Desejo: Boas Festas...

sábado, 21 de maio de 2011

Porque sou contra a criminalização da homofobia - parte 2

Atualizado às 19h10: olhem só o que estou dizendo... Comentário do Twitter: "Eu fico imaginando o monte de gay "crente" que protestou contra a crimanilização da homofobia na marcha para Jesus em curitiba #hipocrisia", isso não seria preconceito com os evangélicos?

Navegantes,
Novamente estou aqui para falar de um dos assuntos mais cavernosos já mencionados neste site. A criminalização da homofobia. Em junho do ano passado, escrevi um post falando do assunto. E mais uma vez defendo minha posição.
Sou terminantemente contra esta criminalização. Sou contra o direito de alguns se sobressair ao direito de outros. Sou sim a favor do total respeito que as pessoas devem ter umas pelas outras. Sou a favor da compreensão e da igualdade, de todas as partes.
Mas, a criminalização da homofobia pode gerar mais preconceito, mais mortes do que ocorrem hoje. O motivo é simples: uma lei não vai mudar pensamento e cultura de uma pessoa. Se as leis tivessem tal efeito, não haveriam tantas mortes no trânsito por bebida ou falta de cinto.
O que hoje pode se ler, como alguém falar mal de um gay, se esta lei for aprovada, não se verá mais publicamente. Mas, isso evitará que não se fale? Não. Não evitará. Continuar-se-á falando mal, mas, as escondidas. O já famoso jeitinho hipócrita do brasileiro ser.
Não concordo com este direito que os gays querem. Porque muita gente, como mencionado em meu post anterior também sofre seus preconceitos: gordos demais, magros demais, altos demais, baixos demais, nordestinos, evangélicos, católicos, judeus, árabes e por aí vai... Todo mundo poderá, então, solicitar um direito especial... Sério... vocês acham isso certo em um país supostamente democrático que tem uma Constituição?

Esta semana, só para ilustrar... havia um casal de gays na saída do metrô Consolação. Estavam se beijando loucamente, daqueles beijos que parece faltar pouco para haver uma transa. Acho isso certo? Não. Porque são gays? Não. Porque é inconveniente, mesmo se o ato viesse de heterossexuais. Acho que há lugar para tudo. Daí vem a pergunta: se fosse um homem e uma mulher? Provavelmente ela seria tachada de vagaba... Percebem a situação?
Além disso, toda a situação que se sucedeu com o senhor Bolsonaro mostrou o radicalismo dos dois lados. O dele e o dos gays. Afinal, também não seria precenceito dos gays em achar que um heterossexual que os critica é gay enrustido? Acho que muitos de vocês já ouviu isso da boca de muita gente: "ah, não quer se assumir..." Ou "ainda não saiu do armário..." Até eu, anos atrás, já fiz menção disso. Mas, hoje, não penso mais assim. Porque as pessoas são envoltas por questões culturais muito maiores: religião, ciência, puro e simples pensamento, recusa natural.
As pessoas tem o direito a não gostar. Mas, têm obrigação de respeitar a todos. Se houver criminalização, como fica? Será crime uma pessoa falar: "não gosto de gays"? Ou "acho homossexualidade doença". Ou 'tenho um filho gay, mas não queria". Onde fica a liberdade de expressão?
Eu gostaria sinceramente que heteros e gays pensassem no assunto como uma sociedade realmente civilizada. Todos têm direito a manifestação. Acho extremamente válida a passeada gay todos os anos. Mas, também acho válida uma passeata como a de hoje em Curitiba. Porque se uma lei desta realmente for para frente, muuitas pessoas que são indiferentes ou simplesmente não se ligam no assunto, vão se sentir como os animais de "A Revolução dos Bichos". E, infelizmente, os gays serão tachados como os porcos da história que fizeram a lei: TODOS OS ANIMAIS SÃO IGUAIS, MAS ALGUNS ANIMAIS SÃO MAIS IGUAIS DO QUE OS OUTROS... Leiam o livro, que vocês entenderão... E pensemos seriamente, antes que seja tarde demais...

←  Anterior Proxima  → Inicio

27 comentários:

Anônimo disse...

Veja a emenda reparadora da PL em questão, boa parte do teu comentário já se tornou defasado.
O que os cristãos fundamentalistas continuam pregando a respeito dessa PL já foi modificado...enfim, vc como a maioria das pessoas que são contra a PL não leram a proposta nova...É aquela coisa né, eu ainda tem coisa que eu não gosto na proposta nova e coisas que eu acho boas pra sociedade, mas de qualquer forma se informe sobre essas mudanças.

Não precisa aceitar meu comentario.....abraço linda !

Anônimo disse...

Li, reli e não entendi seu post...

Preconceito contra evangélicos? Preconceito contra gordos demais, magros demais sendo colocados no mesmo nível que homofobia?
Sou do tipo de ideia de que qualquer tipo de preconceito é inválido, não concordo com nenhum. Mas quando ele passa dos limites apenas das ideias e começa a influenciar a vida das pessoas, ao ponto de um homossexual ter medo de andar desacompanhado na rua por poder ser agredido por um grupo, concordo sim com a ideia da lei. Não é limitação contra liberdade de expressão alguma, pesquise um pouco mais sobre a lei que pune a homofobia e você vai entender que comentários como "eu não gosto de gays" não se encaixam nesse tipo de crime e muito menos limita qualquer tipo de culto religioso que é contra a homossexualidade.

sandra monte disse...

Eu aceito a maioria dos comentários, "lindo", por sou A FAVOR da liberdade de expressão.

E muita gente não sabe o que é isso, infelizmente.

sandra monte disse...

Para mim, a partir do momento que uma pessoa tem vergonha de dizer o que ela é, é passível de haver preconeito.

Ou, a partir do momento que alguém usa um termo pejorativo, também o é. E, a partir do momento que a pessoa é "acusada" de algo que ela não é, neste caso, também é preconceito.

Você está mostrando, como mencionei no texto, que é possível sim os gays (imagino que você seja, Anônimo) serem preconceituosos.

Mas, que querem um direito a mais que os outros não teriam...


Sandra Monte
PS: pode escrever seu nome. Ou há algum algum problema?

Felipe disse...

Concordo com você, Sandra. Acho que é errado agredir gente. E, que eu saiba, já existe lei para isso. E, até onde eu sei, homossexuais também são gente, então essa criminalização é bem sem sentido mesmo.

Ou não.

Na verdade ela tem o sentido de alimentar a nossa rica indústria do processo. Já se processa por cada bobagem nesse país que virou até piada ironizar alguém com "vai me processar, é?". Me parece que os advogados é que iriam ganhar mesmo com isso, enchendo os bolsos de dinheiro com isso.

E eu também nem acredito que essa lei vise bem estar nem para homossexuais nem para ninguém. Ou melhor, quase ninguém. Estão querendo paparicar os homossexuais porque sabem que grande parte tem algo poder aquisitivo e são consumidores a se conquistar. E, como são em númer considerável no Brasil, constituem um grande potencial eleitoral para políticos que vão posar de heróis defensores dos homossexuais nessa história.

Enfim, é uma palhaçada sem tamanho. Bem de se esperar de um país que elege o Tirica. Enfim...

Anônimo disse...

não precisaria aceitar pq eu só gostaria de te falar que houveram mudanças na PL e talvez tu esteja discutindo algo que já são aguas passadas...
e não sou gay tb...
e tb não sou a favor de direitos especiais...

enfim...acho que fui mal entendido, tb maldita preguiça em escrever direito rsrs

sandra monte disse...

Nâo há problema Anônimo.

As pessoas costumam vir aqui e achar que porque seus comentários são contrários aos meus, não vou publicar...

Quem acompnha este blog, sabe que sou a favor da liberdade de expressão, desde que a mesma não seja ofensiva ou perojativa.

E se você entrar no Twitter e colocar na busca "homofobia", verá muito "bullying" dos gays (ou simpatizantes) contra os evangélicos.

Patrick Raymundo disse...

Que questão delicada, Sandrinha! :) Eu desconheço, se houve mudanças, o teor destas mudanças na lei que se pretende. Por isso não posso comentar essa parte, mas eu concordo com você de que as liberdades de expressão e culto estão indo de encontro a essa proposta e isso vai gerar conflitos. Sou a favor da liberdade de expressão, assim como sou a favor da igualdade entre todos os brasileiros e aí está um perigo dessa lei, porque corre o risco de desnivelar juridicamente os direitos fundamentais. Afinal, se a lei de imprensa caiu porque feria uma cláusula pétrea (liberdade de expressão) essa lei também pode acabar por ferir a mesma cláusula, ao impedir que os religiosos (e contrários) se manifestem de maneira saudável (sem ofensas ou agressões). Percebem? Quem vai interpretar a lei vai interpretar que o "não gosto..." é ofensivo, ou não? Vai da cabeça de cada juíz, cada sentença, e isso coloca em risco a liberdade de expressão. O ministro Ayres foi genial ao afirmar que "um parágrafo não pode separar o que o amor uniu", mas a lei como a conheço (volto a afirmar que desconheço qualquer mudança no projeto) pode infringir direitos pétreos (direito ao culto religioso e de liberdade de expressão) e tenho certeza que esse projeto vai acabar indo ao STF. Em resumo, não concordo com este projeto, mas concordo que se deva ter igualdade/segurança/liberdade entre todos e para todos. E qualquer agressão, seja verbal ou física, acaba sempre sendo enquadrada em diversos artigos do nosso Código Brasileiro, então, existe segurança jurídica que garanta os direitos ofendidos, sem a necessidade desta lei.

sandra monte disse...

Nossa, Patrick, você disse tudo.

A Constituição está ai, não há necessidade de uma lei.

Todos devemos ter os mesmos deveres. E os mesmos direitos...

Roberta Caroline disse...

Todos devemos ter o mesmo direito...mimimi. Discurso muito bonito mas que na pratica não acontece, vocÊs sabem....sabem bem. É o cumulo ter que recorrer á uma lei assim, mas não há muito o que se possa fazer a respeito. Apoio sim a lei contra a homofobia, acredito que ela se equipara ao racismo. Claro que há pontos que devem ser discutidos e principalmente no que tange ao direito de expressão de outras pessoas, mas é aquela coisa néh... você tem o direito de se expressar, mas se o que tu falou incitar ódio e violência, você deve responder por isso. Sabemos bem que lei não muda opnião de ninguém, mas nem por isso elas devem deixar de existir. E afinal, eu pergunto, qual o problema da lei? De que forma isso poderá afetar de forma prática, o direto do outro de se expressar? Acham que só por alguém dize que não gosta de gays, essa pessoa será condenada pela justiça? Claro que não néh gente. A questão não foi exposta como se deve no texto, independe de ser gay ou não, a pessoas inconvenientes existem aos montes, independente de cor, religião, sexo ou qualquer coisa que seja. Não é pq você é contra isso, que será afetada pela lei. Sobre isso da pessoa ser gorda, feia e etc e sofrer descriminação, quem se sentir prejudicado, que recorra á justiça como os gays estão fazendo. No fim, não é a "opinião" da maioria que deve ser levado em consideração e sim o que lhes é de direito ou não. As pessoas se preocupam tanto com coisas pequenas como estas, mas as coisas mais importantes e que afetam a todos, quase não se vê ninguém discutindo (não é um indireta hehe, sempre acomapanho o blog e vejo que não é assim).

Sorry pela biblía e os possiveis erros gramaticais xD. Essa é minha opinião, até!

Diogo Aires (Dood) disse...

Uma coisa é haver respeito, outra é se sobressair querendo direitos a mais como você disse. Não importe se é negro, homossexual, alejado etc... Somos todos iguais perante a lei e temos direito de concordar (ou não) com certos tipos de comportamento.

Gays nunca foram bem vistos historicamente, havia certo pudor de se mostrar, a repressão não era somente religiosa como da sociedade.

Concordo com a união de casais homossexuais, mas criminalizar opiniões contrárias que não se guiam a radicalismo, é diferente.

Sandrinha deixo o link de um debate interessante que está tendo num fórum sobre isso:

http://rv.cnt.br/viewtopic.php?f=1&t=22621&sid=4c24bf248b763907e7e8c79c169c1267

Abraços e bom fim de semana.

sandra monte disse...

Dei uma lida em alguns comentários Dood, mas não em todos.

A questão é justamente esta...

Não devemos nos ligar ao que as pessoas fazem em quatro paredes. Isso é algo delas e que só diz respeito a elas.

A questão é outra: se um gay, mulher, hetero, etc for agredido em qualquer lugar sob qualquer circunstância, já existe sim uma legislação para tal caso. É agressão, homocídio. etc.

Porque exatamente os gays querem algo para si de um lei que já existe?

Não pensei a fundo... Mas se houvesse um "plus" nas leis só mesmo para quem não tem NENHUMA possibilidade de defesa, como criança, idoso, deficiente...

Como eu disse, são coisas que a sociedade deve pensar de forma civilizada, não a baixaria (dos dois lados) que vemos atualmente.

sandra monte disse...

Só para constar... o "por que" lá em cima é separado, o da pergunta... :P

L.Karina disse...

Ainda concordo com o que você comentou no post.Também não sou a favor dessa lei,porque já existem leis para quem se sente descriminado.Li uma reportagem comentando sobre o MEC gastar dinheiro com um Kit gay e não investir na melhoria das ecolas e em remunerar melhor os professores.
Ainda acho que só aprovaram oa casamento gay para tentar incobrir a inflação que vem aumentando todo dia e não porque o país se tornou ''liberal e civilizado''.

Anônimo disse...

Muito bom o post e concordo com boa parte do que diz Sandra.

Mas é normal nem todos termos a mesma opinião. O quero salientar é que o mais dificil hoje é ser normal.
Sim o preconceito contra o normal. Vvc não pode só viver normalmente, tem q aderir um movimento ou é preconceituoso.

Meu pecado foi nascer negro. Mas fora isso eu condeno as escolhas incorretas da humanidade. Tudo o que vc aprende sobre sociedade é regido de valores básicos e respeito. Cabe a vc seguilos ou deturpalos.

Parece um jogo onde estamos na tréplica. Preconceito, antpreconceito e agora o antantpreconceito...
E quem criar o próximo termo sera o novo moderno com pensamento visionário.

Prefiro continuar não sendo homofóbico e defendendo os bom valores ant o desrespeito natural humano.

Claro que vão discorda desta opinião. Pq ela é muito simples e só segue a idéia trivial de ser normal.

Abraço e sucesso Sandra.

Diego

Miranda disse...

Muito bonita sua falácia, mas na prática você sabe que não funciona. Gays não são respeitados, como você disse, por uma questão cultural. Isso em todo o mundo.

Uma lei que combata a homofobia não iria erradicar nem diminuir o preconceito. Todos sabem. Mas diminuiria sim os ataques contra homossexuais.

sandra monte disse...

Da mesma forma como o "lei do alcool" no trânsito, sim.

Mas, depois, talvez se torne até pior, pq quem realmente quiser machucar, vai saber como "desviar" da lei.

Mas, "que merda... vão achar alternativas para a maldade?" Sinto dizer, vão sim....

Mas, é uma opinião minha. Querem igualdade, mas eles próprios estão se desigualando... Enfim...

Bia Chun-li disse...

Parabéns pelo comentário Sandra.

Se o que eu li sobre essa lei (não apenas no que se refere a homofobia, mas a tudo que está nela), creio que a situação pode piorar.

Acredito sim, que gays merecem respeito assim como todos nós que fazemos parte da sociedade (assim como eles também tem que mostrar seus deveres). Mas creio que a PL mostrará um retrocesso a causa.

Penso que se o próprio Clodovil foi tachado de homofóbico, por causa de uma frase que ele disse (algo como "Não tenho o porquê de sentir orgulho da minha opção sexual. Tenho que sentir orgulho da pessoa que me tornei, independendo dela." - essa frase até hoje me faz refletir sobre várias coisas), imagina um cidadão teoricamente inculto (mas que possui amigos homossexuais), ao fazer uma piada?

O interessante de ter comentado sobre o livro "A Revolução dos Bichos" é que no final os porcos terminam ficando parecidos com os humanos que eles combateram... É outro ponto para refletir.

Robotmonster disse...

Eu como nordestino, ja fui discriminado no sul/sudeste e adoraria uma lei pra criminalizar isso, mas eu vou querer meu bem estar acima do direito de liberdade de expressão dos outros? Não.

O problema é quando agressão fisica contra homosexuais por diversão entra erroneamente no conceito de "liberdade de expressão", so que pra isso ja existe uma lei.

Concordo com a Sandra, não quero uma lei que vai criminalizar o modo de pensar do cidadão, quando somente deveria se tornar no maximo um agravante a outros crimes graves.

Betto Mendes disse...

Se você fosse negra talvez entenderia melhor. Imagina ser chamada de "preta" ou macaca ou sabe-se la mais o que? Imagina ser recusada em uma vaga de emprego por causa da sua cor? Você também acha que isso é uma questão de "liberdade de expressão"? Acha certo isso acontecer?
Se não tivessem tomado medidas contra isso a situação estaria fora de controle hoje.
É contra esse tipo de situação (e as agressões físicas, claro, que se vê por ai em sites de notícias) que essa lei vai agir.
Pra pessoas "comuns", que não tem o que temer ou contra que lutar é muito fácil dizer que essa lei é errada, ne?!

sandra monte disse...

Pois é Betto..

Não sou negra, mas sou nordestina em uma cidade que nordestino é "cabeça chata", que só "vem para cá para fugir da seca", que "vem para cá para saber o que é água", que é "tudo baiano e tem gosto duvidoso"...

Não precisa ser negro para ser discriminado. E nem gay. Basta ser "diferente" da maioria, ou maioria influente...

Tá bom para você? Como eu disse, também sofro preconceitos...

E só para constar: a lei dos negros não mudou NADA. Entre um branco e um negro com as mesmas qualificações, quem consegue um emprego?

Se houver suspeita de roubo, quem será revistado primeiro? O branco ou o negro?

Acho que sabemos a resposta. A lei não mudou o jeito de ser das pessoas. Elas aprenderam a camuflar da pior forma possível....

E as que aprenderam a respeitar, não foi pela lei. Mas pelo próprio aprendizado de que somos um país com diversas misturas, povos e culturas. É isso que está mudando as pessoas. Não uma lei...


Sandra Monte

Anônimo disse...

Reconheço que não sei tudo, mas, não tenho conhecimento de nenhum escrito que enumere todas as leis que Jesus ensinou. Essas leis não são muitas: dar a César o que é de César, ajudar mesmo até em dia de descanso, amar ao próximo e até aos inimigos, dar a outra face, ... bom, em resumo é uma linha de total tolerância. Tolerância que alguns dos que se dizem seguidores de Jesus, se esquecem de aplicar quando não querem a criminalização da homofobia, o que eles querem é continuar a ofender o seu próximo porque este escolheu algo diferente, esses talibans querem continuar a “jogar a primeira pedra”, incitando a homofobia. Esse argumento de que “o direito de alguns se sobressairá ao direito de outros”, não é o mesmo contra o preconceito racial? Ter opinião é um direito que todos, evangélicos ou não, devemos defender; mas, opinar sem ofender. E o que eles querem é continuar ofendendo, discriminando. Se esquecem que foi esse mesmo Jesus que expulsou os vendedores do templo; ou ninguém percebe que essa exaltada “indignação” contra a criminalização da homofobia é mais uma forma arguta de continuar a vender o seu peixe?

Os esclarecidos interpretarão a palavra talibans como adjetivo.
Omar Massa

Jorge disse...

Olá Sandra,

sei que este texto foi postado em Maio, mas numa comunidade do orkut, durante umas discussão alguém postou um link para o seu texto.
(aqui: http://tinyurl.com/44x9ufl )

Li os 2 e achei uma visão muito equilibrada, embora vc, por não ser gay, precise de muito jogo de cintura para se dizer contra o plc122 sem ser tachada de preconceituosa, homofóbica, incitar ao ódio, etc... é fanático para todos os lados.


Bom, já que vc é jornalista, eu gostaria de fazer uma sugestão para vc, que também postaram na comunidade do orkut.

É o seguinte, acho que vc deve estar ligada que todos os anos o Grupo Gay da Bahia (GGB) cataloga dados de assassinatos de gays e apresenta os relatórios anuais da "homofobia".

Passa-se para a sociedade que todos os crimes ocorrerem em função da orientação sexual das vítimas.

No entanto, o GGB não apresenta as fontes dos dados, só um monte de tabelas e nada de fontes. Veja no caso de 2010:

"Epidemia do ódio 260 homossexuais foram assassinados no Brasil em 2010. "
http://tinyurl.com/3kj3afd

Dizem que tiram os dados em reportagens da imprensa mas não mostram os casos, os links para as reportagens. Costumo ler jornais diariamente e não vejo todos esses casos noticiados nos jornais. É estranho.

Contudo, há alguns dias atrás, o próprio GGB acaba por se contradizer, em entrevista no G1, diz que em 2010 foram 11 assassinatos homofóbicos, dentre os 260. Ou seja, não tem "epidemia de ódio" que eles mesmos criaram:

http://glo.bo/pvci6r

E acrescentam no final:

"Em muitos casos, os autores dos homicídios são os acompanhantes das vítimas." (ou seja, crimes passionais, ou coisas do tipo)

Diante disso tudo acho estranho que ninguém na grande imprensa se manifeste quando a isso e não exija do GGB a apresentação dos dados.

Agora o mais interessante, que estavam divulgando no papo no orkut, é que parece que tem um grupo de pessoas, não sei se gente de alguma ONG, alguns gays sem preconceito, ou simpatizantes, estão coletando dados e montando um relatório aparte ao do GGB, e mostrando as fontes:

http://tinyurl.com/3ulo4xb

Acho que isso seria um "boom" para a mídia, porque as fontes são apresentadas e analisadas. Dei uma olhada e não acreditei nos resultados, mas basta olhar as fontes.

O engraçado é que tentei postar o site no meu facebook e está bloqueado, como conteúdo "impróprio". É estranho, não vejo nada de homofobico no site.

Acho que alguém precisa mostrar aquilo aos jornalistas.

O que vc, como jornalista poderia me dizer sobre isso? A sua impressão, e sobre esse último site?

Abraço,
Jorge.

sandra monte disse...

Jorge,

Infelizmente, nenhum link funciona. Imagino que o site em questão seja este http://homofobianaoexiste.wordpress.com/

Oportunamente, falarei sobre o assunto.

Obrigada pela informação. Att,

sandra monte disse...

Ah sim.. claro...

E acho que muitos jornalistas são pró-PL 122, por isso será um pouuco dificil você convencê-los!

blog do Junior disse...

Não sou jornalista, mas entrei nesse blog para dar a minha opinião sobre o assunto abordado que é a criminalização da homofobia. Sou gay, e acredito que deveria haver essa criminalização da homofobia sim, e vou deixar claro meus motivos. O homossexual em geral nunca foi bem visto na sociedade, principalmente no Brasil; Pessoas hoje em dia são mortas apenas pelo fato de serem homossexuais. Alguns casos desses já aconteceram e são absurdos! Um certo caso aconteceu, onde pai e filho estavam abraçados e por "acharem" que eles seriam gays eles foram espancados até a morte. Outro na avenida Paulista também é espancado sem ter feito nada! Casos absurdos sim? Pois é, concordo que já existam leis que combatam essas agressões, sejam elas físicas, morais, enfim, já existe! Porém tem mais uma coisa ai. Se já existem essas leis, porque então existe a lei Maria da Penha para tratar as agressões contra mulheres? Então essa lei também não deveria ser aplicada! Pessoas não são mortas na rua por serem magras, gordas, altas, pequenas. Mas os homossexuais são!!! É essa igualdade que nós queremos. Xingamentos, ofensas todos nós estamos passíveis disso. Agora, pessoas serem mortas por uma condição sexual!!! Sim acho que deveria ter a criminalização disso!!!

Respeito todas as demais opiniões!!! Acho muito legal e produtivo essas discussões, e estou apenas deixando meu ponto de vista!

Sandra Monte disse...

Junior..
Eu sou contra qualquer tipo de violência. Só que o grande problema é que nossas leis não são cumpridas. Ótimo.. faz-se uma criminalização. Eu sei e você sabe que um gay pode simplesmente acusar qualquer um que diga: não gosto de gay...

Você sabe que a coisa pode caminhar pra isso. As pessoas vão perder direitos somente de dizer. Viveremos em um mundo "fake".

Ou, você acha que mudaria muita coisa se um gay sofresse agressão, morresse e o criminoso ficasse 5 anos preso? Se ficasse... O problema é como a lei atual está posta e como ela é aplicada. A lei M"aria da Pena" está aí para mostrar que os caras não ficam presos...

Estamos criando pequenos grandes monstros com tantas leis específicas. E sim, eu não sou a favor de "Maria da Penha". Talvez os únicos grupos que precisem de proteção mais clara sejam as crianças, idosos e animais.

Enfim...