Desejo: Boas Festas...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Crise do mercado de animes: Suzumiya Haruhi no Yuutsu é um exemplo?


Navegantes,
Quando faço certos comentários, algumas pessoas ficam bravas. Mas, depois de ver o último Video Quest sobre Suzumiya Haruhi no Yuutsu, percebo que minha "teoria" sobre a crise no mercado de animes: criatividade, que escrevi neste post talvez seja mais real do que eu imaginava...
Em tempo: não vi este anime. Estou me baseando nos comentários dos meninos. Mas, é assustador ver os comentários deles e perceber que realmente, deve ser assim mesmo este anime.
Quando mencionei a questão da crise mercadológica dos animes, a crise muito tem a ver justamente com o conteúdo, e não somente com a estrutura errada de mercado que as empresas têm promovido, especialmente no ocidente. Mas, a crise tem muito, mas muito a ver com conceitos e estrutura narrativa de muitas animações.
Com os comentários dos meninos, tenho muito receio de que muitos animes são realmente mais do mesmo. Um amontoado de bobagens que: ou são cheios de bundas, peitos e afins; ou são cheios de gritinhos, sentimentalismo bobo e afins; ou... bichinhos que lutam entre si sob o comando de seu dono/mestre e afins...
Daí vem a questão: se os animes têm cada vez mais passado esta impressão, por que os programadores de TV os comprariam? Vejam: estamos falando de grana. Grana que se aplica, grana que se pretende ganhar... Fica a pergunta aos leitores: será que a crise nos animes não está em sua origem? Ou seja, na concepção de cada título? Vemos que muitos títulos de sucesso lá no Japão são o quê... One Piece, Naruto? Que já estão aí há mais de 10 anos... E os animes novos são o quê, Suzumiya Haruhi no Yuutsu? Eu realmente fiquei com medo deste anime que os meninos citam... E é recente, bem recente.
Enfim...

←  Anterior Proxima  → Inicio

19 comentários:

Lucas Navarro disse...

Haruhi é o anime mais amado do Mundo. Só o Video Quest que não gosta (generalisando).
É também um dos que mais vendeu discos em toda a história da animação japonesa.

Panino Manino disse...

Já que você não assistiu a série eu te digo: eles não gostaram, como qualquer um podem não gostar, mas foi pelo motivo "não gostamos e ponto", só esse.

Na verdade, Haruhi não é vazio de forma alguma. Converse com qualquer um assistiu e refletiu sobre a série e tenha algo a dizer sobre ela que você entenderá.
Só que geralmente essas pessoas que captaram "essa" mensagem na série não são aqueles fanboys chatos que ficam querendo espalhar a série por todos os cantos e que todos aceitem. Apesar de geralmente quem fazer isso, fica fazendo propaganda de "Haruhismo" é só por diversão mesmo.
O problema é que muitos mal assistiram a série e ficaram com birra com quem assistiu e gostou e tanta "provar que é uma merda".

Tecnicamente é uma série como qualquer outra, e que tem boas sacadas, mas para ver essas sacadas tem que entender o a mensagem lá no fundo que o autor criou, só que a maioria assiste de má vontade, não consegue perceber a sutileza que move a série e começa a odiar.

Haruhi tem muito muitos elementos otakus, mas os usa não só para vender, usa também como ferramenta de roteiro.
Daí também o "gênero indefinido".

L.Karina disse...

Eu também não vi esse anime,mas pela imagens dele já imaginei que fosse mais um anime com coisas fofinhas sexualidas, sem uma boa história.
Tanto que faz um bom tempo que não vejo animes.Tudo me parece mais do mesmo.Os últimos animes que vi foram ainda no Animax,que infelizmente foi um canal que não vingou.

sandra monte disse...

Panino, vou mimi.

Mas, quando puder, explica o que seria "muitos elementos otakus".

Talvez a resposta de minhas dúvidas mercadológicas estejam nesta resposta...

Panino Manino disse...

Todo o elenco é composto de personagens atraentes para os otakus babões.
A quieta Nagato de óculos, a peituda e meio retardada Mikuru, o Koisumi galã, a irmãzinha, a própria Haruhi meio tsundere.

Tem episódio de praia e piscina.
Esses elementos para vender são claros, mas, não são o todo da série.
Assim como esses elementos, a série se utiliza de gêneros para passar suas ideias, ou pelo menos a ideia entorno da qual a história foi escrita pelo autor, como o tal sci-fi da série, que como qualquer um, por mais que tenha ciência envolvida não passa de uma ficção, as ideias do autor que são as regras, não as leias da física.

Parece que tem muita gente que empaca nessa superfície.

Tem gente que gosta apenas disso, e tem o direito, claro, mas quem realmente apreciou a série e coloca ela como boa ou até "top" foram aqueles para conseguiram ver além dessa superfície, entendo?
Por isso é meio falho criticar com essa convicção e embasamento se você não conseguiu ver além da superfície da série.

Que Haruhi tem uma superfície rasa ou otaku é claro, mas isso é intencional, tem o duplo sentido de agradar ao espectador que não quer pensar, quanto em dar o que pensar para quem quer.

Não que a série seja a melhor maravilha que já criaram, mas ela é muito além do que os hater tentam provar.
Quem ama tem noção dos limites da série, quem odeia não parece ter. E quem odeia parecer ver quem não odeia com eles como parte do "problema" da série.

Panino Manino disse...

Ah, sim.
Metade dos animes hoje em dia são bestas mesmo, mas tem quem compre.

Mas, aqui e ali ainda tem boas séries, o importante é saber identificá-las. Enquanto assistirem continuarão sendo produzidas.
E se o lixo não vender, quem sabe um dia param de produzir?

Trunks_Elk disse...

Acho bem exagerado dizer que os animes estão em crise.
Não querer que existam mais animes "peito e bunda" também, infelizmente é o que vende, então é o que eles vão produzir.

Mas quem acompanha sabe que tem ótimos animes saindo que não apelam pra isso, tivemos Hourou Musuko, Ano Hana e agora Usagi Drop, por exemplo.

Diogo Aires (Dood) disse...

No caso achei tudo questão de análise deles. Eu não vejo como um anime terrível como eles pintam, porque há produções muito piores (em vários quesitos). Assisti somente a primeira temporada do anime, eu não achei ao ponto de ser fantástico, mas também não achei tão vazio. Somente serviu pra atiçar os fãs xiitas.

D00d!

Porque gostar de uma coisa não é fanatizar!

Old_Nash disse...

Não gosto do jeito que essa dupla tenta explicar os animes.
Desde que fizeram de Black rock Shooter.
Perderam um ouvinte.

Portanto desconsidero tudo que falam.

Panino Manino disse...

Ah, não exagerem.
EU também achei Black Rock Shooter horrível, e tecnicamente até é, mas consegue agradar aos fãs, então tá tudo bem.

Ficar guardando mágoa não serve pra nada, encare cada VQ como um VQ único. Não gostou de um, azar, passa para o próximo.

Antes de ficar com raiva, é uma oportunidade de discutir.

Tronk disse...

Esses caras são bem ruins. Haruhi é um Sci Fi de primeira, é só assistir à série. Não tem nem o que falar. Viagens no tempo, questões existencialistas, etc. Esses caras não sabem dar argumentos convincentes, me admira profundamente que a Sandra realmente dê crédito pra isso. Se pelo menos fosse um vídeo bem produzido, mas nem isso. Caras como esses recebendo algum crédito me fazem ter menos fé na comunidade Otaku brasileira.

Luciano disse...

Pelo menos temos alguma coisa bem "produzida". Qual programa que fale sobre animes com criticas tão bem construtivas? Sabemos que todos temos opiniões diferentes! É só sabermos discorda e respeitar!

Eu gostei do anime mas, com este video, vi erros que eu deixei realmente passar. Mas não vou me arrepender por ter assistido ao Suzumiya. Nunca. Adorei o video quest sobre Fma, mas não gostei deste que fizeram. Espero por outros videos sobre anime da dupla.

Old_Nash disse...

BRS é um anime SoL.
Sem pretensões de grandes feitos ou sagas épicas.
Se ninguém entendeu a mensagem de amizade entre duas garotas que não beire ao yuri, não deveria assistir a animes normais e ficar só no hentai.
Pra mim foi bom, e a ação intercalada dele foi bem explorada, variando entre os mundos durante a história.
Que venha a continuação já prometida.

Panino Manino disse...

A continuação de BRS vai ser um jogo para PSP.

Nero disse...

Lançam toda temporada tantos animes repetindo os mesmos clichês da temporada anterior que quando conseguiram fazer um com tais clichês e que fosse bom elevaram o anime ao status de "cult". Assisti, digo que é interessante, digo que é melhor que muitos animes do gênero mas digo que não é pra tanto.

Francisco Othon Pereira de Norões disse...

O que aconteceu com os canais infantil e jovens ??



Já se foi o tempo, em que se estava-mos cansados de ver filmes, séries e Shows. Dava aquela vontade de ver algum canal de desenho, e noa deparava-mos com desenhos de temáticas mais adultas (ou pelo menos mais inteligentes) ou desenhos mais antigos, e mais criativos...

Hoje em dia, eu vejo que os canais estão a mesma coisa: desenhos totalmente nada a ver, sem noção, chatos, mongolóides, sem graça, e Emos!

Disney Channel, antes se focava em desenhos e séries da Disney como Mickey Mouse, e Pato Donald. Hoje só passa Hannah Montana e Jonas Brothers.

Disney XD, (pra começar, olha que nome mais ridículo) cópia e xerox do Disney com seus seriados Emos, sem graça e retardados (ainda se salvam pelos poucos animes).



Animax, pra começo de conversa, foi o MELHOR CANAL DE DESENHOS DA HISTÓRIA: O Locomotion! Depois da mudança só exibindo desenhos Japoneses (menos mal, até gostava). Agora virou mais uma cópia dos mesmos, com seus seriados retardados, Teens, Emos e insuportáveis!

Boomerang, "o que vai volta"(?), BULLSHIT! Isso é passado. Agora o canal, é mais um espelho dos demais: seriado Emos, Justin Bieber, seriados de patricinhas insuportáveis, e desenhos igualmente mongoloídes.

Cartoon Network, exibia desenhos da Hannah Barbera, WB, e até alguns animes legais (YuYu Hakuso, e Dragon Ball Z) agora virou um "Discovery Kids versão pré-adolescente", com desenhos péssimos (parecendo aqueles feitos em flash) e até exibe filmes toscos nos fins de semana...

RA-TIM-BUM, Um lixo sem tamanho (a SKY ainda coloca nos pacotes mais caros, por mim nem de graça eu iria querer).

Nicklodeon, não me agrada. Pois os desenhos legais, agora passam de madrugada, dando espaço ao memso desenhos chatos em flash e 3D.

Nick Jr, Canal feito especialmente para concorrer com o Discovery Kids. Agora criar um canal que passe desenhos, filmes e séries dos anos 80, ninguém cria. Descartável.

Discovery Kids, ao lado do Nicklodeon, foi o que menos sofreu mudanças, mesmo assim, o canal que era prum público de 2 a 7 anos, passou prum público de 0 a 4 anos...

Tooncast, o únco que (por enquanto) não virou um covil teen-emo-nx zero-restart.

Mais aí eu pergunto, teria necessidade de criar o Tooncast se esses canais todos, não tivesses sido tão descaracterizados?

Daqui a pouco até o Tooncast, começa a passar esses seriados Emos, e mongolídes também...

Anderson disse...

Acho que todos os fans de Haruhi aqui já deram sua opinião, mas eu quero complementar um pouco.

Não foque nas opiniões de alguns que se acham que sabe alguma coisa. O animê contei erros como todas as séries e filmes tem. Se você me perguntar sobre problemas em algum filme, qualquer um, eu posso citar. Então, não supervalorize os erros citados por eles.

Outra coisa que quero complementar é: Leia os livros. Assim como os filmes do Harry Potter são um lixo em comparação aos livros, no animê de Haruhi também comete erros.

Mas, se mesmo depois de assistir ao animê, ou depois de ler os livros, você achar que os erros são grandes demais para serem ignorados como citados por aqueles dois, então ai tudo bem. Afinal, cada um tem seu gosto.

Mario M. disse...

Que post bizarro! Você escreveu sobre algo que não viu com base na opinião de outras 2 pessoas? Que isso menina? Confiar cegamente na opinião dos outros é quase como assinar um contrato sem ler. Bastante ingênuo, pouco profissional.

Haruhi é uma das histórias mais originais. Como assim associá-la a uma suposta crise atual de criatividade? Qualquer um tem o direito de falar que não gosta, mas dizer que não é original é bem atípico...

Aliás, que tal crise de criatividade é essa? Com essa quantidade absurda de lançamentos você não consegue encontrar bons conteúdos? Como assim? Você acabou de citar um no seu post seguinte: Michiko to Hatchin. Obra recente bastante madura e original.

Sobre Haruhi, meu intuito não é falar muito. Acho simplesmente fantástico, ÚNICO. Apesar de ser recente, sempre que vejo alguma cena, vem uma nostalgia danada. Quem sabe você também não gosta? Basta assistir né?

Gosto bastante do seu blog, mas, por favor, se quiser cometer o mesmo deslize de adotar cegamente a opinião dos outros, escolha pessoas melhores que esses dois.

Fabio Sosa disse...

Muitas pessoas que assistiram ao anime não captaram as mensagens sutis que o autor colocou. Além disso, os livros contem mais reflexões do narrador, o personagem Kion, que geralmente não são levadas a sério pelas pessoas em geral. Existe também uma linha na história ligada à Física Quântica e outra às tradições e filosofias orientais. Não é à toa que os livros não foram traduzidos para o Português pela empresa detentora dos direitos de publicação, pois é preciso ter um conhecimento eclético para entendê-las, aspectos estes que o público lusófono, em sua maioria, não tem.
Entretanto, para resumir tudo, cito o bom ditado:" Gosto não se discute". E concordo que há uma crise no ramo do Anime: poucos estão dando lucro às empresas que os fazem. Alguns dirigentes dessas empresas afirmam que isso se deve à pirataria na Internet...Será?
Mas fica aqui uma pergunta que a personagem Haruhi fez a si mesma e tendo Kion como ouvinte: "O que estou fazendo de minha vida? O que vou fazer depois que terminar o Colegial? Talvez eu acabe saindo desse sonho e entre no mundo real e cruel que é lá fora..."