Desejo: Boas Festas...

domingo, 12 de setembro de 2010

Animes... Dublagem na UTI?

Navegantes,
Vimos nesta última semana, uma série de comentários, dúvidas, acusações e as mais diversas questões a respeito da dublagem. E a coisa explodiu graças ao anime Dragon Ball Kai. E mais precisamente aquele que seria o principal dublador: o Wendel Bezerra. Diversos sites comentaram a respeito. Verifiquei algumas coisas, pensei em outras, e claro, por motivos de força maior, só agora estou comentando o assunto com mais aprumo, apesar de já ter deixado algumas opiniões em sites amigos!
Primeiramente, eu gostaria de defender a todos os dubladores que se recusam a trabalhar na BKS. Eu odeio o estúdio? Não. Tenho raiva pelos erros do passado? Também não... Então, por que raios eu defendo os dubladores? É simples: eles têm seus motivos. Apesar de terem tecido algumas considerações, há fatos que não sabemos, mas que devem ser importantes aos dubladores. E olha... segundo o site J-Box News, são vários dubladores que não farão a série. Então, motivos para todas as recusas há. É bom lembrarmos, sempre, que mesmo que eles gostem de seus personagens... eles, como qualquer pessoa normal, gostam mais de si e devem ter respeito, primeiramente, por si!!!
E o estúdio? Bem, o estúdio está pagando pelos erros do passado. De repente, até querem fazer um trabalho bom, mas será difícil com tantos problemas. Quanto à entrevista que deram ao site Henshin... acho um tanto estranho mencionar um outro estúdio. Parece que o problema é este. E sinceramente, não creio que seja, porque Wendel Bezerra e Wellington Lima (entre outros, vejam link acima), não querem trabalhar na BKS. Quem acompnham dublagem, sabe que os dubladores trabalham em todos os estúdios. Eles são free-lancers. Assim, parece-me leviano jogar a "culpa" ou levantar a questão de serem ou não diretores em outro estúdio. A coisa é mais embaixo, aos meus olhos.
Desta história toda, é realmente de se perguntar qual o futuro de Sailor Moon. O SOS SAILOR MOON colocou online a pesquisa que fizeram. Muitos dos dubladores e dubladoras "vencedores" da pesquisa não trabalham ou não pretendem trabalhar na BKS. E este estúdio é cotado para fazer Sailor Moon. Afinal, tanto Dragon Ball Kai quanto Sailor Moon são da Toei Animation. Daí fica a dúvida, e o questionamento do Wendel no Twitter dele é correto: Talvez este seja o momento de descobrirmos o quão é importante o trabalho de um profissional e ...qual é a força que possui os fãs e o público de Drago Ball e se eles são realmente respeitados pelo distribuidor.
Um comentário simples, mas que disse tudo. Em verdade, Wendel escreveu com poucas palavras o que tenho dito já faz algum tempo. Qual o papel do profissional para as empresas, afinal de contas? Esta questão de Dragon Ball Kai apenas fez ficar mais claro que este é apenas um dos problemas em todo o trabalho de vinda de um anime ao Brasil.
Enfim... Quanto à dublagem, isso tudo que aconteceu também me fez prestar atenção em um e-mail que recebi e que é preocupante. Vindo de terras cariocas:
Será que o mercado carioca de dublagem está próximo a extinção?

A pergunta assusta e a possibilidade parece estar se tornando real a cada dia. Segundo o que vem sendo falado nos bastidores do mercado de vozes cariocas alguns estúdios de São Paulo estariam fazendo dublagens mistas a preço de banana. As informações foram enviadas por um tradutor carioca que atualmente presta serviço pra um dos maiores estúdios em atividade no Rio de Janeiro.
Para não haver o risco de retaliação vamos manter o nome da nossa fonte em sigilo. (...) Até agora o que está sob suspeita é que estúdios paulistas prometem aos clientes qualquer voz carioca que sempre foi um grande diferencial na hora de escolher o estúdio onde vai ser dublado o filme, por um preço muito abaixo do mercado. A suspeita ainda é mais grave. Depois de fechar com os dubladores cariocas nos personagens principais, ninguém sabe ao certo quanto os dubladores paulistas estariam cobrando.
Fomos informados que existe uma tabela de preços mas ainda segundo a nossa fonte, alguns estúdios paulistas estariam usando alunos e até mesmo funcionários de setores administrativos da empresa para fazer personagens médios e pequenos em algumas produções, o que seria contra lei. A dublagem é uma categoria do ator. Para poder trabalhar nessa área é preciso ser ator profissional formado. Agindo dessa forma fica muito mais fácil colocar preços baixos.
Além de tirar o trabalho de vários profissionais, os amadores que estariam trabalhando de graça e os iniciantes que se sujeitam a trabalhar por um valor muito abaixo do que o combinado, estariam jogando a qualidade e muito provavelmente suas carreiras no lixo. Por enquanto só existe uma especulação muito grande. Nada foi provado. Para evitar crucificação pública não vamos mencionar nomes de profissionais ou estúdios envolvidos.
No meio desse campo minado por onde estão caminhando os dubladores cariocas atualmente só ficou acertado uma coisa, ninguém vai aceitar gravar dublagens mistas. Sendo uma parte feita no Rio(com os protagonistas) e outra em São Paulo. A dublagem carioca vem perdendo mercado. Depois do fechamento de um estúdio chamado VTI, até mesmo a tradicional Hebert Richers fechou as portas recentemente. O medo e a incerteza foram implantados nos corações e mentes de toda categoria. Se as coisas não mudarem rapidamente outros estúdios podem vir a fechar.

Não sei até que ponto o que está escrito acima é verdade. Tenho muito, mas muito medo que seja. Por quê? Porque se grande parte das informações estiverem corretas, então o que acontece em SP não difere muito do que ocorre com as dublagens em Miami. É terrível pensar isso. Nefasto pensar que um Blue Dragon da vida teria sido igualmente mal dublado em terras paulistas. Terrível pensar que profissionais cariocas estão sofrendo pela briga de estúdios.
Fico muito triste ao ver duas paixões minhas: os animes e a dublagem estarem sofrendo tanto. E ambos tão somente pela grana e falta de profissionalismo. Os animes, pelas empresas detentoras que escolhem o que é mais barato. E pior, se houvesse profissionais conhecedores da situação da animação no Brasil, que trabalhassem para as empresas detentoras, certamente, eles apontariam questionamentos para que problemas como o de DB Kai não acontecessem. E eu disse profissinais, e não fãs!!!
E quanto à dublagem: triste pensar que a qualidade pode estar em segundo, terceiro plano. Uma semana cheia. Pena que com más notícias e péssimas percepções acerca de fatores tão sérios. Por fim, espero que Dragon Ball Kai vá bem na TV. Porque se continuar assim do jeito que está, quando sair em DVD, espero que os fãs tenham vergonha na cara e não comprem. E desculpas por eventuais erros de digitação ou português...

←  Anterior Proxima  → Inicio

11 comentários:

Fernando Ventura disse...

As assim chamadas "dublagens mistas", feitas nas duas praças (São Paulo e Rio de Janeiro) podem ser, em determinados casos, as que mais se aproximam do ideal.

A série "House of Mouse da Disney", até onde eu sei, foi um grand exemplo deste método, salvo alguns erros nas traduções dos nomes dos personagens (Gus - Gansolino, por exemplo) e a ausência de alguns dubladores já aposentados (Antonio Patiño - Tio Patinhas, por exemplo).

Nelson Machado, sempre muito solícito com os fãs, me explicou anos atrás que era a fita master que viajava entre as duas cidades, permitindo portanto que os dubladores "oficiais" dos personagens os dublassem.

Fernando Ventura disse...

Infelizmente também não é possível afirmar cegamente que apenas a presença das empresas japonesas no Brasil salvaria a pátria.

Se "House of Mouse" foi um bom exemplo de dublagem feita em um período em que a Disney já tinha representação própria no país, o mesmo não pode ser dito da série que se seguiu, "A Casa do Mickey Mouse". Apesar de ter os mesmos personagens principais as mudanças drásticas do elenco doem no ouvido.

Foram trocados, sem nenhuma satisfação, os dubladores da Margarida, do Bafo-de-Onça e da Minie. Marli Bortoletto foi substituída por uma voz de taquara rachada, o mesmo problema que simplesmente tornou insuportável assistir ao Tambor de "Bambi II".

Logo o Tambor!

Cada caso é um caso - e nestes casos a Redibra dava um banho na Disney do Brasil em termos de qualidade.

Estou sendo nostálgico ou os Diesendrucks, Walter Nogueiras, Telmo Perle Münchs, Igayaras, Primaggios, Civitas simplesmente não tinham mais PAIXÃO por Disney do que os atuais representantes/responsáveis?

Rodrigo Yanagisawa disse...

Uma dúvida: A solução para o caso do Dragon Ball Kai seria dublar em outro estúdio?

Anônimo disse...

Oi, Sandra.

Faz um tempo q tenho lido o blog, e tenho concordado com vários pontos.

E nessa semana, as notícias pra quem é fã de animes e dublagem foi muito pesada mesmo... E lendo essa matéria, fico receosa quanto ao futuro de dublagens no Brasil.

Só de pensar q há uma possibilidade de extinção da dublagem carioca... Só q ela existe, e isso se percebe pelo fechamento de estúdios tradicionais como VTI e Herbet Richards (no último caso, parece q se esperou o Herbert falecer pra empresa ir junto).
Agora, não tb não sei se realmente tudo o q foi dito nesse email é verdade, mas mesmo assim, sendo verdade ou não é preocupante.

Fico temerosa não somente com os animes, como Sailor Moon, mas com todas as produções q vêm pra cá serem dubladas (ou nem todas, se mandadas pra Miami).

E recusas para dublagens mistas? Pq tenho visto algumas ultimamente, por isso q fico em dúvidas.

Quanto ao caso de Db Kai, fico realmente entristecida e indignada de como as distribuidoras e produtoras de animes têm total descaso com profissionais de dublagem e seus fãs, em seus respectivos países.

A velha questão do dinheiro rápido, farto e fácil. Pena q nessa equação quase sempre vem sem qualidade.

E no caso dos dubladores: quem se retirou tenho certeza q não foi por rixa pessoal ou coisa assim, pelo apreço q eles (Wendel pricipalemte) têm pelos seus personagens na série. Claro q não sou profissional pra alimentar especulações ou intrigas, mas não é a primeira vez q o estúdio em questão se envolve nesse tipo de polêmica.

Enfim... Me desculpe se falei alguma besteira, mas é apenas um pequeno desabafo de uma fã de dublagem e animes bastante entristecida e chateada com toda essa situação.

E espero q no meio dessa tempestade surja algum vento de bonança. Pra todos os envolvidos, dubladores e fã.

Obrigada.

Ingrid Luise - Ilhéus Ba.

Rodrigo Yanagisawa disse...

Dublagem, profissão ingrata eim. Todo fã de animação e cinema q se preze dá bastante atenção para a dublagem. Mas esses fãs só representam uma pequena fração no mercado. "Aquele filme teve uma boa tradução", "o elenco foi bem escolhido", "os efeitos sonoros foram bem trabalhados". Infelizmente a maioria nem repara nessas questões. Fico desanimado com esses rumores sobre a dublagem paulista. É vergonhoso! Mas fico mais desanimado com o fato de que a maioria, ou seja, o público alvo de verdade não dê importância pra dublagem. "Se povo não liga, não tem porque gastar mais pra ter maior qualidade. Dubla em qualquer estúdiozinho mesmo ou manda pra Miami", certamente os empresários pensam assim. E vendo com olhos de empresário, eles não estão totalmente errados.

sandra monte disse...

Rodrigo,
SEria ideal ser dublado em outro estúdio. Para não haver problemas.
E os fãs até se preocupam com a dublagem. Mas, o problemas é que não são muito em números.

Por isso falei que até pode ir bem na TV, mas a galera deveria ter vergonha na cara e não comprar o DVD.

Ingrid - é o nome de minha sobrinha ^__^ - seus apontamentos não são besteiras. São sérios. E, acho que todos os fão de dublagem estão preocupados...

E Fernando... pode não ser a solução, mas certamente, muitos problemas seriam amenizados.

Betarelli, Ivan D. disse...

Particularmente não acredito que de forma alguma a dublagem do Rio possa um dia ser extinguida. Muitos profissionais e colegas acham que a dublagem de lá é superior a paulista. Ainda temos profissionais clássicos na ativa lá, que só por abrirem suas bocas já cativam os fãs de carteirinha e valem cada segundo assistido de uma obra.

Acho também que pouca gente para pra reparar na qualidade de uma tradução/ adaptação/ dublagem, o que querem mesmo é ouvir as vozes.

Enfim, ao meu ver é mais um período de transição que a arte está passando, e acredito que logo veremos as "consequências".

Paulo disse...

Antigamente, por algum motivo, eu adorava e admirava muito a dublagem e os dubladores. Adorava adivinhar de quem era aquela voz que estava ouvindo, vê-los em eventos etc

Esse tipo de concorrência e confusão existe em qualquer tipo de profissão... mas tira um pouco da mágica do trabalho deles.

Espero que Sailor Moon não enfrente esses problemas em sua redublagem.

E parabéns, Sandra, pelo blog. Adoro ler o que você escreve.

Abraços

Digo disse...

Realmente essa posição é preocupante. DB KAi está pagando as consequencias de uma má visão da distribuidora, e colocar um anime já com vozes consagradas em um estudio que nao está bem visto. E olha que este erro ja foi cometido no passado com Sailor Moon, e deu no que deu.
Só torcemos para que as Sailors nao caiam em desgraça de novo e retornem para o barco que as afundou. Analisando todo o processo do SOS na pesquisa, e vendo o quais as vozes o fãs querem, a jogada para um novo sucesso ja está feita, vamos esperar a decisão da TOEI.
E falando em Toei, eles devem se achar, pois quantos problemas que nao tiveram na Epoca de Cavaleiros Safa de Hades inferno, sendo ate uma das musicas de encerramento nao liberado o arranjo para a versão nacional.
Mas quanto a essa mesclagem, nós como fãs ganhamos nesse caso, pois temos uma gama de vozes mais diversificadas, vejam o exemplo de LOST CANVAS, onde esta tendo essa mescla com dubladores cariocas, vejam o quanto estamos ganhando com belas interpretações, basta vermos a excelente atuação que o Albafica de Peixes recebeu do saudoso Ricardo Schnetzer.
Nessa parte como fãs ganhamos, mas...

Roberto disse...

Nossa eh mesmo, em Lost Canvas tem uns dubladores q pelo amor de Deus, ex: o pupilo mirin do Mestre de Jamiel, nossa uma dublagem pessima, e uma dicção duvidosa, pausas no meio de uma frase: "poderemos trazer... otimas noticias.." que isso! Por isso a tal carta faz muito sentido, seria um aspirante a dublador, ou pior "um funcionario"??? Boatos são temerários concordo, mas haja visto tal situação no mercado de dublagem, tudo leva a crer que a carta tem razão.

Petra Leão disse...

Parabéns, sandra, excelente abordagem sobre um assunto seríssimo. Dublagem é coisa séria, principalmente em um desenho animado, seja anime, Disney ou cartoon.

Isso das vozes sendo "copiadas" não é novidade pra ninguém... não saiu por aí um comercial que simulava a voz de certo dublador carioca conhecido? Pois todo mundo ia dar os parabéns para ele via twitter e ele cansava de dizer que não havia sido ele quem havia dublado; o áudio do comercial tinha sido feito em SP... junte-se isso a Dragon Ball Kai e não é difícil ver que tem algo bem esquisito rolando.

Justa sua posição a respeito do Wendell também. Adoro o cara, dublador incrível, mas concordo que dublador é figura pública e tem uma responsabilidade diante dos fãs; qualquer coisa que diga tem peso e pode contar pra influenciar o seu público, ainda que essa possa não ter sido sua intenção ao fazer um post.

A meu ver, essa questão da dublagem é que os profissionais se encontram naam espécie de brecha. De certa forma, são "ilustres desconhecidos." São conhecidos de um nicho... mas não do grande público. Isso permite que a dublagem e seus bastidores encontre eco nos fãs, mas também que muita coisa errada role sem que fique "óbvio" (afinal, não chega aos jornais que o estúdio X está fazendo trabalhos abaixo do valor de mercado ou chamando profissionais sem DRT... ou mesmo pro ouvido do público muitas vezes é imperceptível se o dubador Y está imitando o dublador Z...)

Enfim, Sandra, desculpe o comentário longo. E mais uma vez, parabéns pela abordagem justa sobre este assunto.