Desejo: Boas Festas...

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Ordem e desordem pública, o que é arte ou não...


Navegantes, tentei deixar ocomentário lá no Youtube, mas sem sucesso... Então comento aqui mesmo o vídeo acima.
Desculpa aí artista, mas você estava errado. O fato de estar em cima de um orelhão fere o direito de um cidadão usá-lo. Afinal, quem ficaria em um orelhão que pode cair em sua cabeça? O "artista" poderia simplesmente se desequilibrar e cair no orelhão.
Então, antes de "fazer arte", pensa um pouco. Há formas e formas de protestar e sinceramente, o policial só o derrubou porque o cidadão se recusou a sair. Quem prestou atenção viu que o policial pediu umas duas vezes...
Há policiais que erram, mas há pessoas que se valem dos erros de alguns para fazerem algo errado e ainda dizer que é ditadura. Isso não é ditadura, é ordem pública...
E se o artista quebrasse o orelhão, não é a Telefônica que iria pagar, somos todos nós que pagamos a conta. Esta gente esquece que as empresas, sejam públicas ou privadas a serviço público, cobram o que cobram também porque gastam com vandalismo...
Para pensar um pouco, ok?

←  Anterior Proxima  → Inicio

4 comentários:

Felipe disse...

É um palhaço, querendo chamar atenção e pouco se lixando de quebrar coisas públicas.

Entre ele quebrar o orelhão e quebrarem a cara dele, fico com a segunda, já que o orelhão pode me ser útil um dia (e a cara dele não, obviamente).

Patrick Raymundo disse...

Ordem pública! O maluco, sim, eu não digo artista, pois ele estava com uma arma de brinquedo em mãos (está certo que havia uma flor no cano mas, após a tragédia no Realengo, isso não é de bom tom NUNCA) e, além disso, estava mascarado, com trajes que se assemelham ao exército, e em cima de um orelhão. Lógico que seria derrubado e preso. Ele estava afetando a ordem e a segurança pública, porque, como escrevi, era um doido mascarado e ninguém sabia o que ele faria à seguir. A polícia agiu com a força devida para manter a segurança dos civis que passavam pelo local. Parabéns pela ação da polícia. E vem cá, "artista", se vc vier a ler isso, dá uma boa lição de moral e, em vez de subir "armado e mascarado" em cima de um orelhão, vai distribuir livros na rua, vai doar sangue, vai escrever manifestos pacíficos na internet, ou vai dar aula para crianças carentes. São manifestos mais úteis à sociedade e vão contribuir realmente para um bem maior. E, Sandrinha, concordo 100% com vc!

Fernando Ventura disse...

Desde que as faculdades de arte começaram a formar imbecis que não sabem sequer desenhar bonecos de palito temos que engolir esse tipo de patetada. Nunca vamos ver um escritor que não saiba o ABC publicar, mas em artes qualquer bobagem tá valendo.

Por que ele não sobe no poste de uma vez já que quer aparecer?!

Rafael disse...

Concordo com o autor do blog. Discordo da truculência policial mas também por outro lado o orelhão é um equipamento público e se este for danificado nós que pagaremos a conta. E aí? Vamos esperar o orelhão ser quebrado primeiro ou o cara acabar caindo e quebrando a cara (e indo pro SUS ajeitar sua cara) pra depois agirmos?