeiros" da "preta velha" são medíocres
demais para tentar qualquer coisa.

O José Roberto
Pereira tinha seguidores que se identificavam com ele no ódio
e no ressentimento contra o mundo que os rejeita e se satisfaziam com
o mantra da cólera que ele vociferava. Toda a desculpa de
denunciar mercado editorial e reclamar de qualquer outra coisa não
passavam de adereços que erroneamente convenciam esses órfãos
intelectuais de que eram melhores do que as outras pessoas. Se você
repete uma mentira para si mesmo o tempo inteiro, em alguma hora você
vai acabar acreditando.

O mais patético é
ver no sujeito uma intenção de querer ser um Edgar
Allan Poe, que passou a vida trabalhando em jornais e revistas e
sendo expulso por criticar ferozmente os outros e reclamar da
mediocridade do mercado em que vivia. Mas diferente do suposto sábio
seboso da Vila Nair, seu ídolo norte-americano foi redimido
por sua vasta obra literária, que ficou para a apreciação
de leitores do mundo todo, que não precisavam conhecer aquela
pessoa e sua auto-suficiência e rancor que contaminava tudo o
que tocava. Ele passou a ser visto pela sua obra literária que
era relevante o suficiente. JRP não teve nem isso a seu
favor.

sandra monte disse...

Você só se esqueceu de uma coisa, Queijo...

O JRP foi tão relevante que fez você escrever um texto enorme sobre ele.

Só alguém com alguma relevância faria outra pessoa se lembrar dela. E você se lembrou. Só isso já basta.

Ele não morreu enquanto quem o despreza se lembrar dele, viver sem a presença dele e viver para difamar o cara.

Anônimo disse...

Você pode ser um serial killer e será lembrado. Isso não quer dizer que isso é bom. É fácil e negativo fazer desgraça na vida dos outros e ser lembrado por isso.

Que jrp causou muito e será lembrado não resta duvida. Xingou muita gente, causou muito. Burro não era. Mas deixou um mundo melhor? Seu legado me parece ser de esquizofrenia, ódio e horas em debates com xingamentos inúteis. Causando a discórdia e semeando o mal estar no mundo. Quem faz isso é lembrado. Sem duvida. Ser lembrado por si só é bom? Ou depende de pelo que você é lembrado?

A se pensar sobre.

Anônimo disse...

E só complementando o que eu disse acima: ninguém está contestando que ele era inteligente, tinha conteúdo e causava impacto. O cara foi relevante sim, não resta dúvida.

Infelizmente parece que ele não soube usar o seu talento para seu próprio beneficio, e para o beneficio de outros, sucumbindo, muitas vezes, as ondas de ódio e histeria. Uma pena mesmo, desperdício de inteligência e capacidade.

Infelizmente o legado dele é "bittersweet", como dizem os Americanos.

Que descanse em paz. Condolências a família.

Tarsis Cruz disse...

Lenda?
UHAuHAuUAhUAhUAhUaHUahUAhUaUAhUAhUAhUAhUHAuHAuAhUAhuHauahuhauAuhu

Sandra Monte disse...

No momento que você procurou sobre JRP no Google, Tarsis Cruz... Isso quer dizer que o cara virou lenda.

Ou então, porque você teria entrado neste blog desta forma? Via Google procurando por ele?