Desejo: Boas Festas...

quinta-feira, 18 de março de 2010

ANIMA INFO 1170 - Special / Especial

Cofesta in Sao Paulo – Brazil: how it was


Sao Paulo was last week, for the first time, the city chosen for the Cofesta. The event is considered world’s most important event for entertainment contents: TV, movie, music, games, animations, cartoons and technology.
It is important to point out that Cofesta is sponsored by METI (Japanese Ministry of Economy, Trade and Industry) and this year it was produced by professionals and people skilled in the art both from Brazil and Japan. The event took place on March 12, 13 and 14 in Ibirapuera’s Pavilion for art exhibition in Sao Paulo and provided the visitors with concerts, animes, games and business.
Below you find Papo de Budega’s positive comments but also other comments that could help to improve the event in case it occurs in 2011. Our webpage staff was present there on March 12 and 14. On Friday there was a low number of visitors because Friday is actually a workday and school day.
On Sunday the number of visitors was higher, but even so it has low if compared to the number of visitors who attended other anime events occurred in the city. Here we have our first comment: we talked to some visitors and they told us that in their opinion the event publicity was not proper.
We have also noticed that the young people – who usually attend anime events – were pretty much out of place. They told us that they missed stands for mangas and DVD sales, i.e. the “famous” stores which sell pirate DVD and usually take part in big anime events in Sao Paulo.
We have also realized that many young people think it is too difficult to get to event place because they are used to event places located next to subway stations. Another negative factor was for sure the incredibly high temperature in the last floor of the pavilion. Another important point was the lack of fast food outlets.
But maybe the most serious problem was following: the public did not understand what Cofesta is, the mission of the event. The public did not understand, for example, why those TVs were exhibiting animes. It means that for the public Cofesta was simply one more anime event, just like every other one, but without those items the public is used to find there.
Papo de Budega believes that Brazil has a market with many business possibilities, and we have already shown that in this article. However, we also think that the Japanese companies should become more acquainted with the country. Certain animes that were “exposed”, such like Shin-chan, would never be played in our public TV channels. Cofesta may be used to indicate to the companies how our market works.
We can say that maybe the event did not reach the success it was expected as well as had some problems due to following reasons:
- March is a very hot month yet, and the event place was very stuffy. That is curious then Ibirapuera’s pavilion for art exhibition is provided with air conditioning system. The ideal place for the event would be the one people could breathe “natural” air in.
- Ideally, the event should take place in July because in that month students have school vacation;
- Ibirapuera’s pavilion for art exhibition is a very good place for visitors who go there by car. Anime fans usually get there with bus or subway;
- There were no fast food outlets or at least a place where people can drink a soda, juice or basically water;
- The visitors complained about lack of interactivity. In their opinion, there were neither workshops nor lectures.
Unfortunately, Brazilian public is “addicted” to events that can provide people easily with products in general. Most events that take place for example in Sao Paulo city offer huge places to stands for selling pirate products such as DVDs, t-shirts, buttons etc.
Papo de Budega believes that this is the “golden opportunity” for the Japanese government and companies to try to eliminate the common trading of pirate products which exists in such events. Next “possible” Cofesta 2011 could occur exactly in July, a school vacation month when many other events that support the pirate products trade take place.
The event could hire a company to manufacture T-shirts, buttons, key rings etc but everything official.
Additionally, of course there should be stands for Brazilian publishers divulging mangas such as JBC, Panini, Newpop etc, as well as for DVD companies such as Playarte (Saint Seiya, Dragon Ball), Focus Filmes/ Flashstar (Saint Seiya Lost Canvas, Fullmetal Alcheminist), Sony Pictures (Paprika, Tokyo Godfathers) etc.
Maybe it would be interesting if Cofesta’s Japanese organizational sector contact or learn about the most respected and organized animation event in Brazil: the Anima Mundi.
Anima Mundi (see link in English on the top of the page) is a huge event which takes place in mid July in Rio de Janeiro City and at the end of July in Sao Paulo city. The event presents animated cartoons from all over the world. There are also several animation workshops, courses, animation contests for mobile phones and websites as well as lectures. In 2009 Anima Mundi also offered a business panel. The Brazilian event brought to Brazil Michel Ocelot, French director of the acknowledged full-length animation film Kiriku, and Laika Studio, responsible for animating Coraline.
Cofesta could be like “Anima Mundi” but for the Japanese entertainment. For sure it should be a much better example of a Brazilian event, seriously organized and without those “trading” features which are so common in anime events young people are used to visit here.
Brazilian people like Japanese animated cartoons. The history shows that our TV channels have been presenting anime since 1968. Now what we have to do is to find the right way to bring anime programs to our public TV channels, and also to reach the DVD market at better prices.

Talks and activities

Papo de Budega talked to some of the Japanese organizers, and to companies such as TMS and Tezuka Productions. Everybody expects that good businesses can be generated by the event.
As for TMS, we had the opportunity to meet its representatives and to talk to them. It was a quick talk and they have no news at the moment. Concerning Tezuka, we talked to Mr. Takayuki Matsutani, president of the company. One of the items of our talk was the relationship between the company and Disney. The company – contrarily to the opinion of many fans – has absolutely nothing against the American Studio.

Takayuki Matsutani and Mauricio de Sousa

The company representatives also said that the information about a production with “Mauricio de Sousa Produções” resulted from a verbal talk between Osamu Tezuka and Mauricio de Sousa. There are no agreements, and something more detailed regarding both companies shall be starting now after Cofesta.
Tezuka also exhibited some unknown animes created by the “God of manga”, so we could see how genious Osamu Tezuka was by creating his animations.
Concluding, the activities presented by the event were interesting. Everybody – Japanese and Brazilian people – wants an edition in 2011. Obviously only if Cofesta gets results. However, we emphasize that there are good examples of events in Brazil, and Cofesta has to learn more about them in order to improve its activities in case it takes place again in 2011.

My special thanks to Elisa Tomita, Eduardo Seto (japonese translation), Rosemary Zanatta (english version)


Cofesta São Paulo – Brasil: como foi


A cidade de São Paulo recebeu na última semana – pela primeira vez - o Cofesta. O evento é considerado o maior evento de conteúdo de entretenimento do mundo: TV, cinema, música, jogos, animações, quadrinhos e tecnologia.
Vale frisar que o Cofesta é patrocinado pelo METI (Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão) e produzido, este ano, por profissionais e especialistas japoneses e brasileiros. Foram três dias: 12, 13 e 14 de março no Pavilhão da Bienal do Ibirapuera, São Paulo, com apresentações musicais, animês, games e negócios.
O Papo de Budega tecerá abaixo diversos comentários positivos e outros para a melhoria do evento, caso ele ocorra em 2011. O site esteve presente nos dias 12 e 14. O evento teve um baixo número de visitantes na sexta-feira, pois afinal, é um dia útil de trabalho e escola.
No domingo houve um número maior de pessoas, mesmo assim, baixo se comparado a outros eventos de animês que acontecem na cidade. E aqui tecemos nosso primeiro apontamento: em conversas com o público presente, muitos visitantes acreditaram que o evento foi mal divulgado.
Notamos também que jovens - que costumam ir em eventos de animês - estavam muito deslocados. Eles disseram sentir falta de estandes de produtos como mangás e DVDs. No caso, as “famosas” lojinhas de DVDs piratas que estão presentes nos “mega” eventos de animês em São Paulo.
Também percebemos que muitos jovens acharam o local de difícil acesso, pois estão acostumados a eventos próximos de metrôs. Além claro, do incrível calor que o último andar da Bienal proporcionou. Outro ponto importante foi a falta de uma praça de alimentação.
Mas, talvez o mais grave: o público não entendeu o que é o Cofesta. A concepção do que é o evento. Não entendeu por exemplo, o que eram as TVs com a exibição dos animês. Ou seja, para o público, o Cofesta seria mais um evento de animês como outro qualquer, só que sem os itens que estão acostumados a ver.
O Papo de Budega acredita que o Brasil é um mercado com muitas possobilidades de negócios, como já demonstramos neste artigo. Mas, também acredita que as empresas japonesas necessitam conhecer melhor o país. Certos animês que estavam em “exposição” jamais passriam em nossas TVs abertas, como Shin-chan, por exemplo. O Cofesta pode ser uma mostra às empresas do funcionamento de nosso mercado.
Podemos dizer que o evento talvez não tenha feito o sucesso esperado e tenha tido problemas por alguns motivos:
- março ainda é um mês muito quente. E o local estava bastante abafado. O que é curioso, já que Pavilhão da Bienal tem ar condicionado. O ideal é um local em que é possível respirar ar “natural”,
- O ideal é que o evento aconteça no mês de julho, período de férias escolares;
- O Pavilhão da Bienal é um local muito bom para quem tem carro. Os fãs de animês costumam andar de ônibus ou metrô;
- Faltou um local para alimentação, ou pelo menos, um lugar para beber um refrigerante, suco ou o básico, água;
- Os visitantes sentiram falta de interatividade. Para eles não havia oficinas e nem palestras.
Infelizmente, o público brasileiro está “viciado” em eventos que possam proporcionar facilmente produtos diversos. A maioria dos eventos que ocorrem na cidade de São Paulo, por exemplo, têm espaços enormes para estandes que vendam produtos piratas como DVDs, camisetas, bótons, etc.
O Papo de Budega acredita que esta é a “oportunidade de ouro” do governo japonês e das empresas de tentarem eliminar a pirataria generalizada que existe nestes eventos. O “possível” Cofesta 2011 poderia acontecer justamente no mês de julho, mês de férias escolares e período que acontecem muitos eventos que apoiam a pirataria.
O evento poderia contratar uma empresa nacional para confeccionar camisas, bótons, chaveiros, etc, tudo em caráter oficial.
Além claro, de colocar estandes de editoras nacionais que tenham mangás como JBC, Panini, Newpop, etc. E também empresas de DVDs como Playarte (Cavaleiros do Zodíaco, Dragon Ball), Focus Filmes/ Flashstar (Cavaleiros do Zodíaco Lost Canvas, Fullmetal Alcheminist), Sony Pictures (Paprika, Tokyo Godfathers), etc.
Talvez seja interessante a organização japonesa do Cofesta entrar em contato ou conhecer o melhor, mais respeitado e organizado evento de animação do Brasil: o Anima Mundi.
O Anima Mundi (no topo do site há um link em inglês) é um mega evento que acontece na metade de julho na cidade do Rio de Janeiro e no final de julho na cidade de São Paulo. Neste evento são exibidos desenhos animados do mundo inteiro. Também há diversas oficinas de animação, cursos, competições de animações web e celulares e palestras. Em 2009, o Anima Mundi também teve um painel de negócios. E evento nacional trouxe ao Brasil o diretor francês Michel Ocelot do aclamado longa-metragem de animação Kiriku e o estúdio Laika, responsável pela animação Coraline.
O Cofesta poderia ser um “Anima Mundi” do entretenimento japonês. Certamente, um exemplo muito melhor do que é um evento brasileiro feito com seriedade e sem características “comerciais” tão acentuadas como os eventos de animês os quais os jovens estão acostumados por aqui.
Os brasileiros gostam de desenhos animados japoneses, a história mostra que há animês em nossas TVs desde 1968. O que falta agora, é encontrar o caminho correto para que mais animês possam ser exibidos nas TVs abertas, e também chegar ao mercado de DVD a preços mais acessíveis.

Conversas e atividades

O Papo de Budega conversou com alguns dos organizadores japoneses, com empresas como a TMS e a Tezuka Productions. A espectativa de todos é que bons negócios possam ser gerados a partir do evento.
Da TMS, tivemos a oportunidade de conhecer os representantes e conversar com os mesmos. Converss simples, sem novidades no momento. Da Tezuka, conversamos como o senhor Takayuki Matsutani, presidente da empresa. Um dos pontos da conversa foi justamente o relacionamento da empresa com a Disney. A companhia – contrariando o que muitos fãs pensam – não tem absolutamente nada contra o estúdio americano.

Takayuki Matsutani e Mauricio de Sousa

A empresa também disse que as informações acerca de uma produção com a Mauricio de Sousa Produções foi uma conversa verbal entre Osamu Tezuka e Mauricio de Sousa. Não há contratos, e algo mais detalhado entre ambas empresas deve começar somente agora, depois deste Cofesta.
A Tezuka também exibiu alguns animês desconhecidos do “Deus do mangá”, o que foi possível vermos o quão genial era Osamu Tezuka em suas animações.
Enfim, as atividades do evento foram interessantes, a vontade e desejo de todos – japoneses e brasileiros - é que haja uma edição 2011. Obviamente, caso hajam frutos saídos do Cofesta. Mas, reiteramos, há bons exemplos de eventos no Brasil, e o o Cofesta precisa conhecê-los para poder melhorar suas atividades para um possível 2011.

Agradecimentos especiais: Elisa Tomita, Eduardo Seto (tradução em japonês das entrevistas)

←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

Anônimo disse...

"But maybe the most serious problem was following: the public did not understand what Cofesta is, the mission of the event. "

falou absolutamente TUDO!
acho que houve uma falha GRAVE da empresa produtora (Yamato) em não comunicar com CLAREZA ao publico O QUE É A COFESTA

jheff disse...

Estou lendo um pouco tarde.
Mais só tenho que parabeniza-la por esse texto.

Bastante interessante.