Desejo: Boas Festas...

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Para alegrar o dia 74

Não sabe como curtir as férias?!?!
Reflexões sobre as enchentes em São Paulo:

1 - Se a São Silvestre fosse em janeiro, o Cesar Cielo ia humilhar!
2 - Depois do Airbag, os coletes salva vidas são os opcionais mais importantes nos carros de Sao Paulo.
3 - O melhor serviço de entrega em SP é do Submarino.
4 - Ninguém passa fome em São Paulo, Bolinho de Chuva é o que não falta.
5 - Vamos assistir a chuva lá em casa hoje??
6 - Quem acha que a água do mundo está acabando não mora em SP.
7 - Noé. . . precisamos de você em Sampa!! Noé, para prefeito!
8 - Meu passeio ciclístico de hoje fiz de pedalinho.
9 - Agora, todo paulista tem casa com vista para o mar.
10 - Tem carioca morrendo de inveja, agora São Paulo tem dois mares:
mar ginal Tiete e Mar ginal Pinheiros.
11 - Fagner para Kassab: “Quem dera ser um peixe para em teu límpido aquário mergulhar..
12 – A Dilma está lançando o BALSA - familia pra ajudar São Paulo
13 - Pelo menos a SABESP cumpriu o prometido: água e esgoto na casa de todo mundo.
14 - O Kassab tá trocando o bilhete Único pelo bilhete ÚMIDO!!
15 - A Marta disse para o Kassab: Relaxa e bóia!!!
16 - Depois de tanta chuva, Kassab anunciou a construção da hidroelétrica do Anhangabaú.
17 - Em SP não se fala mais direita e esquerda...agora é bombordo e estibordo!


ANIMA INFO 1373

$#*! My Dad Says estreia em fevereiro no Warner Channel

Dos criadores de Will & Grace, $#*! My Dad Says chega no dia 07 de fevereiro, às 21h, no Warner Channel. Estrelada pelo vencedor do Emmy®, William Shatner (Jornada nas Estrela), a produção conta a história real de Justin Halpern, um rapaz que se vê forçado a voltar para a casa do pai, depois de cravar um ponto final no namoro, perder o emprego e se afundar em dívidas. Dessa situação de semidesolação, nasceu o perfil de Twitter @shitmydadsays, onde o jovem de 28 anos registra, como num diário, os comentários do seu pai, Sam - um senhor de 72 anos, que tem uma opinião formada sobre tudo e faz questão de expressá-la sempre.
Hoje, essa conta de Twitter registra mais de 1,7 milhões de seguidores. Além disso, deu nome a um blog e é título de um dos livros mais vendidos nos EUA, segundo o New York Times. Halpern não poderia ter mais sorte. Com o sucesso absoluto no Twitter, a CBS, em pareceria com a Warner Bros, teve a iniciativa de trazer a história para a televisão em horário nobre. Agora, é a vez da Warner Channel apresentar esta divertida e emocionante comédia para o público brasileiro.


quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

ANIMA INFO 1372

Enrolados em quadrinhos nas bancas

A ON LINE Editora lança em quadrinhos a nova aventura Enrolados. Cheia de aventuras, emoção e muito humor, a sexta edição do título Disney Cinema em Quadrinhos é uma adaptação moderna para a história de Rapunzel.
“Enrolados” conta a história do ousado e charmoso bandido Flynn Rider, que certo dia escolheu o lugar errado para se esconder e acabou encontrando a ira de Rapunzel e a força de seus 21 metros de cabelo. A jovem ficou 18 anos de castigo em uma torre, e agora vai usar os longos cabelos para se livrar das confusões, e finalmente, viver as aventuras que sempre sonhou.

Cinema Disney em Quadrinhos “Enrolados”
Edição: 6 Preço: 6,99
Lançamento: 10/01/2011


sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

ANIMA INFO 1371

Lost Canvas terá exbição online nos EUA

O website Crunchyroll divulgou, por meio de release, aos sites americanos esta semana que exibirá para o mercado estadunidense, canadense e do Reino Unido o anime Saint Seiya: The Lost Canvas - Meiō Shinwa 聖闘士星矢 THE LOST CANVAS 冥王神話. A data para a exibição do título, lançado em DVD no Brasil pela Focus Filmes, ainda não foi revelada pelo site.
O Crunchyroll é um site que exibe diversos animes online para os mercados acima. Pelo local podem ser visto via streaming, animes como Naruto, Bleach, Slam Dunk e Fairy Tail.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

ANIMA INFO 1370 - Special / Especial

Overview of Animes Market in Brazil – 2011

The Brazilian informative Website called Papo de Budega periodically carries out some analyzes of the Brazilian market for mangas and animes. The first analysis was an Anima Info 67 – Special published on July 6, 2006. At that time, the market seemed to be – and maybe it was really – interconnected.
However, along the way we have realized that the market for mangas has developed its own history, without depending on any anime on TV, and the events keep on having their own attractions.
But precisely the first big element which was included in that interconnected market got now apart: the animes. From the time of that Anima Info in 2006 until now, many things have changed in the animes world in Brazil. Unfortunately, things got much worse.
Some years ago, the Brazilian TV channels – both open and closed ones - used to show many animes. The cable television Cartoon Network, on its part, practically does not show animes anymore. On the other hand, Animax channel will definitively stop showing animes in 2011. The reason for it is a change of policy at the companies that apparently do not see the animes anymore as a good source of audience and therefore not as a good source of profit.
Among the channels at the open TV, only a few of them show animes. The TV channel that most reaches good results with it is Rede TV by showing Pokemon, Inazuma Eleven, among others. The Globo channel, on the other hand, practically shows only Dragon Ball Z and will show in the future Dragon Ball Kai.
But what happens in Brazil, so that there are only a few animes included in the TV program schedule and thus on DVD? There are many reasons for it. In November 2010, Papo de Budega pointed out some improvement topics for the market of Japanese animation in Brazil. Some of those topics refer to the fans themselves. However, in the meantime we have realized that the companies have also played a very important role at the present market.
The number of users on fast Internet as well as the period of time of being online has been growing in the last years in the country. Regarding the otakus, one can observe that many people download animes once there are not too many episodes showed on TV or sold on DVD. By talking to those people we found out that some of them would like to have available in Brazil a website like Crunchyroll or Viz Media which show animes online. However, some of them do not see this option as something practicable at this moment.
On the other hand, there is the point of view of the companies. Maybe they are the major responsible ones for having so few animes available in Brazil. The Brazilian TV channels do not have much interest in animes, and they prefer the Disney formula, meaning that they prefer to show series such as Hanna Montana or Isa TK+ (Nick). But what about the animation owners?
Unfortunately, some of them are not able to sell their animes due to this lack of interest of the TV channels, and also because they are afraid of the limit of age of the spectators allowed to watch them. But other companies are still very afraid of Internet, and they argument that showing animes online could lead to piracy. This is curious then the formula seems to have worked out in the USA. Besides, if fans download animes then these people are able to watch their favorite animations on Internet.
Furthermore, another very outstanding point is the fact that there is ONE SINGLE big Japanese company physically established in Brazil, which is Sanrio. The owner of Hello Kitty has several shops in São Paulo, a website in Portuguese providing information, sales of products and DVD on the market. Sanrio itself licenses its products without depending on any other Brazilian company for it.
Maybe this is the big lesson for many Japanese companies, i.e., believing in the Brazilian market. Disney, Warner, and Paramount, on their part, have representative offices in Brazil. There we have the question: why do the Japanese companies not establish in Brazil, so that they can themselves take care of their interests? Perhaps by doing that, the Japanese companies could learn how the Brazilian market works, and become independent of Brazilian representatives.
A recent example of the problem of the Brazilian market is what occurs in Sailor Moon. There is a possibility for the animation to be shown on TV again and to return to the DVD market, but in 2010 many times negligence occurred regarding this animation, and the most important was related to the animation dubbing. Apparently, the negligence occurs because the company is not “physically” established in Brazil, and therefore does not know the Brazilian market.
There are certainly other cultural points causing the lack of interest in animes in Brazil. However, considering the commercial aspect, rather than otakus the Japanese companies have to rethink the strategy of work in Brazil, and this both by broadcasting the animations – the Internet viability – and by trading and distributing the products. A change of behavior of such companies is necessary. Some of them have been working well on their products, after all the Rede TV has been showing animes. However, other companies seem to be “lost”, they do not understand the Brazilian market. After all who can take good care of your business better than you? That is the question...


Panorama do mercado de animes no Brasil – 2011

O site informativo brasileiro Papo de Budega faz, periodicamente, algumas análises do mercado brasileiro de mangás e animes. O primeiro deles foi um Anima Info 67 – Special publicado em 06 de julho de 2006. Naquela ocasião, o mercado parecia – e talvez estivesse realmente – interligado.
Entretanto, com o passar dos anos, percebemos que o mercado de mangás ganhou vida própria, sem depender de nenhum anime na televisão. E os eventos também continuam com suas atrações.
Mas, justamente o primeiro grande elemento do que era um mercado interligado, agora está isolado: os animes. Daquele Anima Info de 2006 até hoje, muita coisa mudou no mundo dos animes no Brasil. E infelizmente, para muito pior.
Anos atrás, havia muitos animes na televisão brasileira, tanto a TV fechada quanto aberta. Mas, emissoras como o Cartoon Network praticamente não exibem mais animes. Já o canal Animax deixará, definitivamente, de exibir animes em 2011. O motivo é uma mudança de política das empresas, que aparentemente, não veem mais os animes como fonte de boa audiência e conseqüentemente, lucros.
Das emissoras abertas, poucas são as que exibem animes. A que mais tem conseguido bons resultados é a Rede TV com Pokemon, Inazuma Eleven entre outros. Já rede Globo praticamente exibe somente Dragon Ball Z e futuramente, Dragon Ball Kai.
Mas, o que acontece no Brasil para haver tão poucos animes na televisão, e conseqüentemente em DVDs? Há vários motivos para que esta situação ocorra. Em novembro de 2010, o Papo de Budega colocou alguns pontos de melhorias para o mercado de animação japonesa no Brasil. Alguns pontos são referentes aos próprios fãs. Mas, ao longo dos anos, percebemos que as empresas também tiveram papel importante na atual situação do mercado.
O número de usuários de internet rápida cresceu nos últimos anos no país. E o tempo que uma pessoa fica online também aumentou. O que se percebe em relação aos otakus é que muitos baixam animes, já que são poucos os títulos exibidos na TV ou vendidos em DVDs. Em conversas com os mesmos, alguns gostariam que existisse no Brasil um site como o Crunchyroll ou a Viz Media, que exibem animes online. Outros, porém, não acham isso viável no momento.
Então temos o lado das empresas. Talvez elas sejam as grandes responsáveis pelo Brasil ter poucos animes. As TVs brasileiras não têm muito interesse em animes, preferindo a fórmula da Disney, ou seja, exibição de “series” como Hanna Montana ou Isa TK+ (Nick). Mas, e as donas das animações?
Infelizmente, algumas não conseguem vender seus animes por causa desta falta de interesse das TVs, também pelo receio da classificação indicativa, um tipo de censura pré-estabelecida. Mas, outras companhias ainda têm muito receio da internet e alegam que colocar animes online poderia ocasionar em pirataria. O que é curioso, pois a fórmula parece dar certo nos Estados Unidos. Além disso, se baixam animes, estes mesmo fãs têm condições de assistir as suas animações preferidas na rede.
Outro ponto que chama muito a atenção é que só existe uma ÚNICA grande empresa japonesa instalada fisicamente no Brasil: a Sanrio. A dona de Hello Kitty tem diversas lojas em São Paulo, um site em português com muitas informações, vendas de produtos e DVDs no mercado. A própria Sanrio licencia seus produtos, não dependendo de nenhuma empresa nacional para isso.
E esta talvez seja a grande lição para muitas empresas japonesas. Acreditar no mercado nacional. Disney, Warner, Paramount têm, elas próprias, escritórios no Brasil. Então, fica a questão: porque as empresas japonesas não se instalam no Brasil para cuidar, elas próprias, de seus interesses? Talvez, com esta instalação, as empresas japonesas possam conhecer, elas próprias, o funcionamento do mercado brasileiro. E não depender de representantes nacionais.
Um exemplo recente de problema no mercado brasileiro é o que ocorre em Sailor Moon. Há possibilidades da animação retornar a televisão e ao mercado de DVDs. Mas em 2010, houve diversos descuidos com este título, o principal deles com a dublagem. Aparentemente, todos os descidos ocorrem, pois a empresa não está “fisicamente” no Brasil e não conhece o mercado local.
Certamente, há outros pontos culturais para que haja um menor interesse nos animes no Brasil. Mas, comercialmente, mais do que os otakus, as empresas japonesas precisam repensar como atuar no Brasil. Tanto em veiculação das animações – a viabilidade da internet -, como comercialização e distribuição de produtos. É necessária uma mudança de comportamento delas. Algumas têm trabalhado bem seus produtos, afinal há animes na Rede TV. Entretanto, outras parecem “perdidas”, sem entender o mercado brasileiro. Afinal, quem melhor do que você próprio para cuidar do que é seu? Eis a questão...


ANIMA INFO 1369

Quarto Concurso de Criação de Personagens está aberto

Já está aberta a inscrição para o 4º Concurso de Criação de Personagens. Segundo o site oficial, o propósito é auxiliar no desenvolvimento e divulgação de personagens e de marcas nacionais e colocá-los à disposição da indústria e do varejo. Apoio a criação brasileira e de criadores informados e focados no mercado de licenciamento.
O licenciamento é uma realidade crescente no Brasil. Cada vez mais, empresas de diversos segmentos da indústria e do varejo buscam por marcas que agreguem valor aos seus produtos. É só dar uma espiada nas gôndolas dos supermercados, nas vitrines de lojas de roupas, acessórios, papelarias, brinquedos, entre outras para constatar a presença do licenciamento. Veja todas as datas e informações acessando o link acima.

Fonte: EMT Cultura

←  Anterior Proxima  → Inicio