Desejo: Boas Festas...

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

ANIMA INFO 715 - especial

O Corajoso Ratinho Despereaux


O Corajoso Ratinho Despereaux (The Tale of Despereaux)
é uma daquelas animações que tem uma excelente produção, um roteiro interessante – apesar das diferenças em relação ao livro original - e boa dublagem. Mas, mesmo com tudo isso, é possível perceber que não terá longa vida nos cinemas, cuja estréia acontece hoje em diversas salas de todo o país.
O motivo é simples: a animação não é agitada como outras. É relativamente parada para uma criança que tenha se acostumado com o estilo Shrek ou Madagascar e, por este motivo, deve agradar mais aos adultos.
Este conto de fadas moderno traz um reino cheio de magia e felicidade – além de litros e mais litros de uma sopa de dar água na boca. Um triste acidente, porém, muda tudo e faz o rei mergulhar em melancolia, a princesa se encher de saudade e o povo da cidade ficar sem sua deliciosa sopa. A luz do sol desaparece e não há mais esperanças. Até o nascimento de Despereaux Tilling, um ratinho com sede de aventura.
Certo dia, ao visitar a biblioteca do castelo real, onde se diverte com histórias de cavaleiros, dragões e bondosas damas, o bravo camundongo torna-se amigo da princesa, que deseja escapar do pesar que teve início com a morte de sua mãe.
No entanto, as peripécias de Despereaux - cuja pronúncia é Desperrô - são descobertas por outros camundongos – que o julgam ousado demais por falar com humanos –, e ele é levado para o mórbido Mundo das Ratazanas, lugar onde não há luz. Lá, Despereaux é salvo pelo renegado rato Roscuro, visitante de outras terras, banido pelos humanos, mas que ainda sonha com honradez e heroísmo.
Quando, por puro medo, a princesa despreza a amizade de Roscuro, ele torna-se um rato malvado, arquitetando um plano de vingança com a invejosa criada Mig. Porém, depois que a princesa é raptada, Despereaux descobre que até mesmo um pequeno camundongo pode ter a coragem de um cavaleiro.


Com Sam Fell (Por Água Abaixo) e Rob Stevenhagen (Wallace & Gromit: A Batalha Dos Vegetais) na direção, Evgeni Tomov (As Bicicletas De Belleville) no desenho de produção, Brad Blackbourn (Kung Fu Panda; O Espanta Tubarões; Navio Fantasma; Armadilha) no comando da fotografia. Os efeitos visuais foram da produtora Framestore Animation.
A animação é baseada no livro A História de Despereaux de Kate Dicamillo. O obra foi lançada no Brasil pela editora Martins Fontes. Em 2003, Kate Dicamillo escreveu o título, que tornou-se um clássico instantâneo, saltando para o topo da lista de best-sellers do New York Times, onde permaneceu por 96 semanas.
Como a esmagadora maioria das adaptações, o desenho tem diferenças em relação ao livro. A começar pela cena e personagens iniciais. Não há um cozinheiro na história, mas sim uma cozinheira. Outro ponto de impressionante diferença é da própria personalidade de Despereaux. Ele é colocado no filme como corajoso desde o nascimento. No livro, ele é curioso, mas tem momentos que bastante medroso.
Além disso, na obra original, os pais do herói são bem despreocupados quanto ao futuro do filhote, não se importando com ele. Também no livro, não existe claramente o Reino das Ratazanas, mas sim um Calabouço extremamente sombrio e nefasto. São distinções que não chegam a comprometer a animação.


Outro ponto importante de O Corajoso Ratinho Despereaux é a dublagem. O filme foi feito os estúdios Delart, com direção de Pádua Moreira e tradução de André Bighnzoli. O personagem título foi feito por Phillippe Maia. Todos os profissionais fizerem muito bem seus papéis. Mas, há uma voz que atuou de forma grandiosa: Priscila Amorim. Ela dublou a personagem Mig usando um tom voz único e com um diferencial que a personagem exigia. Mig era caipira e a dubladora conseguiu colocar toda sua “caipirice” à tona. Ana Lúcia Gregatti foi a narradora, dando um tom sereno, o mesmo que imaginamos quando lemos o livro.
Algumas das demais vozes são: Hélio Ribeiro (Chef André), Alexandre Moreno (Roscuro), Mauro Ramos (Botticelli), Luisa Palomanes (Princesa), Carla Pompílio (Rainha), Miriam Ficher (Antoinette), Júlio Chaves (Lester), Gustavo Nader (Furlough), Jane Kelly (Professora), Carmem Sheila (Louise), Luiz Carlos Persy (Prefeito), Jorge Vasconcellos (Gregory) e Márcio Simões (Boldo) entre outros.
Se o espectador quiser assistir algo agitado, com muitas trapalhadas ou situações grotescas, certamente não gostará de O Corajoso Ratinho Despereaux que é – antes de qualquer coisa – uma animação que nos leva a fazer certas divagações e a pensar em nossas próprias atitudes.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: