Desejo: Boas Festas...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Pesquisa traça perfil dos consumidores de vídeos online

Navegantes,

O grande "achado" desta pesquisa descrita abaixo é a questão dos vídeos online, do streaming, do "on demand". Não estamos tão longe deste tipo de veiculação quanto se imagina. Olha que estou batendo na tecla... Depois haverão empresas de animes que vão chorar as pitangas...

 

Pesquisa traça perfil dos consumidores de vídeos online

 

Mais de 60% dos internautas afirmaram assistir vídeos online; público jovem é o maior consumidor. A pesquisa mostra também que os brasileiros não rejeitam propagandas em vídeos online. 

Uma pesquisa foi realizada pela Havas Digital Brasil em conjunto com a Globosat com 1.286 pessoas e segundo 96% dos entrevistados, estes consomem vídeos online assistem vídeos de curta duração, sem restrição de dia, seja no YouTube ou em sites de notícias e entretenimento, e com pico de audiência entre as 22h e 1h. Baixar música aparece em segundo lugar na lista de atividades preferidas pelos internautas, com 85%.

A faixa etária dos usuários que mais acessam internet no Brasil é de 18 a 24 anos, representando 32% do total. Os jovens assistem videoclipes e conteúdo de entretenimento durante todo o dia. Já o público mais velho acessa sites de notícias e navega na web após as 20h.

Para 56% dos entrevistados, a principal motivação para um internauta assistir um vídeo online é a disponibilidade na web a qualquer momento. Outro dado importante é que 44% das pessoas que viram um vídeo online, assistiram outros relacionados logo em seguida, 37% leram comentários e 34% recomendaram aos amigos.

A pesquisa também mostrou que os telespectadores digitais não rejeitam propagandas em vídeos online, desde que esses vídeos possuam publicidade relacionada ao conteúdo veiculado: 50% respondeu que não presta atenção ao anúncio exibido antes ou depois do vídeo, 44% disse que não se importa de ver publicidade desde que o conteúdo permaneça gratuito.

Apesar de ainda não tão acessados quanto os curtos, vídeos de média duração já começam a apresentar interesse dos usuários. "Isso é uma tendência. Até mesmo o YouTube aumentou recentemente a duração máxima dos vídeos enviados de 10 para 15 minutos", disse André Zimmermann, diretor geral da Havas Digital Brasil.

 

Fonte: Press Release
 
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: