Frase do dia: Que deselegante (Sandra Annemberg)

terça-feira, 11 de março de 2008

ANIMA INFO 441 - Especial

Entrevista com Sérgio Figueiredo

O Papo de Budega conversou com Sérgio Figueiredo, o diretor de redação publicações licenciadas da Abril (Disney, Warner, Nickelodeon, DreamWorks). Figa, como é conhecido no meio, é formado em jornalismo e administração de marketing. Ele começou como editor das revistas em quadrinhos Marvel e DC em 1987.
No ano seguinte, atuou como editor-chefe de todas as publicações de super-heróis até 2002, quando a Marvel passou a ser publicada pela Panini. Figa assumiu as publicações Disney em 2003 e hoje é diretor de redação das publicações licenciadas (Disney, Warner, Nickelodeon, DreamWorks).
Ele nos falou - em especial - das edições de quadrinhos. Contudo, a redação também atua com revistas de informação, revistas de atividade e álbuns de figurinhas.


Qual o seu personagem favorito?
Pergunta sempre difícil. Entre os heróis: Homem-Aranha. Na Disney: Donald. No cinema: Indiana Jones.

A veiculação dos desenhos clássicos Disney na Globo contribuiu para a venda dos quadrinhos?
Não há uma ligação direta entre a veiculação dos desenhos na TV e a venda das revistas em quadrinhos Disney. Pelo menos, nada que possamos mensurar. De qualquer forma, é sempre melhor ter seus personagens na mídia eletrônica do que fora dela.

O que seria necessário para que a Abril pudesse voltar a produzir quadrinhos Disney no Brasil?
Esta é a questão: não existe, pelo menos no momento, necessidade de fazê-lo. A produção estrangeira é ampla e variada e atende perfeitamente as necessidades do nosso mercado.

Outras editoras aproveitam recursos de seus grandes hits e investem em seus outros produtos. Essa poderia ser a solução para a produção de histórias Disney nacionais?
Não precisamos investir em quadrinhos Disney nacionais. As histórias nacionais atenderam uma necessidade de outros décadas, quando havia mais demanda por gibis Disney do que histórias disponíveis para se publicar. Além do mais, o mundo globalizado tornou a temática Disney ainda mais universal do que já era.

Na Itália existem programetes na TV sobre os lançamentos Disney. A Abril teria interesse em uma joint-venture desse tipo com o Disney Channel?
É sempre possível, mas é preciso entender que quem edita os quadrinhos Disney na Itália é a própria Disney, não um empresa licenciada como no resto do mundo, inclusive no Brasil. Desta forma, há uma simbiose natural entre a editora e o canal. Já no Brasil, precisaríamos costurar um acordo que se assemelha à "publicidade editorial", um assunto sempre espinhoso.

Por que a Abril não publica mais histórias Disney francesas e holandesas?
Temos um interessante acordo de fornecimento firmado com a Itália e a Dinamarca, acordo este que atende, por enquanto, as nossas necessidades.


A Abril tem interesse em lançar a Witch versão mangá? Ou estudou a possibilidade de lançar outros mangás Disney?
Estamos analisando os novos mangás. Existe, sim, a possibilidade de serem lançados no Brasil, assim que concluirmos a coleção Carl Barks no segundo semestre.

O projeto Inducks está próximo de catalogar todas as revistas Disney publicadas até hoje no Brasil. Também foram levantados muitos créditos de histórias nacionais considerados perdidos. Quanto o projeto auxilia na produção das revistas Disney? Quais outras iniciativas dos leitores a Abril aprecia e apoia?
O Inducks é uma ferramenta maravilhosa. Admiramos e respeitamos o esforço e a dedicação das pessoas que atualizam essa incrível enciclopédia virtual Disney. O Inducks auxilia nossos editores nas pesquisas para as edições nacionais e até mesmo na elaboração de respostas aos leitores nas seções de cartas. Quanto a outras iniciativas de leitores, ficamos sempre muito satisfeitos quando nosso público escreve e liga para a Redação, comentando, opinando e criticando.

Quais são os planos da Abril depois que a coleção do Carl Barks terminar? Há algum projeto para o retorno de "Mestres Disney"?
Não especificamente Mestres Disney. Mas deveremos contemplar autores e sagas clássicas em futuras coleções. Também estamos estudando como realizar uma bem-sucedida volta de edições temáticas, no estilo Disney Especial.

Como será a distribuição dos quadrinhos daqui em diante? Existe alguma previsão de quando os kits com revistas Disney de linha chegarão de fato à Loja Abril?
No ano passado, implementamos a distribuição em fases para os quadrinhos. Primeiro, capitais e principais cidades das regiões Sul e Sudeste. Depois, em pacotes promocionais com 4 edições, as revistas chegam às capitais e principais cidades das demais regiões. Infelizmente, tivemos problemas em disponibilizar os quadrinhos na Loja Abril. Recebemos algumas mensagens furiosas (e com razão!) de clientes que não conseguiram comprar os gibis pela internet. Mas a situação deverá ser regularizada em breve.

Muito discute-se na net qual o público dos quadrinhos Disney no Brasil. Possivelmente os leitores seriam mais adultos. Não seria interessante ter um website com uma "cara" mais adulta para estes leitores?
Em termos. De fato, temos milhares de leitores que aprenderam a ler e cresceram lendo os gibis Disney – fãs que agora têm 40, 45, 50 anos de idade. Muitos, inclusive, dão testemunho disso em nossas seções de cartas.
Por outro lado, temos milhares de crianças que estão entrando no mundo mágico Disney neste instante. Essas crianças também se manifestam em nossas seções com a mesma ênfase e carinho dos adultos. Acredito que o planetadisney.com.br atende os dois públicos, fazendo o papel de vitrine de nossos lançamentos. O público adulto, mais crítico, é servido com nossas notícias diárias no planetadisney.com.br, além de participar ativamente de listas de discussão em outros sites.

A Abril já está se preparando para a veiculação do High School Musical Brasil, com álbuns ou revistas especiais?
Sim, em abril teremos uma coleção de fotocards e uma nova revista de HSM A Seleção.

Alguma novidade da marca Powers Rangers? Haverá algum material especial em comemoração a 15ª temporada?
Estamos desenvolvendo com a Disney, para os fãs de todas as idades, um superálbum de figurinhas com todas as temporadas da série: heróis, vilões, equipamentos, zords, etc. Se tudo der certo, deveremos ter o álbum pronto para o segundo semestre. A revista mensal tem mostrado as séries SPD e Mystic Force. Operation: Overdrive vai estar em abril na nossa revista de atividades Pinte Legal, destinada a crianças de até 8 anos.

Serão lançadas figurinhas com as Olimpíadas como tema?
Isto ainda está indefinido.

E as outras licenças?
A Editora Abril adquiriu os direitos de muitos grandes personagens para figurinhas e revistas. Vocês irão ver nas bancas muito em breve.

Aparentemente, a Panini cancelou o título Monster Allergy, que tempos atrás pertencia a Abril. A editora acredita na possibilidade de retomar este quadrinho?
Não existe essa possibilidade, pois não é do nosso interesse.

Você teria algum outro comentário que gostaria de fazer e eu não perguntei?
Gostaria apenas de agradecer a oportunidade e o convite para a entrevista. E dizer aos fãs de HQs e colecionadores de figurinhas que muitos bons produtos estão a caminho.

Muito obrigada pela entrevista

7 comentários:

hansgrotz disse...

Mamma mia!!!Tem coisa que dá medo nesta entrevista...é só ler nas entrelinhas.

Celbi P. disse...

Parabéns Sandra. A entrevista tá ótima!

Marcelo Mandau disse...

É por isso que estou picando e vendendo toda minha coleção mesmo que a preço de banana. Não quero que meu filho leia e se decepcione no futuro como eu estou decepcionado. Desde que setorizaram não consegui mais continuar com a minha coleção. Prometeram vender na loja Abril e isso nunca aconteceu, apesar de o FAQ estar lá no site dizendo que a partir de novembro de 2007. Mentira pura, é o que a Editora Abril faz com os fãs Disney. Mentem e ignoram. E olha que sou um dos maiores clientes deles de Especiais da Disney, na Loja Abril. Em vez de colocar a linha nas principais bancas e livrarias, como fazem outras editoras, preferiram setorizar e com isso acabar com um nicho de mercado dos fãs Disney. As edições que aqui chegam com 4 meses de atraso, chegam em quantidades pequenas, com revistas amareladas, com rasgos ou anotações recolhidas dos outros estados. Tem que comprar 10 kits para conseguir as revistas perfeitas. Eu não compro mais. Acabou para mim. HQs Disney já era no Brasil. Está nas mãos de quem não entende nada, de quem não conhece o seu público. Enquanto isso Revistas da Turma da Mônica se encontram em qualquer quitandinha da esquina em qualquer cidade do Brasil. Saravá!

Cyber MSX disse...

Olha só, o Figa! ^^
Caraca, não vejo essa cara há uns 10 anos. Bom saber que ele continua firme e forte. Manda um abraço pra ele por mim, Sandra!

Rodrigo Ramos disse...

É... Taí uma coisa que me entristece só de ler... Contrato satisfatório com a Itália e a Dinamarca? Com todo o respeito... Faz tempo que não fazem uma história decente! Não vamos produzir aqui pq estamos satisfeitos? Com o que? Com estas revistinhas medonhas?

Saudades dos anos 70... 80...

Anônimo disse...

Sou colecionador há 20 anos! E sonho em ver de novo o sucesso das revistas disney no Brasil. Imagino que, quem é responsável pelo departamento de quadrinhos da Abril não é colecionador fanático como eu e tantos outros. As revistas em circulação estão muito boas, exceto Zé carioca que poderia ter pelo menos as capas inéditas!!
Para finalizar imagino que se as publicações Disney fossem para a Panini talvez melhorasse a qualidade ou talvez tivéssemos mais titulos nas Bancas.
Ah! E sobre os 80 anos de Mickey; será que vai passar despercebido?
Sem mais!!

José Rivaldo Ribeiro

Anônimo disse...

Olá amigos colecionadores, esta entrevista e realmente de deixar colecionadores de disney como eu(coleciono deste a decada de 80), muito tristes, pois tirando o melhor de Carl Barks, não tem mais nada da disney que se possa comprar nas bancas.Acho que o foco da editora abril está errado, pois os novos leitores são estimulados a colecionar disney por seus pais que liam e colecionavam, a qualidade das estorias e até das revistas(encadernação vagabunda), culminaram nas baixas vendas, então tentaram conquistar novos colecionadores com um zé carioca funqueiro, mickey estilo arquivo x e pato donald e margarida no titanic, tudo perda de tempo, não deve ter vendido nada.Os colecionadores querem ver e consumir por exemplo: anos de ouro do mickey e historias de autores atuais como Keno Don Rosa, que sabe imprimir graça em suas historias, ou ainda, especiais com as melhores historias dos metralhas, ou do mickey versus bafo-de-onça ou mancha negra, tio patinhas versus patoconcio ou macmoney e etc...E que Walt Disney, lá do céu, ilumine a cabeça de nossos editores.Muito obrigado.

  ©Papo de Budega - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo