Desejo: Boas Festas...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2005

Feliz 2006

Pessoas,
Acabei não escrevendo muito nestes dias por motivos de força maior. Mas desejo a todos um ótimo 2006 com tudo que cada um de meus estimados leitores desejarem!!! Beijos e vejo todos vocês no ano que vem!!!

domingo, 18 de dezembro de 2005

TRICAMPEÃO

Morram de inveja! O São Paulo Futebol Clube é o único tricampeão brasileiro de times do mundo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

Eu vou destruir você...

O que neste post parece estranho? O pior é que cada vez mais estamos a ouvir isso na dublagem brasileira de desenhos animados e filmes.
As empresas do entretenimento usam cada vez mais o “eu destruo você” no lugar de “eu mato você”. Isso ocorre (possivelmente) para que os títulos possam fugir da classificação etária imposta pelo Ministério da Justiça, algo que para muitos mais parece censura que outra coisa...
Já tive o desprazer de ouvir esta frase em muitos títulos, principalmente em desenhos animados. Meu questionamento ou desabafo é simples: não seria o “eu destruo você” pior que o “eu mato você”? Vejamos...
Qual é a primeira coisa que pensamos quando falamos em destruição? Alguma coisa em pedaços, estraçalhada... Por exemplo: “a cidade de Hiroshima foi destruída pela bomba...” Ou ainda: “o exército destruiu aquela base militar...” E por aí vai. A impressão que tenho quando escuto o “eu destruo você” é que o agressor vai esfacelar a pessoa em mil pedacinhos. Que vai tacar uma bomba na pessoa, que terá um pedacinho para cá, um pedacinho para lá...
Estamos vivendo em um tempo de violência terrível no mundo. Tenta-se amenizar a violência de forma equivocada. Mudar uma palavra dita violenta por outra ainda pior não resolve a questão.
No caso brasileiro, não seria melhor dar educação e emprego ao invés de se fazer alterações tolas nas obras? Talvez esta seja a hora para uma discussão mais ampla sobre a classificação etária. Classificação feita de forma errada e que até agora, mostrou-se totalmente ineficiente quanto à questão da violência. Só faz deturpar muitos títulos em filmes, seriados de desenhos animados.
←  Anterior Proxima  → Inicio