Frase do dia: Sono? Não.. imagina.. ZZZzzz...

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Livro: A Cauda Longa

Tempos atrás, tivemos a oportunidade de escrever um texto acerca desta obra. Certamente, este é um dos livros mais fáceis e interessantes a comentar a segmentação do mercado: A Cauda Longa (Long Tail) de Chris Anderson. Originalmente, o título foi um artigo que acabou por virar um livro. Tornou-se uma obra importante por mostrar a relevância dos produtos de massa e como funciona a segmentação. De acordo com a sinopse da Livraria Cultura:
Chris Anderson, editor chefe da revista 'Wired', explorou pela primeira vez o fenômeno da 'cauda longa' em um artigo que se tornou um dos mais influentes ensaios sobre negócios de nosso tempo. Usando o mundo dos filmes, dos livros e da música, mostra que a Internet deu origem a um novo universo, no qual a receita total de diversos produtos de nicho, com baixo volume de vendas, é igual à receita total de poucos produtos de grande sucesso. Por isso cunhou o termo 'cauda longa' para descrever essa situação, o qual tem sido usado pela alta gerência das empresas e pelos meios de comunicação no mundo todo. Nesse livro, Anderson mostra como chegamos a esse ponto e revela as enormes oportunidades que se originam desse fato, vislumbrando um futuro que está presente.

O exemplo principal usado pelo autor foi o universo musical. Porém, a lógica poderia ser implementada por diversos outros segmentos. Alguns deles, sem o mesmo êxito da música. E, aqui fica um registro: o estudo de Anderson funciona bem nos Estudos Unidos, com aquelas condições culturais. Vale também tecer reflexões para nossa realidade, que é bem diferente daquela descrita pelo autor.
Afinal, nossa cultura musical, televisiva, cinematográfica e, especialmente de leitura, é extremamente diferente. Algumas pessoas - inclusive a que vos escreve - em tempos passados, pegaram o livro como exemplo para o universo das HQs nacionais. Porém, o livro é uma referência, uma teoria. Não uma "lei". É necessário ver diversas outras condições culturais para que a cauda realmente seja completa. Mas, para conhecer, é importante uma leitura da obra.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Curiosidades Budeguísticas: espelho

Um das invenções mais importantes da humanidade é um artefato que, aparentemente, é inofensivo. Porém, sua relevância dá-se por sua representação simbólica maior. Antes de sua criação, só era possível o ser humano ver-se de uma forma mais natural, em rios ou rochas extremamente polidas. Porém, com a criação do espelho, o Homem pôde literalmente se ver.
Segundo o site A Origem das Coisas, "os primeiros espelhos artificiais, portanto criados pelo homem, eram pedaços polidos de obsidiana, uma rocha de origem vulcânica. Esses espelhos foram encontrados na Anatólia, (agora Turquia), apesar de também na América terem sido encontrados instrumentos similares. Posteriormente, os espelhos começaram a ser feitos a partir de cobre polido na Mesopotâmia e no Egito, enquanto que na China eram produzidos em bronze por volta do ano 2.000 a.C."
Já, segundo a Wikipedia, "no final da Idade Média, a técnica da fabricação de espelho foi sendo desenvolvida. O mercúrio era aplicado em papel fino montado em papel alumínio polido e coberto com outra folha de papel liso." Ou seja, o mesmo foi se tornando cada mais mais sofisticado em sua produção.
Os espelhos já foram usados como produtos de troca em nossa colonização. Justamente por atiçar nosso desejo de nos ver, foi um dos artefatos mais importantes usados pelos portugueses, como nos mostram os livros de História e links como este. Hoje, a simbologia dos espelhos parece mais forte do que nunca. Afinal, as redes sociais e o anseio de se mostrar é uma nova forma de "espelho" que o ser humano sempre teve, o do ver a si próprio.

domingo, 30 de agosto de 2015

Para alegrar o dia 126

Retirado deste link.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Os Dez Mandamentos sofre preconceito (#OsDezMandamentos)

Quando iniciou e sofreu por alguns meses por conta da baixíssima audiência, muitas pessoas, incluindo profissionais de comunicação disseram que a novela Babilônia sofreu preconceito de diversos setores. Curiosamente, muitos jornalistas mostraram ao longo destes meses seu profundo desprezo com uma produção primorosa da teledramaturgia brasileira: Os Dez Mandamentos.
O título, que tem uma boa audiência, sofre com o preconceito generalizado que veículos de comunicação de entretenimento têm contra a rede Record. Não cabe aqui tecer comentários acerca da emissora e seu presidente. Muitos têm suas questões religiosas e sociais. Porém, os mesmos grupos que - muitas vezes - bradam tanto contra os preconceitos sociais são os mesmos que lançam palavras de repulsa contra a novela.
Criticam ao ver uma cena ou outra ou pior, muitas vezes sem ver. Sites, portais, perfis de redes sociais, todos lançam venenos contra uma produção bem feita. Óbvio que, assim como as novelas da rede Globo, há alguns problemas. Mas, o resultado final tem sido realmente espetacular. Ou seja, penalizam os trabalhos de diversos profissionais desde atores, iluminadores, escritores, músicos, e especialmente historiadores por causa de seus próprios preconceitos religiosos.
Preconceitos que tanto gritam serem contra. Porém, somente quando lhes diz respeito. A nós, este fato é lastimável. Porque novelas que são rechaçadas continuam a ser capas de revistas, continuam a ser notícias em portais. A raiva e repulsa de colegas jornalistas os têm cegado. Tão intransigentes quanto os conservadores que tanto questionam. Tão reacionários dramaturgicamente quanto os reacionários sociais.
Se esta novela merece vencer um Troféu Imprensa? Sim, certamente. É a melhor novela, produção do ano na TV brasileira. Que não se confundam as questões sociais, culturais e religiosas com o trabalho dos profissionais. E, que haja respeito com o público desta produção. Porque grande parte é fã de boa novela e novela bem contata, independente de credo.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Idina Menzel - #IdinaWorldTour - Jones Beach Theater - LET IT GO


Neste último vídeo do show de Idina Menzel, que tivemos o prazer de ir em 17 de julho em Jones Beach Theater, New York, a artista canta seu maior sucesso: LET IT GO. Sempre mostrando sua presença palco única, Idina chama seu público mais jovem para cantar com ela. Algo que certamente ficará no coração destas jovens fãs.
Um fato que realmente percebemos é a variedade de fãs que Idina Menzel tem. Os mais velhos acompanham-na da época de Wicked, outros desde os tempos de Rent. Há aqueles que viram If/Then e por fim, as crianças da geração FROZEN. O final inicia a música inédita CHILD, que infelizmente não conseguimos gravar completo.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

A Googlelização de Tudo

Quando escrevemos a resenha de A Googlelização de Tudo de Siva Vaidhyanathan tempos atrás, talvez os leitores não tenham percebido a tamanha importância da publicação. A obra tece, de uma maneira bem clara, a influência avassaladora do Google em nosso cotidiano.
Nossa vida na internet gira, e muito, em torno da empresa principal - o próprio Google - e suas "paralelas" (Youtube, Blogger, etc). Percebemos que, até mesmo em nosso mundo real usamos termos que fazem alusão ao maior site/portal do mundo. Para entender como funciona e sua relevância, uma leitura deste livro é fundamental. A resenha completa segue no link acima.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Curiosidades budeguísticas: pandas

Depois de algumas pesquisas, e também de vermos um programa sobre animais, decidimos fazer um "curiosidades" especial sobre os pandas. Estes animais sofreram por algum tempo, diferentes tipos de classificação no reino animal. Algum tempo atrás, foram considerados "tremarctos", que tem um tipo de ossada diferente os ursos "tradicionais". Por conta disso, havia quem questionasse se eles eram ou não realmente ursos.
Além disso, outro motivo complicado de incluí-los como membros "efetivos" de "Ursidae" é porque esta família, está na ordem dos carnívoros, e o panda é um bicho herbívoro. E ainda, ele não faz outra ação relativamente comum aos demais ursos: pandas não hibernam. Com tudo isso, a biologia de algum tempo atrás não os classificava como "ursos". Eles seriam parentes distantes dos coalas.
Os pandas foram definitivamente considerados "ursos" devido à genética. Os cientistas verificaram que, mesmo sendo relativamente diferentes de seus irmãos de família, como os ursos pardos (grizzlies) e polares, ele pode efetivamente ser considerado um urso. Segundo o Wikupedia, o nome científico do panda é Ailuropoda melanoleuca, do grego: ailuros, gato + poda, pés; e melano, preto + leukos, branco).
Segundo o InfoEscola, é "originário das montanhas do Sudeste Asiático, há cerca de 100.000 anos (...) Apesar de ser um animal antigo, só se tornou conhecido no mundo ocidental no século XIX, quando Armand David, padre jesuíta francês descreveu suas características." É uma das espécies mais raras da atualidade, correndo risco de extinto.
São animais muito dóceis e só se tornam violentos em ocasiões muito específicas, como quando as mães que protegem seus filhotes. Fora isso, são animais gentis, consumidores vorazes de bambus. Há um link divertido que brinca com a relação dos pandas e das demais espécies demais ursos. Apesar de cômico, são comentários verdadeiros.

ANIMA INFO 1702

PlayArte faz com exclusividade o Festival Tokusatsu

Por meio de um release de imprensa, a Playarte deixou claro que os festivais Cavaleiros do Zodíaco e Naruto foram um sucesso. Por isso, em parceria com a Focus Filmes, a distribuidora resolveu homenagear dessa vez outros importantes personagens queridos pelo público. Os fãs de Tokusatsu - os live action japoneses - poderão conferir nas telonas grandes clássicos e produções mais recentes durante o período de 12 de setembro e 08 de novembro. Esta é a primeira vez que este gênero será exibido nos cinemas nacionais.
O Festival acontecerá em sete dos cinemas da rede PlayArte (São Paulo, Grande São Paulo e Manaus) e será dividido em sete fases. Celebrando a nostalgia dos anos 80, as primeiras seis fases trarão episódios dublados do O Fantástico Jaspion, o Esquadrão Relâmpago Changeman, O Incrível Ninja Jiraiya, Comando Estelar Flashman e o Policial de Aço Jiban. Os longas estrelados pelos Irmãos Ultra (Ultraman, Ultra Seven, Ultraman Jack, Ultraman Mebius e os demais Guerreiros da Nebulsa M-78) também serão exibidos pela primeira vez nos cinemas brasileiros: Ultraman Mebius e os 6 Irmãos Ultra: Yapool Ataca!, Ultraman Mebius e os 8 Irmãos Ultra: A Grande Batalha Decisiva e Ultraman - O Filme: Mega Batalha na Galáxia Ultra. A trilogia Samurai X - Rurouni Kenshin, produções em live-action mais recentes do Japão que conta a saga do lendário “Battousai, o Retalhador”, também ganhará espaço e encerrará com chave-de-ouro o festival. Samurai X - O Filme, Samurai X - O Inferno de Kyoto e Samurai X - O Fim de uma Lenda serão exibidos nos dois formatos: dublado e legendado.
Para os fãs mais alucinados, na bomboniere do cinema estará à venda combos exclusivos com copos personalizados dos personagens principais do festival. Os ingressos terão um preço especial e diferenciado para esta ação: inteira – R$ 15,00 e meia – R$ 7,50. Veja informações dos dias e cinemas clicando neste link.

domingo, 23 de agosto de 2015

Para alegrar o dia 125

Dormindo "de boas", lá no zoológico de New York...

Proxima  → Inicio