Desejo: Boas Festas...

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Mercado de animes no Brasil: Sailor Moon, o erro foi de quem?

Navegantes, há algumas coisas importantes a dizer. Espero não ser prolixa..  Peço a todos que leiam atentamente, pois o texto será um "tico" longo...
Já está mais do que na hora de fazer novos apontamentos dos problemas no universo do anime no Brasil. Nem vou citar os mangás. A coisa no mercado editorial não está tão ruim assim. Mas, no tocante dos animes está horrível!
O que ocorreu com Sailor Moon talvez seja o caso mais emblemático de todos os problemas que citei até nestes últimos meses. E sabe o que é pior? Parece que a "culpa" – se me permitir usar este termo – é de todo mundo. Todo mundo quem? (e isso abaixo não é uma ordem de culpa, mas uma ordem para estruturação de meu texto :P)

Um: dos fãs. Sim, Que o ocorrido com Sailor Moon sirva de exemplo para fãs de outras séries, em possíveis outras ocasiões. A galera do SOS Sailor Moon até teve boas intenções. Procuraram ou foram procurados, agora não sei pelo licenciador brasileiro. Para quê? Para que eles pudessem ajudar no retorno de Sailor Moon. Certo... Eles tiveram trabalho, gastaram seu precioso tempo, gastaram o precioso tempo dos outros para quê? Para nada. O que tanto lutaram não foi para frente, a questão da redublagem.
De antemão, acho que não deveriam ter aceitado nada. Por quê? Fã tem sim que exigir. Mas, não tem que fazer o trabalho alheio. Fã deve pedir o melhor. Fazer texto para empresa, fazer pesquisa...? PARA!!! Chega disso. Fã tem que pedir pelo melhor, exigir que as empresas façam sua parte. Não devem fazer o que não lhes cabem.

Dois: a Angelotti Licensing. A empresa tinha ou tem, sei lá, interesse em ganhar grana com um desenho. Se tem, é OBRIGAÇÃO da empresa se inteirar com a Toei o que é a animação, do que se trará, etc. É obrigação da empresa fazer enquetes, é obrigação da empresa fazer o necessário para conhecer o próprio produto. Não pedir ajuda de fã. Ou aceitar sumariamente.
Eu já disse diversas vezes, não se vê Disney, Warner, etc. pedindo de nenhum grupo de fãs. Estas empresas sabem o que fazem. E sabem o que querem e sabem o que têm que fazer.

Três: a Toei Animation, que não se instala fisicamente no país. Se a empresa tivesse um escritório no Brasil, como Disney, Warner, etc, têm, as coisas não seriam tão difíceis como são. Porque no final das contas é um "telefone sem fio" danado.
Diversas empresas japonesas vieram ao Brasil e se instalaram. Vide as automotivas. "Mas Sandra, é diferente..." Não é. A premissa do capitalismo é muito semelhante para diversos setores. Para conhecer o gosto do brasileiro, fazer carros e ter lucro local, Toyota e outras, por exemplo, instalaram-se no Brasil.

Quatro: a menos "culpada", mas também culpada é a CD & DVD Factory. A empresa pouso de boazinha. Legal. Tentou pagar pela redublagem? Legal. Só que saiu falando demais para uma coisa que não tinha certeza. Acabou dando esperanças aos fãs. E de forma desnecessária.
Em sites que a empresa deu entrevista, o senhor Márcio Reginette – dono da mesma – disse que sabia do anseio dos fãs e tals... Cara, se sabia, porque não tentou resolver tudo antes, como a dublagem? Foi a primeira tentativa da empresa no universo dos animes. Que sirva de exemplo para futuras ocasiões.
Ah, e agora? Vão fazer um evento com pelo menos uma dubladora que 90%  dos fãs não gostam? E em um local difícil de chegar, como o shopping Morumbi? Para pensar, ok?

Quinto (talvez): se for verdade o que saiu em sites como o Jbox News, a própria autora, Naoko Takeuchi. Se ela não autorizou, ela é doida. Não quer ver seu trabalho melhorado e consequentemente, não quer ganhar bufunfa.
Mas, por que coloquei um "talvez"? Será mesmo que as coisas foram explicadas direito para ela? Será que ela está sabendo de tudo mesmo? Porque é curioso ver que uma autora tem tanto "poder", em um país tão patriarcal como o Japão. Curioso que o "contrato" dela com a Toei dê tantos poderes a ela, Naoko...
Será que não estariam culpando sumariamente a pessoa mais "distante" de todo o processo? E isso é outra coisa para se pensar.

Sexto (talvez): minha culpa talvez. Por quê? Porque demorei muito tempo para ver que certas coisas realmente estão erradas, mas fiquei quieta. O sistema estava todo errado já faz muito tempo. Mas, vi tudo e não "alertei" antes. Só comecei a ver que as coisas estavam erradas e caiu a fica com o fracasso de Kamen Rider – Cavaleiro Dragão.  Enfim, sinto muito. E infelizmente, sou eu sozinha neste barco, porque tem um monte de gente no mercado que sabe das coisas erradas, mas fica quieto. Concorda comigo, mas fica quieto...

Espero que todos parem para pensar. OK? Desculpas por eventuais erros de português. E por fim, não, depois de tudo isso, não vou comprar o DVD de Sailor Moon.
←  Anterior Proxima  → Inicio

24 comentários:

panzer disse...

Sinceramente, mesmo se tive-se redublagem e coisa tal o resultado vai ser o mesmo, poucas vendas, encalhamento da mercadoria e etc. O anime não condiz com o gosto das meninas brasileiras de hoje em dia, que é o publico alvo desse anime.

Netto disse...

Excelente texto Sandra.
O pior esta por vir, vão lançar cada dvd com 3 episódios. O que encerasse o produto.
Porque não lançam logo um box.
Porque essas empresas de home vídeo não se interessam por animes “menos problemático”. Como Sakura Card Captors, Shurato, Rayearth, Death Note entre outros.
O mercado de home vídeo no Brasil é vergonhoso. Nenhuma empresa respeitam seus clientes. A Disney tem o pessimo habito de lançar material inclompleto no mercado (exemplo o bluray da animação "Os Incriveis" em versão simples, sendo que no EUA ela é dupla), a Warner lançam suas series com o pior tipo de embalagem no mercado a "Amaray".
Nosso mercado brasileiro é uma vergonha.

Anônimo disse...

Pois é... Pq esse tipo de coisa não me surpreende?

Concordo com cada palavra nesse artigo, sem tirar nem por.

Triste isso.

Uma coisa é certa: eu não compro esses dvds de jeito nenhum.

Ingrid Santos.

Matheus L. disse...

Muito bom o texto, concordo com praticamente tudo.

Acho que, no entanto, você não abordou uma questão importante. Por que os moonies (e otakus brasileiros em geral) insistem no "tudo ou nada"? A impressão que eu tenho é que essa "galera" exige uma perfeição as vezes inalcançável pros produtos licenciados no Brasil.

Sempre encontrei falhas nos DVDs lançados aqui, e tirando as grotescas (como dubtitles ou erros de português grosseiros), não me arrependo do que comprei. Os fãs saudosistas tinham que desencanar dessa história de redublagem (que é conversa velha já - tem moonie que fantasia com isso há muito, muito tempo) e se alegrarem que SM terá um lançamento oficial por uma empresa interessada, coisa que muitos animes bons não tiveram.

A partir do momento que os fãs saudistas dão as costas ao produto por causa de algo que seria um EXTRA (empresa nenhuma no mundo ia querer redublar um desenho pra "corrigir erros" e puramente satisfazer o ego de fãs), o lançamento perde o sentido, já que dificilmente gente que não conheça a série vai adquirir o DVD.

Só pra exemplificar, nos EUA as duas primeiras fases de SM demoraram anos pra sair em DVD sem cortes. Antes disso tinham saído em DVDs avulsos, com cortes e sem dublagem original. O que motivou o lançamento do box sem cortes foi, além das campanhas dos fãs, as boas vendas do material lançado antes.

Sem comprar os DVDs, como/por que/pra quem a CD & DVD Factory vão continuar a produção? Por mais boa vontade que eles tenham, eles não estão fazendo favor pra ninguém. É o negócio dar lucro ou tchau e benção.

faloko disse...

Sandra, para mim o problema é que o mercado de DVD não é lucrativo justamente pelo preço alto das produções. O caso de Sailor Moon é bizarro por um marketing totalmente equivocado de se prometer o que não se pode cumprir. Japonês quer saber de faturar,e o mangaká por mais excêntrico que seja também precisa da grana. Problema real é um só para todos os casos(mangás,eventos e animes) as pessoas que conduzem ou ganham dinheiro com. isso no Brasil. São pessoas amadores que descobriram um segmento interessante e quenão precisa de grande esforço para ganhar muita grana. Compro mangás por ainda ser o mais estruturado mas os outros segmentos eu já desisti de acreditar em melhoras.

Anônimo disse...

Acho que faltou uma certa rebledia por parte da Angelotti Licensing devia ter redublando com ou sem aval da Toei.
Os fãs vão decidir se comprar ou não esse dvd.
Fábio da Silva Aguilar

Anônimo disse...

Vocês querem MESMO saber? NESSE CASO, EIS A EXPLICAÇÃO. É bem provável que, por trás dessas decisões tão sem sentido (para quem poderia ganhar muito mais dinheiro com a obra em questão), está algo que poderia ser chamado de “complexo de Frankenstein”(não o monstro, mas o seu criador).Trocando em miúdos: ela pode ter chegado à conclusão de que a sua obra se transformou numa espécie de monstro que escapou ao seu controle. Ela deve ter pensado algo como “Eu criei um monstro!”, e agora ela tenta (no que ainda pode fazer) conter a sua própria criação, daí as constantes recusas dela para redublar ou para lançar a série fora do Japão.O motivo dessas atitudes da autora de Sailor Moon atende pelo nome de “moe”.
http://www.interney.net/blogs/maximumcosmo/2009/12/19/superflat_pos_modernismo_boom_otaku/
encontrei uma frase a respeito de Sailor Moon, que faço questão de destacar aqui:“que explicam até porque um anime originalmente feito para meninas como Sailor Moon acabou por cair nas graças de otakus do sexo masculino ao redor do globo: heroína a um passo do moe, com sua inépcia infantilizadora aliada a atributos físicos bem expostos; e muitas meninas de pernas de fora em poses chamativas”Até a origem do termo “moe” tem a ver com Sailor Moon:
http://pt.desciclopedia.org/wiki/Moe_%28Anime%29
O que tudo isso quer dizer?
Quer dizer que, em algum momento ela percebeu que a sua criação estava se transformando em algo que ela não imaginava (e que nem desejava): um objeto sexual, um ícone fetichista para o deleite de adolescentes e adultos DO SEXO MASCULINO, vale ressaltar.Como resultado disso, existe uma legião de fãs masculinos desta série (tanto no Japão como no resto do mundo), que foi originalmente criada para o público adolescente feminino.E esses fãs são atraídos tanto pelo visual das personagens da série de anime (e do mangá, se bem que a maioria das pessoas fora do Japão só conhece a versão animada) como pela personalidade delas (em especial pela personagen-título, Usagi Tsukino, cujas formas físicas contrastam com a sua mentalidade de patricinha/loura burra/cry baby, exatamente o oposto das heroínas dos animes de Hayao Miyazaki).
Isso foi o começo do que passou a ser chamado de “moe”.A indústria do entretenimento japonesa, percebendo o sucesso que a combinação “garotas belas+personalidade frágil” fazia entre o público masculino, começou a produzir várias obras (entre mangás, animes e games) para conquistar os consumidores do sexo masculino (adolescentes e adultos), indo do mais leve ecchi até o mais pesado hentai (sendo que no caso do hentai, o setor é dominado pelas pequenas e médias empresas e mais voltadas para o mercado interno).E os próprios fãs passaram a produzir suas próprias obras, muitas delas versões não-oficiais das séries existentes (fanzines, fanfics, fanarts, games e até mesmo animações feitas por fãs) e, é claro, de temática sexual também.Ao ver que a sua obra gerou o “moe” e os seus efeitos no imaginário dos fãs do Japão e do mundo, Naoko tenta evitar que a sua criação cause mais “estragos”, por assim dizer.
Eis o porque das negativas da autora de Sailor Moon quanto a qualquer coisa que seja para relançar a sua obra.
No entanto, tudo isso será em vão, pois a obra já foi criada e lançada no mundo inteiro. E mesmo nos países em que ela não foi lançada não há como impedir que as pessoas venham a conhecer a série (graças aos fansubbers, à internet, etc.). Uma vez aberta a caixa de Pandora, não há como recolocar dentro dela o que escapou.É como o monstro de Frankenstein: uma vez criado, a obra passa a existir neste mundo. E, mais cedo ou mais terde, essa obra/criação escapará ao controle do autor/criador (ou a autora/criadora, no caso).Naoko deveria, ao invés de recusar-se a relançar o seu “monstro”, tirar proveito do sucesso dele e de seus, por assim dizer “efeitos colaterais” na produção cultural japonesa e no imaginário dos fãs masculinos, para faturar ainda mais. Mesmo porque, agora que o “estrago” está feito, não há como voltar ao passado, antes da série ter sido criada.

Betarelli, Ivan D. disse...

É um caso sério, mas tem também outro lado da história de exemplos que vc citou (Warner, etc, que lançam os produtos sem precisar de fãs): eles jamais se interessariam por gêneros como anime e tokusatsu. E por esse motivo, ou aguentamos Angelotti e Focus, ou ficamos sem nada.

O que fazer?

Henrique disse...

A Disney e a Warner tem escritorios aqui no Brasil? Não sabia! Onde é q fica?

Rafael Kaen disse...

Parece que a autora não autorizou redublagem em nenhum país que tá voltando a passar, não sei como tá na Italia mas lá pelos menos tão fazendo dar certo! =)
Seria legal se a CD & DVD insistisse na primeira temporada com a Toei!
A toei tem um escritório nos estados unidos,bem poucos tokusatsus passaram lá (só no Havai mesmo que passou muita coisa), até a Tsuburaya tem um escritório nos states, por que a toei não se instala aqui?!

Anônimo disse...

Do que eu fiquei acompanhando desse "retorno" de SM no Brasil:
1) È anunciado o tão aguardado retorno;
2) Devido a perda das masters da GM e da (CREDO!) BKS, a série teria que ser novamente dublada;
3) Uma nota é dita que a Daniela Piquet (BKS) estava fazendo o orçamento para TOEI;
4) "Alguém" da BKS havia "encontrado" as masters de SMSuper, e um tempo depois, é anunciado que a TOEI iria trabalhar com essa fase...
5) Depois de tanta enrolação, é confirmado que não haverá redublagem.

Uma coisa que intrigou é que se o motivo da proibição da redublagem era uma cláusula do contrato entre a Naoko e a TOEI, porque diabos esse detalhe já não havia sido divulgado antes? A Angelotti Licensing e CD & DVD Factory já não estavam sabendo disso desde o começo?
E como a Sandra escreveu, deram falsas esperanças aos fãs, além de apoiarem um grupo a prestar serviços de graça para essas empresas, que já sabiam que não iria rolar nada.

Eu que não vou dar meu dinheirinho para eles. >P

Allyneah

Anônimo disse...

Ah! esqueci de comentar outra coisa:
Acho que vc esqueceu de colocar outra culpada: A Daniela Piquet/BKS.
Se a Daniela tivesse corrigo os erros que ela mesma cometeu, os fãs não teriam essa agonia que até hoje existe. Digo "erros que ela mesma cometeu" pelos fatos: a) Ela dirigiu os primeiros episódios de Sailor Moon R, ou seja, participou do processo de adaptação e escala de vozes (Lembrando que depois que tudo saiu errado, ela passou a direção para outra pessoa); b) Ela é a dona da BKS, pelo menos naquela epóca, tudo que se passava por lá, teria que passar por ela tbm. Então ela poderia ter sugerido e incentivado uma dublagem melhor para a série. c) Isso de que ela não conhecia a primeira temporada pode até ser verdade, mas com a repercussão que a mesma teve - inclusive pela dublagem da GM - é dose de engolir, ainda mais, porque outras dubladoras (como a Denise Popitz) sabiam da existencia de uma antecessora. A Piquet por si mesma, poderia ter ido buscar o melhor para SM e o que os fãs tanto desejavam: O elenco original. Se em SMR não dava mais jeito, OK... Mas ela poderia ter feito isso em Sailor Moon Super em diante. E isso, ela colocou a culpa no licenciador....

Agora, será que é ela que vai no lançamento? Porque não vejo motivo da Marli comparecer, já que não foi algo que ela fez (infelizmente!), não faz sentido ela se deslocar até o local para divulgar o trabalho de outra pessoa.

Allyneah

sandra monte disse...

Henrique,
A Warner eu não tenho certeza. A Disney fica no "Robocop" e WTC.

E uma nota bem triste:

Teve fã de Sailor Moon que faz cagada e depois me chamou de "merda". É fácil xingar os outros por trás de um nick.

Se for verdade eles mesmo postaram, não foi Papai do Céu que os castigou. Foi a própria Naoko Takeuchi. Tomem isso como exemplo!

Quando metem o bedelho onde não devem, dá no que deu.

~MangáMan~ disse...

Também não pretendo comprar o DVD de Sailor Moon... Depois dessa, acho difícil o mangá aparecer por aqui [o que era um antigo sonho meu]

~MangáMan~ disse...

Também acho que fã não deveria fazer o trabalho do profissional! Isso pode estrangular a mídia um dia acho!
Também não pretendo comprar os DVDs de Sailor Moon, e depois dessa, duvido que o mangá apareça... era um velho sonho meu [só vi páginas dela num livro de Paul Gravett...]

Edu Ferreira disse...

Primeiro, eu acho que o Angelotti e a Toei já sabiam mais por algum mótivo eles não quiseram divulgar.

Para Sailor Moon fazer SUCESSO, só a partir da 1ª fase, só assim...

souichi disse...

Sailor Moon deveria ter um lançamento para os fãs (o problema é que ninguém está interessado em lançar uma série tão longa pra um público limitado. :P A Cd&DVD factory só se ilude de que isso vai vender e vai acabar afundando...), todas temporadas (com mais de 3 episódios por DVD +_+), box bonitoso com algum brinde qualquer (cards, chaveiros), extras com entrevistas com dubladores, mas nada de redublagem.

Sei que a redublagem da BKS teve muitos erros e foi muito ruim, mas não acho que uma nova dublagem fosse salvar, porque o povo quer o cast antigo, mas não vai adiantar nada porque não teria a mesma 'mágica' da dublagem feita naquela época mesmo reunindo toda cambada de dubladores.

Além disso, uma nova redublagem só valeria mesmo a pena se o animê fosse passar de novo na televisão, e mesmo que isso aconteça, não vai ter o retorno desejado.
Uma nova redublassem seria feita nas coxas porque não iam investir muito dinheiro nisso, e dúvido muito que conseguissem reunir todo o cast antigo.

Acho que as pessoas estão pedindo demais por esse lançamento, não sei porque os fãs de Sailor Moon são tão insistentes também. Não vejo ninguém pedindo pra lançarem os dvds de Card Captor Sakura.

Acho que deviam é lançar o mangá, que é o que tem mais possibilidade de dar certo no meio disso tudo.
Essa coisa de passar de novo na tv ou de redublarem é ilusão demais...

Matheus L. disse...

Eu acho incrível que, dez anos depois, tem gente que insiste em fazer a caveira da Daniela Piquet como se ela tivesse sido a única culpada pelos erros da dublagem de SM.

Ninguém questiona o fato do licensiador da série saber que SM já tinha uma "fase" lançada anteriormente na TV, mas nunca exigiu que vozes/elenco originais fossem mantidos. Isso poderia ser feito, afinal eles estavam pagando pelo trabalho.

Se o próprio licensiador deu carta branca pra BKS fazer o que quiser, não seriam eles que iriam atrás de "vozes originais" - até porque dependeria da disponibilidade de muita gente. Mesmo assim, chegou à BKS que a Marli havia dublado a Serena, ela foi consultada e se recusou. Pra mim Inês morreu aí, mas dez anos depois, tem gente dando pancada no defundo ainda.

O fracasso iminente de Sailormoon em DVD vai, no mínimo, frear outros lançamentos de animes clássicos também. Bastava alguém da CD & DVD Factory ler alguns comentários pela internet pra desistir desse lançamento, tamanho é o desinteresse do público-alvo do produto.

Anônimo disse...

Pois é, Sailor moon criou polêmicas ao redor do mundo. um exemplo disso foi na Itália, onde a imprensa de lá (Corriere de la Siera, etc.) publicou reportagens sobre a influência da série à formação sexual dos meninos (por causa dos três rapazes que se transformam nas Sailors Stars). Teve psicólogos que afirmaram que a série pode induzir ao homossexualismo. Ver links abaixo:
http://archiviostorico.corriere.it/1997/aprile/08/Sailor_Moon_pericolosa_per_ragazzini_co_0_9704084403.shtml
http://www.sailormoon.tv/7_goodsemore/articoli_scritti_1.htm
Para quem não entende o italiano, a versão traduzida via Google Translator:
http://translate.google.com/translate?u=hhttp%3A%2F%2Farchiviostorico.corriere.it%2F1997%2Faprile%2F08%2FSailor_Moon_pericolosa_per_ragazzini_co_0_9704084403.shtml&sl=it&tl=pt&hl=&ie=UTF-8
http://translate.google.com/translate?u=http%3A%2F%2Fwww.sailormoon.tv%2F7_goodsemore%2Farticoli_scritti_1.htm&sl=it&tl=pt&hl=&ie=UTF-8

Patrick Raymundo disse...

Difícil demais essa situação! O produto tem potencial para venda, mas está sendo mal trabalhado e o pessoal perdeu o controle do negócio. Gerando muita polêmcia, acaba por criar atrito e descontentamento. O erro maior, para mim, foi da TOEI e da Naoko. A TOEI não consegue trabalhar adequadamente com seus produtos fora do Japão. Dentro do Japão, ela possui inúmeros grandes produtos para venda (Kamen Raiders, Precure, One Piece, DB Kai, Seiya...), mas não consegue vender estes produtos no ocidente. Está faltando conhecer o mercado. Para não fugir do tema Sailor Moon, se a Cd & DVD Factory aumentar o número de capítulos por DVD, estabelecer um preço baixo, criar boxes "box" para a série pode ser que essa situação se reverta. O produto ainda não foi lançado, por isso há tempo para mudar a situação. Ainda vou esperar para ver a situação de venda, antes de enterrar o produto.

Anônimo disse...

Ao Matheus L.

Então como vc explica a entrevista para a Henshin, na qual a Daniela diz que nunca soube da existência de outras fases? Ela ainda se contradiz dizendo que o licenciador pediu 'algo novo'. Ela é mentirosa e foi a grande responsável pelo nosso sofrimento. Marli não podia? E a Gilmara? Cristina? Isabel?

Outra coisa são os erros? Depois da fase R os fãs caíram em cima e MESMO ASSIM os erros continuaram. E o pior é que eles não estavam na dublagem mexicana.

Fiquei decepcionado e sei que por trás disso tem muita coisa obscura. Uma pena que talvez nunca vamos saibamos o que aconteceu. Vai ficar nesse diz que me disse. E sendo otimista, se lançarem a fase S inteira estamos no lucro. Ah! vou comprar só pelo áudio japa e a imagem,claro, depois de uma avaliação dos primeiros compradores.

Fernando

Aninha disse...

Concordo com o texto da Sandra e acho muito estranha essa questão da Naoko vetar a redublagem. O que ela tem a ver com redublagem nos países? Eu acho que o mais lógico seria ela assinar um termo para que permaneçam os nomes originais, etc. Mas daí a assinar termo impedindo redublagem? Se isso for verdade mesmo ela é louca e boicotou a própria obra! O fato de ela não estar a par da situação da dublagem nos países é outro motivo pra ela não vetar uma redublagem. Na minha opinião não teve termo nenhum de redublagem assinado e estão inventando isso.
Acho que é pior ainda ficar publicando notícias sobre isso e fazendo com que os fãs se revoltem e boicotem a tão amada série que todos sempre quiseram que voltasse ao Brasil. Eu vou comprar o DVD sim, porque eu AMO Sailor Moon, torci muito pra que voltasse, assisti na manchete, não tive oportunidade de assistir no Cartoon pois não tinha TV paga na época e quando consegui já não passava mais. Enfim, eu quero comprar, pois sempre quis ter coisas de Sailor Moon e não vai ser por causa de dublagem que vou deixar de comprar o DVD, até porque depois que baixei os episódios pra assistir não me incomodei com as vozes (apenas com os erros grotescos, mas ok).
Estou achando essa história toda muito mal explicada e estou um pouco descrente que as outras temporadas cheguem pra gente também. O que é uma pena já que na Itália pelo menos eles tiveram episódios na TV e nem isso vai ter aqui pelo visto.

Iggaum disse...

Comunidade "Eu odeio a Naoko Takeuchi!"


http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=113219852

Ela tem culpa sim!

A Toei tentou a redublagem, mas a autora não quis!

Ana Lage disse...

A única razão para relançar SM seria mesmo para os fãs. O fizessem então, com o áudio original, num box épico com colecionáveis legais, por um preço que só colecionadores pagariam mesmo, não aqueles dvds com 3 episódios cada, carésimos e porcos que viram engalhe em 3 meses... ¬¬

Se fosse um box lindo e emocionante eu pagaria 200 reais, se for esse cd de capa amassada, só pago 2,99 ¬¬