Desejo: Boas Festas...

terça-feira, 23 de junho de 2009

ANIMA INFO 920 - Especial

Transformers 2 estreia hoje


Em um dia atípico - normalmente os filmes estreiam na sexta-feira - , estreia hoje o filme Transformers: A Vingança dos Derrotados, das produtoras DreamWorks Pictures e a Paramount Pictures, em associação com a Hasbro.
Na história, dois anos se passaram desde que o Sam Witwicky (Shia LaBeouf) e os Autobots salvaram a raça humana dos Decepticons invasores. Agora ele está se preparando para o maior desafio de sua vida: deixar sua casa e ir para a universidade. Com a destruição da Allspark, Cybertron, o planeta de origem dos Transformers está inabitável e os Autobots vivem da melhor maneira possível na Terra, trabalhando numa aliança com os militares, como parte de uma equipe ultrassecreta chamada NEST, que procura localizar todos Decepticons que ainda se escondem na Terra. Infelizmente, mesmo enquanto os Autobots tentam iniciar uma nova vida junto aos humanos, eles descobrem que talvez não sejam bem-vindos.
Os Decepticons logo ficam sabendo o que Sam ainda não sabe; que somente ele possui a chave para o resultado da luta entre o mal e o supremo poder do bem. A vida normal terá que esperar. Com a ajuda dos Autobots, dos soldados da NEST e de um antigo adversário que se tornou aliado (John Turturro, novamente como Simmons o ex-Agente do Setor 7), Sam e Mikaela devem revelar a história secreta sobre a presença dos Transformers na Terra. E terão que fazer sacrifícios para salvá-la de uma ameaça feita por um antigo Decepticon chamado FALLEN, que jurou retornar à Terra em busca de vingança.


No primeiro filme, há uma certa demora na aparição dos robôs. Nesta sequência a "porradaria cibernética" já acontece logo no início, dando emoção logo nos dez primeiros minutos do filme. As cenas com os pais de Sam são hilárias, especialmente a mãe. O que se pode dizer que é Transformers: A Vingança dos Derrotados é melhor que o primeiro, pois o divertimento, efeitos visuais e cenas de lutas são muito maiores.
←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

sandra monte disse...

ATENÇÃO:

Rogério, você deixou uma mensagem neste post. Mas, não coloquei online pois eu acredito que há muitos spoilers.

Por gentileza, envie novamente seu comentário, mas sem mencionar fatos do filme.


Obrigada.

Rogério disse...

Oi Sandra,

Aí vai meu comentário de novo (desta vez “spoilers-free”):

Sou um fã “tradicional” dos Transformers (daqueles que assistia ao desenho nos anos 80) e ao contrário de outros fãs tradicionais gostei do primeiro filme, mas devo confessar que esperava mais desta sequência. E não era mais barulho e exagero que eu esperava, mas foi isso que consegui. Não que A Vingança dos Derrotados não tenha momentos emocionantes para os fãs. A batalha corpo-a-corpo de Optimus Prime contra os Decepticons na floresta é INCRÍVEL!
Não posso deixar de sentir que este filme sofre de um mal comum a outros filmes de Michael Bay: muito apelo sensorial e pouca força emocional.Infelizmente gosto demais dos personagens Transformers, não só como“franquia” mas como personagens, para deixar passar a incapacidade do filme de gerar empatia por eles. É o preço de ter uma memória afetiva a respeito do robozões.
Os robôs têm mais tempo de tela, mas se você reparar bem são muito pouco desenvolvidos como personagens. São fantásticas máquinas de lutar, algo que os maravilhosos efeitos visuais deixam claro, mas não conseguimos realmente nos importar com eles. Talvez eu esteja mal acostumado com filmes como os dois X-Men de Bryan Singer ou o Batman do Nolan, mas eu começava a acreditar que um filme de ação não precisava ter personagens mal desenvolvidos. Sei que vai soar brega, mas falta coração ao filme.
Até o momento mais trágico do filme desperta pouca emoção. Estranhamente, com exceção de Sam (que se sente culpado) os personagens humanos e mesmo os Autobots não se mostram tão chocados assim(o que é muito estranho). O longa animado oitentista (eu sei, eu sei, não é nenhuma obra-prima, falo apenas como comparação) tem momentos por vezes mais comoventes.
Enfim há os buracos no roteiro, o humor vulgar, o total desperdício de personagens mal explorados; a maneira como eles desperdiçam Arcee(uma das motos), a intrigante “Autobot fêmea” , é estúpida. Não quero ficar aqui desfilando um prazer “nerd” em apontar defeitos (aliás, para mim não há prazer nenhum nisso), mas é uma pena ver que personagens tão bacanas como os Transformers não receberam um filme à altura.
É claro, eu tive meus momentos de prazer assistindo ao filme, mas no final ficou o gosto de que ele não é tudo que poderia ser. Talvez eu esteja sendo tolo, como disse é o preço de ter uma memória emocional, mas realmente, tirando os efeitos visuais, faltam charme e emoção a Vingança dos Derrotados.
Talvez daqui há algum tempo este Transformers – A Vingança dos Derrotados do Michael Bay seja como o Batman “carnavalesco” do Joel Schumacher: um sucesso de bilheteria até “assistível” mas esquecível.